fbpx

Veja como fica a situação dos jogadores que devem voltar de empréstimos feitos pelo Flu

Dois deles não vão ser aproveitados e os outros quatro vão ter os casos avaliados pelo departamento de futebol de acordo com as previsões de retorno dos jogos

Flu terá seis jogadores em retorno de empréstimo a partir desta quinta-feira e durante o mês de junho. Dois deles, porém, estão em fim de contrato também com o Tricolor e não vão renovar. Esses são os casos de Breno, que estava no Boa Esporte, e Patrick Carvalho, cedido ao Boavista, de Portugal. Quem terá uma chance nas Laranjeiras, entretanto, são Caio, Zé Ricardo, Marlon e Robinho, que já apareceram no time principal em diversas oportunidades.

Os jovens Caio e Zé Ricardo vieram da base tricolor e tem contrato mais longo. Caso o projeto sub-23 siga, os dois devem ser aproveitados na equipe para ganharem mais experiência antes de irem para o time principal. Caio, de 21 anos, estava emprestado ao Atlético-GO até esta quinta-feira, 30 de abril. Foram oito jogos, quatro como titular. Pelo time principal do Fluminense, ele atuou em 2018 (5 jogos) e 2019 (3 jogos). O vínculo dele vai até maio de 2021 e o clube tem 50% dos direitos dele.

Zé Ricardo estava emprestado até a última segunda-feira ao Boavista, do Rio de Janeiro. Com 21 anos, ele foi revelado nas categorias de base do Flu e era tratado como uma das joias de Xerém, inclusive sendo utilizado por Fernando Diniz em dois jogos do Carioca em 2019. O volante tem contrato até o fim de 2021 e o Fluminense tem 60% de seus direitos econômicos.

OS MAIS EXPERIENTES

Emprestado ao Boavista, de Portugal, o lateral-esquerdo Marlon está cedido até o dia 30 de junho e tem opção de compra no contrato, algo que ainda não foi manifestado. Na equipe portuguesa ele fez 19 partidas, sendo 17 como titular, e marcou um gol. Ele tem três temporadas pelo Flu e sempre lutou pela titularidade, apesar da concorrência forte. Em 2019, porém, perdeu espaço e acabou saindo. Aos 22 anos, ele tem contrato com o clube carioca até dezembro de 2021 e 70% dos direitos econômicos pertencem ao Tricolor.

Robinho, de 24 anos, nunca conseguiu se firmar no Fluminense, onde tem contrato até agosto de 2021. Pelo Água Santa, o meia-atacante disputou oito jogos, três como titular, marcando dois gols. O Flu tem posse de 55% dos direitos econômicos dele.

– O Caio é um jogador que nós sempre acreditamos. Teremos que olhar caso a caso. No momento certo sentaremos para discutir essas coisas. A maioria desses fogem do sub-23, com exceção do Zé Ricardo e do Caio. Os outros estão em um patamar um pouco diferente, já estavam servindo o profissional. É o caso do Marlon e do Robinho – disse Paulo Angioni, diretor de futebol do Fluminense, ao LANCE!.

Robinho em ação pelo Fluminense (Foto: Lucas Merçon/ FLUMINENSE F.C.)

QUEM NÃO FICA

No caso de Breno Santos, ele tem 24 anos e chegou ao Fluminense para jogar no sub-17. Chegou a ser emprestado ao Samorin, projeto do Tricolor na Europa, mas nunca atuou pelo time profissional do Flu. Em 2020, não atuou pelo Boa Esporte e em 2019 entrou em campo apenas duas vezes.

Já Patrick Carvalho, de 23 anos, começou no Fluminense no sub-15, mas não teve sucesso pelo clube e passou por uma série de empréstimos. Os dois últimos foram pelo Chiasso, da Suíça, onde jogou seis partidas, e depois pelo Al-Akhdoud, da Arábia Saudita, quando nem chegou a entrar em campo.

Entre os emprestados, o lateral John, de 20 anos, está no FK RFS, da Letônia, até novembro. Além dele, o zagueiro Reginaldo tem contrato com a Ponte Preta até dezembro. Quem deve retornar apenas no ano que vem é Mascarenhas, cedido ao Vitória de Guimarães (POR) até junho de 2021.

Fonte: Terra!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Top