fbpx

Opinião – O time que não faz gol x o time que não toma gol: O que esperar do Flu de Odair Hellmann na final da Taça Rio?

Foto: Lucas Merçon/FFC

Pois é, galera. Jogando bem ou jogando mal, estamos na final. Já aviso logo de cara que é um texto opinativo e qualquer um pode discordar – de preferência sem xingar. O texto começa com uma tentativa falha de rima visando aliviar a tensão que o futebol do Fluminense nos proporciona a cada jogo.

O Campeonato Carioca é o único estadual do país com bola rolando em tempos de pandemia. O Fluminense, junto com o Botafogo, tentou até onde pôde adiar o retorno da competição. Olha, cá entre nós, seria bom pra gente. O futebol apresentado é de sangrar os olhos. Sem padrão tático, previsível e sem poderio ofensivo, o tricolor soma mais de 270 minutos sem marcar gols nesse retorno.

A volta foi contra o Volta Redonda, provavelmente o melhor dos times pequenos. Logo no início já deu pra ver que teríamos sérios problemas. Gol sofrido cedo, expulsão inexplicável do Egídio, derrota humilhante para o time da Cidade do Aço. Aproveito pra questionar algo: como o Egídio não foi punido por uma entrada tão imprudente? Imagino que seja difícil fazer isso devendo dois meses de salários (ou mais).

Passado o vexame diante do Volta Redonda na reestreia do ídolo Fred, o tricolor teve a chance de se redimir diante de um fraquíssimo Macaé. Eliminado, com um time totalmente desfigurado após a parada do futebol, o Macaé segurou o Fluminense e não tomou um gol durante os 90 minutos. O pior quase aconteceu nos acréscimos. Esse mesmo Macaé havia perdido para o Vasco por 3×1 antes de empatar com o time de Odair Hellmann.

Agora que mencionei o nome desse tal técnico, chegou a hora de falar mais sobre o mediano trabalho em números e péssimo em desempenho. Odair não entrega um Fluminense competitivo. Tem torcedor que não aceita ouvir ou ler isso, mas é uma verdade, uma opinião sincera. Quem lembra da eliminação vexatória na primeira fase da Sul-Americana? Eu me recordo bem. O gigante Fluminense não pode JAMAIS ter atuações tão previsíveis e medrosas contra um time inexpressivo, sem torcida e com uma importância ínfima no futebol. O Flu de Odair nos proporcionou essa vergonha. Adivinhem a desculpa apresentada? Início de trabalho, poucos treinos, time em construção, blá blá blá…

Após a triste eliminação, a torcida deu um voto de confiança para o time. Sei lá, vai que era um ponto fora da curva. Não, não era. Seguiu enganando com bons números no estadual – em jogos de pouca exigência, obviamente. O auge foi um 3×0 contra o já eliminado Botafogo. Ah, ganhamos também os sub-20 de Flamengo e Vasco. Tem tricolor que enche a boca pra falar isso. Menos, galera, bem menos.

Reclamando pela falta de tempo para treinos nesse retorno, Odair usa esse argumento para as fracas atuações no retorno. São três jogos e ZERO gols marcados e poucas chances criadas. Se a desculpa é o tempo de trabalho, como explicar a atuação pífia diante do Figueirense antes da pandemia? Perdemos para um time que beirou à falência no ano passado. Temos obrigação de reverter o resultado no jogo da volta pela Copa do Brasil.

Vamos finalmente ao que interessa: o que esperar do Fluminense de Odair contra o Flamengo? Eu espero no mínimo um time que queira jogar. Se entrar com medo, na retranca, será engolido. A desculpa já sabemos que o técnico tem pronta. Ontem vimos um time com três volantes, com alguns lampejos de futebol e outros de um time sem criação. O técnico ainda não encontrou o armador desse time. Nenê abre muito o jogo e Ganso não corresponde. Diante disso, como explicar Miguel fora até do banco?

Dodi mostrou para todos que ele é o melhor volante da equipe, mas ficava esquecido sei lá por qual motivo. Que tal tirar o lento Hudson e voltar com Marcos Paulo? Assim o time ganha variedade de jogadas ofensivas e segue com meio campo combativo com Yago e Dodi na marcação.

Odair Hellmann, só te peço uma coisa. Faça o time jogar bola. Quer uma dica? Basta você assistir os dois jogos do seu Internacional contra eles na libertadores do ano passado. Depois de assistir, treine o time para fazer o OPOSTO daquilo.

Vence o Fluminense.

Rodrigo Machado

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Top