Em live, Mário diz estar em negociação com elenco para nova redução salarial em junho

Presente tricolor Mário Bittencourt; participou de uma Live no perfil @etamussino no Instagram na noite desta quarta-feira. Em bate-papo com o médico Marcelo Ferreira, o presidente do Fluminense explicou como o clube vem enfrentando financeiramente a pandemia do novo coronavírus através de pactos para diminuir os salários na quarentena. E após o acordo feito para os meses de março, abril e maio, o dirigente revelou uma negociação em curso para manter a redução em junho:

– No Fluminense, partiu dos próprios diretores, executivos de todas as áreas, a redução de 15% dos salários. Com os jogadores, conseguimos um acordo onde eles em março renunciaram a 15% e deram desconto de mais 20% para pagar na frente; em abril pagamos 50% das férias, que ficaram nesse mês pela pandemia, e vamos pagar os outros 50% mais o terço constitucional só em dezembro; e em maio eles renunciaram a 25%. Em junho seguimos em negociação sobre a renúncia de 25%. Ainda não batemos o martelo com relação ao elenco profissional.

No acordo feito com os jogadores até maio, ficou decidido que haveria uma nova negociação sobre redução se o futebol continuasse parado no país, mas o Campeonato Carioca voltou em junho, e o Fluminense teve o seu primeiro jogo após a quarentena no dia 28, contra o Volta Redonda no Estádio Nilton Santos. Os salários de maio e junho, que venceu no dia 7 de julho, ainda estão atrasados .

Mário também revelou que haverá negociação com o sindicato dos funcionários em clubes para uma redução salarial no quadro de funcionários .

– Tem o sindicato dos atletas e dos empregados em clubes. Vai ter uma assembleia semana que vem para a gente conseguir algum tipo de redução. Por que isso? A nossa filosofia foi a manutenção dos empregos. A gente teve duas coisas positivas: não mandarmos nenhum funcionário embora e também não tivemos, felizmente até o momento, nenhum óbito por contaminação de Covid-19, e estamos falando de um clube que tem 700 funcionários. Justamente porque a gente colocou os funcionários em quarentena, agraciou com cestas básicas, e isso nitidamente fez um efeito muito positivo no controle da pandemia na nossa comunidade do Fluminense.

Vale destacar que dos grandes do Rio de Janeiro, o Fluminense foi o único time a não demitir nenhum funcionário durante a quarentena.

Fonte : Globoesporte.com

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *