CBF anuncia redução do intervalo mínimo entre as partidas, de 66h para 48h

Na última sexta-feira (07) a Confederação Brasileira de Futebol (CBF), juntamente com Federaçao Nacional dos Atletas Profissionais de Futebol (FENAP) chegaram a um veredito e anunciaram que o intervalo mínimo entre as partidas do futebol brasileiro em 2020, será de 48 horas, e não de 66 horas, como ocorria até ano passado.

A medida entrou em já vigor no dia seguinte, 8 de Agosto, data de início do Brasileirão. De acordo com a CBF e FENAP a decisão tem por objetivo fazer com que “as competições da temporada 2020 não avancem ainda mais sobre o calendário de 2021, garantido o trabalho seguro aos atletas, bem como um período de descanso ao final de 2020 e férias integrais ao final de 2021”.

Confira a nota oficial divulgada pela CBF

A Confederação Brasileira de Futebol e a FENAPAF – Federaçao Nacional dos Atletas Profissionais de Futebol, com a anuência do Ministério Público do Trabalho e a homologação do Tribunal Regional do Trabalho da 15ª Região (Campinas), vêm a público informar que aditaram o acordo que estabelecia o intervalo mínimo de 66 horas entre partidas de competições coordenadas pela CBF, para estabelecer que, durante a temporada de 2020, de forma absolutamente excepcional e somente se necessário, poderão ser marcadas partidas com intervalo mínimo de 48 horas.

Tal medida se aplica inicialmente à Série A, podendo ser estendida a outras competições de âmbito nacional mediante o mesmo critério adotado, ou seja, consulta prévia aos clubes e atletas. A redução do prazo ficará limitada ao máximo de quatro partidas por equipe na competição, sendo que o intervalo entre duas partidas nessas condições não será inferior a 15 dias por clube. Além disso, nenhuma equipe disputará duas partidas seguidas com referido intervalo reduzido.

A CBF e a FENAPAF reafirmam a excepcionalidade da medida e asseguram que a mesma só será adotada com o objetivo de que as competições da temporada 2020 não avancem ainda mais sobre o calendário de 2021, garantido o trabalho seguro aos atletas, bem como um período de descanso ao final de 2020 e férias integrais ao final de 2021.


Fonte: UOL
Foto: Lucas Fogueiredo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *