“Novo normal”: esportes aquáticos voltam a treinar no Flu, com algumas regras

Cinco meses após o início da quarentena imposta pela pandemia do novo coronavírus, os atletas das modalidades aquáticas do Fluminense retornarão aos treinos na sede do clube, em Laranjeiras. A partir da próxima segunda-feira (17/08), o Tricolor dará início ao processo de reabertura de suas atividades e os atletas deverão fazer o agendamento com os técnicos. Nesta primeira fase de reabertura, haverá restrição de um atleta por raia, treinos de uma hora e a utilização dos vestiários será proibida.

Durante o longo período de quarentena, os tricolores usaram a criatividade para manter a forma física treinando em casa, mas não veem a hora de voltar à piscina de Laranjeiras. A técnica do nado artístico, Twila Cremona, que recentemente participou da Missão Europa, em Portugal, organizada pelo Comitê Olímpico do Brasil (COB), juntamente com Luisa Borges e Maria Bruno, comemorou o retorno.

“A experiência em Portugal foi ótima. A estrutura era muito boa e a troca de experiência com outras seleções, como natação e boxe, foi muito legal. Agora estamos muito ansiosos para voltar a treinar no Fluminense, vejo isso principalmente nos atletas. Para os esportes aquáticos, a quarentena foi ainda mais difícil, o corpo sente muita falta da água. E também queremos voltar a nos encontrar. Apesar de nos vermos todos os dias nos treinos on-line, não é a mesma coisa. Estamos contando os minutos para voltar ao nosso trabalho e à nossa casa”, disse a técnica do Fluminense e do dueto brasileiro que disputará vaga em Tóquio.

Atleta do polo aquático tricolor e da seleção brasileira, Logan Oliveira manteve a forma física em casa e, depois que a prefeitura liberou a prática de esportes no mar, ele passou a nadar na Praia Vermelha.

“Estou fazendo um circuito de três quilômetros na Praia Vermelha para soltar um pouco, não ficar enferrujado e não começar do zero nesse retorno ao clube. Vai ser muito bom poder rever meus companheiros e sentir aquela energia boa dos treinos. Faz uma diferença grande treinar com o grupo em vez de treinar sozinho”, explicou Logan, que ainda não tem data para retomar os treinos com a seleção.

O nadador Icaro Ludgero vinha mantendo a forma em um clube particular com treinos passados pelo seu treinador. Agora, ele poderá contar novamente com a estrutura oferecida pelo Fluminense.

“A expectativa de voltar para casa é muito boa. Voltar à nossa rotina e voltar a ter uma estrutura de treino melhor, pois a do Fluminense é muito boa. A natação é um esporte muito específico, então nesse início o foco será recuperar 100% da forma física e técnica, retomar a confiança e o planejamento que tínhamos feito”, disse Icaro.

Na equipe de saltos ornamentais, Ian Matos e Ingrid Oliveira, classificados para o pré-olímpico, estavam treinando no Maria Lenk desde a reabertura do parque aquático, enquanto os demais atletas mantinham a forma em casa.

“Assim que o Maria Lenk abriu, começamos a treinar a parte física do Ian e da Ingrid. Em seguida, começamos o trabalho na água para eles se acostumarem aos poucos. Por enquanto, estamos fazendo três dias de parte física e dois dias na água e aos poucos vamos aumentando. Semana que vem retornamos ao Fluminense com o restante da equipe”, finalizou Andreia Boehme, técnica do Fluminense e da seleção.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *