Laranjeiras e Portugal reatam ligações entre Tricolores. Leia.

No sábado passado 12.09.20, mais um capítulo foi escrito, com a visita de Tiago Felipe Coelho Dias, Assessor de Relações Internacionais do clube português. Club Football Estrela da Amadora  para conhecer a sede das Laranjeiras, onde trocou camisas com o vice-presidente de Relações Internacionais, Eduardo Mitke Brandão Reis.

A possibilidade de novos encontros visando troca de experiências entre Tricolores. “É uma honra para nós recebermos a visita de um representante do Estrela da Amadora. É uma instituição com a qual temos uma relação intrínseca, que mistura a história dos dois clubes. Por determinação do presidente Mário Bittencourt, estamos nos aproximando e ampliando as relações entre os clubes nacionais e internacionais que tenham alguma ligação com o Fluminense. A visita já é parte de um trabalho que visa resgatar cada vez mais a história do Fluminense no Brasil e no mundo” afirmou Eduardo Mitke.

Uma oportunidade ímpar para reconectar as duas instituições no futuro que se assemelhe com o passado. “É uma relação de clubes irmãos, temos que admitir que é. O Fluminense faz parte da história de criação do uniforme principal do Estrela da Amadora e acho que essa visita irá estreitar as relações ainda mais. Acho que o Fluminense merece esse reconhecimento por parte de Portugal e dos adeptos do Estrela”, disse Tiago Felipe.

Essa ligação se iniciou em 1951, quando dirigentes do Fluminense de passagem por Portugal, realizaram uma visita ao clube lusitano. Devido a recepção calorosa e a simpatia das pessoas do Estrela, quando retornaram ao Rio de Janeiro, enviaram de presente uniformes completos do Fluminense para a sede na Reboleira. Daquele momento, foi definido pelos dirigentes portugueses a adoção do “padrão Fluminense que se manteve até os dias de hoje.”

A Amadora é uma cidade portuguesa pertencente a região metropolitana de Lisboa. Na Rua Dom José I, o Estádio José Gomes, a sede do Club Football Estrela da Amadora. 

A outra ligação entre os clubes. é ter ídolo Duílio Dias Júnior, ex-zagueiro do Fluminense e atualmente na Supervisão Técnica do Sub-17 em Xerém. Duílio foi capitão e responsável por erguer o último campeonato do clube, a Taça de Portugal, em 1990.

“Antes da minha estreia pelo Sporting, fiz alguns jogos com os reservas e minha primeira partida foi muito engraçada. Quando entrei em campo e olhei para o adversário, perguntei a um companheiro de equipe se iríamos jogar contra o Fluminense? Foi a minha primeira experiência com o Tricolor de Portugal”, conta o Duílio.


Após alguns anos de contrato com o Sporting, Duílio recebeu uma proposta do Estrela da Amadora. A proposta era de que seria o capitão e ajudaria a montar o time para disputar a primeira divisão local.

“Me reuni com pessoal do Estrela e foi engraçado porque o presidente me deu um cheque em branco e me perguntou se eu sabia preencher o documento em Portugal. Eu respondi que sabia, preenchi e entreguei a ele. Ele pegou o cheque, colocou no meu bolso e disse: temos o homem. O sentimento de ser campeão pelo Fluminense e pelo Estrela, em Portugal, é indescritível. Aqui tínhamos o grande clube que montou um grande time. Lá, ninguém acreditava no Estrela, mas também se montou uma grande equipe com a qual fomos campeões. Eu fui campeão aqui e campeão lá. Um brasileiro erguer a taça em Portugal, foi um grande feito. Mas é o que eu digo sempre, minha família é toda Tricolor e onde tem essas cores, tem campeão”, afirma Duílio.

Foto divulgação Fluminense e Estrela . Flickr Fluminense

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *