fbpx

Falta de master ? Fluminense chega ao pior semestre em arrecadação de patrocínios

Um dos temas mais cobrado entre os torcedores, o patrocínio master, mais precisamente a falta dele, já começa a se refletir diretamente nos números orçamentais do clube, que atingiu seu pior semestre em relação a verba de patrocínios nesses primeiros seis meses de 2020.

De acordo com informações publicadas pelo UOL Esportes e disponíveis no portal da transparência do clube, o Tricolor obteve “apenas” R$ 1,5 milhão em patrocínios e marketing no primeiro semestre de 2020, o menor valor desde 2013, primeiro ano disponível nos arquivos publicados.

Antes, o pior resultado havia sido no primeiro semestre de 2019, quando arrecadou R$6 milhões, quatro vezes mais que o valor atual.

Exceto 2016, em que apenas o acumulado do terceiro trimestre está disponível — aumentando a conta, portanto —, o ano de 2015 foi o de melhor performance no quesito, com R$ 14,5 milhões. Vale destacar que 2015 foi o último ano que o clube estampou um patrocínio master, a Vitton 44, além de outros parceiros.

Vale destacar ainda que após o fechamento do balancete, o clube anunciou mais três parceiros que devem aumentar a conta: a Zinzane (ombros), Sika (parte de trás do calção) e Hotel Nacional (selo na frente do calção).

Foto em destaque: Lucas Merçon/FFC

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Top