fbpx

Flu reforça integração entre divisões de Base e o Futebol Profissional

O Fluminense reforça a integração entre as Divisões de Base e o Futebol Profissional em todas as áreas de atuação. Do Departamento Médico à Assistência Social, todos os profissionais estão em comunicação direta entre Xerém e o CT Carlos Castilho. Na Fisioterapia, Nilton Petrone, o Filé, coordena todo o trabalho, unificando o protocolo de atendimento aos atletas, que recebem o mesmo tratamento, seja no Vale das Laranjeiras ou no CTCC. Ainda, cada um dos jogadores terão seus históricos de todos os departamentos consolidados em um único documento, desde que chegam ao clube, em qualquer categoria.

“A integração é uma proposta do próprio presidente e do nosso diretor, Paulo Angioni. Juntos do Antônio Garcia, diretor da Base, eles abriram esse caminho importantíssimo e já começamos a alinhar um projeto de aproximação. Estamos treinando os fisioterapeutas de Xerém e montando os protocolos que serão usados de acordo com as lesões que ocorrerem. O mesmo protocolo que é usado aqui, com o Profissional e o Sub-23, deve ser usado em Xerém, desde a primeira categoria. Vamos criar uma planilha, um padrão, um traçado filosófico de tratamento que ficará como caminho para o Fluminense para sempre, independente do profissional que estiver aqui na Fisioterapia”, disse Filé.

Esse será um legado para a integração entre as categorias e para a organização dos históricos dos atletas, que poderão contribuir muito para todos os setores, inclusive a comissão técnica que terá em mãos um documento de avaliação de cada um de seus jogadores, nos aspectos mecânicos, musculares, psicológicos, um prontuário completo. No campo administrativo, o Fluminense se apresentará no mercado como um clube que cuida de seus atletas e registra todas as atividades, podendo apresentar a evolução e um quadro comparativo.

“A diretoria já vinha pensando em não haver mais divisões. Isso é fundamental. Cada área tera seu livro com todos os processos que aquele atleta passou, sua evolução em todos os aspectos. O clube terá um histórico completo de cada jogador que aqui está ou pelo tempo que aqui esteve. E pensando que os atletas são os grandes ativos de um clube de futebol, o Fluminense terá o registro de toda a evolução de cada um deles. Tudo digitalizado, disponível em um clique”, finalizou Petrone.

A equipe de fisioterapeutas de Xerém tem se reunido semanalmente no CT Carlos Castilho para alinhar a nova metodologia do setor e facilitar a implantação e a manutenção do protocolo unificado nas categorias de base.

Fotos: Lucas Merçon/FFC

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Top