ANÁLISE FRIA, SEM APONTAR “O DEDO PARA O DODI” E SEM “METER A LINGUA NO ESCURO”! Opinião Rafael Ladewig

Olá, Guerreiros!
A novela Dodi tem muitos capítulos e uma enorme ala crítica apontando o “Dedo para o Dodi” e metendo a “língua no Escuro”. Deveríamos focar no bom momento em campo, no resgate da autoestima dos jogadores e blindar o elenco de qualquer oba oba, mas estamos produzindo veneno caseiro.
Antes de qualquer indicador, vou deixar minha opinião de forma clara, curta e grossa: O Dodi não é craque, mas faz função de compactação que vai muito além das modernas estatísticas, que faz qualquer torcedor se considerar entendido de futebol tático. Hoje ele é peça muito importante para o time, tem 24 anos e meio e em que pese acreditar que ele produz muito mais do que “Hudson e Ganso”, por exemplo, o FFC deve ter seu teto, se posicionar firme na resposta à contraproposta, mas sem “torcedor traído” conduzindo-a e sim um gestor de campo e um gestor mercadológico.
Analisemos a contraproposta do Escuro: Luvas de 2Mi + Salários de R$ 270Mil.
Isso significa um custo de R$ 14.960.000,00 ao longo de 04 anos e R$ 3.740.000,00 ao ano.
Se tivéssemos um elenco equilibrado, poderíamos dizer que ter “30 Dodis” seria algo bem razoável para o padrão brasileiro (claro que essa analogia produz um perfil Dodi em cada posição, mas cada um com a característica inerente a sua função em campo). Portanto, um perfil de elenco com “30 Dodis” em disposição e poder de revenda, nos traria uma despesa de R$ 112.200.000,00 ao ano, algo bem “normal” para o orçamento do gigante FFC, que tem potencial para R$ 250.000.000,00.
Mas voltemos para a análise individual…Com a Lei Pelé, o clube não tem no atleta um ativo a longo prazo. Olhando o exemplo Dodi, analisando somente o contrato futuro, o clube tem um “aluguel” de 04 anos e ao longo deste período desembolsaria aproximadamente 15Mi, que por coincidência é valor similar ao que estávamos negociando pelo Allan, hoje no Galo.
Se analisarmos quanto ganha M.Ferraz, Egídio, Hudson e Ganso, a conversa Dodi acaba!
Se analisarmos o poder de “retorno do capital investido” em M.Ferraz, Egídio, Hudson e Ganso, a conversa Dodi acaba!
O FFC pagará a estes pelos serviços prestados e receberá como retorno apenas o que eles entregarem em campo. Quanto ao Dodi, qual valor o FFC receberia de volta ao investir tal quantia?!
Essa pergunta não deveria ser respondida por torcedores, e muito menos, por dirigentes, também torcedores e apaixonados. Existem profissionais que fazem análise mercadológica que indicariam de forma muito realista o quanto obteríamos de retorno com a venda do Dodi em um cenário conservador, o atual, um cenário mediano, com o Flu na Libertadores e um otimista, campeão. Sem querer me colocar como entendedor do assunto mercadológico, deixarei a seguinte observação para que observem a diferença: Allan custou aproximadamente 15 Mi ao Galo + um salário de aproximadamente 500Mil por 03 anos. Isso significará um custo final de R$ 33.000.000,00. Alguém duvida que o Atlético terá um baita déficit nessa operação e que a única forma de obter retorno com esse atleta seria com rendimento em campo?!
Dodi não joga para ganhar metade do que seu empresário pede. No entanto, não sejamos bobos apaixonados. Ele pede o que quer e certamente tem na manga uma proposta de alguém que já fez “análise mercadológica”, além da técnica.
Se tivermos estômago e planejamento para ter Dodi 6 meses e nesse período tivermos gestão de futebol para promover uma substituição dele gradativamente (quem vem da base precisa disso), não teremos perda técnica imediatamente, não teremos perda técnica até abertura da melhor janela (meio do ano) e ganharemos dinheiro na operação.
Digo estômago, porquê precisaremos ceder, assim como o empresário também cederá. 1Mi de luvas + 200Mil por 04 anos ele fechará. Em 06 meses gastaríamos 2.2Mi.
Se alguém duvida que este investimento seria hiper superavitário, basta observar negociações recentes em posições iguais, onde menciono apenas jogadores de nível similar ou inferior ao Dodi:
Douglas – 22 anos – Corinthians para o Paok (85%) – 13 Mi;
Richard – 24 anos – Fluminense para Corinthians (50%) – 8Mi;
Gabriel – 25 anos – Botafogo para o Corinthians (50%) – 7Mi*;
Ano passado Al Hilal ofereceu 23Mi pelo “Gabriel”, o Corinthians pediu 27.8Mi e eles levaram o Cuellar, que nem cito, pois considero melhor que o Dodi.
O futebol enlouqueceu. Os valores são absurdos, mas Gestão de futebol não é para amador, nem tampouco para dirigente torcedor!
Não estamos na situação que estamos por contratos de jovens como Dodi e sim por outros milionários como o último de Gum, Cavalieri, Marquinhos e muitas outras boquinhas que passam despercebidas.

Rafael de Castro Ladewig de Araujo.
Meu sangue é grená com glóbulos verdes e brancos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *