Com apoio da CBF, Flu pleiteia junto a FIFA o reconhecimento do título Mundial de 52

O Fluminense tem mantido conversas estratégicas para ser reconhecido oficialmente como Campeão Mundial por ocasião do título da Copa Rio de 1952. O trabalho, iniciado em 2012, quando diversas ações foram criadas para dar luz à discussão, teve novo movimento na semana passada, após reunião entre o presidente do clube, Mário Bittencourt, e o presidente da CBF, Rogério Caboclo.

Mas essa não foi a primeira vez em que o dois discutiram o assunto. Em outubro do ano passado, durante visita à sede de Laranjeiras, Caboclo chegou a ser levado por Mário à exposição especial do título, localizada na Sala de Troféus do Tricolor. O presidente do Flu pediu apoio ao mandatário da CBF junto à Conmebol e Fifa, para que o Fluminense seja reconhecido como Campeão Mundial.

“Quando o presidente Rogério Caboclo esteve aqui em Laranjeiras, em outubro de 2020, eu o levei até a taça do título de 52 e solicitei que ele nos ajudasse no assunto, junto ao presidente da Conmebol, Alejandro Dominguez. Na semana passada, eu e Caboclo nos reunimos novamente para conversar sobre a mudança da legislação para jogadores de base e eu, mais uma vez, lhe pedi que levasse à Fifa nossa solicitação de reconhecimento do Mundial de 52 ao Presidente Infantino. Ele levou nossa solicitação e nós vamos reenviar o dossiê para ser encaminhado à Fifa”, explicou Mário.

Responsável pelo Flu-Memória, Dhaniel Cohen, explica que, a partir de 2012, ano em que marcou os 60 anos do Mundial, o clube fez uma série de ações para valorizar a conquista. “Primeiramente, Laranjeiras teve a expressão “Campeão Mundial 1952” pintada no estádio. Durante o Brasileiro daquele ano, além de ter um patch na camisa, Fred, capitão do Fluminense, e Marcos Assunção, capitão do Palmeiras, trocaram faixas alusivas aos títulos de 1951 e 1952 em um duelo entre os times. A partir de 2016, com a preparação do Dossiê, e posteriormente do livro oficial, o tema circulou ainda mais pela torcida tricolor. Ainda tivemos camisas retrô, pôster, copos, uma série de produtos oficiais licenciados enaltecendo a história”, detalha Cohen.

Ações do Flu pelo Mundial de 1952

2012 – Flu faz diversas ações e o Estádio de Laranjeiras ganha inscrição especial com a expressão “Campeão Mundial 1952”. Durante o Brasileiro o Flu passou a usar um pach na camisa, sobre o torneio. Fluminense e Palmeiras trocaram faixas alusivas aos títulos de 1951 e 1952 em um duelo entre os times.

2016 – O clube fez entrega à CBF e Conmebol de um documento detalhado sobre a competição. Antes das Olimpíadas, o Flu entregou também uma versão para a Fifa.

2017 – Clube cria camisas (Branca e Tricolor) retrô em alusão ao título. O Flu lança o livro “Campeão Mundial – O Bravo Ano de 1952”, durante a Flu Fest.

2019 – O Fluminense estreou uma nova faixa na personalização do Maracanã com a inscrição “Campeão Mundial 1952”, em referência ao título da Copa Rio que completava 67 anos.

2020 – Em outubro, Mário Bittencourt apresenta a Copa Rio ao presidente Rogério Caboclo e pede ajuda para o reconhecimento do Mundial.

2021 – Reunião entre o presidente do Flu e da CBF define novas ações sobre o assunto.

O Mundial de 52

A Copa Rio foi disputada no Rio de Janeiro por oito equipes de sete países da América do Sul e da Europa: Áustria Viena (Áustria), Corinthians, Grasshopper (Suíça), Libertad (Paraguai), Peñarol (Uruguai), Saarbrucken (Alemanha) e Sporting (Portugal). Todos os times estrangeiros haviam sido campeões ou vice-campeões de seus países no ano anterior. Flu e Corinthians, por sua vez, haviam vencido os campeonatos carioca e paulista, respectivamente, de 1951. O Tricolor bateu o Timão na final e venceu o torneio de forma invicta. Foi a segunda edição da competição. A primeira, no ano anterior, foi vencida pelo Palmeiras.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *