Fluminense recebe nova parcela da venda de João Pedro ao Watford

Além dos R$ 26 milhões de premiação do Campeonato Brasileiro, o Fluminense teve outro reforço em caixa nas últimas semanas para quitar os débitos que tinha em aberto de 2020 com jogadores e funcionários: uma parcela de € 1 milhão (R$ 6,8 milhões) do Watford, da Inglaterra, pela venda de João Pedro em 2018.

O Tricolor ainda tem valores a receber do clube inglês. A reportagem do GE apurou que antes da ida do jovem atacante para a Inglaterra houve uma renegociação entre as partes envolvidas e que o negócio mudou de formato e de números. O valor total passou para € 11,5 milhões, o que torna a venda uma das maiores da história do Flu. Até o momento, o clube inglês pagou € 5,5 milhões. Restam € 6 milhões (R$ 40,5 milhões na cotação atual).

João Pedro foi negociado pelo Fluminense em Setembro de 2018 durante a gestão do presidente Pedro Abad. Em dificuldades financeiras, o clube se viu na necessidade de vender uma de suas joias após o negócio entre Pedro e Real Madrid “melar” em razão da contusão do centroavante. Na época, JP estava prestes a completar 17 anos, atuava no Sub-17 e nunca havia jogado pelo profissional.

FORMATO INICIAL DA VENDA 

  • € 2,5 milhões de entrada
  • € 1 milhão por atuar 45 minutos em 10 jogos do Flu em 2019
  • € 1 milhão por atuar 45 minutos em 20 jogos do Flu em 2019
  • € 1 milhão por atuar 45 minutos em 30 jogos do Flu em 2019
  • € 1 milhão por atuar 45 minutos em 40 jogos do Flu em 2019
  • € 1,5 milhões ao obter a licença para jogar na Premier League
  • 2 bônus de € 1 milhão pelo desempenho no Watford

Crítico da venda de João Pedro durante a última eleição, Mário Bittencourt, que depois foi eleito presidente, teve a oportunidade de debater com o Watford (ING) sobre alterar os moldes da negociação. Com isso, os bônus foram transformados em um total fixo e os prazos de pagamento mudaram. De um lado, o valor a ser recebido pelo Flu aumentou para € 11,5 milhões. Em contrapartida, os limites para o Watford efetuar os pagamentos, antes de curto prazo, se estenderam até 2023. 

Fonte: Ge.com

Foto: Lucas Merçon/FFC

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *