3 de abril de 2005, Flu coroava a boa campanha na Taça Rio com título sobre o Flamengo

Em último Fla-Flu da geral do Maracanã, tricolores superaram rubro-negros na disputa pelo troféu.

Na decisão, enquanto a bola não rolava, os tricolores, nas arquibancadas, prestavam homenagem póstuma ao Papa João Paulo II, que morrera na véspera, ao entoar “A benção, João de Deus”, canção eternizada no Carioca de 1980. O ex-líder da Igreja Católica é, desde 2010, padroeiro oficial do clube.

No primeiro tempo, ninguém tirou o zero do placar. Na etapa seguinte, porém, o Time de Guerreiros precisou de 30 minutos para deixar o adversário para trás.

De pênalti, Tuta abriu o marcador. Depois dos gols de Leandro Guerreiro e Alex Terra, Preto Casagrande liquidou de vez o clássico, ao marcar golaço de “cavadinha”. Zinho, em sua despedida do Rubro-Negro, diminuiu.

“O que mais sinto falta é do momento do gol. É indescritível. Dinheiro e fama vão embora. Mas esses 3 ou 5 segundos de comemoração em um Maracanã lotado, eu sou privilegiado e agradeço a Deus por ter vivenciado”, declarou Preto Casagrande, ao relembrar a ocasião, durante participação no Boteco Brahma Tricolor.

Fotos: Arquivo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *