Em pouco da história Tricolor. Arnaldo Guinle assume presidência do Fluminense em 1916

Ao longo de quase duas décadas no cargo, presidente contribuiu com mudanças que tornaram o clube uma potência esportiva.

No dia 18 de abril de 1916, após renúncia de Joaquim Sobrinho, Arnaldo Guinle assumiu a presidência do Fluminense, cargo que ocupou por quase duas décadas: de 1916 a 1931, na primeira gestão, e de 1941 a 1943, na segunda.

Sócio de número 48 do Tricolor, admitido em 1º de outubro de 1902, o dirigente ajudou a promover a ascensão do clube no cenário esportivo mundial, ao comandar época de importantes mudanças.

Durante o primeiro mandato de Guinle, o Time de Guerreiros venceu quatro vezes o Campeonato Carioca (1917, 1918, 1919 e 1924) e três vezes o Torneio Início (1916, 1924, 1925).

Entre as diversas melhorias na sede, foram construídos o Estádio de Laranjeiras e o Salão Nobre, que leva o nome do dirigente.

Além disso, o Time de Guerreiros aderiu a outras modalidades esportivas, como basquete, vôlei e natação, de forma pioneira no Rio de Janeiro.

Em 1920, Arnaldo Guinle se tornou patrono do Flu. Nesta condição, liderou o movimento pela profissionalização do futebol no Brasil, a partir da criação da Liga Carioca de Football, em 1933.

A adoção do profissionalismo entrou na pauta dos cartolas no ano anterior, quando Guinle integrou comissão encarregada de analisar as regulamentações do esporte em outros países e adaptá-las à realidade brasileira.

Nascido em 2 de março de 1884, Arnaldo Guinle ainda se notabilizou pelo incentivo ao empreendimento esportivo no país. Ele morreu em 26 de agosto de 1963, aos 79 anos, no Rio.

Textos: Flu-Memória
Fotos: Flu-Memória//Arquivo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *