É GUERRA – Opinião Antonio Gonzalez

É  GUERRA

Estamos de volta sabedores que a história nos deve uma.  E pensar que fazem 50 anos que fomos apresentados:

“29/01/1971 –
PALMEIRAS-SP 0 x 2 FLUMINENSE-RJ –
COPA LIBERTADORES DA AMÉRICA

Estádio Municipal Paulo Machado de Carvalho – Pacaembú – São Paulo / SP – Brasil –
Público: 26.687 pagantes.

Árbitro: Armando Marques (SP)

Palmeiras (São Paulo/SP): Leão, Zeca (Eurico), Luís Pereira, Nélson, De, Dudu, Cabralzinho, Edu, Héctor Silva, César, Pio (Fedato) –
Técnico: Rubens Minelli
Fluminense (Rio de Janeiro/RJ): Félix (Vitório), Oliveira, Galhardo, Assis, Toninho, Denílson, Didi, Cafuringa, Samarone, Flávio (Mickey), Lula –
Técnico: Zagallo
Gols: Flávio (Fluminense), aos 5 min e aos 25 min primeiro tempo”.

(na foto Galhardo desarma o Palmeirense, observado pelo Denilson Rei Zulu e pelo Oliveira, Palmeiras 0 x 2 Fluminense, na Libertadores de 1971)

Talvez, passadas 5 décadas, não existam 50 tricolores vivos, que estiveram na noite daquele  sábado no Pacaembu.

Gostaria saber quem são ao outros 49!

Todos sabem do quão é de ojeriza, repulsa e, até mesmo, repugnância o meu sentimento a essa gestão.  Se fosse na década de oitenta diríamos que o Fluminense foi invadido por farofeiros tal a galhofa existente onde o imperativo da anti-transparência é colônia barata.

Mas antes que tergiversem as minhas palavras, antes que apareçam covardes, FRAUDULENTAS, porcas lorotas trapaceiras parecidas com as que inventaram sobre a minha pessoa onde levianamente fui acusado de que haveria pedido 260 mil reais de comissão no caso LIVE SORTE (falando em LIVE SORTE quero mais que essa merda termine nos tribunais, de saída me coloco a inteira disposição do Ministério Público… traduzindo: estou louco de vontade de conversar sobre o tema e eu sei muito)… antes que a Comunicação, os haters, os influencers de contracheque e os bloguinhos barriga de aluguel, criem uma nova narrativa a meu respeito, vou deixar claro:

ESTAMOS NA LIBERTADORES E TEMOS QUE ENTRAR COM ESPÍRITO DE GUERRA, A TAÇA TEM QUE VIR PARA A NOSSA SALA DE TROFÉUS.

Mesmo sem ter dado 2 treinos, sei de sobra que o bom resultado do Fluminense no Campeonato Brasileiro a 5ª colocação, para nada foi fruto do planejamento ou da boa administração.

Mas isso não é o que me importa, temos que vencer ao River Plate, esta noite no Maracanã, pelo civil e pelo criminal (como dizia Luiz Aragonés, treinador espanhol campeão da Eurocopa de seleções em 2008) e assim começar o que vai ser uma marcha triunfal pela América do Sul.

É óbvio que são 2 as nossas armas, a camisa e a torcida… apesar dos farofeiros.

Então deixa eu fazer as minhas rezas, deixa eu pedir a quem de direito.  Permitam-me algumas palavras:

É guerra…
E na guerra tem Castilho, Píndaro e Pinheiro…
Tem Telê Santana, Pingo de Ouro e Waldo artilheiro.

Tem Carlos Alberto capitão de renome…
Tem Félix, Galhardo, Flávio e Samarone.

Tem Lula, Manfrini, Rubens, Kleber e Pintinho…
Tem Búfalo Gil, Rivelino e Edinho.

Tem Deley com a bola rolando de pé em pé…
Tem Robertinho, Gilberto, Claudio Adão e Zezé.

Tem Aldo, tem Branco, Tato, Jandir, Romerito…
Tem Washington, Ricardo, Vica e Paulo Vitor.

Tem Ximbica, seu Armando, tem o Careca…
Tem Tia Helena, tem Biscoito e tem Edir…
Tem Zé de Almeida, tem Schwartz, tem Laport…
Tem David Fishell, tem Francisco Horta, tem VENCER OU VENCER…
Tem João Boueri, tem Graúna, tem Castro Gil…
Tem Oscar Cox, tem o patrono Arnaldo Guinle…
Tem Nelson Rodrigues, tem Vilela Rei do Tapetão.

Tem gol de Barriga, Deco Maestro, o Fred vai te pegar…
Tem o Carrasco “Assis acabou com vocês” para viver e recordar.

Hoje à noite todos eles (vivos e mortos) estarão conosco e com o nosso time.

E já que é guerra… DECLARE GUERRA POR UM FLUMINENSE CAMPEÃO.

Vencer ou Vencer, sempre!

#LIBERTADORESÉOBRIGAÇÃO

#VOTOONLINEJÁ

O texto é de total responsabilidade do autor.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *