Em seis participações Fluminense nunca perdeu o primeiro duelo, agora quer manter invencibilidade em estreias na Libertadores. Veja o retrospecto !

Em seis participações, Time de Guerreiros nunca perdeu primeiro duelo; saiba mais sobre retrospecto na principal competição sul-americana.

Às 19h de quinta-feira, no Maracanã, o Fluminense enfrenta o River Plate (ARG), pelo grupo D, na rodada que abre a edição deste ano da Libertadores. De volta à disputa pela primeira vez desde 2013, o clube busca estender o retrospecto positivo em estreias na competição.

Em seis participações (1971, 1985, 2008, 2011, 2012 e 2013), o Time de Guerreiros nunca perdeu o primeiro duelo. Foram três triunfos e três empates, com nove gols marcados e cinco sofridos.

Os tricolores já cruzaram duas vezes com adversários argentinos em estreias no torneio. Em 2011, houve empate em 2 a 2 com o Argentinos Juniors, no Engenhão.

No ano seguinte, no mesmo local, Fred garantiu o placar de 1 a 0 sobre o Arsenal de Sarandí. O centroavante é o único integrante do presente elenco com jogos pelo Flu na Libertadores e, ainda, o maior artilheiro do clube na competição, com 8 gols.

Em 2021, o Tricolor vai voltar a disputar o campeonato no Maracanã, o que não ocorria desde 2008, na campanha de vice-campeão, quando aplicou sua maior goleada no torneio: 6 a 0, diante do Arsenal de Sarandí.

Contra os “hermanos”, pela competição sul-americana, o Fluminense soma seis vitórias, quatro empates e seis derrotas, com 23 gols pró e 18 contra. Nas ocasiões em que o Maior do Mundo sediou as partidas, o Time de Guerreiros venceu duas, empatou uma e perdeu outra. Marcou nove gols e sofreu dois.

A equipe não perde no Maracanã em confronto válido pela Libertadores desde 1985, quando sofreu revés por 1 a 0 para o Argentinos Juniors. No estádio, pela liga continental, o clube acumula oito vitórias, três empates e três derrotas, além de 27 gols pró e 12 contra.

Thiago Neves (28) e Abel Braga (20) são, respectivamente, jogador e técnico que mais vezes representaram as cores verde, branco e grená na Libertadores. O meia, inclusive, possui o título de único a ter balançado a rede três vezes em uma final do campeonato, marca alcançada em 2008, pelo Tricolor.

Os postos de mais novo e mais velho a jogar pelo Flu na competição são ocupados por Alan (18 anos 10 meses e 11 dias, em 2008) e Felipe (35 anos 8 meses e 20 dias, em 2013), respectivamente.

Entretanto, jovens revelados em Xerém, como Kayky, 17, e atletas mais experientes, como Nenê, 39, aparecem como candidatos do grupo comandado por Roger Machado a assumir as posições.

O retrospecto geral do Fluminense na Libertadores apresenta, em 54 jogos, 26 vitórias, 12 empates e 16 derrotas, com 77 gols pró e 55 contra.

Textos: Comunicação – Fluminense F.C.

Fotos: Flu-Memória
Arte: Comunicação – Fluminense F.C.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *