Vendas de Caio Alexandre e Thiago Andrade, para a Major League Soccer, gerarão lucro aos cofres do Flu

Mesmo com os salários em dia, a situação do Time Tricolor não é lá muito boa, apesar da venda de jogadores ser considerada hoje a maior fonte de renda dos clubes de futebol do Brasil

Contudo, uma pequena quantia financeira irá ingressar nos cofres do das Laranjeiras. Graças ao mecanismo de solidariedade da FIFA, que tem como objetivo incentivar os clubes na formação dos atletas em sua base, trazendo uma compensação em todas as transferências internacionais que o jogador fizer ao longo de sua carreira.

Thiago Andrade

O jovem se destacou na base do clube baiano na temporada passada, tendo terminado a última Copa do Brasil sub-20 como artilheiro da competição, com oito gols em oito jogos. Teve seu contrato renovado em novembro de 2020 até o fim de 2022.

O time das Laranjeiras receberá aproximadamente 0,7% da negociação de Thiago Andrade, o que representa R$ 70 mil aos cofres do Flu.

Caio Alexandre

 Chegou aos 9 anos, desde o pré-mirim, mas foi dispensado aos 15 anos, em 2014, e depois de um teste, assinou com o Botafogo.

Por ter passado esse período no Fluminense, o tricolor tem direito a aproximadamente 1% da negociação (0,25 multiplicado por quatro), totalizando 227 mil reais.

Entenda como funciona o mecanismo de solidariedade da FIFA

A cada transferência internacional de um jogador, 5% do valor total será destinado ao(s) clube(s) em que o atleta passou, ao longo do seu período de formação, até os 23 anos. E a divisão é feita da seguinte forma:

– Temporada do 12º aniversário: clube leva 5% (0,25% da compensação total)
– Temporada do 13º aniversário: clube leva 5% (0,25% da compensação total)
– Temporada do 14º aniversário: clube leva 5% (0,25% da compensação total)
– Temporada do 15º aniversário: clube leva 5% (0,25% da compensação total)
– Temporada do 16º aniversário: clube leva 10% (0,5% da compensação total)
– Temporada do 17º aniversário: clube leva 10% (0,5% da compensação total)
– Temporada do 18º aniversário: clube leva 10% (0,5% da compensação total)
– Temporada do 19º aniversário: clube leva 10% (0,5% da compensação total)
– Temporada do 20º aniversário: clube leva 10% (0,5% da compensação total)
– Temporada do 21º aniversário: clube leva 10% (0,5% da compensação total)
– Temporada do 22º aniversário: clube leva 10% (0,5% da compensação total)
– Temporada do 23º aniversário: clube leva 10% (0,5% da compensação total)

Esse percentual, no entanto, é dividido por todos os clubes pelos quais o jogador passou entre os 12 e 23 anos de idade. No caso de o atleta ter ficado até menos que um ano, a equipe ainda assim tem direito ao valor proporcional ao período.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *