Tática Didática: Tem que defender pensando no contra-ataque

O Fluminense conseguiu uma importante vitória sobre o Santa Fé, pela segunda rodada da Libertadores. Entretanto, ao longo da partida, a equipe cometeu equívocos. Erros estes que, contra um time mais talentoso e organizado, poderiam ter resultado numa derrota.

Roger Machado colocou o Flu os noventa minutos para se defender. Alternou marcação média e baixa. Entretanto, qual o segredo de uma boa organização defensiva? Marcar pensando no contra-ataque. Isso o Fluminense não fez.

Na primeira imagem vemos as linhas muito recuadas. Quando Kayky e Luiz Henrique, responsáveis por puxar a transição ofensiva pelas pontas, recebiam a bola, tinham campo demais para correr. O suficiente para o Santa Fé se recompor defensivamente.

No lance do primeiro gol (foto 2), reparem: Kayky está sozinho. Só que a genialidade do garoto, aliada a não pressão dos jogadores do Santa Fé, permitiu um bom passe para Nenê que, genialmente, deu de letra para Fred abrir o placar.

Contra o River o gol de empate sai em um contra-ataque em que os pontas estão mais à frente. E, assim, conseguem puxar melhor a transição. É dessa forma que se faz um time sólido atrás e que aproveita na frente.

Atualmente, o Flu não está bem atrás, nem na frente. A esperança é que, com o tempo, Roger acerte e faça este modelo dar certo.

E aí, torcedor tricolor? Gosta da maneira como o time joga?

Foto em destaque: Lucas Merçon/FFC

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *