“FLA-FLU E FLUMINENSE” Opinião Rodrigo Amaral

FLA FLU sempre será uma final
Caros guerreiros, numa final de campeonato, seja ele qual for, nossos nervos já estariam a mil, não como uma locomotiva, mas a mil graus como um enorme vulcão em ebulição e sendo um Fla-FLU isso se eleva a enésima potência, não falamos isso pelo ranço , nem tão pouco por qualquer motivo que possa ser confundido com inveja pelo bom time montado por nosso adversario, mas por toda a atmosfera que envolve esse clássico, sua tradição , toda sua história e se eles têm um bom time, nós temos o TIMINHO, os operários que se unem, que lutam, que guerream por cada palmo de campo, que não deixam a soberba invadir nossas condutas, e é na arrogância e na soberba que eles se perdem, o Fla-FLU não se limita as quatro linhas, as instituições têm suas identidades e nelas nos espelhamos e por isso escolhemos o FLUMINENSE, onde a fidalguia, a generosidade, fair play e conduta ilibada nos acolhem no pensamento e no sentimento de estarmos do lado certo e quando enfrentamos os dissidentes essa certeza fica clara, afinal em nossa realidade atual, onde a pandemia assola o mundo e eles, insuflados pela ganância de uma federação que visa o poder e as cifras a qualquer custo, não medem esforços para serem os donos da razão, razão? Nunca! Qual a razão de ir contra as leis, contra a sociedade, contra o senso comunitário? Atitude e ações sorrateiras sempre estiveram com eles, desde antes das papeletas amarelas, nunca pensamos e nem pensaremos em ser como eles, ou do tamanho deles, afinal eles podem ter mais torcida, mas nós temos mais GENTE, e é isso que nos tipifica. O primeiro jogo passou, o empate nos faz vivos para o segundo e derradeiro confronto, muitos podem até dizer que o Fluminense jogou mal, que poderia ter jogado diferente ou que no segundo tempo poderia ter tido uma melhor sorte e vos digo, NÃO! O Fluminense jogou o que tinha que jogar e da forma que se esperava, é Fla-FLU, é final, a camisa jogou, Assis e Washington na arquibancada central sorriam e passavam a confiança necessária e intimidavam o adversário, adversário? Não, oponente! Que sentiu o golpe e antes mesmo do apito inicial tentou contragolpear fazendo um mosaico sobre sua representatividade no futebol, tudo bem, palmas pra eles, que ainda não sabem contar e pelo visto, em mais de cem anos ainda não entendem nada de FlaFLU. Que venha o sábado que vem e que possamos mostrar nossa força, e que a mística deste clássico nos brinde com mais um FLA-FLU antológico e favorável ao Flumineense, aí sim poderemos dizer, Normal!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *