Fã de Ézio, tio é influência para o pequeno Emanuel, que visitou as Laranjeiras

O pequeno Emanuel, hoje com 5 anos, voltou a tomar conta da internet por causa de um vídeo antigo, gravado em 2019, em que ele se recusa a vestir a camisa de um rival mesmo com a insistência do pai. Se naquela época o amor pelo Fluminense surgiu através das cores verde, branca e grená, agora a influência do tio Rodrigo fortalece ainda mais a paixão do menino, que já começa a ouvir histórias do Tricolor e acompanhar o time. Nesta quarta-feira, os dois, juntos com mãe do Guerreirinho, Thaís, visitaram o Estádio de Laranjeiras a convite de um grupo de torcedores e não conseguiram esconder a emoção.

A voz de Rodrigo embargou ao sacar do bolso um papel já amarelado pelo tempo, mas que ainda ostenta de forma legível o autógrafo de um ídolo que deixou saudades. Fã de Super Ézio, o torcedor tricolor recorda com carinho o encontro para lá de casual com o ex-atacante, que morreu em 2011 em decorrência de um câncer.

“Foi em uma loja no Recreio dos Bandeirantes. Paralisei quando vi o Ézio, não conseguia acreditar. Não consigo nem falar… Ele era meu grande ídolo. Temos o Fred hoje, mas o Super Ézio era diferente, marcou minha infância”, contou Rodrigo, de 42 anos, emocionado.

Esse amor ao Fluminense hoje é passado para o sobrinho Emanuel, que se antes se limitava a comemorar gols e pedir a camisa por achar bonita, hoje já assiste aos jogos, torce e é fã do artilheiro Fred.

“O pai dele sempre tentou fazer com que ele torcesse pelo Flamengo. Mas ele não gostava das cores e preferia a camisa do “Nense”, como ele chamava. Minha família é toda tricolor, ele viu nossa camisa e queria uma para ele. Depois de tanto insistir, comprei uma para ele agora não troca mais. Ele gosta muito do Fred porque, além de fazer os gols, é nosso ídolo e escuta muito a gente falar”, relatou Thaís, que ainda provocou o marido dizendo que ele “perdeu”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *