Fred elogia elenco e sonha alto, perto de completar o décimo brasileiro.

Falar de Fred no Fluminense é falar de Brasileirão. Foi muito pelo que fez no campeonato nacional que o camisa 9 construiu sua idolatria no Tricolor. E se engana quem acha que o atacante, com dois títulos no currículo (em 2010 e 2012), está saciado. Antes de estrear na edição 2021 da competição, sua décima pelo clube, o capitão do Time de Guerreiros disse que o objetivo é conseguir fazer uma campanha ainda melhor do que a da temporada passada. Para ele, o Fluminense tem totais condições de sonhar alto.

Após ficar de fora da primeira rodada, no empate em 0 a 0 com o São Paulo no Morumbi, no último sábado, Fred está à disposição do técnico Roger Machado para estrear no campeonato neste domingo, às 11h, diante do Cuiabá, em São Januário. E não escondeu a ansiedade em disputar mais uma vez uma competição tão importante pelo Fluminense.

“Todo Brasileiro é especial, porque é uma das competições mais difíceis de se disputar. E é uma competição em que me sinto completamente em casa, pelo histórico de gols e os títulos que conquistamos aqui no Fluminense. Mas a gente sabe também da responsabilidade que é, e por isso temos que encarar todo jogo como uma final. São mais 37 e vamos com a mesma seriedade pra essa partida contra o Cuiabá”, declarou o camisa 9.


Fred tem se habituado a bater recordes e atingir marcas importantes. E no Brasileirão não deverá ser diferente. O atacante é o maior artilheiro da história do campeonato por pontos corridos. Ele é o quarto da lista geral, contabilizando todos os formatos de disputa, e assumirá a vice-liderança isolada se marcar três vezes na edição de 2021. Hoje com 152 gols, ele ultrapassaria Edmundo (153) e Romário (154) e ficaria atrás somente de Roberto Dinamite (190).

Apesar da possibilidade de atingir novas marcas importantes (desde que voltou ao Fluminense, Fred rompeu a barreira dos 400 gols na carreira, se tornou o terceiro maior artilheiro brasileiro na Libertadores, o segundo maior artilheiro da história do clube e está a um gol de se igualar a Romário da artilharia da Copa do Brasil), o capitão tricolor está pensando na coletividade. Ele preferiu não estabelecer metas mais precisas, mas deixou claro que o objetivo do time é superar a campanha de 2020, quando terminou na quinta colocação e conseguiu uma vaga direta na fase de grupos da Libertadores.

“O objetivo é fazer um campeonato ainda melhor que o do ano passado, e a cada jogo fazer melhor do que fizemos no anterior. Nós vamos com essa meta de jogo a jogo. Não dá, para em um campeonato de 38 rodadas em que todos têm qualidade, postular algo. A gente prefere seguir da mesma forma, ir trabalhando por fora, sério, e quando a gente entrar em campo manter essa pegada de encarar qualquer adversário, de igual para igual, agredindo para ganhar os jogos”, prometeu.

Aos 37 anos, Fred é um dos destaques da temporada do Fluminense, com 11 gols em 14 partidas. As atuações e os gols não ficaram comprometidos pela maratona de jogos que o time vem encarando. O artilheiro rasgou elogios à preparação física do Tricolor, à montagem do elenco para este ano e disse que o time está pronto para os desafios e que sabe virar a chave entre Brasileiro, Libertadores e Copa do Brasil quando preciso.

“A gente tem que se adaptar ao que nós temos. E aqui não temos tido lesões, no segundo tempo dos jogos nosso time vem sobrando em termos de força e velocidade. Temos o privilégio de dizer que neste momento não estamos sentido (a maratona). É lógico que tem jogo que a gente chega um pouco mais desgastado. Mas nós criamos uma identidade, um jeito de jogar aqui que a gente supera tudo e isso acaba nos fortalecendo. Outra coisa boa é que nosso elenco deu uma encorpada, os moleques que subiram têm muita qualidade, as contratações foram boas e a manutenção da base do ano passado fortaleceu muito a gente”, declarou.

Fotos: Lucas Merçon e Mailson Santana/FFC
Texto: Comunicação/
 FFC

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *