Pai de Metinho se diz magoado pela forma que o jogador foi tratado no Flu

Liberado pelo Fluminense nesta terça-feira (15) para se apresentar ao Troyes, da França, o volante Metinho deixa o clube com a sensação de injustiça, pelo menos foi o que disse o pai do jovem em entrevista ao portal NetFlu.

Abel Silu confirmou que a saída do jogador aconteceu por conta de um desentendimento com o treinador Roger Machado:

– A situação é que o Metinho não está jogando e o Manchester tinha combinado com eles (diretoria do Fluminense), mas foram covardes e não botaram o moleque para jogar. Só deram chance pra ele uma vez, contra a Portuguesa. E ele jogou bem, depois não foi mais escalado. Depois de alguns dias, ele foi pedir para ter mais chances e eu soube que o Roger achou ruim essa atitude. E não o usou mais. Imagine que você tem um filho dentro casa, com fome e o pai vai dar castigo quando ele pede comida. Foi isso o que fizeram com o Metinho no Fluminense – criticou Silu.

Segundo o pai de Metinho, havia a promessa que o volante seria utilizado na equipe profissional do Fluminense.

Sim. Segundo o empresário e o que está no papel, disseram que ele não desceria mais, que jogaria nos profissionais. Nos primeiros dias ele treinou no profissional. Ele já está vendido, encheu o cofre do Fluminense. E tinham que tratá-lo com mais respeito, cumprindo o prometido. Estou muito magoado. Não esperava isso. Não mesmo.

O jovem de 17 anos ficou abalado com a situação, contou ainda Abel Silu. O fato de ter sido prometido minutagem nos profissionais e isso não ter ocorrido mexeu com o psicológico do congolês naturalizado brasileiro.

(A cabeça) Não está muito boa. Ele ficou magoado pela forma como foi tratado. Ele não entendia porque não era aproveitado pelo Fluminense. Ele criou uma expectativa de entrar e depois não entrou mais. Isso deixou ele muito triste. Ele foi bem quando teve a chance.

Foto em destaque: Mailson Santana/FFC

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *