Em coletiva Presidente Mário detalhou como vem conduzindo o Comercial, Marketing e Comunicação. Leia!!

 

COMERCIAL / MARKETING / COMUNICAÇÃO 

A gestão também vem apresentando números positivos na captação de patrocinadores e parceiros, já que o departamento comercial fechou acordos importantes com grandes empresas. Nos últimos dois anos, o Fluminense alavancou a arrecadação com quase o mesmo número de cotas negociadas. Em 2019, com oito patrocinadores e 13 parceiros, o clube teve retorno de R$ 9.228.032,00. Em 2020, o retorno foi de R$ 9.003.554,06 (9 patrocinadores e 19 parceiros). Neste ano, o valor mais que triplicou. A arrecadação com contratos deste tipo é de R$ 32.926.359,50, mesmo com o mercado em crise, agravada pela pandemia. Entre os destaques está a concretização da negociação para que o Fluminense voltasse a ter um patrocinador master. O acordo com a Betano é mais uma promessa de campanha cumprida pelo presidente.

“Permuta é fundamental, porque são serviços essenciais que se a gente não tivesse o patrocínio especificamente neste caso, a gente teria que gastar esse dinheiro. Então temos as parcerias e outros patrocínios que pagam o Fluminense em dinheiro”.

Houve crescimento também na arrecadação com produtos licenciados da marca, de 111%. Hoje, com um salto no número de produtos (de 1.331 para 2.819) e empresas (de 41 para 59), o Fluminense projeta receber R$ 3.400.00,00 em 2021, valor superior ao que foi arrecadado nos dois anos anteriores. O investimento em lojas físicas oficias também teve aumento exponencial. Eram apenas 4 em 2019, e hoje já são 14.

“Aproveito e faço aqui um apelo aos nossos torcedores a todas as pessoas que amam o clube. Se você produz algum produto do Fluminense, que você fabrica e acha bonito e quer vender, procure a gente, o nosso departamento de marketing. Assim a gente licencia o seu produto e coloca nas lojas oficiais para vender. Assim você mantém sua renda e deixa um pedacinho de royalty para a instituição, que é muito importante para nós. Conseguimos, com isso, evitar a pirataria e trazer mais receita para o clube”.

Durante os dois anos de mandato do presidente Mário Bittencourt, o Fluminense fechou com novo fornecedor de material esportivo. O contrato com a marca global Umbro possibilitou aumento de receita, maior oferta no mercado, melhor qualidade e variedade, participação efetiva na elaboração dos produtos e inovação com lançamento do uniforme em live do cantor Xamã pela FluTV. Em 2021, o clube aumentou ainda o mix de produtos e lançou uma linha de produtos do Fred.

“Hoje a gente tem participação efetiva na elaboração dos uniformes. Antigamente a gente recebia os modelos dos uniformes e levava para aprovação e tinha pouca participação na confecção das camisas. Agora o nosso departamento de marketing e participa da discussão da elaboração dos modelos que a gente vai apresentar. Tenho percebido comentários muito positivos dos torcedores sobre as peças nas redes sociais e é algo que nos deixa feliz”.

Neste período, o Fluminense investiu também em conteúdo histórico e eventos para a torcida. Houve treino aberto nas Laranjeiras, duas edições da FluFest para comemorar o aniversário do clube com shows de Lulu Santos e Ferrugem, FluMusic com apresentações de Fagner e Maria Rita, além da exibição de um jogo com telão em Laranjeiras.

O departamento de comunicação também ganhou atenção especial do presidente em seus dois primeiros anos de mandato. A FluTV tornou-se um produto essencial, saltando de 154 mil para 639 mim inscritos. O canal é detentor de uma marca importante: foi o responsável pela maior live esportiva da história do YouTube, no Fla-Flu final da Taça Rio de 2020, quando obteve 19,4 milhões de visualizações e pico de audiência de 3,6 milhões. A FluTV também se destacou pela transmissão com imagens de finais do campeonato carioca de 2020, entre outros jogos, inclusive feminino (final Carioca de 2021) e divisões de base; o lançamento de plataforma de streaming com transmissão de jogos com imagens (tv.fluminense.com.br) no Campeonato Carioca; inúmeras lives com alta audiência; além de três novos programas lançados (Giro do Flu, Melhores Momentos pós-jogo e o Boteco Brahma Tricolor).

“A gente espera também em breve poder voltar com o show e com os eventos, como os treinos abertos nas Laranjeiras, para que a nossa torcida possa estar perto dos nossos jogadores outra vez”.

Nas redes sociais, o Fluminense se destacou e ganhou visibilidade. O clube alcançou o segundo lugar entre os clubes brasileiros no “Índice de Performance de Comunicação Digital”, teve um aumento de 30% da base de seguidores nas redes sociais e foi presença constante no top 15 de engajamento em redes sociais da Américano Deportes & Finanzas.

Os resultados são fruto, também, de um importante trabalho de posicionamento social do Fluminense, que realizou diversas campanhas de engajamento com a torcida, como o lançamento da camisa com a Umbro, Outubro Rosa, pautas afirmativas através da marca #TimeDeGuerreiros, Dia da Consciência Negra, Ação #TimeDeTodas com comunicação voltada para as mulheres, Ações #ÉPeloFlu e #ÉPelasVidas e o engajamento com torcida como “Tropa do Flu”.

Mário Bittencourt também destacou o crescimento do programa Sócio Futebol, que em breve terá uma reformulação. No modelo atual, houve um aumento de 141% no número de adimplentes (de 13.065 em junho de 2019 para 31.609 agora), resultando em um aumento de 69% da receita média mensal, saltando de R$ 490 mil pra R$ 830 mil, com ticket médio de R$ 27. Em 2020, o Fluminense bateu o recorde em arrecadação com o programa: R$ 11 milhões.

“A pandemia acabou impedindo o lançamento do nosso novo plano de Sócio Futebol. Fizemos um belíssimo plano para apresentar em abril de 2020, mas a pandemia se iniciou em março e não pudemos seguir adiante. Mas em breve espero que as coisas voltem ao normal, com todo mundo vacinado, para que a gente possa lançar os planos novos”.

“Ainda assim, a gente conseguiu um aumento expressivo no número de associados. No último ano tivemos um recorde de arrecadação no programa, mas queremos melhorar ainda mais neste campo, porque 100% do valor do Sócio Futebol vai para o departamento de futebol. E como sempre faço, quero deixar aqui um agradecimento à nossa torcida, que mesmo durante a pandemia aumentou o número de sócios e criou a campanha “É pelo Flu”, que nos ajudou barbaramente. Peço que continuem com esse engajamento, apoiando e ajudando o Fluminense, se tornando sócio”.

O crescimento do programa de Sócio Futebol está ligado diretamente ao desempenho do time profissional, que teve um crescimento exponencial desde que o presidente assumiu o cargo. Em 2019, o time terminou o Brasileirão no 14º lugar após lutar contra o rebaixamento. Na temporada seguinte, o quinto lugar garantiu ao Tricolor uma vaga direta na fase de grupos da Libertadores. Na competição continental deste ano, o Tricolor avançou às oitavas de final com o primeiro lugar do considerado “grupo da morte”, que tinha River Plate-ARG, Junior Barranquilla-COL e Independiente Santa Fe-COL. O time também está nas oitavas da Copa do Brasil e ainda invicto no Campeonato Brasileiro. Isso foi possível graças a um projeto de reconstrução baseado na manutenção da folha compatível com o orçamento do clube, maior aproveitamento de jogadores formados no clube (total de 40%), integração do Sub-23 com o profissional e integração de todos os departamentos com a base, com supervisão do futebol profissional. Isso permitiu que a diretoria investisse na contratação de reforços para fortalecer o elenco para a Libertadores.

“Espero que a gente possa seguir nessa batida, com o time performando bastante. Tivemos a contratação de reforços para Libertadores, e todos sabem que mantivemos uma folha compatível com o orçamento do clube. Eu havia dito no passado que se a gente se classificasse para Libertadores, aumentaria a receita e a folha em mais ou menos 30%. Não chegamos ainda a 30% e ainda temos um espaço para alguma outra contratação que possa vir. Nós estamos avaliando a possibilidade de algum reforço para a sequência não só das competições eliminatórias, como Libertadores e Copa do Brasil, mas também para o Campeonato Brasileiro. Além disso, nós temos o maior aproveitamento de jogadores da base no time profissional da história do clube, com uma média de 40% do elenco profissional formado por atletas da casa. A integração do time Sub-23 com o profissional é um exemplo disso, no desenvolvimento técnico e de maturidade de um jogador. E eu sempre uso o exemplo do Martinelli, que hoje é titular no time principal e se desenvolveu no projeto do Sub-23

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *