Mário Bittencourt fala sobre Futebol Feminino, Esportes Olímpicos, RH, Social, Responsabilidade social e Jurídico. Leia

FUTEBOL FEMININO

O futebol feminino é outro ponto de destaque nos dois primeiros anos de gestão do presidente. Mário celebrou os resultados esportivos, fruto de um investimento no desenvolvimento do projeto. O Fluminense, no período, sagrou-se vice-campeão carioca Sub-18, vice-campeão carioca adulto, terceiro lugar no Torneio de Desenvolvimento da Conmebol Sub -16 e teve seis atletas convocadas para a Seleção Brasileira feminina Sub-17.

“Nós temos muito orgulho de ter dado estrutura e de ter reconhecido o futebol feminino no Fluminense como uma área tão importante quanto todas as outras. A gente criou um ambiente e toda uma estrutura, e os resultados já começaram a aparecer dentro de campo”.

ESPORTES OLÍMPICOS

Nos esportes olímpicos, o Tricolor também teve destaque durante os primeiros dois anos da gestão do presidente, com 8 representantes na seleção de nado sincronizado para o Sul Americano, 6 medalhas no Troféu Brasil de Natação, 3 medalhas no Sul-Americano de Natação, 10 medalhas no Brasileiro de Tênis de Mesa. O clube teve ainda 13 modalidades com mais de 60 equipes, em diversas categorias e faixas etárias, com mais de 500 atletas, de base (formação) à equipe adulta. O sucesso do projeto permitiu ao clube investir na contratação da campeã olímpica Mari para reforçar o time na Superliga feminina de vôlei.

RH

No campo dos recursos humanos, o presidente Mário Bittencourt investiu na elaboração, aprovação e implementação da política de cargos e remunerações e na elaboração e aprovação do Sistema de Avaliação de Desempenho. Além disso, o RH esteve presente no CT para o assessoramento das questões de administração de pessoal, o que em breve será implementado também em Xerém. Houve desenvolvimento, também, na integração dos funcionários recém-admitidos: em parceria com o Flu-Memória, fez introdução da cultura, história e valores do clube, além de treinamento, desenvolvimento e capacitação constante do quadro de colaboradores em todos os níveis.

SOCIAL

A sede social do Fluminense também recebeu atenção especial da diretoria nos últimos dois anos, com obras e reformas. Houve melhorias estruturais na sauna, vestiário do tênis masculino, casa de máquinas, quadras de tênis, parque aquático, quadras central e lateral, churrasqueira do ginásio, banheiro da piscina, mirante, além da pintura do mudo externo das Laranjeiras. Na sede social, o clube conseguiu um aumento de 300% na arrecadação de estacionamento no período fora da pandemia, redução conta de água e luz, com uma economia de mais de R$ 4 milhões até o momento, além de encomendar um estudo técnico de condições estruturais do estádio.

RESPONSABILIDADE SOCIAL

Na gestão de Mário Bittencourt, o Fluminense também mostrou preocupação em atuar ativamente em obras de responsabilidade social. Entre as principais ações, o presidente destacou 27 campanhas de arrecadação e doação de alimentos (4.400 cestas básicas), 4 campanhas de doação de quentinhas a moradores de rua (800 refeições), 42 campanhas de divulgação da instituição e doação de produtos licenciados (4.852 produtos), 1 campanha de doação de ingressos (interrompida na pandemia) – 48 ingressos doados a crianças de comunidades carentes e 6 campanhas de arrecadação e doação de peças de roupas em geral (3.200 peças doadas).

“Essa é uma área do clube que nos traz muita honra. Temos orgulho de ter responsabilidade social e participar de alguma forma ajudando pessoas. Estamos ajudando pessoas, e a gente não escolhe para quem a gente doa. Damos agasalhos para torcedores de outros clubes e para quem realmente precisa. Sobre as cestas básicas, sempre quisemos contribuir e ajudar o próximo. Temos o compromisso de fazer com que o Fluminense esteja engajado em todas essas campanhas”.

JURÍDICO

De acordo com o presidente, o sucesso da gestão nestes últimos dois anos passa, principalmente, pelo trabalho do departamento jurídico do clube. Com um total de 541 ações judiciais e esportivas, o Fluminense conseguiu celebrar 191 acordos, nos mais diversos campos (trabalhista, civil, desportivo, extrajudicial e tributário). Mário destacou, ainda, a repactuação dos acordos com as dificuldades enfrentadas pelo clube no período da pandemia. Os acordos geraram uma economia imediata de R$ 22.334.900,23. Segundo dados do jurídico tricolor, o Fluminense levantou R$ 43.440.616,59, 43.927,41 dólares e 449.382,87 euros nos últimos 20 meses.

Fotos: Mailson Santana/FFC
TextoV Comunicação

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *