“Novo formato exige mudança de conteúdo” Opinião Antonio Gonzalez

NOVO FORMATO EXIGE MUDANÇA DE CONTEÚDO (por Antonio Gonzalez)

Em cima da mesa, em Brasília, a enésima proposta para a tão desejada transformação dos destinos do futebol brasileiro. Imensamente necessária em urgência e conteúdo.

As sequelas daquele 7 a 1 para a Alemanha em pleno Mineirão, na Copa de 2014, se proliferam até os dias de hoje. Como exemplo maior, da bagunça institucionalizada basta fixar o olho na imparável dança das cadeiras daqueles que deveriam reger, de forma absolutamente impoluta, a presidência da CBF.

Entretanto… onde deveriam nascer as diretrizes para a reconstrução, encontramos interrogações financeiras e assédios.

Por esse prisma é louvável saber que os clubes da Série A desejam criar uma liga para que esta organize o Campeonato Brasileiro ocupando o espaço que até hoje pertence à moribunda (já citada antes) CBF.

Contudo um novo formato exige muito mais do que alegorias e adereços… Luzes, câmaras e ações só terão poderes inovadores se acompanhados de câmbios radicais nas ultrapassadas formas de administração. As vanguardas das metamorfoses somente sobreviverão se chegarem alicerçadas por gestões arrojadas, rígidas de princípios e de vocação perene.

O fio condutor deste texto, até agora, não precisou fulanizar. Se por um lado encontramos o governo e os clubes, por outro temos a politicagem que sempre se expressou, no congresso, como a Bancada do Futebol (um funil de deputados e senadores cuja parte de votos tem as digitais de entidades esportivas). Nada acontecerá sem a devida benção.

Tricolor, sem maquiagem ou espelho de plumifera vaidade, a pergunta que faço é simples: o Fluminense está preparado?

Os 4 últimos presidentes (incluindo o atual) que ocuparam a cabeceira da mesa do Conselho Diretor no FFC são fracos. Governaram e governam reféns dos Esportes Olímpicos e dos senhores feudais do Social, com venda de ativos para pagar salários, esportes deficitários e um BackOffice distante da meritocracia, com aumento de dívida e a crescente construção de falsas narrativas. Muito blábláblá regado a mimimi, sem transparência e sem estofo.

Sim o futebol brasileiro necessita (antes que se afogue sem consentimento de um desfibrilador básico das Lojas Americanas) de uma profunda análise e retomada de crescimento.

O Fluminense mais ainda. Infelizmente falta inteligência e humildade.

Cuidado: a trilogia, péssima por sinal, Peter Siemsen – Pedro Abad – Mário Bittencourt leva 11 anos com o mesmo palavreado festeiro. Ponto. Nada além disso.

Já que faz-se urgente transformar, para não morrer, que tal começar pela nossa casa, o Fluminense??!!

Que venha o Athlético Paranaense!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *