” Mentiras piedosas ou essa derrota deve ser transformada em vitória” Opinião Antonio Gonzalez

MENTIRAS PIEDOSAS ou ESSA DERROTA DEVE SER TRANSFORMADA EM VITÓRIA (por Antonio Gonzalez)

Em 1990 o poeta espanhol Joaquin Sabina gravava o seu 7° álbum em estúdio (o 9° da carreira considerando mais 2 ao vivo). “MENTIRAS PIEDOSAS” foi além de ser o nome de batismo do disco que vendeu 300 mil cópias… também era título de uma das canções que faziam parte do LP.

Na minha humilde opinião, a maior virtude da poesia do Sabina é que, sem se importar com os caminhos escolhidos, ele sempre coloca os dedos, todos, na ferida. Suas frases, carregadas de áspera urbanidade, contém a sem vergoninhice do caradurismo de quem vislumbra os movimentos, passados e futuros, das peças do tabuleiro.

“Yo le quería decir la verdad
Por amarga que fuera…

Contarle que el universo era más
ancho que sus caderas…

Le dibujaba un mundo real…
No uno color de rosa…

Pero ella prefería escuchar mentiras
piedosas”…

O Fluminense vive a maior crise de identidade da sua história. A divisão é clara: as gerações dos exigentes x as novas gerações dos conformados.

E essas gerações de conformados especializaram-se em aceitar o destino desenhado por medíocres de ocasião, criadores de narrativas dignas da Turma da Mônica, sem embargo desconhecedores das entrelinhas do clube que um dia foi gigante e, principalmente, como se escreveu a trajetória, rica em feitos e capacidades.

Ontem terminei a minha coluna dizendo: “que venha o Athlético Paranaense”…

E para o nosso azar (ou será nossa sorte?) a equipe paranaense veio. Sem pisar em ovos, mas entrando como um elefante numa fábrica de louça (tão frágil, quanto vagabunda), a equipe rubronegra fashion, de forma inquestionável, deixou ao FFC desnudo, sem direito sequer a um simples guardanapo de papel como tapa sexo.

Culpados?

Dizer que a culpa pertence somente ao6 Roger é reduzir à fração mais simples. O mesmo que empurrar com a barriga, para debaixo do tapete, as verdades ocultas. Tão encobertas, disfarçadas, clandestinas e furtivas, que criaram a figura dos PASSADORES DE PANO PROFISSIONAIS, os PPSs.

Não tenho nenhuma dúvida das culpabilidades do treineiro: de discurso rebuscado onde o zero e o nada se personificam, cabeça dura, teimoso e terceirizador de autorias.

Ora Senhores… antes do Roger Machado tem o crivo do Angioni, com os seus mais de 40 anos na Comunidade do Futebol.

Há quantos anos o Angioni está no clube?

Quantos jogadores foram contratados nesse período? Dessas dezenas e dezenas de contratações quantas deram certo?

Quantos jogadores o FFC “mal” vendeu nesse tempo?

Quantos atletas saíram gratuitamente (sem nenhum benefício financeiro) nos últimos 3 anos? Será que todos tem pais e familiares complicados, ávidos pelo enriquecimento precoce? Ou será que o ilustre Angioni não fez ou nem soube fazer o dever de casa?

Até agora já são 2 os causadores… entretanto não para por aí…

Não pode ser esquecida a figura do CEO… Fernando Simone foi Gerente Executivo de Futebol com o Peter Siemsen e, depois de um breve estágio no Campos (suposta escola de dirigentes do Grupo City) e de uma fulgurante passagem pelo Boavista (uma espécie de Harvard na Comunidade do Futebol Brasileiro), transformado pelo Pedro Abad em Chief Executive Officer… função que também ocupa na atualidade.

QUAIS FORAM OS AVANÇOS FEITOS PELO FLUMINENSE COM A FIGURA DO FERNANDO SIMONE SENDO O CHEFE DO EXECUTIVO?

Que tal ir além??!!

Por que razão na venda do jogador Pedro para o Fiorentina, por ocasião do famoso encontro entre as partes num restaurante na área nobre da cidade, nem o Vice Presidente Geral, Sr. Celso Barros, nem o Diretor Executivo de Futebol, Paulo Angioni, NÃO ESTAVAM PRESENTES e o Fernando Simone estava?

Por que o Fernando Simone fez parte da negociação do Fluminense com o dono da franquia dos Guerreirinhos do bairro de Campo Grande, com relação ao pagamento do comissionamento sobre a venda dos direitos federativos do jogador Rafael Resende para um clube dia Emirados Árabes Unidos?

Na Espanha os mais vividos dizem que não existe 2 sem 3…

No caso do Fluminense não existe 3 sem 4.

Falo do grande responsável pela derrota de ontem: o Presidente Mário Bittencourt. Nem preciso ir à frente. Cada qual que enfeite o seu jiló com o tomate seco de turno, desses que são dignos dos saltimbancos da série BASTIDORES. Não vou perder o meu tempo.

Assim sendo, sem nenhum receio a equivocar-me a derrota de ontem tem 4 donos. Ponto!

O que fazer?

Sendo extremamente frio e imediatista torço para que os erros cometidos nas últimas partidas, principalmente ontem, sirvam de lição de cara aos jogos contra o Cerro Porteño e o Criciúma. Que se aprenda como não devemos atuar. Pelo menos de cara a salvar o dinheiro das classificações.

Nesse ínterim não olvide de fazer a sua parte… O clube está no leito de morte, só não vê quem prefere a obtusidade assalariada ou de apedeutos conformistas.

Se for através de um processo político desde já declare a sua contrariedade à reeleição do existente mandatário. Evidentemente apresentando alternativas de peso, sem qualquer rasgo de possível estelionato eleitoral, sem promessas que não ultrapassem a barreira do papel.

Agora se você for daqueles que acreditam que a salvação exclusivamente ocorrerá de fora para dentro, procure a Justiça, o Ministério Público… É esse um dos caminhos. Talvez o MP se interesse pelo caso LIVE SORTE, pela venda do Pedro (que tal perguntar ao Duquecaxiense como ele se sente nessa parada), pelas vendas do Spadaccio e do Rafael Resende…. Até mesmo proteja aos sócios efetivando o voto ONLINE.

Humildemente procuro fazer a minha parte. Não deixe para fazer a sua meramente após derrotas por 4 a 1.

ACORDA BRÁZ MAZULLO!

Você é o Presidente do Conselho Deliberativo do Fluminense… A sua trajetória profissional não condiz com o posicionamento de um capacho. E você ainda não é um. Você é maior, é o dono da palavra final:

VOTO ONLINE JÁ!!!

“Y así fue como aprendí que en historias de dos conviene a veces mentir…

Que ciertos engaños son, narcóticos contra el mal de amor…” (MENTIRAS PIEDOSAS – Joaquim Sabina)

Antonio Gonzalez

Ps.: essa imagem diz tudo, assim se comportavam as gerações exigentes quando faziam parte das NOVAS GERAÇÕES EXIGENTES.

O FFC havia brilhantemente conquistado o Carioca de 1980 e havia sido (que merda) 5° colocado no Brasileiro de 1982.

20 dias antes do começo do Carioca de 1983, a Força Flu voltou a pichar os muros das Laranjeiras. Dias depois foram contratados o Assis e o Washington…

O RESTO DA HISTÓRIA VOCÊS SABEM… SE NÃO CONHECEM, ESTUDEM.

Deixe uma resposta