Um pouco da história Tricolor. Há 60 anos, Waldo se despedia do Fluminense

No dia 1º de julho de 1961, ídolo marcou duas vezes sobre o Valencia, na Espanha, por 3 a 2

Waldo é o maior artilheiro da história do Fluminense, com 319 gols – nenhum de pênalti. O ídolo se despediu do clube em 1º de julho de 1961, há 60 anos, quando a equipe disputou um amistoso contra o Valencia, no Estádio Mestalla, na Espanha.

Dentro das quatro linhas, Waldo pôs em ação seu principal talento: balançar a rede. No triunfo verde, branco e grená por 3 a 2, marcou duas vezes. Calazans completou o placar. A grande exibição do goleador impressionou o presidente valenciano Julio de Miguel, que ficou decidido a tirá-lo de Laranjeiras.

Jogador do Time de Guerreiros de 1954 a 1961, o ex-centroavante começou no Flu a sua carreira profissional. Fez 403 jogos e se sagrou campeão do Torneio Início (1954 e 1956), do Rio-São Paulo (1957 e 1960) e do Campeonato Carioca (1959).

Artilheiro do Carioca em 1956 e dos dois Rio-SP vencidos pelo clube, Waldo ainda possui o título de jogador que mais marcou gols em uma temporada pelo Tricolor: 69, em 1959. Pela Seleção, fez dois gols em cinco confrontos, além de ter conquistado a Taça do Atlântico de 1960.

Em 2012, Waldo voltou à sede do Fluminense para o lançamento de sua biografia, “Waldo, o artilheiro”, quando ainda conheceu Fred, vice-líder do ranking de maiores goleadores tricolores. O ex-atleta morreu em 25 de fevereiro de 2019, na Espanha, aos 84 anos.

Texto: Flu-Memória
Fotos: Flu-Memória

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *