Luiz Henrique deu assistência para o gol que decidiu o Fla-Flu de domingo, e completa 50 jogos pelo Flu.

Luiz Henrique completa 50 jogos pelo Flu com assistência: “Muito feliz”

A vitória sobre o Flamengo neste domingo teve um sabor ainda mais especial para Luiz Henrique. Isso porque o Moleque de Xerém comemorou no clássico uma importante marca na carreira. Foi seu jogo de número 50 com a camisa tricolor, que acabou coroado com a assistência decisiva para o gol de André, que sacramentou o triunfo por 1 a 0 na Neo Química Arena, em São Paulo.


Após a partida, Luiz Henrique não escondeu a emoção de completar 50 jogos como profissional. O garoto de apenas 20 anos, que voltou a receber uma oportunidade do técnico Roger Machado e mostrou que é uma joia que vem sendo lapidada, festejou o resultado e a ótima atuação no Fla-Flu. O jovem destacou ainda a ambição tricolor de ir longe não somente no Brasileiro, como na Libertadores e na Copa do Brasil.

“Fico muito feliz de completar essa marca, parece que foi ontem o primeiro jogo. A gente sempre quer estar jogando, mas o mais importante é ajudar o Fluminense. E é isso que a gente quer continuar fazendo, temos duas oitavas de final para disputar, além dos pontos corridos”, disse o jovem atacante.

Luiz Henrique estreou como profissional do Fluminense no dia 12 de agosto de 2020, no empate em 1 a 1 com o Palmeiras no Maracanã, pela segunda rodada do Brasileirão passado. Ao todo, nos 50 jogos disputados, acumula 22 vitórias, 16 empates e 12 derrotas, contabilizando um aproveitamento de 54,67%. O jogador marcou dois gols pelo Tricolor.


De volta ao time após não participar do confronto com o Athletico, na semana passada, Luiz Henrique teve papel fundamental no clássico diante do Flamengo. E os números comprovam isso. O camisa 34 teve, além da assistência, uma grande chance criada, um desarme e ganhou cinco dos nove duelos que participou, de acordo com informações do SofaScore.

“Tive a felicidade de ter uma participação muito boa na partida. O time teve uma postura muito boa também. A gente sabe das nossas responsabilidades taticamente, mas fui feliz em encarar a marcação, chegar na linha de fundo, para dar o passe para o gol. Nosso time tem raça e tem vontade, sempre”, declarou.

Foto: Lucas Merçon/FFC
Texto: Comunicação/FFC

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *