É ouro! Nino se torna o primeiro jogador do Fluminense campeão olímpico no futebol.

Tricolor fechou a fase de classificação em segundo lugar do grupo B e enfrentará o Paulistano na briga por uma vaga na semifinal

Foi de um atleta do Fluminense a primeira medalha olímpica brasileira. De lá pra cá, o clube reforçou sua tradição nas mais diversas modalidades. Mas restava ainda um ouro no futebol. Não falta mais. Na manhã deste sábado (noite no Japão), o zagueiro Nino tornou-se o primeiro jogador tricolor ao subir ao lugar mais alto do pódio de uma edição dos Jogos Olímpicos após o Brasil derrotar a Espanha na prorrogação da grande decisão no Estádio de Yokohama por 2 a 1. Matheus Cunha e Malcom marcaram os gols da seleção.

Assim que a bola rolou, Nino entrou para a história olímpica tricolor, ao se tornar o primeiro jogador de futebol do clube a disputar uma final, garantindo ao menos a medalha de prata. Antes dele, Thiago Silva e Thiago Neves haviam se tornado os primeiros representantes do Flu a subirem no pódio, com o bronze dos Jogos de Pequim, em 2008. Na véspera da decisão, Nino falou sobre o que isso representa.

“Isso representa muito para mim. Eu devo muito ao Fluminense o fato de estar aqui. Tenho certeza que eu represento o clube em todos os momentos. Fico muito feliz com o carinho que tenho recebido da torcida, de todos que torcem e acompanham cada passo que eu dou aqui no Japão. Fico muito feliz de ter entrado para a história do clube, podendo representar a seleção aqui”, declarou o jogador.

Nino foi titular da zaga brasileira em todos os seis jogos da equipe nas Olimpíadas. O Brasil terminou a fase de classificação na liderança do Grupo D, com duas vitórias e um empate. Nas quartas de final, avançou ao derrotar o Egito por 1 a 0. Depois, garantiu um lugar no pódio ao carimbar o passaporte para a final olímpica eliminando o México na disputa por pênaltis. Na final deste sábado, vitória por 2 a 1 na prorrogação.

Pioneirismo

No dia 2 de agosto de 1920, Afrânio da Costa ficou em segundo lugar na prova de pistola livre 50 metros e ganhou a prata nos Jogos Olímpicos da Antuérpia, Bélgica, edição que marcou a estreia do país na competição. No mesmo dia, o atirador Tricolor ainda faturou o bronze na prova em equipe, ao lado de Sebastião Wolf, Fernando Soledade, Dario Barbosa e Guilherme Paraense. Este último ainda conquistaria o primeiro ouro olímpico brasileiro no dia seguinte, no tiro rápido 25 metros. As medalhas de prata e bronze e as pistolas utilizadas na competição estão expostas na Sala de Troféus do clube, na sede em Laranjeiras.

Fluminense e Afrânio da Costa tiveram papel fundamental na conquista das primeiras medalhas olímpicas do Brasil. Foi no estande de tiro de Laranjeiras, inaugurado em 1919, que a equipe brasileira se preparou para os Jogos da Antuérpia e, já na Bélgica, o atleta acabou salvando a participação do país na modalidade.

Foto: Lucas Figueiredo/CBF
Texto: Comunicação/FFC

Sobre o autor