Flu sofre penhora em processo do Ato Trabalhista que terminou ano passado. Cabe recurso da decisão. Leia!

De acordo com o portal Esporte News Mundo, a premiação do Fluminense na Copa do Brasil está penhorada. Por decisão da juíza Lila Carolina Mota Pessoa Igreja Lopes, da 46ª Vara do Trabalho do Rio de Janeiro do Tribunal Regional do Trabalho da Primeira Região (TRT-1), R$ 2.910.143,68 do Tricolor pela competição junto à Confederação Brasileira de Futebol (CBF) estão bloqueados para pagamento de dívida a Thiago Gosling, que atuou no clube em 2006. A decisão cabe recurso.

A ação tramita desde 2006, estava no Plano Especial de Pagamento Trabalhista (Pept), mais conhecida como Ato Trabalhista, mas depois da revogação no primeiro semestre, acabou retornando para a cobrança feita individualmente para meios de terminar de cobrar a dívida.

“Defiro o requerimento do autor. Expeça-se ofício à Confederação Brasileira de Futebol – CBF, (…) e , determinando (…) bloqueio e a consequente transferência, colocando à disposição da 46ª VT/RJ, o valor correspondente à premiação a ser paga ao FLUMINENSE FOOTBALL CLUB pela classificação na Copa do Brasil, até o limite da presente execução (R$ 2.910.143,68)”, determinou a magistrada neste fim de semana.

A primeira condenação do Fluminense neste processo aconteceu em 2013. Na época, a Justiça do Trabalho havia determinado que o clube deveria pagar R$ 600 mil ao ex-zagueiro, que atuou no Tricolor entre 2005 e 2006, mas que acionou o judiciário alegando que o Fluminense havia deixado de pagar seus salários após sofrer lesão, não comunicou ao INSS e nem suspendeu seu contrato. O caso chegou a ir ao Tribunal Superior do Trabalho (TST), em Brasília, por meio dos recursos ao longo dos anos.

foto Lucas Merçon Flick Fluminense Football Club

Sobre o autor