Flu mantém salários em dia, equilibrando orçamentos, acordos e vendas de atletas.

Fluminense em situação financeira difícil,  vem mantendo os salários em dia com jogadores e funcionários em 2021. O clube realizou acordos importantes no auge da pandemia em 2020, contou com a venda de alguns atletas de Xerém.

As questões dos estádios fechados e sócio-torcedor em queda, o departamento comercial conseguiu bons acordos. Além de outras propriedades da camisa, o patrocínio master da Betano, ajuda muito o Clube Tricolor a manter seus compromissos. Entretanto as negociações de atletas seguem como a principal fonte de receita do clube.

Flu não pode gastar além da conta, uma vez que orçou R$ 19 milhões com bilheteria que não serão alcançados este ano, tendo em vista que não há previsão para reabertura e retorno de público aos estádios em 2021. O presidente Mário Bittencourt com todas as dificuldades, cumpriu uma de suas promessas de campanha: salários em dia.

O clube informou ao Canalflunews , que impostos estão sendo recolhidos normalmente. Estando apenas , com um mês de direitos de imagem (agosto) em débito com alguns atletas. Menos de dez jogadores do elenco profissional recebem esses valores, que, por lei, chegam a no máximo 40% dos salários.

O Fluminense com o fluxo de caixa melhor , aproveitou para investir no futebol. O Fluminense pagou US$ 500 mil (R$ 3 milhões) ao Patriotas para contratar Jhon Arias em definitivo e R$ 500 mil pelo empréstimo de Nonato junto ao Internacional. E ainda, efetuou a compra de 50% do meia Gustavo Apis e entrou em acordo com a Tombense para pagar US$ 1,5 milhão (R$ 8 milhões) por Caio Paulista. A última negociação, mais cara de todas, será parcelada, até o fim de 2023.

foto Mailson Santana Flick Fluminense Football

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *