” Os Novos Canalhas” Opinião Rodrigo Amaral

Os Novos Canalhas


Guerreiros e guerreiras, amantes deste esporte que mexe com milhões, que une famílias que faz de nossos corações pulsarem e grupos de amigos se formarem, vivemos novos tempos, já de algum tempo, mas hoje em dia surgiu uma nova safra de canalhas e canastrões.

O futebol foi forjado e enraizado pelos desportistas e não por atletas, por jogadores que tinha em sua essência a vitória através de um futebol bonito e vistoso, através de uma técnica apurada, além do improviso para poderem mostrar que eram superiores, era um verdadeiro baile, um balé de dribles e passes, finalizações difíceis se tornando fáceis e as fáceis eram feitas sem invenções, quem viu, viu, Paulo Cezar Caju, Rivellino, Búfalo Gil, Samarone, Mickey, Deley, Valdo, Tele Santana, Píndaro, Pinheiro, Altair, Branco, Romerito, Assis, Washington, Paulinho, Edinho, Robertinho, Cláudio Adão entre tantos outros, tivemos ainda Renato Gaúcho, Ézio, Bôbô, Romário, Roger (Maradoninha), Deco, Thiago Neves, Dodô, Thiago Neves, Marcelo, Coração Valente, Emerson Sheik, Fred, alguns desses não só bons de bola, mas também bons com as palavras, instigavam, provocavam, encarnavam, apostavam, promoviam os jogos, afloravam na torcida a idolatria e inflamavam a rivalidade e mais que isso tudo, entravam em campo e resolviam, faziam a coisa acontecer, chamavam a responsabilidade e jogavam para vencer, impunham respeito pelo talento, pela categoria, pela boca afiada, pelas conquistas épicas e triunfais, dignas dos Deuses.

Vejo meu filho de 10 anos escutando nossas resenhas e seu olhar arregalado ao falarmos de jogos como se fossem títulos, 2×0 no Va2co com um gol de placa do Washington do Casal 20, como o 7×1 no Botafogo com show do Mario Tilico, 6×2 no Palmeiras comandada pelo Roger (Maradoninha), 6×2 no Cruzeiro em pleno Mineirão com direito milésimo gol tricolor em brasileiros marcado por Djan Petkovic ou ainda das grandes finais onde tinhamos jogos de 3 ou 4 gols… hoje os Canalhas nos entubam Canastrões da bola, que não sabem dominar, não sabem passar, não sabem sequer fazer uma linha de passe, dribles então?

Esqueçam! Cada vez mais raros! Temos que ver nosso clube combalido em dividas fazer um contrato de 8 milhoes por um jogador que foi expulso da base por deficiência técnica, parece piada. Lembram que falei dos 7×1 no Botafogo? Quanto valeria então o Mario Tilico hoje? Ele era muito contestado pela torcida na época, tinha os que gostavam e os que detestavam. Nossos treinadores hoje falam em sofrer, teve um até que falou que vamos criar poucas chances de gol na partida, posso rir pra não chorar? Sofrendo nós estamos com esse jeito medroso de jogar, com essa tática que não condiz com a nossa essência, 4-3-3 era quando se jogava com 1 volante, 1 meia articulador, 1 meia de ligação (ponta de lança) e na frente era 1 ponta esquerda, 1 ponta direita e 1 centroavante, nunca vi os pontas virem reforçar a marcação do lateral dentro de nossa área, sempre fizeram o primeiro combate, aí vocês vão dizer, o futebol mudou e eu concordo com vocês, o vigor físico esta nos fazendo sofrer, ele hoje é determinante, por isso digo a algum tempo, a melhor contratação seria uma comissão de preparação física européia.

Hoje o futebol está quadrado, cadê o gingado? Hoje o futebol é dos engenheiros, “vamos jogar com dois blocos e tentar quebra suas linhas” e não mais dos artistas plásticos, que pincelavam os gramados com sua criatividade, sempre tiveram obediência tática, mas quando os tons eram pasteis e cinza, rapidamente vinham com uma cor vibrante para poder colorir a tela maior que são os gramados, ora sras. e srs., sofrendo nós estamos com os Canalhas que nos botam goelas abaixo os canastrões do novo futebol.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *