Ministério Público de Portugal investiga transferência de Evanilson para o Porto

O Ministério Público de Portugal está investigando uma suspeita de esquema ilegal envolvendo o Porto, um dos principais clubes do país, e o Tombense, equipe sediada em Minas Gerais. Uma das transferências que está na mira das autoridades é a do atacante Evanilson, ex-Fluminense, negociado em setembro de 2020.

Segundo a ‘CMTV’, as autoridades suspeitam de um esquema que pode envolver comissões irregulares na casa de milhões de euros. Além de Evanilson, mais três jogadores deixaram o Tombense para jogar na equipe B do Porto e estão sob suspeita: João Marcelo, Wesley e Caíque, todos por empréstimo com opção de compra.

A venda de Evanilson, na época pertencente ao Fluminense, mas com direitos econômicos ligados ao Tombense, foi tocada por Eduardo Uram. Porém, segundo apuração do GLOBO, quem está sendo investigado é um empresário português ligado a empresa Gestifute, que representou o Porto na negociação com a Tombense. Este agente teria recebido uma comissão do clube, que seria o foco da investigação.

Na ocasião, a saída rendeu aos cofres tricolores cerca de R$ 13,5 milhões — o clube tinha 60% dos direitos econômicos na base, mas ficou só com 10% mais 20% de taxa de vitrine da negociação total por € 7,5 milhões de euros (aproximadamente R$ 47,4 milhões).

Evanilson atuou pelo Fluminense em 28 jogos durante o final de 2019 e o início de 2020, marcando 11 gols neste período.

A reportagem do O Globo entrou em contato com Uram, que se mostrou tranquilo com a situação.

Todas as operações ligadas ao Tombense estão registradas em todos os sistemas eletrônicos de transferência. Podem investigar se quiserem porque que não tem nada de amormal — afirmou o empresário.

Foto em destaque: Divulgação

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *