fbpx

Emprestado até o fim do ano, Gilberto recebe sondagens para próxima temporada

Criticado pela torcida, o lateral, cedido pela Fiorentina até o término de 2019, entrou na mira de Grêmio e São Paulo, afirmou o Uol

Foto: Lucas Merçon / FFC

Depois de um 2018 onde colecionou boas atuações no primeiro semestre e acabou sofrendo uma lesão que o tirou dos campos por seis meses, Gilberto ainda não conseguiu reencontrar seu futebol ideal e, neste ano tão conturbado no Fluminense, vem sendo um dos jogadores mais criticados. Porém, o lateral segue no radar de grandes clubes para a próxima temporada.

Emprestado pela Fiorentina-ITA até o fim do ano, Gilberto ainda não definiu sua situação com o Tricolor carioca para 2020. Com o time brigando para não cair no Campeonato Brasileiro, a renovação de alguns jogadores segue uma incógnita. Com isso, o lateral-direito entrou na mira de Grêmio e São Paulo, conforme noticiou o site Uol.

O portal também informou que o jogador inclusive já foi sondado pelas duas equipes, que disputam vaga para a Copa Libertadores. Ao longo dos dois anos com a camisa do Fluminense, Gilberto disputou 78 partidas, marcando oito gols e dando sete assistências.

Gilberto comenta críticas da torcida, se define como ‘explosivo’ e afirma: “Estou me doando ao máximo”

Lateral-direito diz que entende cobranças dos tricolores, desconversa sobre briga interna da diretoria e frisa: “Minha hora vai chegar”

Foto: Lucas Merçon / FFC

Brigando para não cair no Brasileirão, o Fluminense vem colecionando uma série de resultados frustrantes ao longo do campeonato, principalmente dentro de casa. Em meio a falhas individuais, alguns jogadores passaram a ser perseguidos e vaiados pela torcida ao longo da campanha, um deles em especial: Gilberto.

O lateral-direito, que fez um ótimo 2018 com a camisa tricolor, vem sendo um dos maiores alvos dos protestos vindos da arquibancada. Ainda buscando reencontrar seu melhor futebol pelo clube, o jogador de 26 anos concedeu entrevista coletiva no CT Carlos Castilho e comentou sobre como lida com as críticas dos torcedores.

“Foi o momento em que mais me conheci. Não tinha vivido um momento assim de o torcedor estar pegando tão firme no meu pé como foi dessa vez. Eu tive que ouvir e ficar calado muitas vezes, passando ali no corredor, com torcedor bem pertinho falando coisas ruins, com minha família do lado. Sou um cara de pavio curto, explosivo, e me controlei bastante porque eu sei que o torcedor está na razão dele, quer o clube, que é grande, brigando em cima, e se as coisas não dão certo e tiver um jogador para eles escolherem para ser o mais cobrado, vai ser isso”.

Gilberto disse entender o protesto dos tricolores, principalmente por acreditar que pode entregar mais dentro de campo. O lateral chegou a ser barrado ao longo da temporada, dando lugar a Igor Julião. De acordo com ele, o trabalho vem sendo feito da melhor maneira possível e, ainda este ano, sua hora vai chegar.

“Ano passado fiz um ótimo ano e a torcida me abraçou. E eles querem o Gilberto do ano passado. Entendo isso. Trabalho bastante minha cabeça para entrar em campo e dar meu melhor. Eles podem ter certeza que estou me doando ao máximo, trabalhando forte, trabalhando duro. O que puder fazer eu estou fazendo para poder ajudar o clube. Todos os treinadores que passaram por aqui confiaram em mim e agradeço muito. Eles sabem do meu potencial. O clube acredita em mim. E tenho certeza que até os torcedores que me cobram acreditam em mim, esperam de mim o melhor, por isso estão me cobrando. Podem acreditar que estou fazendo o máximo e minha hora vai chegar ainda esse ano”.

Por fim, o lateral-direito comentou sobre a crise política que vive o Fluminense. Presidente e vice, Mário Bittencourt e Celso Barros estão em rota de colisão. Perguntado sobre a situação, Gilberto destacou a necessidade de focar no que acontece dentro das quatro linhas, mas confirmou a ausência de Celso nas últimas semanas.

“Ninguém é cego. Sabemos que as coisas acontecem, mas procuramos levar o menos possível para o vestiário. Não sei exatamente como está a situação agora, mas não tenho visto o Celso Barros aqui pelo clube e pelos jogos. Mas quanto menos essas coisas de fora chegarem na gente, é melhor. Então, prefiro me desligar um pouco disso e focar só no Fluminense, só dentro de campo, que é o que precisamos para sair dessa situação”.

Substituto de Caio Henrique, Orinho garante foco total em tirar Flu do Z4: “Grupo está fechado”

Lateral-esquerdo tricolor lamentou a lesão do goleiro Muriel e desconversou sobre polêmicas internas do clube

Foto: Lucas Merçon / FFC

Contratado para suprir a ausência de opções no setor esquerdo do Fluminense, Orinho terá mais uma grande oportunidade no próximo sábado (16), quando o Tricolor carioca encara o Atlético-MG, no Maracança, pela 33ª rodada do Campeonato Brasileiro. Com a convocação de Caio Henrique para a seleção olímpica, o lateral será titular na partida.

Nesta quarta-feira, o jogador de 24 anos foi o escolhido para conceder entrevista coletiva no CT Carlos Castilho. Na conversa com a imprensa, Orinho lamentou bastante a lesão de Muriel, que não atua mais em 2019, mas fez questão de rasgar elogios aos possíveis substitutos do goleiro.

“Sabemos que o Muriel é um grande goleiro. Todos ficamos tristes pelo fato de ele ter se machucado. Lamentamos, mas não podemos deixar isso nos abater. Contamos com grandes goleiros e temos confiança nos dois”.

“O Agenor é experiente, passou por grandes clubes. O Marcos Felipe também já pegou seleção de base. Prova que são dois grandes goleiros. Fica a critério do treinador. A gente fica feliz por eles estarem ganhando oportunidade, mas triste pelo Muriel. No final, quem entrar vai dar conta do recado”.

O lateral-esquerdo também aproveitou para enaltecer Caio Henrique, seu companheiro de posição, que será desfalque por estar com a seleção sub-23, que se prepara para as Olimpíadas de Tóquio. Para ele, as características de ambos são parecidas.

“O Caio Henrique é um grande jogador, todos sabem disso. Temos características parecidas. Tive uma sequência de dois jogos e saímos com vitória. O meu comportamento vai ser o mesmo. Primeiro, defender. Depois, penso em atacar. O importante é não tomar gols e sair com a vitória”.

Orinho em treino no CT (Foto: Lucas Merçon / FFC)

Por fim, quando perguntado sobre a situação do vice-presidente Celso Barros dentro do clube, Orinho preferiu desconversar e focar na luta dos atletas para tirar o Fluminense do Z4 do Brasileirão. Vale destacar que Celso não esteve presente na reapresentação do elenco.

“Todos nós sabemos disso, mas prefiro não comentar isso. Fica no extracampo, para a diretoria resolver. Nós, jogadores, focamos em tirar o Fluminense da zona de rebaixamento”.

Após exame constatar fratura, Muriel vai passar por cirurgia na mão

Goleiro tricolor, que se lesionou após choque com Guerrero, na derrota por 2 a 1 para o Internacional, vai ficar de fora do final da temporada

Foto: Lucas Merçon / FFC

Após se reapresentar com dores e um inchaço na mão esquerda, fruto de um choque com o atacante Guerrero, na derrota por 2 a 1 para o Internacional, Muriel passou por exames, que detectaram uma fratura no local. Para piorar, o goleiro precisará passar por um procedimento cirúrgico, que será realizado ainda na noite desta terça-feira (12).

Um dos destaques do Fluminense nesta temporada, Muriel só retornará aos gramados em 2020, desfalcando a equipe nos últimos jogos do Campeonato Brasileiro. Isso porque houve deslocamento de osso na sua fratura, impossibilitando a imobilização padrão. O jogador de 32 anos quebrou o primeiro metacarpo, osso localizado na palma da mão que dá continuidade ao polegar.

Com isso, a vaga de titular no gol do Tricolor carioca fica em aberto. Agenor, reserva imediato, é o favorito para assumir a posição, apesar das críticas da torcida. Marcos Paulo, terceiro goleiro, corre por fora. O próximo compromisso do Fluminense é no sábado (27), contra o Atlético-MG, no Maracanã. Para respirar na luta contra o rebaixamento, o time de Marcão precisa desesperadamente da vitória.

Muriel fratura mão esquerda e não joga mais pelo Fluminense em 2019

Goleiro sofreu a lesão após choque com Guerrero, atacante do Internacional, e vai desfalcar o Tricolor nas rodadas finais do Brasileirão

Foto: Mailson Santana / FFC

Lutando contra o rebaixamento no Campeonato Brasileiro, o Fluminense terá um enorme desfalque para as últimas rodadas da competição. Um dos principais nomes do elenco, Muriel teve diagnosticada uma fratura na mão esquerda e não vai mais jogar pela equipe em 2019. Os exames foram realizados na reapresentação do elenco, nesta terça-feira (12).

A lesão aconteceu na derrota por 2 a 1 para o Internacional, onde o goleiro se chocou com o atacante Guerrero e acabou levando a pior. Apesar das dores, Muriel ficou em campo até o fim da partida. Porém, o incômodo e o inchaço permaneceram, fazendo com que departamento médico e comissão técnica se reunissem para tratar o caso. Realizados os exames, a fratura foi constatada.

Com isso, o treinador Marcão terá a semana inteira para decidir quem será o substituto do goleiro neste restante de temporada. Agenor, que já foi titular em outras oportunidades, e Marcos Felipe, reserva do Fluminense há um bom tempo, brigam pela vaga. O Tricolor segue a preparação para o jogo contra o Atlético-MG, no próximo sábado, no Maracanã.

Em rede social, Wellington Nem vibra com gol marcado e cita ‘cabeça erguida’ mesmo após derrota

Atacante tricolor marcou pela primeira vez desde que retornou ao clube para a temporada de 2019

Foto: Mailson Santana / FFC

Campeão brasileiro pelo Fluminense em 2012, Wellington Nem retornou ao clube por empréstimo para atuar até o final da temporada. Desde que chegou, o atacante, que pertence ao Shakthar Donetsk-UCR, vinha oscilando e sofrendo com o jejum de gols. Porém, na derrota por 2 a 1 para o Internacional, fora de casa, o atleta acabou com a seca.

Após começar no banco de reservas, Nem entrou no segundo tempo e, aproveitando a falha de Cuesta, marcou o gol de honra do Tricolor em uma belíssima jogada individual. Após diminuir o placar, a equipe pressionou e tentou o empate, mas não conseguiu correr atrás do resultado e voltou a ficar em uma situação complicada no Campeonato Brasileiro.

Através de seu Instagram, Wellington Nem comemorou o tento e afirmou que o elenco segue de ‘cabeça erguida’ já que, mesmo com o placar ruim, teve uma atuação satisfatória no Beira-Rio.

Muriel prega união e demonstra apoio a Marcão: “Está dando o máximo”

Goleiro tricolor afirmou ser difícil mudar as coisas em pouco tempo e destacou necessidade de todos ‘seguirem juntos’ nesse momento

Foto: Lucas Merçon / FFC

Vivendo uma fase terrível no Campeonato Brasileiro, o Fluminense vê a chance de rebaixamento aumentar e a pressão ficar maior rodada após rodada. A derrota por 2 a 0 para o Ceará, fora de casa, pode fazer com que o Tricolor entre no Z4, caso o Cruzeiro vença o Botafogo. Mas os problemas da equipe carioca não param por aí.

Efetivado depois de uma boa sequência, Marcão, que entrou no lugar de Oswaldo de Oliveira, vem sendo questionado e bastante criticado pela torcida, principalmente pelas escolhas nas substituições. Apesar da situação complicada, o elenco está unido e ao lado do treinador. Pelo menos é o que garantiu o goleiro Muriel, um dos destaques do time.

“Está todo mundo junto. É o momento de cada um olhar para si e ver o que pode ser feito para crescer neste momento decisivo. Marcão tem todo o nosso apoio. Acredito que ele tem méritos. Em pouco tempo, é difícil mudar as coisas. Ele está dando o máximo, nos ajuda. Vamos continuar trabalhando para reverter essa situação”, afirmou.

O Fluminense volta ao Rio de Janeiro para iniciar a preparação para o clássico contra o Vasco, no próximo sábado (2), às 19h (de Brasília), no Maracanã. Só a vitória interessa ao clube das Laranjeiras.

Nino não esconde frustração após mais uma derrota, mas promete: “Vamos lutar até o fim”

Zagueiro disse não ter explicação para fase ruim do Tricolor, mas prega sequência do trabalho para escapar do rebaixamento

Foto: Lucas Merçon / FFC

Nesta última quarta, o Fluminense perdeu por 2 a 0 para o Ceará e viu sua situação no Campeonato Brasileiro se complicar mais ainda. Apesar da derrota, o Tricolor até tentou pressionar e reagir, mas novamente a bola não entrou. Após a partida, Nino concedeu entrevista ao Canal Premiere e, abatido, não conseguiu encontrar explicação para o péssimo momento.

“Difícil explicar. Não tem explicação. Única coisa que nos resta é trabalhar, para que essa bola comece a entrar. A gente se esforça, tem tentado colocar em prática aquilo que temos trabalhado, mas, infelizmente, a bola não tem entrado. Temos que fazer algo a mais para sair dessa situação”, disse.

O resultado ruim em mais um confronto direto fez com que o Fluminense ficasse com 30 pontos, podendo entrar na zona de rebaixamento caso o Cruzeiro vença o Botafogo. O zagueiro lamentou bastante o revés, mas prometeu que o elenco lutará até o fim.

“Era um confronto direto. Queríamos ganhar, mas vamos lutar até o fim. Time não era para estar nesta situação”, concluiu.

Caio Henrique diz entender protestos da torcida e prega foco total no Ceará: “Temos que ir lá e ganhar”

Lateral-esquerdo tricolor também comentou sobre o baque sentido pela equipe após levar o gol da Chapecoense

Foto: Lucas Merçon / FFC

Convocado novamente para a seleção olímpica, Caio Henrique criou jogadas, correu bastante, mas não conseguiu ajudar o Fluminense a sair do Maracanã com a vitória. Após desperdiçar muitas chances, o Tricolor empatou 1 a 1 com a Chapecoense e viu sua situação no Campeonato Brasileiro ficar mais complicada ainda.

Após o tropeço dentro de casa, o lateral-esquerdo da equipe carioca comentou sobre o ‘apagão’ após o adversário abrir o placar ainda no primeiro tempo. De acordo com ele, o Fluminense não pode continuar com a mesma atitude de quando sai atrás no placar.

“A gente está se abatendo bastante. Quando sofremos gols, a gente se abate. Isso não pode acontecer. Hoje faltou um pouco mais de força para conseguir o gol da virada”, disse.

O camisa 19 tricolor também analisou as vaias da torcida, que protestaram bastante, principalmente na parte final do jogo. Caio Henrique afirmou que as reclamações são totalmente entendíveis, mas que é preciso mudar o foco e ir com tudo para vencer o Ceará fora de casa, na próxima quarta (30).

“Com certeza (a torcida tem razão em vaiar). Desde a virada do turno, a gente já vem amargando a região perto da zona de rebaixamento. Não estamos conseguindo o resultado em casa, ainda mais contra adversários diretos. Agora temos outra pedreira contra o Ceará. Temos que ir lá e ganhar deles”, finalizou.

Desfalque de peso: Allan recebe terceiro amarelo e não joga contra o Ceará

Um dos jogadores mais importantes do Tricolor, volante foi punido contra a Chapecoense e terá de cumprir um jogo de suspensão

Foto: Lucas Merçon / FFC

Neste último sábado, o Fluminense voltou a desperdiçar diversas chances e empatou em 1 a 1 com a Chapecoense em pleno Maracanã. Mas não foi só o resultado que foi ruim para o Tricolor. Um dos pilares da equipe no ano, o volante Allan recebeu o terceiro cartão amarelo e é desfalque certo para a partida contra o Ceará, na próxima quarta-feira (30), fora de casa.

Com pouco tempo para decidir seu substituto, o treinador Marcão deve optar por Yuri ou Airton, reservas da posição. O Fluminense viaja para o Ceará pressionado e precisando de um bom resultado. Caso saia de campo derrotado, o Tricolor irá ver o adversário abrir três pontos na tabela e, dependendo dos resultados, pode se afundar na zona de rebaixamento.

Top