fbpx
FOTO: DIVULGAÇÃO

LARANJEIRAS NO ARQUIVO MUNDIAL ÁRTICO

O Arquivo Mundial do Ártico, onde são mantidos documentos e outros registros que resgatariam a história do planeta, no caso de cenário pós-apocalíptico.  Se encontram no subsolo da cidade de Longyearbyen, no arquipélago de Svalbard, Noruega, pode ser considerado um bunker da memória da humanidade.    Funciona no local, banco de sementes, que guarda espécies de plantas do mundo todo…        Do Brasil, há cópias da Lei Áurea, da primeira Constituição Nacional e até da partitura da ópera “O guarani”, de Carlos Gomes.   Elas agora ganharam a companhia de Preguinho, do estádio das Laranjeiras e de todos os personagens que retratam as primeiras décadas do Fluminense.     No ano em que o cenário do primeiro jogo da seleção brasileira — o estádio tricolor — completará um século (em 11 de maio), o clube promove a restauração digital de boa parte de seu acervo fotográfico. São negativos — muitos em vidro — do período pré-Maracanã (de 1902, quando o Fluminense foi fundado, até 1949). Há registos dos primeiros times, da construção das Laranjeiras e de torcedores do início do século 20.

— Tem alguns detalhes da própria construção do estádio que são muito interessantes — explica Dhaniel Cohen, responsável pelo departamento Flu-Memória: — Há fotos que a gente amplia e vê até detalhes dos operários. E não só a construção, como dos primeiros jogos. Você vê na arquibancada os torcedores e o estádio todo lotado. Vê os detalhes dos trajes da época. São fotos raríssimas.

fonte Jornal Extra (R.O.)

 FOTO: DIVULGAÇÃO
O segundo agachado da direita para a esquerda, neste time do início dos anos 1920, é Preguinho, autor do primeiro gol da seleção em Copas
divulgação
operários na construção do Estádio Laranjeiras
FOTO: DIVULGAÇÃO
O argentino Russo, ídolo dos anos 1930, fez tanto sucesso que jogou pela seleção brasileira
fotos divulgação Argentino Russo
ídolo dos anos 30

Flu negocia com De Amores

De Amores, segue na fisioterapia no Centro de Treinamentos Pedro Antonio, localizado na Barra da Tijuca, de intervenção cirúrgica sofrida no joelho no ano passado, vem, acertando detalhes para a renovação do contrato, com o tricolor.      Segundo apuramos, o  novo contrato  cumpridas as formalidades legais,  deve ser registrado na próxima  semana no BID/CBF.

Falta, ainda, ajustar detalhes com o clube de origem do atleta, para que o novo vínculo por seis meses, a principio, seja efetivado.    Esse novo vinculo contratual, não irá gerar custos para o Tricolor das Laranjeiras, sendo certo, que o prazo final de extinção contratual, vai depender do aproveitamento do atleta,  seguindo em aberta as negociações dos detalhes do período de sua permanência no Fluminense.         O que resta claro, a permanência De Amores vai ficar condicionada ao aproveitamento e condições físicas

 

Quando a paixão cega

Sou sócia proprietária do clube há 40 anos pelo menos, neste percurso minha família viu renúncias, triunvirato, politica suja, todo tipo de situações…defendemos as cores do tricolor em alguns esportes… sempre acreditei que alguém quando se candidata a presidência do Fluminense o faz por algum motivo (seja ele qual for) , mas , com certeza não é para ser o pior gestor , ou mesmo destruir a instituição. Penso sempre que as pessoas são imbuidas de boas intenções, todavia, quando se deparam com a realidade, muitas vezes ficam impossibilitadas de realizar seus planos…mesmo assim, acredito que tentam de tudo para darem o seu melhor.

No final do ano passado conversando com o Presidente Abad, foi dito que estavam trabalhando insistentemente para trazer muitas coisas boas, resolvi dar um voto de confiança, ao contrário de muitos que resolveram xingar, brigar, pedir renúncia , impeachment e afins, falava aos meus pares ” menos , parem , vamos tentar a paz” , surgiam todos os tipos de agressões e xingamentos….culminando com a reunião do dia 26 de dezembro de 2018, que resultou na AGE do dia 26 de Janeiro de 2019, ao passo de acalmar os ânimos, estes seguem mais acirrados.

Sempre fui contrária a saída do Presidente Abad, apesar de ser oposição e ter sido eleitora do Deley e Celso. Sempre torci para nosso Presidente acertar e depois de dois anos tentando acertar contas, penhoras e toda as desgraças, eis que consegue fechar um negócio muito bom e em bases sólidas para o Fluminense, acertando com várias outras contratações.
Esclareço ainda, que existem ainda outras negociações a serem fechadas e devemos prestigiar o time , pois temos competições importantes para fevereiro….logo.
Para quem ficou xingando,falando, brigando….e agora….o que dizer….ainda, prefiro acreditar no melhor sempre, sobretudo em dias melhores . Usarei sempre as redes sociais com a finalidade de incentivar e promover a instituição Fluminense…quanto ao dirigentes os procuro pessoalmente para me manisfestar… desconstrução NUNCA, construção sempre….devemos agir sempre com razão e bom senso, pois a paixão cega, e nos faz cometer desenganos e desatinos.



Cilene Fernandes Pinto

Venda de ingressos para River-PI x Fluminense começará neste sábado

Pela primeira fase da Copa do Brasil na próxima terça-feira, dia 5, às 21h30, River-PI e Fluminense se enfrentarão no Estádio Albertão, em Teresina.
Neste sábado com valores são de R$ 30 (arquibancada placar), R$ 50 (arquibancada cabine) e R$ 80 (cadeira), começam a serem vendidos os ingressos para a partida .

Por meio de sua assessoria de imprensa o River informou que o primeiro lote de ingressos será de 7 mil bilhetes e ainda haverá a disponibilização de 500 lugares no setor das cadeiras superiores no estádio, que poderá receber até 13.500 torcedores.

Pontos de venda :

SÁBADO
Lojas Noroeste: Praça Saraiva e Praça Rio Branco e Teresina Shopping
Centromed do bairro Piçarra.

SEGUNDA-FEIRA
Estádio Albertão a partir de 8h.


Alvaro Souza Che

A novela Paulo Henrique Ganso perto do Fim

Nesta sexta-feira chegou a informação em nossa redação de que o Sevilla teria rejeitado a proposta Tricolor que pretendia o parcelamento das garantias bancárias para liberar o empréstimo do jogador . O Fluminense mantém esperanças ainda na contratação de Ganso,mas aparentemente,busca um nome no mercado sul americano que possa suprir essa carência.

O prazo para a definição da novela Ganso se aproxima do fim pois dia 31 de janeiro,fecha a janela de negociações Europeias.




Alvaro Souza Che

Chuva forte destrói parte do telhado de Laranjeiras .

As chuvas da tarde desta sexta feira destruíram parcialmente o telhado do estádio das Laranjeiras.

A chuva,mesmo intensa,só mostrou o quanto precisamos com urgência reformar nosso estádio pois sendo um bem tombado é obrigação do clube manter sua manutenção em dia e evitar que algo assim aconteça.
A falta de manutenção demonstra descaso com o bem e o Fluminense além do prejuízo relativo ao reparo que se faz urgente,ainda pode ser multado severamente por não estar dando manutenção ao bem tombado.

Imagens :Flavio Amendola TV Bandeirantes e Arquivo pessoal Alvaro Souza

Alvaro Souza Che

Os 15k de sempre

Ontem, domingo, 05/08/2018, cheguei ao Maracanã razoavelmente cedo, por volta das 17h:30min. Àquela hora, 90 minutos antes do início do jogo, já se prenunciava um baixo comparecimento da torcida tricolor. Cerca de dez minutos depois de saltar do transporte por aplicativo, eu já estava sentado ao lado de meia dúzia de gatos pingados no setor Sul inferior do estádio.

Eis que alguém do Flunews postou no grupo de WhatsApp um tweet do Sr. Dan Dan Infélix , para muitos o cérebro maior da Flusócio. Dizia a mensagem, em textual: “Vitória recoloca Flu na briga por G6. Nos últimos 4 jogos, foram 3 vitórias, promoção nos ingressos da Leste Sup. E tudo indica que teremos só os 15k de sempre. Fica difícil entender. Depois vão reclamar qdo o clube for obrigado a vender jogador…”.

O tweet transcrito tem 5 sentenças.

A primeira sentença – “Vitória recoloca Flu na briga por G6.” – é verdadeira e não tem déficit algum na mensagem idealizada pelo seu emissor.

A segunda sentença – “Nos últimos 4 jogos, foram 3 vitórias, promoção nos ingressos da Leste Sup.” -, embora verdadeira, traz consigo um déficit na mensagem, pois o pito feito pelo emissor seria, em tese,bem mais legítimo se a aludida promoção fosse mais ampla, estendendo-se, também, ao Setor Norte do estádio.

A terceira sentença – “E tudo indica que teremos só os 15k de sempre.”–a um só tempo, introduz um sofisma e traz uma exortação à divisão.Por partes. A expressão “… os 15k de sempre”, é bom lembrar, marcou as campanhas vitoriosas do Fluminense no Brasileirão de 2010 e de 2012, quando o time jogava no Engenhão, estádio que nunca caiu nas graças da torcida, apesar de ser nosso “salão de festas”. Resumindo, a frase historicamente precisa ser dita pelo Sr. DanDan Infélix seria “… os 15k característicos da gestão Flusócio…”. Algo similar ao América F.C dos anos 70 e 80. De mais a mais, o emissor da mensagem claramente divide os torcedores tricolores em duas categorias, dando a entender que os “… 15k de sempre…” seriam mais tricolores que os demais – inclusive os inválidos, os sem grana, os com problemas pessoais, os sócios torcedores que moram longe, os que associam o Fluminense de hoje ao DNA derrotista da Flusócio, etc. Eu, que compareço aos jogos com assiduidade, não me considero mais tricolor do que ninguém, com algumas exceções.

A quarta sentença – “Fica difícil entender.” -é um claro desserviço à própria Flusócio porquanto evidencia a incapacidade do grupo político na avaliação de cenários. Vai aí uma ajuda, Flusócio: o público é pequeno porque a torcida tricolor, desalentada, abandonou o time. Motivos para isso, infelizmente, não faltam: (a) Flu 2 x 5 América/RN, em pleno Maracanã; (b) Flu 1 x 4 Chapecoense, em pleno Maracanã; (c) eliminação precoce na Copa do Brasil para o Avaí/SC; (d) hábito de ressuscitar “mortos”, etc, etc, etc. Isso tudo num cenário de grana curta e ingressos caros.

Paradoxalmente, isso é bom pra Flusócio, pois torcedores passivos facilitam a má gestão do grupo. Algo como sucede no Brasil entre eleitores e eleitos.

Abro, agora, um curto espaço para destacar que vislumbro, grosso modo, duas formas de o torcedor protestar: (a) ir ao jogo e protestar; (b) não ir ao jogo para protestar. Sou adepto da primeira, mas respeito aqueles que se valem da segunda, inclusive sob o válido argumento de que protestos podem prejudicar um time jovem que já não é lá essas coisas jogando sem a pressão de insatisfeitos.

Voltando ao xis da questão, ou a Flusócio não consegue avaliar cenários – e é incompetente – ou consegue fazê-lo, mas não admite isso, obrando, assim, de má-fé argumentativa.

A quinta sentença – “Depois vão reclamar qdo o clube for obrigado a vender jogador.” – é, nada mais, nada menos, que um misto de mentira deslavada, desculpa esfarrapada e nova tentativa de divisão da torcida.Pela ordem, se o público fosse de 40.000 pessoas, o clube manteria o Pedro?[um milhão de risos] Data venia, o Sr. Dan Dan Infélix quis, mais do que repartir, transferir responsabilidades do seu grupo político para a torcida tricolor, com exceção dos “… 15k de sempre…”.

Enfim o tweet do Sr. Dan Dan Infélix é uma pérola às avessas.

Diante de tamanha desfaçatez, por pouco, não engasguei com um pedaço do geneal que estava comendo quando li a mensagem.

Como não tenho conta no Twitter, imediatamente, contatei alguns colegas do Portal FluNews para que eles respondessem ao luminar da Flusócio.

Por diversas razões – a principal das quais o banimento//bloqueio deles -, os mencionados colegas do FlunNews não puderam levar a cabo o meu pedido de contestação ao Sr.Dan Dan Infélix.

Pensei, então, como alternativa, em usar a conta no Twitter de minha filha. Conhecedor da contundência do Sr. Dan Dan Infélix, refleti e rechacei a ideia.

Tratava-se duma entre marmanjos – presumivelmente machos e altivos – e, por isso, pedi à minha filha que criasse, naquele momento, em pleno Maracanã, uma conta para mim no Twitter. Naturalmente, que teria zero seguidor.

Assim foi feito.

Em tempo, bem sabem os colegas que o meu telefone celular está ruim pacas – como provam os áudios fracionados que envio a torto e a direito. Por exemplo, no teclado virtual, não funciona, entre outras teclas, a “B”. Por isso, não pude criar a conta “André Barros”, mas, sim, “André Ferreira”, em letras minúsculas.

Ultimado o procedimento de abertura de conta, mandei um reply para o Sr. Dan Dan Infélix, ipsis litteris: “De onde você tirou autoridade para dar esporro na torcida? Sou dos 15.000 e tenho certeza de que amo mais o Fluminense que você. Aliás, acompanho o Flu, apesar desse câncer chamado Flusócio”.

Começa o jogo Fluminense x Bahia.

Termina o jogo, com resultado frustrante, diga-se de passagem. Bem fizeram os que não foram ao estádio.

Ao chegar em casa, recebo uma mensagem do Sr. Dan Dan Infélix, imediatamente apagada devido ao bloqueio de meu nome. Era algo assim: “Você tem 0 seguidor. Você é fake. Você entre os 15K? Oposição lamentável”.

Parafraseando o Pofexô Luxemburgo, respostas malcriadas “… pertencem…” a esse tipo de contenda.Ou seja, quem fala o que quer, ouve o que não quer.

Mas ouve, Sr. Dan Dan! Bloquear, de pronto, é sinal de menosprezo ao debate.

Não foi nem possível dar novo reply, Sr. Dan Dan. Onde está  o seu apreço pela democracia?

Putz grilo!

Ora, assino todos os meus posts, numa demonstração inequívoca de oposição dura, duríssima, extremada, mas leal.

Nesse tom, ser tachado de fake pelo Sr. Dan Dan Infélix me incomodou sobremaneira.

Por isso, fui ao Facebook – plataforma que uso pouquíssimo – e deixei a seguinte mensagem ao Sr. Dan Infélix: “Abri uma conta no Twitter hoje apenas para te responder – ‘André Ferreira’. […] Você me chamou de fake […] Sou uns dos 15.000 de sempre […] E amo mais o Fluminense que você e essa Seita Maldita […] Se quiser me encontrar, sou Auditor Fiscal como o fantoche do Abad. […] Até as pragas do Egito terminaram […] Um dia, vocês sairão corridos do Fluminense […] Discuto Fluminense com vc na hora e lugar que você quiser – com mais elegância, educação e conhecimento…”.

Até o momento em que escrevo, o Sr. Dan Dan Infélix não me respondeu.

Caminhando para o fim, se algum dos meus poucos leitores tiver como fazer chegar esse artigo – ou melhor essa exortação – ao Sr. Dan Dan Infélix, agradeço penhoradamente.

Aqui, no Canal FluNews, ninguém é banido por mera diferença de opinião. Eventual resposta dele – em reverência à tolerância e à democracia, valores conquistados a duras penas – será publicada na íntegra, sem retoques.

Estabelecer-se-ia- entre nós dois e, também, outros- um debate fértil a bem do Fluminense F. C, pois o Sr. Dan Dan, inegavelmente, é um bom argumentador e profundo conhecedor das entranhas do clube. Seria, por exemplo, uma excelente oportunidade para eu tirar algumas dúvidas sobre a contabilidade do Fluminense, em especial as contas do Sr. Peter Siemsen.

Saudações tricolores

André Ferreira de Barros tem 50 anos, acompanha o Fluminense em estádios desde a final da Taça Guanabara de 1975 e acha que a Flusócio tem que deixar o Tricolor e tentar a sorte no Boavista.

O preço é a eterna vigilância

O título deste breve artigo é inspirado na celebérrima frase de Thomas Jefferson, principal mente por trás da Declaração de Independência dos Estados Unidos da América (1776). Para o terceiro Presidente norte-americano (1801-1809), “O preço da liberdade é a eterna vigilância”.

Pois bem, de costas para a imensa maioria da torcida tricolor, os “piscineiros” se juntaram aos competidores de “cuspe à distância” e colocaram a Flusócio à frente do Fluminense. Perdoai-os, Senhor, embora todos eles soubessem a m… que estavam fazendo.

Na linha do esvaziamento do futebol tricolor, desgraçadamente, nós torcedores almejamos, apenas e tão-somente, uma campanha sem sustos no Brasileirão 2018- lá pelo décimo lugar na tábua de classificação. Mais do que isso, como provou o “Vôzão” no último sábado, não dá.

Ideamos isso, mas não nos esqueçamos da diabólica Flusócio, o mais odiado grupo político da centenária História do Fluminense F.C.

“O meia Sornoza está se destacando nos jogos? Excelente, vamos vendê-lo!”

“O time que se dane, e a torcida, que não vota, idem!”

“O atacante Pedro desperta interesse? Ótimo!”

“O time que se dane, e a torcida, que não vota, idem!”

“Os gringos estão de olho no lateral Airton Lucas? Maravilha!”

“O time que se dane, e a torcida, que não vota, idem!”

Colegas, não desconheço o quão sedutoras são as propostas financeiras provindas do exterior – não apenas para os jogadores, como, também, para um clube quebrado (em grande parte pela Flusócio).

Mas as eventuais saídas dos atletas tricolores reclamam reposição à altura.

Quem não se lembra do Walquir Pimentel, em 1996, desmontando o time de 1995, que conquistara o Estadual e terminara o Brasileiro em terceiro lugar? Saiu Sorlei, entrou Rogério. Putz! Foi-se Ailton e … não chegou ninguém. Putz! Saiu Vampeta… e nada.Putz!

O resultado dessa pequenez, infelizmente, todos nós conhecemos.

O padrão da Flusócio é do Walquir Pimentel para baixo.

Se não fosse pela pressão da torcida, um Hélio dos Anjos estaria à frente do Fluminense e nenhuma contratação teria sido feita.

Enfim, a torcida tricolor, dia após dia, tem que bradar – via redes sociais, mas, também, no Maracanã – “EU ESTOU AQUI, FLUSÓCIO! ESTOU DE OLHO, FLUSÓCIO!” “BOM, BONITOE BARATO É SAMBA ENREDO DA UNIÃO DA ILHA DO GOVERNADOR, FLUSÓCIO!”

O preço de uma campanha segura no CB 2018 é a eterna vigilância.

Se piscarmos um olho, a Flusócio apronta uma das suas.

Saudações tricolores

André Ferreira de Barros tem 50 anos, acompanha o Fluminense em estádios desde a final da Taça Guanabara de 1975 e acha que a Flusócio tem que deixar o Tricolor e tentar a sorte no Boavista.

A visita da Saúde

Ontem, sábado, 28 de julho, o Fluminense “desenterrou” mais um defunto: o Ceará, lanterna do Campeonato Brasileiro de 2018. Com uma atuação pra lá de apagada, o Tricolor das Laranjeiras fez um papelão em Fortaleza, saindo merecidamente derrotado por 1 x 0 pelo “Vôzão”.

O resultado do jogo e, principalmente, a atuação da equipe frustrou grande parte da imensa torcida tricolor.

Decerto, não foi a primeira vez que a decepção se instalou entre nós, mas temo que seja uma das últimas. Explico melhor: só há decepção quando se espera algo (muito) bom e sucede algo (muito) ruim. E é cada mais raro esperar-se algo de bom vindo do Fluminense da Flusócio. Donde se conclui que o esperado tenderá a coincidir com o ocorrido, ou seja, o fracasso do nosso amado Fluminense.

Amigos, é forçoso convir que o nosso time é composto, basicamente, por duas espécies de jogadores:

a-) os regulares, que, em boa forma e em boa fase, fazem bons jogos, mas, por outro lado, em más forma e fase, são dificílimos de aturar. Integram essa longa lista, pelo menos: Júlio César, Gum, Digão, Richard, Airton (volante) e Marco Júnior;

b-) os bons, que, em boas forma e fase, fazem jogos muito bons, mas, por outro lado, em más forma e fase, são apenas regulares e modorrentos, como Jádson, Airton “Beijinho” e Sornoza.

Tudo isso somado, conclui-se que o time do Fluminense é fraco e ponto final.

Abro, aqui, um espaço especial para o atacante Pedro, o “Super-Ézio do século 21”. Apesar de jogar num time fraco, o moleque vem conseguindo se destacar, marcando gols decisivos mesmo em jogos ditos grandes, contra defesas sólidas.

Enfim, estamos fadados a ter um brilhareco aqui e outro ali, mas, mais cedo ou mais tarde, encontrar-nos-emos com a nossa dura e árida realidade, a de time fraco. Algo similar à visita da saúde, quando um paciente em estado terminal, surpreendentemente, melhora e, logo depois, vem a óbito.

Time fraco + clube quebrado + diretoria omissa + Flusócio no poder + passividade da torcida.

Estamos diante duma tempestade perfeita, aniquiladora de nossa paixão.

Deus ajude o centenário Tricolor das Laranjeiras das trevas trazidas pela Flusócio!

Saudações tricolores

André Ferreira de Barros

FOTO:Lucas Merçon

Benfica após um ano volta a investida em Gustavo Scarpa

O Benfica novamente tenta a contratação de Gustavo Scarpa após a investida frustrada no ano passado,noticiado na época aqui no Canal FluNews.

A notícia atual é do jornal português a Bola  e indica que o Benfica fez a oferta de 6 milhões de Euros ao Fluminense  que detém  60 % dos direitos federativos do jogador .

Scarpa teria um salário anual de €$2,2 milhões   e ainda teria luvas de €$ 3 milhões de Euros  caso o jogador seja realmente contratado.

 

Alvaro Souza Che

 

Fonte: A Bola Pt

Top