fbpx

Laranjeiras foi palco do primeiro grande título da seleção há 100 anos

Crédito: Reprodução/Revista O Malho

Nesta quarta-feira (29) a Seleção Brasileira comemora 100 anos da conquista do seu primeiro grande título, o Sul-Americano de 1919. O Fluminense foi fundamental para esse título, o estádio das Laranjeiras foi o palco desta conquista. Além de ser a casa da Seleção, o Tricolor teve três jogadores convocados, Marcos de Mendonça e Fortes, ambos titulares e Laís, reserva da equipe campeã.

O time que jogou a final e venceu o Uruguai pelo placar mínimo de 1 a 0 foi: Marcos de Mendonça (Fluminense); Píndaro (Flamengo); Bianco (Palestra Itália, atual Palmeiras); Sérgio Pires (Paulistano-SP); Amílcar (Corinthians); Fortes (Fluminense); Millon (Santos); Neco (Corinthians); Friedenreich (Paulistano); Heitor (Palestra Itália-SP) e Arnaldo (Santos).

A final recebeu 27.500 torcedores no estádio do Fluminense. Segundo a CBF, muitos outros torcedores assistiram ao jogo pendurados em árvores no entorno da casa do Tricolor.

A campanha do Brasil foi construída com uma vitória por 6 a 0 contra o Chile, depois 3 a 1 diante da Argentina, um empate de 2 a 2 contra o Uruguai e a vitória contra esse mesmo adversário na final por 1 a 0.

Flu deve entrar com mesmo time que goleou o Nacional

Crédito: Lucas Merçon / FFC

A partida desta quarta-feira (29) tem grande importância para o Tricolor. Além de continuar com chances de chegar ao título, existe o alívio financeiro. A premiação por passar de fase é de U$ 675 mil, algo em torno de R$ 2.7 milhões de reais (cotação do dólar está R$ 4,00). Desta forma, Fernando Diniz deve ir com o mesmo time que goleou o Atlético Nacional no primeiro jogo.

Com o retorno de Allan e Luciano, ambos suspensos na partida contra o Bahia, o time fica o mesmo que iniciou o jogo no Maracanã. Agenor; Gilberto, Nino, Matheus Ferraz e Caio Henrique; Allan, Daniel e Ganso; Luciano, Yony González e João Pedro.

O jogo pode ter grande adesão dos torcedores do Atlético Nacional. O clube da Colômbia fez promoção para encher o estádio. Todo sócio do clube pode levar um acompanhante grátis, além das crianças até sete anos também terem acesso liberado.

Atlético Nacional acredita na vitória

Em entrevista a veículos de comunicação na Colômbia, o time estrangeiro está confiante na possibilidade de virar o placar. Segundo o gerente técnico do Nacional, Alejandro Restrepo, o espírito da equipe deve ser o do jogador de bairro, que joga com amor.

“Vamos sair com uma postura ofensiva, pressionando e tomando cuidado para não sofrer gols, pois isso nos afastaria ainda mais do gol. Devemos marcar e ser muito atenciosos. Temos a ilusão e desejo de vencer este jogo, estou apelando aos jogadores para levar o espírito do jogador do bairro para ganhar “, afirmou.

A imprensa colombiana também usa como exemplo o Liverpool e a virada para cima do Barcelona como algo possível de se repetir.

Jogadores do Atlético Nacional acreditam em classificação

Crédito: Lucas Merçon / FFC

O Fluminense construiu uma vantagem considerável no jogo contra o Atlético Nacional no Maracanã, em partida válida pela Sul-Americana. Mesmo com o placar terminando em 4 a 1 para o tricolor, os jogadores do time colombiano não desistiram e pregam que é possível reverter o placar.

Após a vitória do time da Colômbia contra o Deportivo Cali, as atenções do adversário se voltaram para a Sul-Americana. Daniel Bocanegra, zagueiro e capitão do Atlético Nacional, disse que “no futebol tudo é possível. Estamos trabalhando para enfrentar o Fluminense; temos as ferramentas para superar e faremos todo o possível para alcançá-lo “.

O atacante Barcos, velho conhecido do futebol Brasileiro também fez coro. “Sabemos que a situação não é fácil, mas vamos deixar tudo para trás para mudar a imagem que deixamos no Brasil”, disse o jogador.

A partida de volta será realizada na casa do Atlético Nacional, o estádio Atanasio Girardot, às 21h30 com transmissão pelo serviço de streaming Dazn.

João Pedro começa a ser protagonista no ataque

Crédito: Lucas Merçon / FFC

Em meio ao turbilhão de coisas que assolam um time quando perde uma partida, um ponto positivo salta aos olhos do torcedor Tricolor, João Pedro. O jovem, a cada partida que passa vai ganhando o status de protagonista no ataque do Fluminense. São oito gols no ano, feitos em 11 jogos, sendo apenas dois como titular.

O líder da artilharia no ano é o Luciano que tem 15 gols marcados. Porém, para chegar nessa marca, ele precisou de 28 partidas. Com isso, ele está com uma média de 0,53 tentos por partida. Já a joia de Xerém tem uma média de 0,72. Isso já garante o jovem como artilheiro do time na Sul-Americana com três gols.

Pegando como base o levantamento feito pela ESPN, João Pedro está melhor do que Cristiano Ronaldo, Romário, Messi, Ronaldinho Gaúcho e Neymar neste início de temporada como profissional. Só perde para Ronaldo Fenômeno, que em seu ano de estreia, jogou 21 partidas e fez 20 gols.

Neste caso, os números não servem para projetar ou equiparar a carreira do jovem Tricolor com os nomes consagrados do esporte, porém, já mostra que o menino de 17 anos está conquistando o protagonismo do ataque do Fluzão, sendo o jogador em que a torcida deposita suas esperanças de dias melhores.

Opinião: Quanto vale um ídolo?

Crédito: Divulgação / FFC

O Fluminense é uma fábrica de jovens valores. Thiago Silva, Marcelo, Roger, Alan, Pedro, João Pedro, Marcos Paulo, se voltar no tempo teremos Ricardo Gomes e Edinho. O Tricolor é apontado como um dos principais clubes formadores do Brasil. Na mesma medida do destaque positivo, o clube também é conhecido por não conseguir vender bem seus jogadores.

Diante de uma saúde financeira calamitosa, já há bastante tempo, os dirigentes que passam pelo Flu têm sempre o álibi perfeito, vender é preciso e receber alguns milhões de reais já é o suficiente. O problema disso é a falta do retorno esportivo que o jogador possa dar. Títulos, adesão de sócio torcedor, bilheteria. Pensar na receita apenas na venda do jogador é um remédio amargo, quando a vacina para a situação do clube poderia ser a manutenção deles.

É compreensível vender jogadores, principalmente na realidade do futebol brasileiro. O problema é que a lógica está inversa. Explico, em um time da base com 20 nomes, por exemplo, podemos ter dois craques, cinco bons jogadores e mais alguns que compõem o elenco. A lógica deveria ser, manter os dois craques e vender os bons jogadores. Daí o time ganharia na quantidade vendida e criaria a identidade com a torcida.

Claro que depois que esses craques tivessem dado frutos no time profissional, a venda seria inevitável, porém, por valores que de fato valeriam a pena. Vender o João Pedro por € 10 milhões de euros é uma lástima. Claro que, quando o negócio foi fechado, poucas pessoas teriam a certeza que o jogador iria decolar logo de cara no profissional. Mas, quem acompanha o futebol de base também tinha expectativa que ele teria um futuro brilhante.

A torcida espera que o próximo presidente do Fluminense saiba valorizar melhor a base tricolor. Porque ali está o futuro do time, o caminho para voltar ao lugar de destaque no futebol brasileiro.

Sinal amarelo para número de cartões no Fluminense

Crédito: Reprodução

O alto número de cartões da equipe do Fluminense no ano, começa a ligar um alerta nas Laranjeiras. Ao todo, o Tricolor já recebeu 66 cartões ao longo da temporada, sendo 60 amarelos e seis vermelhos. Como o Flu realizou 29 partidas, a média é de 2,27 cartões por jogo.

A questão chama atenção, quando os números são analisados individualmente. Luciano, artilheiro do time no ano com 14 gols, já acumula 12 cartões, mais do que os dois zagueiros, Matheus Ferraz e Nino juntos, já que ambos tomaram cinco cartões cada.

Uma parte dos cartões recebidos por Luciano estão atrelados a reclamação. Desta forma, para o torneio da Sul-Americana, a torcida espera que o time segure os ânimos, já que os times de fora do Brasil, costumam jogar a competição provocando os adversários. Por esse motivo, não cair nas armadilhas psicológicas é fundamental para evitar que o número de cartões continue a subir.

Flu Sub-17 ganha mais uma no Brasileirão

Crédito: Mailson Santana / FFC

O grupo A do Campeonato Brasileiro Sub-17 está bastante acirrado. O Fluminense venceu mais uma partida e soma 13 pontos, assumindo a segunda colocação. O primeiro lugar pertence ao Palmeiras, que também tem 13 pontos, porém lidera em saldo de gols. A vitória tricolor foi em cima da Ponte Preta, jogando fora de casa por 2 a 1.

Jogando hoje (23), Palmeiras pega o terceiro colocado, Athletico Paranaense. Caso ocorra uma vitória Alviverde, o time de São Paulo dispara na liderança. Porém, se o time do Sul ganhar ou empatar, o Fluminense volta para a terceira colocação, já que o Athletico tem 12 pontos.

No jogo contra a Ponte Preta, o Tricolor começou perdendo, quando sofreu um gol aos 26 minutos do primeiro tempo, anotado por Ryan. Porém, aos 39, Metinho, camisa 8, deixou tudo igual. Aos 10 minutos do segundo tempo, Matheus Martins, que entrou no lugar de Kaká deu números finais a partida garantindo assim a quarta vitória do Fluzão.

O próximo compromisso do Flu será na próxima quinta-feira (30) contra o Cruzeiro, às 16h. A partida está marcada para Los Larios, em Caxias.

Flu Sub-17 joga nesta quarta contra Ponte Preta

Crédito: Mailson Santana / FFC

O Fluminense começou bem o Campeonato Brasileiro Sub-17. A campanha até agora é de três vitórias, um empate e uma derrota. Com os resultados, o Tricolor está em terceiro lugar com 10 pontos. Nesta quarta-feira (22) às 15h joga contra a Ponte Preta em busca da quarta vitória no torneio.

O Brasileiro Sub-17 é dividido em dois grupos de 10 times cada. O Fluminense faz parte do grupo A e o Palmeiras é o líder com 13 pontos, inclusive o Tricolor já enfrentou o time paulista é a partida terminou 0 a 0 em jogo realizado em São Paulo.

O adversário do Fluminense na sexta rodada ocupa a nona posição no grupo. A Ponte venceu apenas uma partida e perdeu outras quatro até agora no torneio.

O Tricolor tem apresentado uma consistência defensiva ao longo do torneio. É o time com melhor aproveitamento defensivo, tomou apenas três gols ao lado do Palmeiras. Porém, o ataque está deixando a desejar. Foram apenas quatro gols em cinco rodadas até agora.

Fluminense seleciona 24 atletas para próxima fase de peneira

Crédito: Divulgação

Após a primeira fase da tradicional peneira realizada pelo Fluminense, o clube selecionou 24 jovens para participar da segunda fase, o Grupo de Adaptação. Os testes são com jogadores sub-11, sub-13, sub-15 e sub-17. Ao todo, cerca de 200 atletas participaram da primeira etapa da peneira.

Na próxima terça-feira (28), os 24 atletas terão que se apresentar no CT Vale das Laranjeiras às 10h para verificação da documentação e nova data de treinos. Com isso, os jovens passarão por avaliação dos coordenadores técnicos e das comissões técnicas antes de serem integrados de vez como jogadores de Xerém.

Confira os aprovados na peneira:

Sub-11:

Davi de Souza Costa 2008

Kayo Rodrigues Gaeta 2008

Pedro Bastos Silvestre 2008

Lucas de Mello Brinol 2008

Claudio de Jesus Pereira 2008

Nathan de Castro Marins 2009

Philipe Castro Thurler 2009

Sub-13:

Arthur Carvalho Fontes 2006

Gabriel Leone Augusto 2007

Enzo Monteiro de Carvalho 2007

Jhonatan Cassimiro Amancio 2007

Daniel Melo de Faria 2007

Sub-15:

Igor Vinicius Ribeiro de Goes 2004

Kaíque Menezes Goncalves 2004

Caíque da Silva Magalhães 2005

Sub-17:

Yago José Godoy de Andrade 2002

Wendel Mezack dos Santos Ferreira 2002

Renan Pereira Nascimento 2002

Renan Soares da Silva 2002

Salles Ricardo Freitas Dias 2003

Thiago dos Santos Ferreira 2003

Goleiros:

Pedro Augusto Aguera Gomes 2002

Kauã da Conceição Fernandes Mendonça 2006

Cristian Andrade Barbosa 2007

Opinião: Hora de abraçar o time

Crédito: Divulgação

A torcida Tricolor vem sofrendo, desde 2012, com a falta de motivos para sorrir. Após ganhar o Tetra Brasileiro, o clube entrou em um declínio onde passou a fazer figuração nos torneios. Tirando alguns bons momentos, a realidade passou a ser a fuga do rebaixamento, salários atrasados, time sem padrão de jogo definido e o esvaziamento dos jogos por parte dos torcedores.

Em todo cenário de crise e problemas, é fácil encontrar os responsáveis e fazer acusações. Esse lugar comum está posto, sendo evidente os problemas nos últimos anos. Porém, encontrar as soluções que é difícil.

Ainda sem conseguir se firmar financeiramente, todos podem fazer um pouco para ajudar o Fluminense a sair dessa situação. O padrão de jogo foi encontrado no comando de Fernando Diniz. Ganhando ou perdendo, todos reconhecem o estilo do time. Você olha para o jogo e sabe a forma que o Flu vai jogar. Isso é importante para tentar não continuar na sina de participar do Campeonato Brasileiro para fugir do rebaixamento e avançar. Quem sabe uma vaga na Libertadores? Ganhar a Sul-Americana ou a Copa do Brasil…

Quando o time encontra seu padrão de jogo e os resultados começam a sair, entra a função da torcida. Abraçar a equipe é de grande importância para fazer a engrenagem da máquina Tricolor funcionar.

Mosaico da torcida Tricolor!

Com o time se esforçando e ganhando jogos de equipes apontadas como melhores, caso esse do Cruzeiro, a torcida tem que comprar a ideia que ela precisa ocupar o seu lugar. Isso influência outra questão. Sem patrocínio principal, a bilheteria passa a ter grande relevância na geração de receita. Fazer o Maracanã dar lucro, não é fácil. Porém, um público de 30 mil sempre dará lucro. Pode não ser muito, mas já ajuda um clube com tantos problemas financeiros.

Após tantos anos sem dar gosto de ver uma partida bem jogada pelo Fluminense, Diniz conseguiu resgatar isso com seu estilo de jogo. Futebol jogado com a bola no pé. Se a torcida comprar essa ideia, provavelmente o time irá evoluir mais rápido com a confiança. Pedro, João Pedro, Marcos Paulo, além é claro do Ganso, Luciano, Yony, Allan, Gilberto, Matheus Ferraz e Nino. O elenco do Tricolor, no papel, pode não ser dos melhores, mas tem jogado o seu melhor, vamos abraçar esse time!

Top