Samuel Xavier destaca parceria com Calegari: “A gente se ajuda muito”

Um dos reforços contratados pelo Fluminense para a temporada, Samuel Xavier chegou ao clube e encontrou mais do que um concorrente por uma vaga na lateral-direita. Calegari se tornou um parceiro, com quem troca aprendizados a cada treino e jogo. Mais experiente, o camisa 2, aos 31 anos e 12 anos mais velho que o companheiro, tem sido titular e feito grandes jogos pelo Tricolor, mas atribuiu os méritos ao convívio com o jovem jogador revelado em Xerém.

“A gente conversa bastante e se ajuda muito. Quando ele joga, eu procuro observar de fora e passar para ele algumas orientações, e o mesmo aconteceu quando eu jogo. Aprendo muito com ele, por mais que eu seja mais experiente e mais velho. É bom não ter essa vaidade dentro do time. A gente sabe que no futebol isso às vezes acontece, mas a gente prega muito respeito um com o outro e isso está sendo muito bom. Assim ele me ajuda e eu ajudo ele”, destacou o jogador.

Apesar de derrota, Roger enaltece classificação do Fluminense e elogia time

Em coletiva, técnico disse que equipe “não entrou para se defender” e viu pressão no fim “mais por ímpeto do adversário”. Apesar de derrota, Flu avançou às oitavas da Copa do Brasil

– É só um início de trabalho. Eles já têm um conhecimento tático e estratégico do modelo da equipe para tomarem as melhores decisões em campo. Há uma franca evolução no processo. Agora, tem onde evoluir. Se vamos conseguir nos mantermos próximos dos primeiros no Brasileiro para tentar conquistar o título, ou na Libertadores e Copa do Brasil chegando com força, possibilidades de conquistas importantes… – declarou o técnico tricolor.

– Sei que tem bastante margem para evolução. Mas vai haver passos atrás e passos adiante. Em comparação com o Bragantino, que tem um trabalho de dois anos, por isso tem esse tipo de jogo, o conhecimento dos atletas do modelo. Estou muito entusiasmado com o começo, sobretudo com a compreensão dos atletas. Hoje eles compreendem o sistema, e isso faz com que possam tomar as melhores decisões.

Foto: LUCAS MERÇON / FLUMINENSE F.C.

Atual campeão, Flu conhece adversários do Brasileiro Feminino Sub-18

Nesta segunda-feira (7), as Guerreiras do Fluzão conheceram suas adversárias no Campeonato Brasileiro Feminino Sub-18 2021, após sorteio realizado pela Diretoria de Competições da CBF, que definiu os seis grupos da competição. O Fluminense integra o grupo A, ao lado de Flamengo, Cuiabá e Minas Brasília.

O treinador Filipe Torres relembrou o título do Campeonato Brasileiro sub-18 em 2020 e falou sobre a nova geração de atletas da equipe.

“Seguimos trabalhando a base feminina do Fluminense. Após o título do sub-18, novamente estamos formando uma nova geração de atletas que são sub-16, e que darão frutos, assim como foi no título do Brasileiro sub-18 da edição 2020”.

A competição está prevista para iniciar em julho e terá 24 equipes divididas em seis grupos de quatro times. Informações sobre o campeonato, assim como a tabela de jogos, ainda serão divulgadas pela CBF.

Confira os grupos:

* Grupo A: Fluminense, Flamengo, Cuiabá e Minas Brasília

* Grupo B: Internacional, Sport, América MG e Athletico-PR

* Grupo C: São Paulo, Vitória, Grêmio e Iranduba (AM)

* Grupo D: Santos, Atlético-MG, Ceará e Audax (SP)

* Grupo E: Ferroviária (SP), Chapecoense, Atlético-GO e Juventude

* Grupo F: Avaí/Kindermann, Fortaleza, Corinthians e Bahia

“Acho que fomos muito grupo, e isso fez toda a diferença”, autoras dos gols da partida comentam a classificação no Brasileiro Feminino A2

No último domingo (6), as Guerreiras de Xerém venceram o Sport por 4 a 2, em Laranjeiras, e conquistaram a vaga para as oitavas de final do Campeonato Brasileiro Feminino A2 de forma antecipada. Os gols da partida foram marcados pela atacante Rayane Arruda, a lateral Jéssica Bahia, a zagueira Tarciane e a meia-atacante Lene França. As atletas falaram sobre a vitória e destacaram a união do grupo.

Rayane Arruda abriu o placar em Laranjeiras aos 15 minutos do primeiro tempo. A atacante recebeu a bola de Lelê, driblou a goleira e marcou um belo gol.

“Acho que fomos muito grupo, e isso fez toda a diferença. Abrimos o placar e logo levamos uma virada que não estávamos esperando, mas estudamos o time do Sport, e sabíamos que não podíamos dormir. Acho que a palavra que resume o jogo é perseverança. Corremos atrás para reverter o resultado. A classificação foi reflexo de tudo o que trabalhamos para não depender de ninguém, apenas de nós”.

” É muito fruto do trabalho do professor Roger”, Yago elogia trabalho de Roger

Na saída do campo, o jogador tricolor fez questão de ressaltar a evolução da equipe, que conquistou o primeiro triunfo no Campeonato Brasileiro depois de empatar sem gols na estreia com o São Paulo.

– É muito fruto do trabalho do professor Roger. Ele nos dá essa liberdade para os jogadores do meio de campo, para estarem chegando, para estarem ajudando. E eu fico muito feliz em crescer junto com a equipe. Acho que temos que evoluir em cada oportunidade. Temos que pensar alto – disse o jogador.

FOTO: LUCAS MERÇON / FLUMINENSE F.C

Fluminense vence a primeira no Estadual Sub-22 de basquete

O Fluminense conquistou neste domingo (06/06) sua primeira vitória no Campeonato Estadual Sub-22 de basquete. A equipe comandada pelo técnico Ricardinho derrotou o Instituto Nautt’ilus por 96 a 51 no Ginásio João Coelho Netto, em Laranjeiras, em jogo válido pela terceira rodada da competição.

A equipe Tricolor volta à quadra no próximo sábado (11/06), quando enfrenta o Niterói Basquete Clube, às 19h, no Clube Português de Niterói.

“As correções são feitas através do feedback do visual do vídeo”, Roger comenta sobre análise do trabalho

Após vitória sobre Cuiabá, Roger comenta sobre análise de trabalho, confira:

– Primeiro foi muito importante chegar no clube e pegar uma base muito bem formada do ano anterior com o Marcão e o Ailton. E começar a incluir gradativamente alguns conceitos através da metodologia de treino que gostaríamos de ver. Hoje eu consigo enxergar os conceitos principalmente em algumas fases do jogo, principalmente na de defender e atacar. Os princípios macros do jogo, quem ataca, como são as transições, encaixes para marcar, estrutura que adota, linha que vamos marcar. Isso tudo foi gradativamente. Foi pouco treino. – declarou o treinador.

Além disso, também comentou sobre a preparação da partida deste domingo:

– As correções são feitas através do feedback do visual do vídeo. Hoje mesmo a palestra foi parte da amostragem do nosso último jogo, o que fizemos de consistente. E o que precisávamos melhorar pontualmente para o jogo de hoje. Não é o ideal, mas como o grupo está assimilando o trabalho, conseguimos manter. Mas em algum momento vamos precisar de uma semana aberta. No momento é o que temos e estamos conseguindo evoluir assim.

“Um jogo difícil, em um horário ruim” Roger critica horário da partida de Flu e Cuiabá

Em coletiva após vitória por 1 a 0 em São Januário, treinador reclama de condições em partida às 11h, confira

– Um jogo difícil, em um horário ruim, que o adversário está mais habituado que nós a jogar. Às vezes me parece que o futebol brasileiro pensa que está em Londres. No inverno de Londres jogando às 11h da manhã. Uma coisa é você jogar às 11h da manhã em Santa Catarina, no Paraná, no Rio Grande do Sul, no inverno – reclamou Roger.

FOTO: LUCAS MERÇON / FLUMINENSE F.C.

Relembre título do Fluminense na Copa do Brasil de 2007

Em 6 de junho de 2007, o Fluminense venceu pela primeira vez a Copa do Brasil, o que deu fim a um jejum de 23 anos sem conquistas nacionais. O clube decidiu o título com o Figueirense, depois de ter eliminado ADESG, América-RN, Bahia, Athlético-PR e Brasiliense.

O jogo de ida da final, realizado no Maracanã, na semana anterior, acabou sem vencedor. O placar de 1 a 1 levou a definição do campeão para o duelo de volta, no Orlando Scarpelli. Roger Machado marcou o gol do triunfo por 1 a 0, logo aos 3 minutos. Substituto do zagueiro Luiz Alberto, lesionado, ele descobriu somente na véspera do confronto que seria escalado.

Hoje comandante do Time de Guerreiros, o ex-jogador recebeu de Adriano Magrão e, dentro da área, dominou a bola no peito e balançou a rede. Para levar a taça para Laranjeiras, porém, a equipe precisou se apoiar nos 2 mil tricolores presentes ao estádio e resistir à pressão do adversário diante de casa cheia.

Com Thiago Silva, Thiago Neves, Carlos Alberto, Alex Dias e Adriano Magrão entre os principais personagens, o Flu construiu a campanha que rendeu a Renato Gaúcho seu primeiro troféu como técnico. Foram seis vitórias, cinco empates e uma derrota, além de 22 gols marcados e 11 sofridos.

Em live na FluTV, Mário reconhece chance de título da Libertadores

Diretamente da sede de Laranjeiras, terça-feira, a FluTV acompanhou o sorteio das oitavas de final da Libertadores. No comando da live, Alexandre Araújo recebeu o comentarista Phill e o presidente Mário Bittencourt. No início do programa, o Fluminense prestou uma homenagem ao narrador Januário de Oliveira, que morreu no dia anterior.

Na primeira rodada do mata-mata, o Time de Guerreiros enfrentará o Cerro Porteño, nos dias 13 e 20 de julho, decidindo em casa seu futuro no torneio. “Entramos para ser campeões. Temos chance e sabemos. Mas o Fluminense precisa passar a frequentar a Libertadores. É uma das filosofias da gestão. Temos que nos orgulhar de disputar a competição e voltar no ano que vem”, declarou Mário.

“Todos os clubes enfrentam dificuldades em razão dos problemas que vivemos no mundo. É uma competição árdua e difícil. Ao mesmo tempo, temos uma série de outros percalços. Mas quem quer ser campeão, não pode escolher adversário nem se preocupar com essas coisas. Em uma competição deste nível, temos que estar preparados para o que vier, ainda mais em uma época de pandemia. E nós estamos. Pode ter certeza”, completou.