fbpx

Opinião – O time que não faz gol x o time que não toma gol: O que esperar do Flu de Odair Hellmann na final da Taça Rio?

Foto: Lucas Merçon/FFC

Pois é, galera. Jogando bem ou jogando mal, estamos na final. Já aviso logo de cara que é um texto opinativo e qualquer um pode discordar – de preferência sem xingar. O texto começa com uma tentativa falha de rima visando aliviar a tensão que o futebol do Fluminense nos proporciona a cada jogo.

O Campeonato Carioca é o único estadual do país com bola rolando em tempos de pandemia. O Fluminense, junto com o Botafogo, tentou até onde pôde adiar o retorno da competição. Olha, cá entre nós, seria bom pra gente. O futebol apresentado é de sangrar os olhos. Sem padrão tático, previsível e sem poderio ofensivo, o tricolor soma mais de 270 minutos sem marcar gols nesse retorno.

A volta foi contra o Volta Redonda, provavelmente o melhor dos times pequenos. Logo no início já deu pra ver que teríamos sérios problemas. Gol sofrido cedo, expulsão inexplicável do Egídio, derrota humilhante para o time da Cidade do Aço. Aproveito pra questionar algo: como o Egídio não foi punido por uma entrada tão imprudente? Imagino que seja difícil fazer isso devendo dois meses de salários (ou mais).

Passado o vexame diante do Volta Redonda na reestreia do ídolo Fred, o tricolor teve a chance de se redimir diante de um fraquíssimo Macaé. Eliminado, com um time totalmente desfigurado após a parada do futebol, o Macaé segurou o Fluminense e não tomou um gol durante os 90 minutos. O pior quase aconteceu nos acréscimos. Esse mesmo Macaé havia perdido para o Vasco por 3×1 antes de empatar com o time de Odair Hellmann.

Agora que mencionei o nome desse tal técnico, chegou a hora de falar mais sobre o mediano trabalho em números e péssimo em desempenho. Odair não entrega um Fluminense competitivo. Tem torcedor que não aceita ouvir ou ler isso, mas é uma verdade, uma opinião sincera. Quem lembra da eliminação vexatória na primeira fase da Sul-Americana? Eu me recordo bem. O gigante Fluminense não pode JAMAIS ter atuações tão previsíveis e medrosas contra um time inexpressivo, sem torcida e com uma importância ínfima no futebol. O Flu de Odair nos proporcionou essa vergonha. Adivinhem a desculpa apresentada? Início de trabalho, poucos treinos, time em construção, blá blá blá…

Após a triste eliminação, a torcida deu um voto de confiança para o time. Sei lá, vai que era um ponto fora da curva. Não, não era. Seguiu enganando com bons números no estadual – em jogos de pouca exigência, obviamente. O auge foi um 3×0 contra o já eliminado Botafogo. Ah, ganhamos também os sub-20 de Flamengo e Vasco. Tem tricolor que enche a boca pra falar isso. Menos, galera, bem menos.

Reclamando pela falta de tempo para treinos nesse retorno, Odair usa esse argumento para as fracas atuações no retorno. São três jogos e ZERO gols marcados e poucas chances criadas. Se a desculpa é o tempo de trabalho, como explicar a atuação pífia diante do Figueirense antes da pandemia? Perdemos para um time que beirou à falência no ano passado. Temos obrigação de reverter o resultado no jogo da volta pela Copa do Brasil.

Vamos finalmente ao que interessa: o que esperar do Fluminense de Odair contra o Flamengo? Eu espero no mínimo um time que queira jogar. Se entrar com medo, na retranca, será engolido. A desculpa já sabemos que o técnico tem pronta. Ontem vimos um time com três volantes, com alguns lampejos de futebol e outros de um time sem criação. O técnico ainda não encontrou o armador desse time. Nenê abre muito o jogo e Ganso não corresponde. Diante disso, como explicar Miguel fora até do banco?

Dodi mostrou para todos que ele é o melhor volante da equipe, mas ficava esquecido sei lá por qual motivo. Que tal tirar o lento Hudson e voltar com Marcos Paulo? Assim o time ganha variedade de jogadas ofensivas e segue com meio campo combativo com Yago e Dodi na marcação.

Odair Hellmann, só te peço uma coisa. Faça o time jogar bola. Quer uma dica? Basta você assistir os dois jogos do seu Internacional contra eles na libertadores do ano passado. Depois de assistir, treine o time para fazer o OPOSTO daquilo.

Vence o Fluminense.

Rodrigo Machado

Titulares, Nenê e Wellington Silva não aparecem em fotos e escalação para duelo com o Volta Redonda é incógnita

Foto: Divulgação / FFC

O Fluminense voltou aos treinos na última sexta-feira, 19, visando o retorno (indesejado) do Campeonato Carioca. Desde então, o clube posta fotos diariamente dos atletas na preparação. Alguns atletas não aparecem e deixam dúvidas sobre quem é o jogador que testou positivo para o novo coronavírus. Nomes como Nenê, Wellington Silva e Miguel não foram vistos nas imagens; Orinho também não aparece, mas pode ser que o motivo seja a proximidade do fim do contrato.

Após lutar na justiça para voltar a atuar apenas em julho, o Fluminense acatou a decisão do STJD e entrará em campo no próximo domingo, 28 de junho, às 19h, contra o Volta Redonda.

Nenê e Wellington Silva eram titulares antes da pandemia. Não se sabe se os atletas estão participando normalmente dos treinos, mas também não é possível afirmar a ausência deles. Tudo isso pode ficar mais claro nos próximos dias. Ganso, que não foi fotografado no início, passou a ter sua imagem divulgada com frequência pelo clube. O meia é o substituto provável de Nenê; caso o atacante Wellington Silva seja desfalque, o peruano Fernando Pacheco deve ser o escolhido.

Gratidão! Thiago Silva vira sócio-torcedor do Fluminense junto com toda a família

Foto: Divulgação FFC

A torcida tricolor recebe mais uma boa notícia durante a paralisação. Ídolo tricolor, o zagueiro Thiago Silva acaba de se tornar sócio-torcedor do Fluminense junto com toda a família.

Foto: Divulgação FFC

O jogador do PSG pousou para foto segurando o novo uniforme tricolor com seu nome e o número que o consagrou. O monstro mexe com os corações tricolores com a possibilidade de seu retorno. A notícia vem à toa justamente no dia que foi divulgado o interesse do Everton-ING no zagueiro.

Thiago Silva já mostrou em várias oportunidades gratidão ao Fluminense. O atleta assiste os jogos da equipe, torce muito e sua esposa postava alguns vídeos na internet. A torcida tricolor segue esperançosa quanto a decisão do monstro. Ficar na Europa ou voltar para o clube que o projetou para o mundo? A resposta sairá em breve.

Fred sobre pandemia: Fluminense está dando exemplo

Foto: transmissão TV Globo

O atacante Fred, de volta ao Fluminense, participa da transmissão da TV Globo do jogo do tetracampeonato do Fluminense. O ídolo demonstra sua satisfação em retornar ao clube e opina sobre os problemas que a pandemia têm causado.

Participando da transmissão dentro de casa, Fred pediu a palavra para elogiar o comportamento do Fluminense nessa pandemia. O artilheiro disse que o “Fluminense está dando exemplo”, citando os eventos organizados para arrecadar alimentos e dinheiro para pagar os salários dos funcionários mais necessitados.

O Fluminense, por meio de sua diretoria, se mostra contra ao retorno do futebol nesse momento. O presidente Mário Bittencourt entende que o mais indicado é seguir às orientações da Organização Mundial da Saúde.

Fluminense é condenado pela Justiça por ação de argentino que atuou apenas duas vezes pelo clube

Foto: Mailson Santana / FFC

O Fluminense sofreu uma derrota no Tribunal Regional do Trabalho da 1° Região do Rio de Janeiro em ação movida pelo argentino Claudio Aquino, que atuou pelo tricolor em 2016 e hoje defende o Cerro Porteño, do Paraguai. A decisão foi divulgada na última sexta-feira pela juíza Cristina Almeida de Oliveira, da 31° Vara do Trabalho.

O atleta entrou com a ação em janeiro de 2019 cobrando o valor de R$ 1.260.077,15. A magistrada não acatou todos os pedidos do argentino. O valor da indenização será definido posteriormente.

As partes podem recorrer da decisão. Por conta da pandemia do novo coronavírus, os prazos estão suspensos. O Fluminense deve se manifestar sobre o assunto assim que retornar às atividades.

Claudio Aquino chegou ao Fluminense por em empréstimo de um ano, vindo do Independiente, da Argentina, em julho de 2016, ainda na gestão Peter Siemsen. Atuou apenas duas vezes pelo clube e não deixou saudades.

Fluminense reage, mas estreia com derrota para o São Paulo no Brasileiro sub-17

Foto: globoesporte.com

O Fluminense começou mal o Campeonato Brasileiro sub-17. A garotada de Xerém tentou, mas sucumbiu diante do São Paulo fora de casa. O time paulista abriu 2×0, o Fluminense empatou ainda na primeira etapa. Após o intervalo os paulistas voltaram mais ligados e ampliaram a vantagem para 4×2. O tricolor carioca diminuiu no último lance do jogo e o duelo terminou 4×3. Os gols do Fluminense foram marcados por Kayky, Matheus Martins e Daniel.

A garotada volta a campo na próxima quarta-feira para enfrentar o Goiás, às 15h, nas Laranjeiras. O Brasileiro sub-17 é dividido em dois grupos com dez times, todas as equipes do grupo se enfrentam e quatro avançam para próxima fase. Com a derrota na estreia, o tricolor ocupa a sétima colocação.

Com Egídio poupado, Orinho assume a titularidade contra o Resende

Foto: Lucas Merçon/FFC

O técnico Odair Hellmann resolveu dar um descanso para o lateral-esquerdo Egídio. Visando o jogo de ida pela terceira fase na Copa do Brasil, o jogador sequer foi relacionado para a partida contra o Resende.

Com a ausência de Egídio, a tendência é que Orinho seja titular novamente. O atleta não anda muito prestigiado com a torcida e vê nesse jogo uma oportunidade única de mudar o cenário.

Orinho: “É um jogo muito importante para mim, levo como mais uma oportunidade para a minha vida. Expectativa de poder voltar a atuar e a ajudar a equipe.”

Egídio tem tido boas atuações desde que chegou o Fluminense e é titular incontestável da lateral-esquerda. Orinho não foi bem quando atuou, isso causou certa estranheza com o empréstimo de Marcarenhas. O jogo contra o Resende pode até ser visto como apenas mais um duelo da Taça Rio, mas para alguns jogadores do Fluminense será a chance de provar que merecem continuar no elenco.

O Fluminense enfrenta o Resende hoje às 18h, no Maracanã, pela segunda rodada da Taça Rio. A equipe estreou com a goleada de 5×1 diante do Madureira e tenta manter os 100% na competição.

Nova dupla de volantes agrada, e Odair elogia Hudson e Yago Felipe: “Foram realmente muito bem”

Foto: André Durão

Em busca da formação ideal, Odair Hellmann apostou na dupla que foi bem na segunda etapa da goleada contra o Madureira. Hudson e Yago Felipe tiveram boas atuações novamente e ajudaram a equipe a sair com a classificação na Copa do Brasil.

Após muitas críticas da torcida por insistir em Yuri e Henrique, dois volantes que não chegam muito ao ataque, o treinador colocou Yago e Hudson – ambos tem por característica a chegada ao ataque, além da marcação. O time apresentou evolução com a dupla e mais opções no ataque.

Odair aproveitou para elogiar a dupla após a vitória:

– Hudson e Yago foram muito bem dentro da nossa proposta. Foram realmente muito bem. Conseguiram dar boa dinâmica, e não só dinâmica, mas dar sustentação para gente não tomar contra-ataque – destacou Odair.

Fluminense acorda no segundo tempo, vence o Botafogo-PB, e avança na Copa do Brasil

Foto: André Durão

O Fluminense está classificado para terceira fase da Copa do Brasil. O tricolor venceu o Botafogo-PB por 2×0, gols de Marcos Paulo e Nenê, e agora vai enfrentar o Figueirense em dois jogos.

O jogo começou com o Fluminense em cima, criando chances, mas demonstrando dificuldade em penetrar na defesa do time visitante. A primeira etapa teve bola na trave de Gilberto após cruzamento de Yago Felipe e grande chance perdida por Wellington Silva na grande área. O atacante por sinal teve atuação apagada e foi sacado no intervalo. Os pouco mais de 12 mil presentes vaiaram o time após o fim do primeiro tempo. A atuação ligava o alerta.

Sabendo da necessidade de se classificar, o Fluminense voltou mais ligado na segunda etapa e pressionou os paraibanos até conseguir abrir o placar. A pressão surtiu efeito e o gol saiu logo aos seis minutos. Gilberto fez grande jogada e deixou para Marcos Paulo abrir o placar.

O Fluminense continuou controlando o jogo e contou com um pênalti duvidoso em Gilberto (um dos melhores em campo) para ampliar o marcador. Aos 24, o lateral foi puxado pelo atacante Lohan durante cobrança de escanteio. O juiz considerou o lance faltoso e marcou o pênalti para o Fluminense. Nenê, sempre ele, fez 2×0.

O time continou perdendo chances, Muriel fez duas boas defesas e o placar terminou 2×0. Vaga garantida, cerca de R$ 1,5 milhão nos cofres e a equipe demonstrou evolução. Nas duas próximas semanas o adversário será o Figueirense, reeditando a final da Copa do Brasil de 2007.

O Fluminense volta a campo no próximo domingo diante do Resende pelo Campeonato Carioca, às 18h, no Maracanã.

Deixou saudade? Ex-Flu, Airton acerta com o Amazonas FC

Foto: Lucas Merçon

O ex-volante do Fluminense vai disputar o Campeonato Amazonense. O atleta acertou com o Amazonas FC, segundo a asssessoria do próprio clube.

O Amazonas FC afirma que o jogador já está com contrato assinado e, de acordo com o clube, a expectativa é de que Airton já esteja em campo na próxima quinta contra o Fast, às 20h30, na Arena da Amazônia, na abertura do segundo turno do Campeonato Amazonense.

Airton não deixou saudades na torcida tricolor e deixou o clube no fim de 2019. O volante vai jogar com o atacante Maikon Leite. O Amazonas FC foi fundado em 2019 e possui apenas 14 jogos em sua história, com 10 vitórias, 3 empates e uma derrota.

Top