Ganhar FlaxFlu é normal! Com show de John Kennedy, Fluminense vence o clássico e cola no G-6 do Brasileiro


O Fluminense deu mais um passo importante na luta por uma vaga na Libertadores 2022. Com show de John Kennedy e golaço de Abel Hernandez, o tricolor venceu o Flamengo por 3 a 1, chegou aos 39 pontos e está apenas um ponto do Internacional, atual sexto colocado.

A primeira etapa começou com um Fluminense muito reativo, esperando o adversário e bem mais preocupado em se defender do que atacar. A situação melhorou aos 17, John Kennedy aproveitou cruzamento de Marlon e teve agilidade pra aproveitar o rebote e abrir o placar, Fluminense 1×0. Pouco tempo com a bola, mas com poder de decisão.


O time voltou do intervalo ainda mais recuado e o gol de empate parecia questão de tempo. Parecia. O carrasco está do nosso lado. Novamente ele, John Kennedy decidiu. Aos 16, Luiz Henrique dominou a bola com maestria, limpou Renê e deu cruzamento preciso para John Kennedy ampliar. Flu 2×0 e o Maraca em festa.


O adversário até diminou com um gol cagado de Renê e colocou fogo no jogo. Marcão mexeu no time em busca de sangue novo. Um dos que entraram dediciu. Abel Hernández fez um golaço e selou o resultado. Aos gritos de “O Renato é tricolor” e “Time de Guerreiros”, o Fluminense se consolidou na parte de cima da tabela.
O tricolor volta a campo na próxima quarta-feira, contra o Santos, às 19h, na Vila Belmiro. Com 39 pontos, o Fluminense se mantém na oitava posição.


foto Lucas Merçon Flick Fluminense Football Club.

Sonolento, Fluminense não sai do zero com o Atlético Goianense e perde chance de encostar no G-6 do Brasileiro

Foto: GE

Após a atuação pífia contra o Fortaleza na volta da torcida ao Maracanã, o Fluminense não cumpriu a mudança prometida pelo técnico Marcão e apenas empatou contra o Atlético Goianiense no Maracanã.

O Fluminense teve mais uma oportunidade de oferecer um momento de alegria para sua torcida, mas decepcionou. O time entrou em campo com uma única mudança em relação a derrota para o Fortaleza, Samuel Xavier titular na vaga de Calegari. A primeira etapa foi terrível e o time não acertou uma bola no gol.

A segunda etapa já indicava um jogo diferente. Jhon Arias entrou no intervalo e mostrou que não faz sentido ser reserva nesse time pelo simples fato de ter ido no enterro da vó e o técnico não soube o que fazer na sua volta. O jogo ganhava contornos dramáticos, a torcida impaciente vaiava muito o lateral Danilo Barcelos. Marcão lançou John Kennedy na vaga de Caio Paulista e o garoto quase abriu o placar no primeiro lance. O time goiano teve gol anulado pelo var. No fim do jogo, o tricolor perdeu chances claras em sequência, a última com o grande Lucca. Resultado normal para um time deprimente.

Agora o Fluminense tem a missão de vencer o Corinthians fora de casa, às 21h, na próxima quarta-feira. O tricolor soma 33 pontos e ocupa a nona colocação no Campeonato Brasileiro.

Fluminense perde mais uma vez para o Atlético Mineiro e dá adeus a Copa do Brasil

Foto: GE

Se a estratégia era não tomar gol na primeira etapa, o Flu teve êxito. Agora se a ideia era vencer a partida, o resultado foi um fracasso. O Fluminense teve medo de jogar em boa parte do jogo, saiu derrotado mais uma vez e está eliminado da Copa do Brasil.

O Atlético Mineiro começou o jogo com mais posse de bola, mas com dificuldades para furar o bloqueio tricolor. Precisando da vitória, o Fluminense teve duas grandes chances na primeira etapa. Fred parou no goleiro Everson, após cruzamento de Danilo Barcelos. Luiz Henrique perdeu logo depois após falha do goleiro atleticano. O técnico Cuca foi para o intervalo muito insatisfeito com a atuação da equipe, Marcão parecia satisfeito. Triste fim.

O segundo tempo mostrou logo no início que o Galo faria um gol a qualquer momento. Cuca colocou Diego Costa na vaga de Eduardo Vargas. O atacante levou perigo algumas vezes e participou da jogada que terminou em pênalti cometido por Danilo Barcelos, após cruzamento de Mariano, ex-Flu. Pênalti contra o Flu todo mundo já sabe o que acontece, gol do adversário.

Perdendo o jogo e precisando da virada, o treinador Marcão se viu obrigado a assumir o erro e colocar Jhon Arias na vaga do grande Wellington. Infelizmente o medo de vencer custou a classificação. Tricolor eliminado com duas derrotas. Ah, sabe-se lá o motivo, mas Danilo Barcelos novamente jogou os 90 minutos.

Em jogo difícil, Fluminense vence a Chapecoense fora de casa e cola no G-6 do Campeonato Brasileiro

Foto: GE

É impressionante como não existe jogo fácil para o atual Fluminense. O jogo contra a lanterna e virtual rebaixada, Chapecoense, tinha tudo pra ser decidido já no primeiro tempo. O tricolor vencia por 2×0 com menos de 20min de jogo, mas terminou o confronto tomando pressão do único time sem vitórias na série A do Brasileiro.

O tricolor começou muito bem a partida, dominando a posse de bola e conseguiu abrir o o placar logo aos 10 minutos. Luiz Henrique fez grande jogada e Bobadilla fez o primeiro gol do jogo. Aos 18, Luiz Henrique ampliou de cabeça após cobrança de escanteio. Naquele momento parecia se desenhar uma goleada. Ledo engano.

O jogo, que já era feio, ganhou contornos dramáticos na segunda etapa. O time da casa diminuiu com Perotti aos 16, depois disso o tricolor abriu mão totalmente de atacar. Marcão tem participação nessa queda gigantesca de rendimento. Lembrou muito o time do antigo técnico que não quero citar o nome. Foi um desastre.

Para complicar tudo, o treinador tentou dar sangue novo ao time com jogadores lentos: Abel Hernández, Nenê e Wellington; Nonato também entrou no jogo. O lado esquerdo virou uma avenida com Danilo Barcelos cansado. O tricolor terminou o jogo com apenas duas finalizações no jogo, felizmente as duas terminaram em gol. Bom resultado, mas atuação deprimente do tricolor das Laranjeiras.

Fluminense sofre empate com gol contra de Lucca e perde a chance de encostar no G6 do Brasileirão

Foto: GE

O Fluminense perdeu uma ótima chance de encostar na parte de cima da tabela e terminar a noite na oitava colocação. Em jogo atrasado da 14° rodada, o tricolor apenas empatou em casa com o Juventude, 1×1.

A primeira etapa teve bons momentos do Fluminense, chances foram desperdiçadas e o time correu poucos riscos. Lucca teve boa chance de abrir o placar logo no início após cruzamento de Egídio, mas parou no goleiro. Jhon Arias tinha ótima movimentação. A questão é que mesmo jogando bem o tricolor não abriu o placar no primeiro tempo.

O tricolor voltou do intervalo disposto a abrir o placar logo e ter mais espaço, conseguiu ter êxito logo cedo. Yago roubou a bola e passou para Arias, o colombiano tabelou com Fred, saiu na cara do gol e tirou do goleiro. Um golaço. Flu na frente, 1×0. O jogo ficou aberto e Samuel Xavier perdeu chance inacreditável após uma troca de passes sensacional. O time visitante também perdia chances claras e teve um gol anulado, mas o empate saiu de forma bizarra: Lucca, ele mesmo, cabeceou contra a própria meta e fez um golaço, só que contra.

Precisando da vitória, Marcão mexeu três vezes assim que tomou o gol. A atitude lembra muito o técnico anterior, que costumava mexer só quando tomava o gol. As substituições não foram criativas e a equipe não conseguiu sair com a vitória. Péssimo resultado. Empate em casa com o Juventude.

O tricolor volta a campo na próxima terça contra a Chapecoense, fora de casa, pela última rodada do primeiro turno. O tricolor soma 22 pontos e ocupa a 11° posição.

Titular absoluto, Egídio errou todos os lançamentos e cruzamentos na derrota do Fluminense contra o Atlético Mineiro

Foto: Divulgação

Um dos piores em campo, o lateral-esquerdo Egídio teve números bizarros, conforme os dados do Footstats. O lateral errou todos os dez cruzamentos que tentou na partida. Egídio acertou apenas 2 de 32 tentados na Copa do Brasil.

Foto: Footstats

O torcedor do Fluminense já não encontra forças para entender o porquê do lateral-esquerdo Egídio ser titular por tanto tempo. Alguns preferem seguir a linha de raciocínio de que ele é titular porque não tem reserva melhor. Aí fica a pergunta: será que não tem mesmo? Será que Jefté teria erros tão bisonhos como vemos o Egídio cometer jogo após jogo? Será que Marlon, em negociações avançadas com o Fortaleza, seria pior que esse Egídio atual? Não falei do Barcelos por considerar um Egídio 2.0.

Fluminense perde em casa para o Atlético Mineiro e se complica na Copa do Brasil

Foto: GE

O jogo de hoje parecia uma homenagem ao ex-técnico tricolor Roger Machado. Uma equipe apática, previsível e que fez o possível para perder o jogo. Conseguiram. Atlético Mineiro venceu por 2×1, no Engenhão, e agora joga pelo empate em casa para avançar.

A primeira etapa já indicava um jogo disputado, com o Flu tentando anular as principais peças do Galo, mas com muita dificuldade em acertar a marcação. A titularidade do lateral Egídio é caso de justiça. Logo aos 13, em falha de marcação conjunta, Egídio não acompanhou e Nino errou ao fazer o corte, 1×0 Atlético. O empate saiu aos 42 com Fred cobrando pênalti. As falhas continuaram e Hulk fez o gol da vitória no último lance do primeiro tempo.

Após uma atuação deprimente de Luiz Henrique, o técnico Marcão voltou do intervalo com o estreante Jhon Arias. O colombiano foi discreto e o time não mostrou algo para empatar a partida. A melhor chance saiu em cabeçada de Fred, que parou na trave. O time visitante perdeu algumas chances de ampliar o marcador. Fim de jogo, agora o tricolor precisa vencer por dois gols de diferença para se classificar no tempo normal, vitória por um gol de diferença leva a decisão para os pênaltis.

O cenário do tricolor segue preocupante, o time está a dois pontos da zona de rebaixamento no Campeonato Brasileiro e agora tem chances reais de ser eliminado na Copa do Brasil.A próxima partida será contra o Bahia, segunda-feira, às 19h, no Maracanã.

Fluminense leva virada, arranca empate nos acréscimos e precisa vencer no Equador para avançar na Libertadores

Foto: ge

O Fluminense teve mais uma atuação desastrosa sob o comando de Roger Machado. Virou rotina. Após abrir o placar na primeira etapa, o tricolor levou a virada mesmo com um jogador a mais, a sorte foi que deu tempo de arrancar um empate nos acréscimos.

Pressionado pelas péssimas atuações recentes, o Fluminense entrou em campo disposto a ter erro zero. Conseguiu na primeira etapa. O tricolor abriu o placar com Gabriel Teixeira, após falha do zagueiro e goleiro do Barcelona de Guayaquil, que se chocaram e a bola sobrou livre pro menino de Xerém abrir o placar. Um jogo morno, sem chances para os dois lados.

O Fluminense voltou bem para o segundo tempo, já os equatorianos estavam perdidos em campo. Foi aí que o técnico deles mexeu logo aos 5min de jogo e tudo mudou. Com o atacante Preciado indo pra cima de Egídio, o time do Barcelona melhorou muito. Roger Machado fez das suas e se mostrou disposto a perder. Tirou Luiz Henrique, melhor atacante do Flu no jogo, para colocar Lucca. Cazares pediu pra sair. Fred errava tudo que tentava. Fato é que o Flu sofreu o empate no primeiro lance após as substituições. Preciado subiu bem mais que o Martinelli e deixou tudo igual, Luccas Claro e Nino só olharam a bola no lance. Pouco depois, aos 32min, o Flu ficou com um a mais em campo. O técnico demorou a mexer diante desse cenário. Pra piorar, Nino cometeu pênalti e o Barcelona virou a partida com um a menos. O cenário era de eliminação. Por sorte, Abel Hernández sofreu pênalti aos 47min da segunda etapa, Fred empatou o confronto, 2×2.

A verdade é que o empate por 2×2 foi um péssimo resultado. O time equatoriano agora joga por dois empates para se classificar no tempo normal. Pela primeira vez na Libertadores, o Fluminense entra em campo precisando vencer para avançar. Um jogo que não precisava ser dramático se tornou graças à fraqueza que está comandando a equipe.

O jogo da volta será na próxima, às 21h30, em Guayaquil

Em mais uma atuação deprimente, Fluminense perde para o América-MG e fica a três pontos da zona de rebaixamento

Foto: GE

O time que joga pra não perder passou a perder com frequência. O Fluminense acumula três derrotas seguidas no Campeonato Brasileiro e vê zona rebaixamento de perto. Mesmo em 12°, o futebol apresentado e a diferença de três pontos já começam a preocupar. Hoje foi dia de perder para o América Mineiro, que não vencia uma partida há um mês.

A primeira já indicava o que seria o jogo. O adversário parecia bem mais disposto a vencer o jogo, arriscando finalizações e exigindo boas defesas de Marcos Felipe. O Flu ficou no toque improdutivo padrão Roger Machado. O time teve mais uma atuação terrível ofensivamente. Nenê não criou nada, Lucca e Kayky idem, Fred irreconhecível, Egídio torna injustificável defender quem o escala, Samuel Xavier pouco participou do jogo. Fim de primeiro tempo, 0x0, apenas 4 finalizações do Flu, 8 do América.

A torcida pedia mudanças no intervalo, Egídio e Lucca jogavam pro outro time. Roger não mexeu. Time demorou 30min para finalizar outra vez sem perigo. O América Mineiro já tinha aberto o placar com Ademir (que seria titular fácil no Fluminense), após erro de Manoel. Não pode nem cogitar poupar o Nino na Libertadores.

O Fluminense terminou o jogo com Egídio de capitão. Marcos Felipe foi o melhor em campo. Isso diz muito sobre a fase do time. O próximo duelo agora é pela Libertadores, contra o Barcelona de Guayaquil, na próxima quinta, às 21h30, no Maracanã.

Classificado! Fluminense vence o Cerro mais uma vez e avança às quartas de final da Libertadores

Foto: GE

O Fluminense derrotou novamente o Cerro Porteño e vai enfrentar o Barcelona de Guayaquil pelas quartas de final da Libertadores. O tricolor venceu pelo placar mínimo, com gol pênalti marcado pelo atacante Fred.

A vantagem de ida trouxe uma segurança ao Fluminense, que deixou a bola com o Cerro Porteño e finalizou bem menos que o adversário. A atuação deixou os tricolores mais preocupados que empolgados.

O jogo foi morno do início ao fim, mas o gol de Fred aos 24 minutos da primeira etapa aniquilou as chances de virada do time paraguaio. O jogo seguiu e Marcos Felipe salvou o Flu em algumas oportunidades.

O segundo tempo foi a repetição do primeiro. O Cerro não foi para o tudo ou nada, mas finalizou vezes contra 8 do Fluminense. O Flu terminou a partida com menos de 40% de posse de bola. Isso já é um padrão da equipe de Roger Machado.

Vale destacar que em nenhum momento a classificação esteve ameaçada. Agora a batalha será contra o Barcelona de Guayaquil, a primeira partida será na próxima quinta-feira, no Maracanã.