Zagueiro do sub-17, Kevin, assina contrato com o Flu até 2023

O Fluminense assinou na manhã desta segunda-feira (29/11) o contrato profissional do zagueiro Kevin, do Sub-17 do clube. Natural de Valparaíso-GO, o jogador prorrogou seu vínculo com o Tricolor até o final de 2023.

Moleque de Xerém desde os 11 anos de idade, Kevin de Sousa Santana chegou no Fluminense no futsal e após se destacar nas quadras fez a transição para o campo. O jogador é um zagueiro com boa técnica e bom posicionamento.

O Fluminense é um dos poucos clubes do Brasil que tem o futsal totalmente voltado para a formação de jogadores para o futebol de campo. O esporte, celeiro de craques por todo o mundo, é ligado diretamente à diretoria de Xerém e possui grande integração com atletas e profissionais das duas áreas. Atualmente, mais de 100 meninos oriundos do futsal desenvolvem seus talentos no CT Vale das Laranjeiras, em Xerém.

Foto: Divulgação FFC

Mário Bittencourt irá se reunir com dirigentes da CBF nesta segunda, para protestar contra jogo de ontem

O presidente do Fluminense, Mario Bittencourt, se reúne, nesta segunda-feira, com o presidente da comissão de arbitragem da CBF, Alício Pena Júnior, e com o presidente da entidade, Ednaldo Rodrigues, para protestar formalmente contra atuação dos árbitros no jogo com Atlético-MG, ocorrido no último domingo.

A principal crítica do dirigente tricolor recai sobre a marcação do pênalti no 1º tempo por um suposto toque da bola no braço de Marlon. O árbitro de campo não anotou a infração na hora do lance, mas foi chamado pelo VAR, comandado por José Cláudio Rocha Filho, e marcou a penalidade após analisar as imagens. O pênalti foi convertido por Hulk.

Fonte: ge

Com o VAR favorecendo o Atlético, Fluminense até sai na frente mas toma a virada no Mineirão

Vindo de duas vitórias consecutivas, o Fluminense teve um difícil desafio na tarde deste domingo (28/11) e acabou superado pelo líder Atlético-MG por 2 a 1 diante de um Mineirão lotado.

 O Tricolor fez boa partida e chegou a sair na frente com gol de Manoel, de cabeça, mas sofreu a virada com direito a um pênalti muito polêmico assinalado pelo VAR. 

Apesar do resultado da partida válida pela 36ª rodada, o Time de Guerreiros segue muito próximo de garantir uma vaga na Libertadores do ano que vem.

O Fluminense soma 51 pontos na tabela e segue no sétimo lugar, a apenas dois pontos do G-5 do campeonato. A duas rodadas do fim da competição, o time se prepara para mais um desafio fora de casa. 

A equipe do técnico Marcão volta a campo no próximo domingo (05/12), às 16h, quando enfrenta o Bahia na Fonte Nova, em Salvador, em jogo válido pela 37ª rodada. 

Depois, no dia 9/12 (quinta-feira), às 21h30, encerra sua participação no Brasileirão diante de sua torcida no Maracanã, às 21h30, contra a Chapecoense.

Foto: Lucas Merçon 

“Estamos preparados para conseguir um bom resultado”, comenta Samuel Xavier sobre jogo de hoje


Querendo vencer para continuar lutando por uma vaga no G4 da competição, Samuel Xavier comentou sobre a partida de hoje contra o líder do campeonato.

A GENTE VEM DE DUAS VITÓRIAS EM CASA, FORAM SEIS PONTOS QUE NOS AJUDARAM MUITO NA TABELA. AGORA TEMOS UM JOGO DIFÍCIL CONTRA O ATLÉTICO-MG FORA DE CASA, COM ESTÁDIO LOTADO. MAS A GENTE ESTÁ PREPARADO PARA CONSEGUIR UM BOM RESULTADO NO MINEIRÃO”, disse. 

O Fluminense visita o Atlético-MG, neste domingo, às 16hrs, no mineirão. A partida é válida pela 36° rodada do brasileirão.

Foto: Lucas Merçon 

Marcão espera não se abalar com pressão do atlético hoje e comenta: ”Vamos nos entregar muito”


O Fluminense visita o Atlético-MG, neste domingo, às 16hrs, no mineirão. A partida é válida pela 36° rodada do brasileirão.

Querendo vencer para continuar lutando por uma vaga no G4 da competição, Marcão falou sobre a partida de hoje.

UM JOGO DIFICÍLIMO. ELES VÊM DE UMA SEQUÊNCIA MUITO FORTE E VÃO CONTAR COM O APOIO DO SEU TORCEDOR. MAS GENTE VIVE UM BOM MOMENTO TAMBÉM, E VAMOS FAZER O NOSSO JOGO DE MUITA COMPETIÇÃO, MUITA ENTREGA, PARA TRAZER PONTOS IMPORTANTES PARA O RIO”, comentou.

Foto: Lucas Merçon 

“Respeito as críticas”, comente Marcos Felipe sobre não pegar pênalti

Em entrevista coletiva nesta sexta-feira, o arqueiro vibrou com o lance, mas dividiu os méritos com os companheiros e garantiu que o mais importante foi a vitória:

– Graças a Deus, consegui ajudar a equipe em um momento que a gente sofria pressão, após o gol que havíamos feito. Fico feliz mais com o desempenho da equipe como um todo do que propriamente com a defesa. Sou uma parcela pequena e pude ajudar.

Além disso, Marcos Felipe disse respeitar as críticas e que vem trabalhando para aprimorar seu desempenho, principalmente, em defesas de pênalti. Na temporada, foram 16 cobranças adversárias e apenas uma defesa, contra o Boavista, pelo Campeonato Carioca. Na derrota para o Grêmio, no Maracanã, foi Muriel que esteve em campo, mas também não alcançou cobrança de Pinares.

“Aos que ainda tem duvida em relação a minha qualidade, minha capacidade, eu respeito, é a opinião de cada um. O que eu tenho que fazer é trabalhar cada vez mais. Sou um goleiro jovem, de 25 anos, tenho muito o que melhorar e aprimorar. Em relação aos pênaltis, eu trabalho diariamente para tentar ajudar. Estudo os adversários e procuro fazer o meu melhor. Infelizmente, durante essa temporada, eu só consegui pegar um pênalti, mas tenho trabalhado para melhorar e poder aumentar os números”, finalizou.

Fonte: Ge

Wellington vibra com vitória do Flu e desabafa: ”Sempre acreditei no meu futebol”

Um dos atletas mais criticados pela torcida do Flu, o volante Wellington iniciou a partida contra o Internacional como titular, no lugar do suspenso André. Após boa atuação, o jogador desabafou em entrevista concedida ao portal GE.

“Sempre acreditei no meu futebol. Quando pintou o interesse do Fluminense, não pensei duas vezes. É a minha cara. Também sou guerreiro, nada melhor que jogar no Time de Guerreiros. Via as festas que a torcida tricolor fazia nas arquibancadas quando eu era adversário. Era lindo. Ontem, senti na pele o que é ter essa sinergia e sintonia com o time a favor. Foi maravilhoso”, disse ele.

Em seu trigésimo jogo com a camisa tricolor, Wellington foi acionado em meio aos desfalques no setor – além de André, suspenso, Martinelli esteve fora por problemas físicos e Nonato, como pertence ao Inter, só poderia jogar mediante à multa de pouco mais de R$ 500 mil prevista em contrato. O volante, porém, destacou que atuou em outras partidas difíceis e deu conta do recado:

“A sensação foi a de dever cumprido. Desde que cheguei ao Fluminense, não emendei uma sequencia de jogos. Mas tenho uma carreira longa e vitoriosa, sou um cara trabalhador, sei que preciso conquistar meu espaço. Por conhecer muito a minha função, o Marcão confiou em mim para começar jogando em jogos cascudos”, finalizou.

Fonte: Ge

Foto: Lucas Merçon 

De volta ao meio, Calegari faz boa partida e se emociona com o filho

Na véspera da partida contra o Internacional, Calegari foi chamado à sala de Marcão no CT Carlos Castilho. Lá, foi questionado se estava preparado e ouviu que o treinador confiava nele. A “convocação” era para que o Moleque de Xerém voltasse à sua posição de origem e atuasse como volante para suprir a ausência de três desfalques importantes. Ele não titubeou e garantiu que estava preparado. E estava mesmo. Fundamental na vitória por 1 a 0 nesta quarta-feira (24/11), o jovem jogador viveu uma noite que lembrará para sempre, da comunhão com a torcida nas arquibancadas do Maracanã, onde seu nome ecoou, à comemoração com o filho Theo, de apenas um ano.

“Eu falei antes do jogo que a torcida era de extrema importância para a gente, independentemente de a gente estar vencendo, empatando ou perdendo. E a gente decidiu no campo jogar as camisas, o Fred falou com a gente e todo mundo concordou, porque o apoio da torcida foi sem igual, nos ajudou muito nessa vitória, como um 12º jogador dentro de campo. Um sentimento inexplicável. E também quando eu saí do jogo, a torcida cantando meu nome, eu sempre sonhei com isso. Agora é continuar trabalhando para ter isso mais vezes”, disse Calegari, sobre o apoio dos mais 18 mil tricolores que compareceram ao Maracanã:

Desde o último jogo o apoio deles foi imensurável para a vitória. E dentro de campo a gente está focado no jogo, mas com o canto e o apoio deles o sague ferve, o coração ferve e com certeza dá um gás a mais para a gente correr atrás”.

Sem André, suspenso; Martinelli, lesionado; e Nonato, que não pode entrar em campo por força de contrato, Calegari precisou reviver os tempos em que atuava como volante. E mostrou toda sua polivalência.

“Foi uma responsabilidade muito grande substituir o André e o Martinelli, que vêm jogando muito bem. O Marcão me chamou ontem (terça), perguntou se eu estava pronto e disse que confiava em mim. Eu disse que sim, que já havia jogado de volante, conheço o espaço. Treinamos e eu consegui relembrar os movimentos. E graças a Deus deu tudo certo”, disse ele, antes de comentar sobre a exigência física do setor:

No começo eu senti um pouco, foi como uma novidade fisicamente, pois no meio-campo há uma mais troca de direção e movimentos curtos, diferentemente da lateral, em que os movimentos são mais longos. Mas ao longo do jogo eu fui me adaptando, adquirindo ritmo e consegui chegar até os 45 fazendo o meu máximo para conseguirmos a vitória”.

Foto: Lucas Merçon 

Sem novidades, Fluminense divulga escalação para o jogo contra o Inter

FLUZÃO ESCALADO!

Fluminense acabou de divulgar a escalação para o jogo de hoje contra o Internacional no Maracanã.

Com suspensa até o último minuto, quando parte da torcida esperava Calegari no lugar do suspenso André, Marcão optou em deixar Wellington na vaga.

Confira a escalação.

RACISMO? Torcida do Flu cogita mudar termo de música que ofende torcedores do time rival

Em matéria publicada pelo canal de notícias “NetFlu, a torcida do organizada do Fluminense pretende mudar a letra de uma música cantada com rotina no Maracanã, por conter “fala racista”. 

A matéria diz que, o intuito da torcida é mudar o termo “mulambo imundo” da música “Desde te pequeno eu te sigo”, para o termo “volta pro remo”, mantendo o palavrão logo em seguida.

O canal entrou em contato com o presidente da organizada citada, Diogo Riccobene. Ele confirmou que a ideia é já inserir o novo termo já no jogo de quarta-feira, diante do Internacional, apesar de entender que ainda haverá muita resistência nas arquibancadas.

O assunto dividiu a torcida do Fluminense, por isso, quero saber de você tricolor: Qual o seu pensamento sobre essa polêmica? Deve ou não mudar a música? 

Lembrando que em principalmente clássicos, a torcida do Flamengo sempre se dirigiu a torcida do Fluminense com cantos homofóbicos. 

Fonte: Netflu 

Foto: Divulgacão