fbpx

Regularizados Egídio, Digão e Henrique

Os atletas regularizados para o jogo de domingo

Segundo informações, os jogadores Egídio, Henrique e Digão foram regularizados , com isso , vão estar a disposição do Técnico Odair Hellmann , que poderá utiliza los no jogo de Domingo, pela 3° rodada da Taça Guanabara, dia 26/01 ás 16h em Moça Bonita.

Fonte rádio Tupi

Odair pede renovações de Allan e Caio Henrique, traça metas para 2020 e afirma: “O Flu é gigante”

Novo treinador do Tricolor também rebateu o rótulo de “retranqueiro” e disse saber da situação financeira complicada que o clube atravessa

Foto: Mailson Santana / FFC

Nesta quinta-feira (19), o Fluminense apresentou oficialmente Odair Hellmann como novo treinador da equipe. Em entrevista coletiva concedida no CT Carlos Castilho, o técnico relembrou de sua passagem no clube ainda como jogador, em 1999, comentou sobre reforços, traçou metas para o próximo ano e fez questão de enaltecer os esforços da diretoria para montar um time competitivo para 2020.

Odair também abordou um dos tópicos considerados mais importantes por todos envolvidos com o Fluminense: as renovações de Allan e de Caio Henrique. O comandante aproveitou ainda para pedir aos atletas que permaneçam no Tricolor, tendo em vista que são peças cruciais no elenco.

“Já aproveito o momento para mandar o recado: que fiquem com a gente e aceitem a proposta do presidente, dentro do esforço máximo, talvez até além do que o Fluminense possa. Sou testemunha disso, do esforço. Porque são jogadores importantes. Eles ficando, a gente parte de um estágio de entrosamento… Não ficando, teremos que buscar novos jogadores, acertar na contratação em um mercado em que não temos condições de fazer compras de valores muito altos”, disse.

“Aproveito o canal para deixar o recado para eles. Para já fechar, não é, presidente? Quem sabe já tenha uma notícia para nós. Estamos fazendo todo o esforço para que isso aconteça, mas o Fluminense tem um limite. Conto muito com eles”, completou.

Perguntado sobre seu estilo de jogo, o treinador logo apontou para o equívoco de estabelecer um rótulo de “defensivo” sobre ele. De acordo com Odair, o mais importante é montar um time equilibrado em todos os âmbitos, para que assim possa jogar de igual para igual com qualquer um.

“Essa é uma visão da qual eu não concordo muito, mas respeito. A equipe do Inter de 2018 era realmente de transição, mas era por causa das características dos atacantes, que era mais de força e velocidade. E fomos terceiro. A equipe de 2019 já fomos para outra ideia, com característica de jogadores também de construção. Fizemos apenas 3 gols de contra-ataque. Os outros todos foram de construção”, afirmou.

“Não gosto de rótulos. Agora tem esses rótulos de modelo de jogo, que esse é defensivo, esse é ofensivo. Dentro do que trabalhamos, gosto e tenho como ideia é uma equipe bastante equilibrada, defensiva e ofensivamente”, frisou.

Foto: Mailson Santana / FFC

Veja abaixo mais tópicos da coletiva de apresentação de Odair Hellmann:

História com o Fluminense

“É um prazer estar aqui. Prazer imenso poder voltar a este clube, em que tive passagem como jogador, em um momento difícil que o clube atravessava. E vivemos final feliz. A primeira passagem aqui foi maravilhosa pessoalmente e profissionalmente. Voltar hoje é motivo de muito orgulho, satisfação e honra. Tenho certeza que faremos um bom trabalho para termos um mesmo final feliz”.

Marcão

“Marcão é meu amigo. Tivemos oportunidade de jogar juntos em 1999. Ele é ídolo da torcida. Estará junto conosco na comissão técnica. Ainda tem segurança que trabalha aqui desde a época que joguei. Então chego aqui e já tenho uma amizade, um conhecimento, isso facilita muito”.

Metas para 2020

“Passo a passo. Precisamos primeiro definir situações, definir grupo. Já começamos uma competição sete oito dias depois da apresentação. Precisamos buscar evolução e essa evolução vai indicar onde podemos chegar. Não podemos sonhar pequeno, claro, mas temos que construir esse sonho passo a passo”.

Xerém

“O Fluminense é uma escola de referência nas categorias de base. O presidente e o Paulo podem falar melhor sobre um projeto de alinhamento. Fizemos um trabalho no Inter para trazer garotos que estavam presentes para conhecer o melhor grupo. Eu não tenho problema com jogador de base, pelo contrário. Para mim, não importa idade. Se ele estiver apresentando bom futebol, terá oportunidades”.

Dificuldade financeira do clube

“Quanto a parte financeira, vou ser bem sincero. Poucos clubes não vivem uma parte financeira difícil. A maioria está. Quem está aqui sabe a dificuldade, trabalha com essa realidade. O presidente desde a primeira conversa comigo foi sincero nesse aspecto. Mas dinheiro não brota do nada. É preciso um trabalho de reorganização árduo e a situação em médio a longo prazo vai melhorar. Vamos encontrar soluções”.

Ganso e Nenê

“Em relação a Ganso e Nenê, sou um cara que prezo muito pelo grupo. Mas qualquer análise minha nesse momento, é externa, de quem estava fora do contexto. A partir do momento que eu me apresentar, poderei analisar melhor Nenê e Ganso como todos os outros jogadores do Fluminense. Tenho certeza que todos os jogadores estarão com o pensamento único de Fluminense em primeiro lugar”.

Treinador e o presidente Mário Bittencourt no CT (Foto: Mailson Santana / FFC)

Desejado pelo Flu, Everaldo é liberado pela Chapecoense

Atacante, que pertence ao Querétaro-MEX, estava emprestado ao clube catarinense para a disputa desta temporada

Foto: Marcio Cunha / Chapecoense

Um dos alvos do Fluminense para 2020, Everaldo foi liberado pela Chapecoense. Após sofrer seu primeiro rebaixamento, o clube catarinense preparou uma reformulação, onde 15 jogadores tomaram outro destino. Entre eles, está o atacante de 28 anos, que estava emprestado até o fim desta temporada. Porém, vale ressaltar que o atleta pertence ao Querétaro, do México.

Entre os nomes que foram liberados consta também o de Gum, zagueiro bicampeão brasileiro pelo Fluminense e que foi para a Chapecoense após não renovar seu contrato com o tricolor carioca. Outro que deixou o clube foi o meia Camilo, que já chegou a ser ventilado como possível reforço para o Flu, quando Wellington Silva foi para o Internacional.

Em enquete, torcida tricolor aprova chegada de Odair Hellmann para 2020

Novo treinador do Fluminense recebeu aprovação de 82% dos votantes

Foto: Divulgação / FFC

No último dia 11, o Fluminense anunciou oficialmente a contratação de Odair Hellmann para 2020. O novo treinador do Tricolor, que estava sem clube desde que foi demitido do Internacional, assinou com o clube carioca até o fim da próxima temporada e trouxe também o auxiliar técnico Maurício Dulac. Com isso, Marcão voltará ao antigo posto e, de quebra, comandará também o sub-23.

Em meio a muitos nomes ventilados para assumir o Flu, o de Odair Hellmann parece ter animado a torcida. Em enquete realizada no twitter do Canal Flu News, 82% dos tricolores aprovaram a chegada do novo treinador. Vale lembrar que o técnico de 42 anos jogou pelo Fluminense quando atuava como profissional e inclusive balançou as redes com a camisa verde, branca e grená.

Daniel diz que renovação não está definida e comenta atuação contra o Fortaleza: “Demos nosso máximo”

Meia tricolor assumiu ter ficado chateado com os protestos vindo da arquibancada após o apito final

Foto: Mailson Santana / FFC

O Fluminense não jogou bem, mas ainda sim teve chances de se despedir do Maracanã em 2019 com vitória. Porém, como vem sendo ao longo do ano, a equipe não conseguiu ter eficiência na conclusão e frustrou novamente a torcida, que encheu o estádio e empurrou os atletas durante os 90 minutos. Entretanto, após o apito final, o apoio virou protesto.

Visivelmente incomodados com mais um tropeço dentro de casa, os tricolores entoaram os gritos de “queremos jogador”, o que parece ter chateado Daniel. Depois da partida, o meia demonstrou sua chateação e disse que, apesar do resultado, os jogadores ‘deram o máximo’.

“Foi um jogo de muita entrega, muito difícil. Eles entraram fechados. Demos o nosso máximo. Ficamos tristes pela torcida protestar, porque demos o nosso máximo. Entendemos que o Fluminense não ganha desde 2012, mas a gente deu o nosso máximo”.

Cria de Xerém, Daniel se destacou durante o ano com assistências e boas atuações, principalmente na articulação de jogadas. Mesmo assim, o atleta segue sem saber qual será seu futuro, tendo em vista que sua renovação com o Fluminense emperrou. Perguntado sobre a situação, o meia afirmou que o imbróglio só será resolvido após o término do Brasileirão.

“A gente combinou de conversar quando acabar o campeonato e não acabou nada ainda para a gente. A gente precisa muito dessa vaga para a Sul-Americana. Isso vai ser muito importante depois de tudo que a gente passou durante esse campeonato, então o jogo de domingo vai ser muito importante”.

Wellington Nem lamenta não conseguir uma sequência maior pelo Flu e deixa futuro em aberto

Atacante ainda comentou sobre o fato do elenco não ter concentrado para o duelo contra o Fortaleza, devido aos salários atrasados

Foto: Lucas Merçon / FFC

Contratado por empréstimo para a segunda parte da temporada, Wellington Nem foi recebido com muita euforia no Fluminense. Porém, o atacante não conseguiu entregar em campo o que era esperado e perdeu espaço no elenco. No empate em 0 a 0 com o Fortaleza, o jogador teve seu nome pedido pela torcida, entrou no segundo tempo, mas acabou perdendo um gol cara a cara com o goleiro adversário.

Após a partida, Nem conversou com a imprensa e fez questão de lamentar o fato de não ter tido uma sequência maior com a camisa do clube. O atacante disse que, após balançar as redes contra o Internacional, no dia 10 de novembro, esperava que o técnico Marcão desse mais oportunidades a ele.

“Vinha treinando bem e me dedicando o dia todo, chegando cedo, fazendo todo o trabalho para poder jogar e não joga três jogos… É difícil. Quando entra, entra sem ritmo de jogo. Fiz o gol contra o Inter, pensei que ia ter sequência, que ia continuar jogando, mas não aconteceu. A gente fica triste, mas futebol é assim. Acontecem coisas que a gente não pode mudar”.

Perguntado sobre a decisão dos jogadores de não concentrar para a partida no Maracanã, Wellington Nem afirmou que isso não influenciou na atuação da equipe e demonstrou confiança na diretoria.

“A gente resolveu não concentrar. O jogo era 21h30, a gente vinha de viagem. Não interferiu em nada, corremos muito em campo. Achamos que a diretoria está correndo atrás, dando o máximo para poder pagar. Vamos esperar, se Deus quiser, eles vão pagar e terminar o ano bem”.

Por fim, o atacante, que tem contrato de empréstimo com o Fluminense até o término desta temporada, deixou seu futuro em aberto. De acordo com ele, as partes envolvidas nessa negociação irão se reunir após o final do campeonato.

“Cheguei na metade do campeonato, estava voltando de férias, tive pouco tempo para me adaptar. Foi pouco tempo. Estava pensando primeiro em tirar o Fluminense dessa situação, para ficar mais tranquilo. Agora pensamos em colocar na Sul-Americana. Se Deus quiser, vamos conseguir. Depois sentamos e conversamos com meu empresário e o Mário e vemos o que vai acontecer”.  

Caio Henrique lamenta empate com Avaí e afirma: “Era um jogo que estava controlado”

Lateral-esquerdo assumiu que faltou “aquele gás” nos momentos finais da partida, mas já virou a página e pregou foco no duelo com o Fortaleza

Foto: Lucas Merçon / FFC

Neste último domingo, o Fluminense perdeu uma grande chance de se livrar de vez de qualquer possibilidade de rebaixamento. Após abrir o placar com Marcos Paulo, o Tricolor recuou, abdicou do domínio do jogo, desperdiçou a chance de matá-lo e acabou sofrendo o empate do lanterna Avaí já nos minutos finais.

O tropeço, que fez com que a equipe continuasse na 15ª posição, foi alvo de lamentação entre os jogadores, como por exemplo Caio Henrique. Depois do apito final, o lateral-esquerdo tricolor analisou a queda de rendimento do Flu no segundo tempo, mas também fez questão de virar a página e focar totalmente no duelo contra o Fortaleza, no Maracanã.

“Faltou aquele gás no final. Pecamos no fim. Era um jogo que estava controlado, praticamente resolvido. Agora é pensar na próxima partida contra o Fortaleza. Dependemos apenas da vitória para nos livrarmos matematicamente”, afirmou.

Vale destacar que, mesmo com o empate, o Tricolor carioca ainda pode se livrar do rebaixamento nessa rodada. Para isso, o Vasco precisa vencer o Cruzeiro, em São Januário. A bola rola às 20h (de Brasília).

Marcão se pronuncia sobre ‘polêmica’ por não relacionar João Pedro: “Teve uma virose”

Ao longo da semana, até a mãe do jovem atacante falou sobre a situação em uma rede social

Foto: Lucas Merçon / FFC

Se dentro de campo a semana foi perfeita para o Fluminense, tendo em vista que foram duas vitórias conquistadas em quatro dias, fora dele uma polêmica envolvendo novamente o atacante João Pedro mexeu com os bastidores. Isso porque o jovem ficou de fora dos relacionados para a partida contra o Palmeiras, no Maracanã, por conta de uma virose, conforme divulgou o clube.

Porém, através de uma rede social, a mãe do atleta se posicionou e opinou sobre o acontecido, gerando um pequeno mal-estar pela situação. Em sua entrevista coletiva após a vitória por 1 a 0 sobre o Verdão, o técnico Marcão reforçou a informação dada pelo Fluminense, e afirmou que o mesmo só ficou de fora por não ter treinado normalmente durante a semana, já que estava se recuperando da virose.

“Ele teve uma virose. Quando a gente voltou, fez apenas um treinamento. Se não me engano, ontem (quarta) foi o único treinamento dele com o grupo. A gente tinha que priorizar quem vinha treinando. Se mostrar que está querendo, como os outros, vai estar junto com a gente”, afirmou.

Totalmente recuperado, João Pedro já está apto para treinar e jogar normalmente, podendo reaparecer entre os relacionados já no duelo contra o Avaí, no próximo domingo (1), às 16h (de Brasília), na Ressacada. A partida é válida pela 36ª rodada do Campeonato Brasileiro. Em caso de vitória, o Tricolor pode acabar de vez com qualquer risco de rebaixamento. 

Com Digão suspenso, Marcão pode promover estreia de Luccas Claro contra o Avaí

Treinador do Fluminense elogiou o desempenho do zagueiro nos treinamentos e não descartou escalá-lo na próxima rodada

Foto: Lucas Merçon / FFC

Apesar dos três pontos cruciais na luta contra o rebaixamento, a vitória por 1 a 0 sobre o Palmeiras rendeu ao Fluminense importantes desfalques para o duelo com o Avaí, neste domingo (1), às 16h (de Brasília), na Ressacada. Um deles é o capitão Digão, que vem colecionando boas atuações, mas ficará de fora por ter recebido o terceiro cartão amarelo.

Para seu lugar, Marcão pode acabar optando por Luccas Claro, contratado para a segunda parte da temporada, mas que ainda sequer entrou em campo com a camisa tricolor. Em entrevista coletiva após a vitória no Maracanã, o treinador não descartou promover a estreia do zagueiro contra o Avaí, tendo em vista que seu desempenho nos treinamentos vem sendo satisfatório.

“O Luccas vinha treinando muito bem, é um cara que está preparado se a gente optar por ele. Vem treinando muito bem e, se for utilizado, vai fazer um grande jogo”, afirmou o técnico.

Gilberto celebra boa atuação contra o Palmeiras: “Uma das minhas melhores partidas”

Lateral-direito tricolor foi bem em todos os quesitos e ajudou a equipe a vencer o terceiro colocado do Brasileirão por 1 a 0

Foto: Lucas Merçon / FFC

Alvo de críticas por parte da torcida tricolor, Gilberto vinha sofrendo com o desempenho aquém dentro de campo e vinha sendo questionado cada vez mais. Porém, na vitória por 1 a 0 sobre o Palmeiras, o lateral tricolor se destacou e relembrou o nível de atuação do ano passado, antes de se lesionar na segunda parte da temporada.

Colecionando bons lances no setor ofensivo e demonstrando uma obediência tática na marcação que não se via há algum tempo, o jogador agradou os tricolores que foram até o Maracanã assistir a importante vitória. Após o apito final, Gilberto falou com a imprensa e comemorou bastante a boa atuação. Para ele, foi uma de suas melhores partidas.

“Não me lembro se foi minha melhor atuação no ano. Hoje eu me sobressaí mais porque o time jogou bem, mas foi uma das minhas melhores partidas”.

Gilberto em ação contra o Palmeiras (Foto: Lucas Merçon / FFC)

Na 15ª posição do Campeonato Brasileiro, o Fluminense encara o já rebaixado Avaí na próxima rodada, em Florianópolis. Em caso de vitória, o Tricolor carioca, que agora soma 41 pontos na tabela, pode se livrar de vez de qualquer possibilidade de rebaixamento.

Top