Fluminense apresenta plano para pagamento das dívidas Trabalhistas e Cíveis aos credores.

A proposta foi apresentada em detalhes aos representantes dos credores nas esferas trabalhista e cível. Próximo objetivo é obter a regularidade do pagamento do FGTS e Tributos. Clube foi excluído do parcelamento do FGTS no início de 2019

quitação do débito daqueles que oferecerem o maior desconto. No evento, os credores puderam sanar dúvidas sobre as regras de pagamento, apresentando também suas sugestões, que estão sendo minuciosamente avaliadas pelo Clube.

“É um trabalho pioneiro do Fluminense. Há tempos nós vínhamos planejando com as equipes jurídica e financeira um programa que atendesse à realidade do clube e satisfizesse os credores. Preparamos o clube para este momento. Exigirá esforço, mas será cumprido com segurança e pontualidade. Na busca pelo consenso, optamos pelo caminho de chamar os credores para que eles tivessem ciência detalhada do que está sendo proposto e para que tivessem certeza de que o Fluminense honrará com os pagamentos propostos”, afirmou Mário Bittencourt.

Desde o início da atual gestão, o Fluminense vem pautando todas as suas ações baseando-se em três pilares: resgate da credibilidade, preservação da estabilidade nas relações e nos departamentos e austeridade nos gastos e investimentos, de forma a resgatar a capacidade operacional sem comprometer ainda mais o futuro do clube. O plano apresentado surgiu a partir desses preceitos.

Além do plano de pagamento apresentado para quitação destas dívidas, o Fluminense está também em tratativas para regularização do FGTS e tributos. O clube foi excluído do parcelamento do FGTS no início de 2019, antes da atual gestão se iniciar.

“O equacionamento do passivo é fundamental para a reestruturação do clube. Esse foi um  trabalho multidisciplinar. Nossa preocupação era a de criar as condições para que todos sentissem segurança de que faremos cumprir a nossa parte”, esclareceu o vice-Presidente de Interesses Legais, Heraldo Iunes.

O plano que será protocolado hoje no Poder Judiciário equacionará aproximadamente um terço da dívida total do clube, conferindo estabilidade inédita à instituição. Sua elaboração contou com o esforço dos departamentos jurídico, financeiro e de relações institucionais, que se reuniram durante meses para sua elaboração.

Fotos: Marina Garcia/FFC
Texto: Comunicação/FFC

Fluminense demitiu o técnico Filipe Torres que comandava o Feminino no Sub-18. Leia!.

Fluminense anunciou a demissão do técnico Filipe Torres, que comandava o time feminino Sub-18. Em 2021, conquistou os títulos inéditos do Campeonato Brasileiro e do Carioca da categoria. Por divergências internas, o clube o comunicou na quarta-feira sobre o desligamento. Em entrevista ao portal LANCE, o profissional explicou a saída e expressou gratidão ao clube pelo período de trabalho.

“- Foi uma escolha da gestão, que agora se planeja para os novos desafios. Foram dois títulos inéditos pra este enorme clube do futebol brasileiro. O trabalho foi muito bem feito e planejado, mas chegou a hora de ir. Sou vitorioso e desejo mais títulos por onde eu passar, ciclos se encerram para que outros iniciem” – afirmou.

“-A palavra trabalho nos define. Foram três anos de muito trabalho, conseguimos extrair o melhor das atletas, apesar de pouco investimento no início. Planejamos o curto, médio e longo prazo, tivemos êxito. Hoje o Fluminense é uma referência no feminino e eu espero que continuem bem no cenário nacional” – completou.

Filipe era o treinador do Sub-16 e assumiu a categoria acima, com o afastamento de Isaías Rodrigues, que posteriormente faleceu vítima de câncer no pulmão, em julho. A notícia abalou a comunidade do feminino do Tricolor, mas Torres deu continuidade ao trabalho. Nos últimos meses, o Flu perdeu diversas jogadoras importantes, como Luiza Travassos e Lara Dantas. Sem profissionalização, o clube não lucra e tem dificuldades de segurar as atletas.

Filipe Torres comandou a equipe no Brasileirão Sub-18 no início do ano passado, o primeiro título da história do feminino tricolor. Em dezembro, venceu o inédito Carioca. A carreira como treinador começou ainda em 2016. Agora, ele se prepara para tirar a Licença B da CBF em Belo Horizonte, no próximo mês, e aguarda novas propostas para seguir no futebol.

– Encerrei a carreira cedo como atleta de futebol. Em 2016 fui convidado a conhecer o trabalho que o Boca Juniors (ARG) faz com as escolas de futebol no Brasil. Fui à capacitação de treinadores e a partir daí iniciei a trajetória. Em 2018 entrei no Daminhas da Bola para desenvolver meninas para o futebol. Em 2019, com a parceria com o Fluminense, fui contratado para ingressar na modalidade. Fiz a Licença C da CBF Academy, durante este ciclo como auxiliar técnico – explica.

– Em ferreiro de 2021 assumi a equipe Sub-18 no Brasileiro, tive os melhores resultados como treinador. Tivemos o título inédito da 2º edição do Campeonato Feminino e o Carioca. Além de poder contribuir na formação de atletas para Fluminense, também tivemos convocadas com frequência para as seleções de Base Sub-17 e Sub-20. Saio muito convicto do excelente trabalho que fiz e me dediquei ao Fluminense FC Feminino. Agradeço a todas as atletas que compraram as minhas ideias e à comissão que acreditou em mim. O futebol feminino do Fluminense está marcado na história – completa.

FUTURO

– Vou formar na Licença B e irei para o Boca Juniors, em Buenos Aires, para me capacitar mais na metodologia deles. Vou dar continuidade à faculdade de Educação Física – Bacharel e assim que possível espero já estar de volta pois eu sou um colecionador de títulos. Busco sempre fazer história com um bom trabalho.

ISAÍAS RODRIGUES

– Eu tive a oportunidade de conhecer um ser humano tão incrível como o Isaías (Zazá), eu convivi muito com ele, eu tinha além de um treinador, um amigo, conselheiro e irmão. Eu estive com ele em todos os processos de implantação do futebol feminino no clube, quando ele precisou se afastar, tinha certeza de que eu assumiria da melhor maneira possível. Após o falecimento dele eu precisei dar continuidade como treinador, não foi fácil e nunca será esquecido, Zazá estará sempre em minha memória e no coração, a sua nobreza me fez uma pessoa é um ser humano melhor, hoje sou um pai, marido e treinador, muito bem formado pelo Fluminense.

foto Lucas Merçon Flick Fluminense Football Club.

Dirigente Tricolor fala tudo sobre a saída do jogador Evanilson: ‘Deixaram na minha conta’

 O diretor de futebol, Paulo Angioni em entrevista ao portal “GE”, na última segunda-feira, afirma que chorou após a saída do centroavante Evanílson. O jogador, 22 anos, revelado de Xerém, na ocasião se destacou em pouco tempo na equipe profissional e foi vendido ao Porto, de Portugal.

-“Aqui no Fluminense já foi bastante desafiador. Hoje tem outro nível de desafio, que é da manutenção do crescimento, porque a reconstrução já existiu. (…) Passei momentos muito difíceis quando cheguei em 2018. Tive uma necessidade de fazer uma mudança para a última rodada do campeonato (demissão do técnico Marcelo Oliveira), uma experiência totalmente nova minha, trouxe a responsabilidade toda para mim, sacrifiquei pessoas sacrifiquei pessoas honradas”, lamenta Paulo Angioni ao ‘GE’.

-“Tive experiências bem marcantes e também algumas lamentações, não tenha dúvida. Uma das grandes é com relação ao Evanilson. Isso me fez chorar bastante. Eu esperava que algumas pessoas pudessem dizer: ‘Ele não tem responsabilidade nenhuma’. E isso eu não tive. Deixaram tudo na minha conta”, completou.

Esclareceu, o diretor executivo de futebol que não tinha acesso à base do Fluminense e nem chegou a ser responsável pelo centroavante Evanílson. No entanto, só pôde observar mais o atleta após ser promovido para a equipe profissional.

“Nada. Nessa oportunidade, a gente não tinha acesso nenhum à base. O acesso à base era só para pedir jogador para preencher treinamento. E nunca o Evanilson veio preencher nenhum treino. Vou responsabilizar eles? Não. Porque depois fui buscar o relatório e não vou responsabilizar ninguém. Mas algumas pessoas poderiam ter sido solidárias a mim: ‘Esse bruxo aí não tem nada a ver com isso'”, dispara.

“Mas não, quando se fala em Evanilson, a culpa é do Paulo Angioni. Não é minimamente justo. E eu não fujo da responsabilidade. Não sou de mostrar o rosto nas vitórias, ninguém me vê, mas nas derrotas eu geralmente ponho a cara. E coloquei muito a cara em 2018, que foi bastante difícil para mim. A demissão e a responsabilidade que é ir para o último jogo em que se perdesse caía”, concluiu.

foto Lucas Merçon Flick Fluminense Football Club.

Willian Bigode poderá fazer sua estreia pelo Fluminense no Carioca.

Willian Bigode está liberado para fazer sua estreia pelo Fluminense. Nesta quarta-feira, ele teve seu nome publicado no Boletim Informativo Diário (BID) e pode entrar em campo contra o Bangu, no dia 27, pela estreia do Carioca. O local da partida ainda não foi oficializado pela Ferj. No entanto, a tendência é que a partida seja disputada no estádio da Portuguesa, na Ilha do Governador, às 21h (de Brasília). O Maracanã ainda está fechado para reformas.

O atacante Willian vem sendo testado pelo técnico Abel Braga no time titular, e deve formar dupla de ataque junto com Fred.

foto Mailson Santana Flick Fluminense Football Club.

Atacante do Fluminense entra na mira de clube da Europa, segundo jornalista.

Em busca de uma peça de reposição o Ajax, da Holanda, mirou a contratação do atacante Luiz Henrique. O jogador de 21 anos é revelação de Xerém e um dos destaques do Fluminense na última temporada. A informação é do jornalista Jorge Nicola.

As conversas ainda não avançaram e, por este motivo, o Ajax está de olho também na contratação de Eddie Nketiah, de 22 anos, do Arsenal, da Inglaterra. O perfil do jogador se encaixou com o planejamento do clube holandês. A multa rescisória do atacante Luiz Henrique é de 40 milhões de euros (cerca de R$ 246 milhões). Na última temporada, o jogador disputou 55 partidas, marcou sete gols e fez cinco assistências.

foto Mailson Santana Flick Fluminense Football Club.

Nathan em sua primeira coletiva no CTCC, falou do Técnico Abel, de sua atuação na Europa e versatilidade em campo

Nathan concedeu a primeira entrevista coletiva como jogador do Fluminense. No CT Carlos Castilho, o meia aproveitou para elogiar Abel Braga, que considera ser um técnico exigente, e se colocou à disposição para atuar em qualquer setor da equipe. Falou de sua experiência na Europa e versatilidade em campo.

Sobre Técnico Abel Braga, disse:
– Ele é um técnico muito exigente, no dia a dia treinamos muito. Isso é bom porque quando estivermos em campo, o adversário vai precisar correr atrás de nós. É experiente, mostra o que quer, é detalhista. Para quem está em campo, é muito mais fácil quando ele explica o que realmente quer e a gente pratica para executar da melhor maneira. 

Ainda, comentou da sua experiência na Europa
– Isso me fez crescer muito taticamente, por isso que ano passado atuei em várias posições. Quando o jogador vai cedo para fora, tem um trabalho muito detalhado como eu tive. Aprendi a jogar de volante, meia, nas pontas… Cria uma educação de posicionamento muito grande. Por mais que eu seja novo, consigo dar uns toques para outros jogadores em momentos do jogo que podem facilitar. Na minha opinião, aprendi isso lá fora. 

Quanto a sua versatilidade em campo.
– No Galo, eu joguei em várias funções no ano passado. A maioria das vezes que o time estava empatando ou perdendo, sempre que eu conseguia entrar em campo, conseguíamos reverter o placar. Vou dar o meu melhor para ajudar a equipe com assistências e vitórias, mas se não der assistência ou fazer gol, vou dar o meu melhor dentro de campo, correndo, para ajudar a equipe.

Foto a Mailson Santana Flick Fluminense Football Club

Germán Cano diz estar tranquilo aguardando a estréia.

O atacante Germán Cano treinando com o grupo desde a última quinta-feira, quando foi anunciado, o jogador se disse tranquilo antes da estreia no Campeonato Carioca. O Flu entra em campo no Estádio Luso-Brasileiro no próximo dia 27, às 21h, contra o Bangu.

— Estou tranquilo, treinando muito bem. Quando chegar a hora de jogar é fazer da melhor maneira para o time – falou o jogador.

Cano assinou com o Flu por duas temporadas depois de deixar o Vasco, onde disputou a Série B em 2021. Aos 33 anos, o centroavante entra no perfil experiente e de mais qualidade traçado pela diretoria. Com a aposentadoria de Fred se aproximando, o Flu buscava um nome mais rodado para o setor.

— Estou muito feliz de começar os treinos e conhecer os companheiros. A motivação é importante em cada treino. Espero melhorar no dia a dia e seguir trabalhando. Gosto muito de falar com os companheiros, deixar algo bom para eles, sobretudo os que estão começando. É importante dar um bom exemplo para que continuem com êxitos no futebol – disse.

foto Mailson Santana Flick Fluminense Football Club.

Paulo Angioni disse estar encantado em seu primeiro trabalho com Abel Braga; falou do contrato e das primeiras impressões do trabalho do técnico.

Paulo Angioni em entrevista com o GE, apontou uma reestruturação do clube, da qual fala com orgulho; elogiou as contratações e não deu o elenco como fechado; disse estar encantado em seu primeiro trabalho com Abel Braga; voltou a rebater o rótulo de ultrapassado – algo que já tinha feito quando chegou em 2018 –; e mostrou confiança em conquistar um título pelo Fluminense, seu clube de coração, antes de se aposentar.

Após essa primeira semana de pré-temporada, quais suas primeiras impressões do Abel Braga?

– Eu nunca tinha trabalhado com o Abel. Tive duas oportunidades de trabalhar com ele, uma no Flamengo, mas quando ele foi para lá eu estava saindo; e quando cheguei aqui ele estava saindo (em 2018). Agora eu fui um dos grandes incentivadores da vinda dele porque o Abel é um treinador de dia a dia muito efetivo, e na beira do campo ele é uma excelência. A nossa clientela (elenco) encorpou muito, e a gente entendia que essa qualidade de serviço precisava ser do quilate e robustez do Abel. É uma pessoa que tem uma característica muito parecida com a nossa, de acolher, uma pessoa generosa e que lida muito bem com a harmonia.

– Por essas coisas, aliadas ao que ele já construiu no futebol brasileiro, entendemos que era a melhor solução de todas. E para a nossa felicidade a conversa com o Abel demorou cinco minutos. Foi a conversa mais interessante que vi dos últimos anos em minha vida profissional. Porque ele estava desejoso de voltar ao Fluminense, que é uma casa onde ele diz que aprendeu tudo, chegou com 15 ou 13 anos aqui, então ele tem uma gratidão imensa. E para nós foi muito prazeroso, porque a grande retribuição da escolha é ver o desejo de quem você escolhe ser talvez até maior do que o seu, de tanta euforia que ele mostrou.

Após essa primeira semana de pré-temporada, quais suas primeiras impressões do Abel Braga?

– Eu nunca tinha trabalhado com o Abel. Tive duas oportunidades de trabalhar com ele, uma no Flamengo, mas quando ele foi para lá eu estava saindo; e quando cheguei aqui ele estava saindo (em 2018). Agora eu fui um dos grandes incentivadores da vinda dele porque o Abel é um treinador de dia a dia muito efetivo, e na beira do campo ele é uma excelência. A nossa clientela (elenco) encorpou muito, e a gente entendia que essa qualidade de serviço precisava ser do quilate e robustez do Abel. É uma pessoa que tem uma característica muito parecida com a nossa, de acolher, uma pessoa generosa e que lida muito bem com a harmonia.

– Por essas coisas, aliadas ao que ele já construiu no futebol brasileiro, entendemos que era a melhor solução de todas. E para a nossa felicidade a conversa com o Abel demorou cinco minutos. Foi a conversa mais interessante que vi dos últimos anos em minha vida profissional. Porque ele estava desejoso de voltar ao Fluminense, que é uma casa onde ele diz que aprendeu tudo, chegou com 15 ou 13 anos aqui, então ele tem uma gratidão imensa. E para nós foi muito prazeroso, porque a grande retribuição da escolha é ver o desejo de quem você escolhe ser talvez até maior do que o seu, de tanta euforia que ele mostrou.

E por que decidiram fazer um contrato diferente com o Abel, sem multa rescisória ou tempo de vínculo, como um funcionário comum?

– Por causa do bem-estar dele e nosso. Foi um negócio tão rápido e desejoso, que esses outros detalhes maiores, para amanhã ter uma briga jurídica, não existiram. Ele estava muito a fim de vir, e a gente queria muito que ele viesse. Juntou as duas coisas, e foi tudo muito prático de ser resolvido. Não teve dificuldade nenhuma.

– Ele está plenamente feliz, a cada dia estamos vendo o avanço do trabalho dele. É o que eu costumo dizer, as pessoas às vezes confundem velhice com antiguidade. O indivíduo pode ter uma idade um pouco maior, mas não quer dizer que é velho, é antigo. O Abel juntou toda a capacidade de trabalho que ele já tinha com conceitos modernos de enxergar futebol, dinamizar o futebol… Estamos plenamente felizes com ele. A cada dia que passa, ele me conquista mais

foto Mailson Santana Flick Fluminense.

David Duarte espera ajudar o Fluminense dentro de campo.

Fluminense contratou vários reforços nesta temporada. O objetivo dos tricolores é a disputa por títulos em 2022. Um dos reforços foi o zagueiro David Duarte, que concedeu entrevista coletiva no CTCC, ontem a noite (17) e destacou que a negociação teve um final feliz.

“Com certeza minha vontade era ter vindo para cá, disputar uma Libertadores, estar em um time como o Fluminense, mas Deus sabe de todas as coisas. Tudo tem o seu tempo. Não abaixei a cabeça, continuei trabalhando, fiz uma grande temporada no Goiás para que o Fluminense me quisesse aqui”, disse o jogador.

David Duarte falou sobre a possibilidade do Fluminense atuar com três zagueiros nesta temporada.

“Em 2019 e 2020, na equipe que eu estava, foi o ano todo assim. Então, estou acostumado a jogar desse jeito e não vai ser nenhum problema caso o professor Abel opte por mim. Com certeza dá mais segurança para o meio de campo saber que tem três zagueiros ali atrás. Com certeza o professor Abel tem que acertar tudo ali na frente. Não é fácil jogar com três zagueiros, tem que saber se posicionar. Mas com certeza o time fica com mais segurança na parte defensiva, na parte da bola área, com jogadores altos, e na ofensiva também, porque hoje os zagueiros também criam jogadas. Nossos zagueiros são de qualidade, podem criar jogadas que podem resultar em gols”, declarou o atleta.

O Fluminense se prepara para a estreia do Campeonato Carioca, no dia 27 de janeiro, contra o Bangu.

foto Mailson Santana Flick Fluminense.

Três Atletas chegam no Flu para reforçar a equipe adulta de Futebol Feminino

O Fluminense acertou a vinda de três atletas para integrar a equipe adulta de futebol feminino. As atacantes Dan Nunes e Bebel, e a zagueira/volante Bia Cardoso chegam para reforçar a equipe Tricolor nesta temporada.

Na última semana, o clube já havia acertado a contratação da atacante Nadine Dias, a goleira Nágila Santos e a lateral esquerda Thaíni Nunes, além da meio-campo Esterfany Santos, que vai integrar a equipe feminina de base do Tricolor.

Confira a ficha das novas contratadas:

Dan Nunes

Nome completo: Danusia Nunes dos Santos Nascimento

Posição: atacante

Data de nascimento: 16/09/1994

Idade: 27

Clubes anteriores: Lusaca/BA, Vitória/BA, Boa Vista/PORTUGAL, Bahia, Real Brasília/DF

Último clube: Bahia

“Comecei jogando bola com os meus primos, com incentivo dos meus pais. Disputava torneios no meio dos homens porque não tinham meninas para jogar. Fui para Salvador fazer um teste no Lusaca e passei. A partir daí ganhei projeção no Esporte Clube Vitória e consegui realizar meu grande sonho. A expectativa de jogar pelo Fluminense é a melhor possível. Espero fazer uma boa temporada e alcançar as metas estabelecidas”.

Bebel

Nome: Tatiana Gleyce da


Nome: Tatiana Gleyce da Silva Melo

Posição: atacante

Data de nascimento:13/11/1995

Idade: 26 anos

Clubes anteriores: S.E.B Búzios, Vasco da Gama

Último clube: Vasco da Gama

“Comecei no futebol jogando na rua com meu irmão, primo e amigos. Fui morar em Búzios e lá havia um time feminino chamado Seb. Em 2017, participamos de um campeonato onde eu fui artilheira. Minha expectativa em defender a camisa do Fluminense está muito boa. Quero dar o melhor de mim, sempre buscar a melhor forma para defender esse clube gigante. Nesses últimos anos vi o excelente trabalho da treinadora Thaissan, chegando nas finais do Carioca e espero corresponder às expectativas dela, trabalhar forte juntamente com o grupo e ir em busca de títulos. Quero fazer história no Fluminense e nesse time de Guerreiras”.

Bia Cardoso

Nome completo: Beatriz Cardoso

Posição: zagueira/ volante

Data de nascimento: 13/11/1998

Idade: 23 anos

Clubes anteriores: Centro Olímpico, Juventus da Mooca, Clube de Regatas Vasco da Gama

Último clube: Vasco da Gama

“Comecei a jogar bola quando ainda era pequena, na rua com o meninos. Em 2011, fiz o meu primeiro teste no futebol feminino no Centro Olímpico, onde permaneci até 2017 e completei os meus anos de base ganhando títulos. No final de 2017 fui para o Juventus da Mooca e joguei no time adulto, disputando competições importantes como Paulista e Brasileiro A2. Fiquei no Juventus até 2020 e em 2021 fui contratada pelo Vasco da Gama. Estou muito feliz e motivada em defender esse lindo clube que é o Fluminense. Espero poder ajudar a equipe a conquistar títulos”.

Texto: Comunicação/FFC