AGRADECIMENTO AOS DEUSES TRICOLORES E UM PEDIDO TÁTICO PARA QUE O “TRABALHO” DELES SEJA MENOS SOFRIDO!” Opinião Rafael de Castro Ladewig

Olá, Guerreiros!
Seja qual for sua religião; esteja onde estiver sua crença; na próxima quinta será dia de exercitar a fé. No entanto, verdade seja dita, temos que antes de mais nada agradecer às inúmeras intervenções do Gravatinha e Cia e a vitória do Botafogo contra o SP tem muito mais campo energético tricolor, do que alvinegro. Um verdadeiro milagre, que mesmo diante das forças ocultas, tão conhecidas lá no clube de Remo, não conseguiram levar o SP ao menos ao empate no pênalti mais espírita dos últimos anos.
Quando precisávamos daquele “gol cagado”, nossos deuses estavam lá; Quando precisávamos de um fôlego extra para os vovôs Fred e Nenê, lá estavam eles; Quando o adversário recuava uma bola aos 45 do segundo tempo, um sopro divino empurrava o Yago para balançar as redes dos mulambos; Quando nem para eles dava mais para sustentar as bizarras falhas do Muriel, entra em campo um iluminado Marcos Felipe…Mas há um ponto fundamental para o nosso estilo de jogo atual, onde nem mesmo nossos milagreiros podem atuar: Nosso time precisa de um volante “Box to Box”! Precisamos daquele atleta com poder de controlar o jogo através da saída de bola e também chegar à frente com criatividade e finalização.
Apesar da birra de muitos, diante da sua postura para saída, até a primeira metade do campeonato, Dodi havia sido o único no elenco com poder de fazer o nosso time avançar linhas. Com sua saída do time e tendo Yuri ou Hudson como opções, vivíamos o famoso ”esquema caranguejo”, sempre para os lados. Um futebol sofrível, provocado pela mudança de apenas uma peça, tendo como raras exceções as subidas de Nino.
Como muitos dos nossos Deuses amam o Fluminense, amam xerém e sabem que Marcão é um ser humano extraordinário, surge a Luz na sua mente para a efetivação de Martinelli e com ela um futebol moderno, com Nenê novamente desafogado no jogo, com espaços sendo construídos para os avanços dos laterais e até mesmo com mais um homem chegando à frente com poder de finalização. Surgia a era XAVINELLI!
O futebol nos alucina com os gols, dribles e até defesas mirabolantes, mas quando surgem “mentes brilhantes” como a de MATHEUS XAVINELLI, devemos ter mais atenção. Falcão, Cerezo, Xavi, Deco, Zidane, entre outros, são gênios que nos deixam confusos sobre quais funções exerceram em campo. Se seriam camisas 8 ou 10 e às vezes, até 5. Nos dias atuais observamos potenciais “Box to Box” em jogadores como Pogba e Gerson (cria de Xerém) e sem medo de errar, Xerém fabrica mais um: MATHEUS XAVINELLI.
O colunista que vos escreve exalta nosso grande MATHEUS MARTINELLI, mas como o FFC está acima de tudo e todos, precisamos pensar no time com e sem ele. Primeiro, vamos invocar nossos Deuses tricolores para que o garoto já esteja pronto para batalha, pois o jogo controlado contra o Santos nos fez lembrar o desespero que se torna a partir de sua saída (já explicado acima o motivo). Para piorar, não teremos nem mesmo o Nino. Portanto, com Ferraz e sem Martinelli, o esquema caranguejo é certo, se não tivermos uma ousadia de Marcão. Eu, levaria Callegari para a Função de Martinelli, caso o mesmo esteja fora de combate. O que não podemos é repetir o erro cometido em todo campeonato onde não tivemos Dodi ou Martinelli.
É hora de decisão, de aprender com os próprios erros e de não deixar tudo nas mãos dos Deuses.
FLU 3X0 Fortaleza; SP 1×1 Trevas; Inter 2×0 Corinthians!

Rafael de Castro Ladewig de Araujo.
Meu sangue é grená com glóbulos verdes e brancos.

“CONVOCAÇÃO AOS ADVOGADOS TRICOLORES!” Opinião Rafael de Castro Ladewig

Olá, Guerreiros!
Apesar da ótima fase em campo, continuamos a levar goleadas fora dele.
Um posicionamento comercial muito aquém das nossas tradições e exposições; um marketing que acredita que o torcedor deve continuar pagando “Planos de sócios arquibancada” apenas pelo amor e pelo “grande prazer” de receber e-mails com “tapinhas nas costas”; uma gestão de futebol que vive dos “Royalties” vindos de Xerém; e um departamento jurídico “made in Flusocio”…Talvez essa última definição seria suficiente para tudo!
Essa semana fomos informados de novas ações na justiça. Entre elas, zagueiro que passou pela base sem nenhum retorno e a do “Treineiro”, Oswaldo de Oliveira. Em ambos haviam dívidas trabalhistas, mas se no caso do jovem o discurso de ter herdado problemas será reforçado, o que dizer sobre a condução de todos episódios que envolvem Oswaldo de Oliveira!
Primeiramente, uma escolha típica de quem não tem uma gestão de futebol profissional. Um treinador parado no tempo, sem nenhum trabalho a curto e médio prazo, com linguajar e postura sem nenhuma característica compatível a de elencos formados pelo FFC nos últimos anos, recheados de jovens. Mas, ok! Vamos considerar que errar é humano, e nesse caso, haviam expectativas, que eu não consiga atingir a compreensão.
Após iniciado o trabalho, mesmo nossos gênios conseguiram compreender que era uma questão de tempo. Fale ou pense o quiser, mas quem contrata Odair, tem uma proposta de jogo reativo; quem mantém Marcão tem uma proposta de manter o vestiário nas mão dos caciques e principalmente o de usar um “baita ser humano” e “um baita homem identificado com nossa armadura” como escudo, de forma que não consigamos mirar Angione, Simone e Cia. Agora, quem contrata Oswaldo de Oliveira pode esperar o que?!
A oportunidade de concertar o problema apareceu. Ele como comandante do elenco tem como responsabilidade gerir os seus. Qualquer reação negativa produzida pelos comandados é responsabilidade sua. Até que prove o contrário, treinador relaciona, escala ou põe no banco. Portanto, o episódio Ganso é algo que não competia ao clube algum apontamento jurídico, independentemente de nossas opiniões pessoais quanto aos aspectos morais, comerciais e de marketing.
Quando na sequência dos fatos esse cidadão hostiliza o maior patrimônio do clube, nós torcedores, caberia ao nosso Presidente fazer a “DEFESA INSTITUCIONAL”! Creio que todos lembrem dessa promessa de campanha. No entanto, diferentemente disso, essa aberração, O.O, deu entrevista após o jogo e saiu do estádio ainda empregado.
Não é possível que nossos grandes juristas não tenham observado uma série de prejuízos à instituição e danos morais aos seus torcedores!
Se imaginem como patrocinador. Pensem que sua empresa é do ramo de educação. Daí, tentem compreender sua imagem associada a um homem, o líder maior do time, “dando dedo” para seu torcedor, para o torcedor do adversário ou para qualquer pessoa, até mesmo uma criança que pudesse estar com a TV ligada!
O final dessa história já conhecemos. A demissão técnica era óbvia e mesmo diante de todos os danos sofridos pela instituição ainda vamos ao tribunal para recebermos uma condenação trabalhista. O cenário só não foi pior, pois o “cara de pau”, invertendo completamente os fatos, não logrou êxito no pedido de danos morais.
Chegamos às seguintes conclusões: 1-O clube continuará sangrando no futuro por ações trabalhistas e o discurso de que todos os problemas são herdados é mentiroso; 2-Nossa gestão de futebol inexiste. Assim como os Prefeitos que recebem pela extração do Petróleo, gastam demais e não reinvestem para o futuro, vivemos dos royalties de Xerém, sempre bancando a teta dos “meia dúzia de senhores feudais” de sempre; 3-Precisamos urgentemente convocar advogados tricolores a promoverem ações coletivas com objetivo de defender a honra dos que estiveram no estádio e se sentiram atingidos por esse cidadão que nos hostilizou.
Como sugestão, daria como valor da causa os mesmo R$ 600.000,00 que ele ganhou na ação trabalhista, destinando todo valor para projetos de formação educacional para jovens de Xerém!
Alguém precisa fazer a DEFESA INSTITUCIONAL e consequentemente, defender o maior patrimônio do clube, nós torcedores!
Sou apaixonado. No próximo jogo estarei torcendo e acreditando muito em classificação direta para Libertadores, mas já prometi pra mim mesmo que meu orgasmo só acontecerá com pleno prazer e isso só irá acontecer se meu FFC voltar a ser o gigante de sempre, fora do campo. Do contrário, iremos comemorar batalhas, mas nunca a Guerra!
Nossa música de arquibancada diz: “Quero gritar campeão!”…
Mas o meu momento racional diz: Eu só quero ver meu FLUMINENSE grande novamente…Fora de campo e por conseqüência dentro dele. Se não for nessa ordem, esqueçam!

Rafael de Castro Ladewig de Araujo.
Meu sangue é grená com glóbulos verdes e brancos.

“O advogado que queimava regras” – Opinião André Ferreira de Barros

“O advogado que queimava regras”

Numa interpretação ampliada, perfeitamente consonante com o bom senso, o advogado é indispensável à concreção do valor justiça (artigo 2o da Lei no 8.906, de 04 de julho de 1994). A ética é norte em toda a sua vida, ainda que fora do exercício da nobre função (artigo 31, “caput”, da Lei no 8.906/94).

Entretanto, no Fluminense F.C, um estrelado advogado – que, como dirigente de futebol, nada mais é do que um farsante de quinta categoria – obra diferentemente. Ele rasga as regras. Pisoteia o Estatuto. Estupra o Direito.

O último preceptivo queimado pelo Sr. Mário Bittencourt – sabe Deus por quê – foi o artigo 56, inciso I, alínea “b”, do Estatuto do clube.

Quo usque tandem abutere, Mário Bittencourt, patientia nostra?

Saudações tricolores.

O texto é de total responsabilidade do autor.

“De costas para os deuses” – Opinião Anfré Ferreira de Barros

“De costas para os deuses”

O Sr. Mário Bittencourt, enquanto Presidente do Fluminense F.C, é a encarnação da incompetência em seu nível mais elevado.

A essa inaptidão, soma-se outro desvalor: o Sr. Mário Bittencourt dá as costas aos deuses do futebol.

Num campeonato brasileiro de quinta categoria, o Fluminense joga um futebol de décimo escalão. Se os placares dos jogos refletissem a qualidade do time, o Fluminense estaria afundado no Z-4.

Mas, para a nossa sorte, os deuses do futebol intervieram em muitos jogos e nos colocaram no G-8, próximos ao G-4.

Ou seja, para conseguirmos uma imerecida vaga na Copa Libertadores, bastaria o nosso Presidente pensar só um tantinho no clube, deixando de lado, ainda que brevemente, os seus desvarios e idiossincrasias.

O que faz, então, o Sr. Mário Bittencourt? Vira as costas aos deuses do futebol e insiste com Marcão e cia.

Sr. Mário, o seu nome do meio é infâmia.

Saudações tricolores.

O texto é de total responsabilidade do autor.

“O Grande Mentiroso” – Opinião André Ferreira de Barros

“O Grande Mentiroso”

Amigos meus cobram-me um “… posicionamento…” acerca da última “… coletiva…” dada pelo Sr. Mário Bittencourt.

Aos meus amigos, esclareço que não assisti à predita “… coletiva…”.

A uma, pois, há cerca de 20 anos, assisti ao programa “Teletubbies” com a minha filha. Esgotei, ali, o meu estoque para tolices.

A duas porque Saci Pererê, Mula Sem Cabeça e as palavras do Sr. Mário Bittencourt somente encontram eco e razão de ser no mundo da fantasia – com a notável diferença que as últimas não têm graça alguma.

A três, eis que as vãs promessas do Sr. Mário Bittencourt aniquilaram parte de minha doce infância. Cria piamente que mentiras faziam o nariz do mentiroso crescer. Se assim fosse, a fronte do Sr. Mário Bittencourt ligaria o Rio de Janeiro a Miami.

Em suma, “… coletiva…” do Sr. Mário Bittencourt somente para o anúncio de sua renúncia.

Saudações tricolores.

O texto é de total responsabilidade do autor.

“Feliz aniversário, Dr. Celso” – Por Wagner Aieta

Feliz aniversário, Dr. Celso”


No fim dos anos 90, estávamos à beira do precipício, ou melhor, rumo ao mais profundo círculo do inferno.
Já tomados pela desesperança, eis que surge uma mão redentora e nos puxa para cima.
E, mais, pouco a pouco, essa mão redentora recoloca-nos no lugar que a História nos reservou.


Abandonemos a metonímia da parte (mão) pelo todo (pessoa).
Graças a ele, nós, tricolores, aguardávamos, ansiosos, a chegada do mês de janeiro, que era recheado de especulações e boas notícias. Não tinha essa de Caio Paulista, não!
Essa espera, amigos, não era em vão.


Graças a ele, vimos craques voltarem a envergar o nosso manto: Romário, Edmundo, Ramon, Asprilla, Beto, Felipe, Petkovich, Carlos Alberto, Thiago Silva, Thiago Neves, Fred, Conca, Deco, etc.


Graças a ele, tornamo-nos o time mais badalado do Brasil.
Graças a ele, ganhamos três títulos nacionais e fizemos uma campanha histórica na Copa Libertadores em 2008 – que nos foi tirada, apenas, para dar um quê de tragédia grega. Assim sucede com todos os heróis.


Refiro-me ao Dr. Celso Barros, cujo lugar de honra, por seus inegáveis feitos, já está guardado no panteão dos grandes tricolores.


PARABÉNS Dr. CELSO BARROS! O senhor tem o reconhecimento daqueles que realmente importam.

“Padre Antônio Vieira, Michael Bloomberg e o quarto porquinho” – Opinião André Ferreira de Barros

“Padre Antônio Vieira, Michael Bloomberg e o quarto porquinho”

É assaz conhecida esta citação do Padre Antônio Vieira (1608-1697): “Os governadores chegam pobres às Índias ricas e retornam ricos das Índias pobres.” Multipliquem por mil a desgraça se as Índias não forem mais tão ricas assim.

De seu turno, em 2016, referindo-se ao então candidato a Presidente dos Estados Unidos, Donald J. Trump, disse Michael Bloomberg: “… identifico um vigarista quando vejo um…”. Não tenho um bilionésimo da capacidade do ex Prefeito de Nova Iorque para ganhar dinheiro. Mas tenho a mesma aptidão dele para identificar escroques.

Prosseguindo, conhecemos todos a clássica estória dos três porquinhos. Julgávamos o terceiro porquinho o mais sábio. Ele pode, até, ter mais sabedoria, mas tem menos dinheiro que o quarto porquinho, até então desconhecido, que, ao que consta, passou a morar numa mansão de fazer corar ditadores africanos da década de 70.

Oxalá, o Lobo Mau reúna – competente e silenciosamente – indícios de que ilícitos foram cometidos, por um vigarista, contra as Índias pobres.

Saudações tricolores.

O texto é de total responsabilidade do autor.

” Quem está sorrindo ou calado está consentindo e consentido, não é estupro!” Opinião Rafael de Castro

Olá, Guerreiros!
Goleadas como a de ontem dói demais, mas vitórias como a da quarta anterior causam seqüelas ainda maiores!
Apesar de controversa, faço essa afirmação de forma contundente, pois aprendi a amar um “Club de Football” com “Predestinação para a Glória”. Para os parasitas que hoje sugam nosso FFC, “Glória” deve ser apenas um bairro, uma namoradinha da adolescência ou quem sabe ter sua vida financeira resolvida, utilizando o FFC como trampolim!
Quem acompanha minhas colunas sabe o que penso sobre os movimentos políticos do clube. Com raras exceções, um bando de ratos escondidos atrás de “Grupidermes” que levantam mais suas bandeiras (Flusocio, TC, Democracia, E.O…) do que a única que deveria ser levantada, a do FFC! Bandos unidos pala vaidade, por interesses em migalhas, como estar em camarotes nos jogos ou ser reconhecido no clube social, unidos para “defender” esportes que não se pagam, para continuar com seus amigos e parentes nos cargos X ou Y ou até mesmo para que consigam “surfar em ondas maiores, e quem sabe, amanhã também conseguir uma beirada da teta”.
O MB tem maioria no conselho e por qual motivo estes abnegados que o apoiaram não cobram formalmente e publicamente suas mentiras?
O FFC continua sendo estuprado e ninguém faz nada de concreto?
Os Srs. Conselheiros não conseguem perceber que vivemos um momento atípico, que sem arquibancada somente a voz de vocês pode ser ouvida?
Acha que estou exagerando?! Então façamos apenas uma reflexão, das dezenas que poderíamos fazer:
Pra que serve o Sub23?
Resp.: Para transição dos jovens talentos sem espaço no profissional!
Então, pra que serve um jogador como Matheus Pato, com 25.7 anos, sem nenhuma perspectiva de promoção aos profissionais?
Resp.: Nos esforcemos e sejamos simpáticos ao possível erro de avaliação no início da temporada passada, onde também não sabíamos que haveria amadurecimento de John Kennedy e Samuel!
Daí, o contrato deste atleta vence em Dez/20, mas já ciente que este jogador sequer foi cogitado aos profissionais, espera-se o encerramento. No entanto, o clube renova seu contrato até o fim do “tão sonhado título do Sub23”! Por que, se o foco não está no título, e mesmo se estivesse, ele não é elemento primordial?
Resp.: Porque esse é o Fluminense dos últimos anos! Clube barriga de aluguel de empresários. Casa de negócios! Clube que apesar de “semi falido”, não economiza quando o assunto é atender os parceiros: Matheus Pato, Lussivica, Ferraz 2022, Egídio, Henrique (a volta dos que não foram), Hudson, W.Silva (eterna promessa com salário de craque), Caio Paulista, Felipe Cardoso, Ailton, Marcão, Cadu (MC), Ronald (que fez curso de formação no taxi), todos “os boquinhos” da Flusocio que continuaram no clube, todos “os boquinhos” dos E.O…
O que faz um cidadão, chefe de família, com a vida ainda em processo de “puro sustento” ou “acúmulo econômico” se doar 12/16 horas ao clube sem ganhar nada com isso?
Amor?! Ah, não sejamos idiotas. O FFC vem sendo estuprado da forma mais elegante do mundo. No entanto, mesmo que se pague os melhores espumantes, restaurantes e hotéis da Cidade, o sexo sem consentimento também é ESTUPRO! Se você faz parte dos poucos que estão em “Grupidermes”, em especial os que apoiaram o M.B e não está consentindo, então grite que está sendo ESTUPRADO, do contrário, estará sujeito a ouvir que gosta de “comer farelo”.
Sofremos goleadas diárias na Gestão de Futebol, no Marketing, na Comunicação, na justiça trabalhista e principalmente no nosso ESTATUTO, mas infelizmente o factóide negativo de um 5×0 parece falar mais alto, assim como o factóide positivo de uma possível classificação para o G8 traria falsa impressão de uma evolução administrativa.
Sou apaixonado. No próximo jogo estarei torcendo e acreditando até em classificação direta, mas já prometi pra mim mesmo que meu orgasmo só acontecerá com pleno prazer e isso só irá acontecer se meu FFC voltar a ser o gigante de sempre, fora do campo. Do contrário, iremos comemorar batalhas, mas nunca a Guerra!
Nossa música de arquibancada diz: “Quero gritar campeão!”…
Mas o meu momento racional diz: Eu só quero ver meu FLUMINENSE grande novamente…Fora de campo e por conseqüência dentro dele. Se não for nessa ordem, esqueçam!

Rafael de Castro Ladewig de Araujo.
Meu sangue é grená com glóbulos verdes e brancos.

Opinião: Mário Bittencourt não performou como presidente do Fluminense

Foto: Divulgação

A verbo “performar” já fora utilizado pelo atual presidente para justificar vendas por valores ínfimos, mas hoje chegou a vez de ser utilizado para analisar o trabalho do estrelinha Mário Bittencourt. Sem aspas mesmo, nosso presidente é um estrelinha. Uma pessoa que se esconde no calor, mas aparece nos momentos bons (noite fresca).

Foto: Divulgação

As promessas de campanha foram muitas, o tal presidente criticou a gestão passada e chegou a dizer que era inadmissível um clube da grandeza do Fluminense não ter patrocínio master. Quem não lembra do estrelinha falando que o Flu brigaria por todos os títulos que disputasse? Mentiroso. Brigamos pelo título de maior vergonha da temporada. O 5×0 para o Corinthians ainda ficou barato. Um time entregue, sem comando, com ex-jogadores tomando a vaga de promessas. O Santos faz o oposto e disputará a final da Libertadores. Competição que o tricolor insiste em ficar de fora. Por que será?

Começamos 2021 da mesma forma que iniciamos 2020, fazendo vergonha. A eliminação na primeira fase da Copa Sul-Americana para o La Calera não teve nenhuma no futebol, o massacre de ontem também não terá. A direção parece mais preocupada em atacar sites como o NetFlu, mas esquece que um time vencedor começa por um bom técnico. Ah, com todo respeito, Marcão não é essa pessoa. Pode até ser gente boa, mas só tá ali por ter feito campanha pelo então candidato Mário Bitencourt junto com o auxiliar Ailton.

A vaga na libertadores tinha que ser tratada como obrigação. O campeonato tem chances de virar G-8, isso significa que 40% dos times que disputam o Brasileiro estarão na Libertadores 2021. É inadmissível ficar de fora. O “problema” é que uma vaga nessa competição vai exigir da diretoria um técnico decente e contratações que tenham critérios técnicos. Não ser jogador do Uram tem que ser pré-requisito.

Foto: Twitter

Mário Bittencourt, você não performou como presidente do Fluminense. Sabe o Íbis, vulgo pior time do mundo? Então, até eles estão zoando o Fluminense. O que você faz? Se esconde. Quando ganhou o FlaxFlu, sabe lá Deus como, apareceu no vestiário com o humilde “foca a câmera em mim”. Você é um desastre, senhor presidente. Não aceita opiniões contrárias e insiste em ter alguém sem poder para barrar os medalhões que você contratou. Por que ainda tratam a renovação de Hudson e Caio Paulista? Tomem vergonha na cara.

Ah, tinha esquecido. Hoje tem jogo decisivo do projeto Angioni. O famoso sub-23. André, John Kennedy e Samuel foram descartados mais uma vez do profissional para atuar nessa grande competição. Imagina a moral de eliminar o Vila Nova ein? Um dia após o time profissional perder de 5×0. Teremos tempo real no Twitter do Fluminense? Que vergonha, Mário Bitcoin.

Triste para os bajuladores, mas o estrelinha não performou como presidente.

Cria de Xerém, meia acerta com clube português

O meia Gabriel Capixaba acertou sua transferência para o Amora, clube da terceira divisão do futebol português, após ter seu vínculo encerrado com o Flu em 31/12/20 e não ter tido seu contrato renovado.

Com apenas duas partidas disputadas no time de cima e um gol marcado, Capixaba vinha jogando pela equipe sub-23 e assinou por três anos com os portugueses.

Foto: Mailson Santana / FFC