fbpx

FLUMINENSE DE LUTO. ARGEU AFFONSO A ENCICLOPÉDIA TRICOLOR, DESCANSE EM PAZ.

Faleceu nessa madrugada de 02 de abril de 2020 o Grande Benemérito e Jornalista Argeu Affonso. O Tricolor mais ilustre com provas de amor ao Fluminense FC  desde 1949. Argeu teve importante participação nas gestões da maioria dos Presidentes desse Clube de uma maneira extremamente participativa sem vaidades, apenas ideias básicas e pontuais.

Teve participação nos Departamentos Social, Futebol e Marketing, Diretor do Conselho Consultivo. Foi também um dos fundadores da Associação dos Amigos do Vale das Laranjeiras e do Grupo Democracia Tricolor.

O comportamento exemplar  de Argeu Affonso fez com que inúmeras pessoas principalmente Sócios e Torcedores do Fluminense o cercassem para ouvir suas ideias ,conselhos e histórias sobre o Fluminense, não por escreve-lás, mas sim por tê-lás  vivido.

Jornalista por décadas do Jornal O Globo, um dos criadores do Prêmio Estandarte de Ouro para os destaques do desfile das Escolas de Samba onde é e será o Presidente de Honra.

O muito obrigado do Canal Flunews em ter conhecido o Homem Argeu Affonso que viveu a maior parte de sua vida para o Fluminense FC.

Salve Argeu!!!

Descance em paz,

Saudações Tricolores

“O Canal Flunews iniciará no próximo sábado a publicação de uma série de histórias vividas e escritas pelo grande Argeu Affonso.”

“Dente de Leão ” opinião com Rodrigo Amaral


Esperança, Liberdade e otimismo, simbolismo dado a esta flor que voa sem destino, que você vê, tão delicada, mas não sabe de onde veio.
Se devemos soprar sua flor pensando que suas pétalas ao retornarem nos tragam o amor desejado, ao mesmo tempo imaginamos que ela possa ir a onde ela possa se enraizar e crescer.
Estamos passando um momento onde o mundo, por imposição de um vírus, que não se vê e nem se sabe de onde vem, apesar de saber sua origem, está olhando pra dentro de si, resgatando o que o simbolismo dessa pequena flor traduz, onde a Liberdade nos faz agir com sensatez, procurando o amor ao próximo tão esquecido no cotidiano do nosso egocentrismo, com a esperança e o otimismo, não de vencer um inimigo, mas de passar por este momento de forma digna, de sairmos dessa pandemia pessoas melhores, que não esqueçamos o significado deste isolamento, que o ressurgimento da vida normal nos faça normais novamente, assim como na época de nossos avôs, que hoje nos preocupamos, que o sentido de coletividade, de união, de amor ao próximo voe sempre como a pétala do dente de leão e se prolifere afim de deixar ainda mais bonito os campos de nossas vidas.
Quem ama cuida, isolados sim, sozinhos nunca!

Opinião – É melhor agir antes que azede a maionese

Caros Tricolores, quem me acompanha em minhas redes sociais – por mais que esteja afastado há um tempo, sabe o quão avesso sou na demissão de treinador. Contudo, a perspectiva que nos apresenta é para uma eminente troca, cedo ou tarde. Então fica a pergunta: porquê não trocar logo antes que azede a maionese ?

Olhando pelos números, o trabalho do Odair é incontestável, porém, futebol não é só números, e o treinador falhou nós momentos cruciais até aqui, em todas as competições.

Eliminados da Taça Guanabara e Sul-Americana com partidas pífias – exceto o segundo tempo contra o Flamengo, Odair tem se mostrado completamente perdido nos jogos com maior importância. Se o time apresenta um certo padrão no Carioca, o mesmo não pode se dizer que o fez nos jogos em que foi eliminado.

Já na Copa do Brasil, competição que virou fixação da torcida após a eliminação da Sula, o time já havia passado um sufoco contra o modesto Motoclube-MA e podemos até dizer que contou com a sorte quando decidiu a vaga contra o Botafogo-PB em jogo único no Maracanã. Pois, contra o Figueirense, um novo desastre, um jogo horroroso, jogadores completamente perdidos em campo. Alterações táticas sem o menor sentido e, substituições pra lá de questionáveis. Resultado: Figueirense 1 a 0 e poderia ter sido mais.

Com isso, vem o questionamento: vale a pena insistir ? O números apresentados no Carioca servem de algum parâmetro; se sim, como estão sendo analisados/avaliados os jogos que culminaram na eliminação e esse último que deixou o time nessa situação complicada na Copa do Brasil ?

O presidente já declarou que está convicto no trabalho e que o treinador não sai. Será presidente, vale mesmo a pena insistir ?

Pelo pouco tempo que acompanho futebol vejo a demissão do Odair como questão de tempo, não pelos números e sim pelo fraco desempenho nos jogos mais importantes e da grande rejeição junto ao torcedor. Com isso, volto a perguntar: não seria melhor trocar antes que azede a maionese ?

Foto em destaque: Divulgação/FFC

A CULPA NUNCA FOI DA TORCIDA (por Antonio Gonzalez)

http://www.antoniogonzalez.com.br

Num espaço de 6 anos (2007/2012) o Fluminense conquistou 3 títulos nacionais, 1 estadual e participou de 2 finais continentais.  Então, ao contrário do discurso pseudo oficialista dos dias de hoje implementado pela Flusócio e derivados sem cafeína, não existia isso de “a culpa é da torcida que não comparece”.  Nosso time sempre jogou para a nossa torcida, fiel escudeira, até nas horas amargas, parceira direta que foi na remontada de 2009, contra tudo e contra todos.  Eram tempos felizes.  Pena que não imaginávamos o que viria pela frente.

No dia 11 de novembro de 2012 o nosso Tricolor derrotava ao Palmeiras por 3 a 2 conquistando o Tetra Brasileiro com a seguinte escalação:  Diego Cavalieri; Bruno (Diguinho), Gum, Leandro Euzébio e Carlinhos; Edinho, Jean e Thiago Neves; Wellington Nem (Marcos Junior), Rafael Sobis (Valencia) e Fred.  Um elenco de primeiríssima grandeza, que ainda contava com o “MAGIC” Deco.

Para entender o tamanho daquele time que sagrou-se Tetracampeão e passeava pelo território nacional, 10 dias depois, para ser exato no dia 21 de novembro, a Seleção Brasileira conquistava o “Superclássico das Américas de 2012 (antes conhecido como Copa Roca)” vencendo ao selecionado argentino nos pênaltis, em plena La Bombonera, contando com a participação dos seguintes atletas do Fluminense: Diego Cavalieri, Carlinhos, Jean, Thiago Neves e Fred.

Até aquela data jamais foi ouvida a expressão “a culpa é da torcida que não comparece”.

De lá até os dias de hoje passaram-se mais de 7 anos (um espaço no tempo maior do que aquele compreendido entre 2007 e 2012) o Fluminense conquistou tão somente a natimorta Primeira Liga, que no frigir dos ovos da história, dentro de 100 anos, terá menos peso que qualquer um dos 8 Torneios Inícios conquistados (1916, 1924, 1925, 1940, 1941, 1943, 1956 e 1965). Obviamente sem esquecer de dois turnos (Taça GB de 2017 e a Taça Rio de 2018). Nada além disso.  Nenhuma conquista relevante a ponto de satisfazer plenamente aos nossos torcedores.

Ou seja de um clube que disputava títulos nacionais e continentais, para um time que não é campeão de nada. Ponto, não há mais nada a dizer.  E vocês querem que eu engula de que “a culpa é da torcida que não comparece”???

Por favor me poupem!

Vamos ser claros e objetivos, para nada sendo hipócritas, sem sentir qualquer tipo de receio por processos que movem contra a minha pessoa com o intuito de calar-me.

Vamos lá e não vou seguir uma ordem cronológica.

Em 2013 o Fluminense terminou o Campeonato Brasileiro no Z4, mas com a sorte das cagadas cometidas pelo Flamengo e pela Portuguesa de Desportos, no famoso caso “Flamenguesa”.  O caso foi parar nos tribunais e era só bater o martelo, com condenação para os 2 clubes envolvidos e com o descenso do clube do Canindé.  O Fluminense para nada tinha que se meter como parte interessada, pelo contrário, conhecedor que somos da injusta má fama que nos precede como clube do tapetão, deveríamos optar por uma postura neutra.  Foi feito justamente o contrário, escolheu-se ter uma postura de destaque, ativa e principesca de talante “exuperyano”.

O que aconteceu então todos sabemos, o Fluminense tornou-se aos olhos de todo o Brasil O GRANDE VILÃO DA HISTÓRIA.  Acusado de virar a mesa de forma injusta e nauseabunda pela totalidade da parcial mídia esportiva e não esportiva, tendo a nossa torcida como alvo da loucura generalizada pela cultura do ódio ao Tricolor das Laranjeiras, inclusive alvo de agressões e bombas. 

E o que fez o clube? NADA! Abandonou aos nossos torcedores através de um silêncio digno de noite em cemitério.

E a defesa Institucional? Mais covardia explícita.  Somente os 6 BRAVOS ESCRITORES (entre eles os meus irmãos Paulo-Roberto Andel e Luiz Couceiro) que publicaram o livro “Pagar O quê?: Resposta à Maior Bravata da História do Futebol Brasileiro” e foram HOMENS na defesa do clube.

Por parte da direção eleita pela Flusócio somente vimos FROUXIDÃO.

Então vocês querem me dizer que “a culpa é da torcida que não comparece”?

Da escalação que entrou em campo para ganhar o Tetra contra o time do antigo Parque Antártica em 2012 passamos ao seguinte patamar de contratações:

  1. Marcelinho das Arábias;
  2. Rhayner
  3. Guilherme Mattis;
  4. Chiquinho;
  5. Felipe do Vasco ex jogador de 36 anos;
  6. Fabiano Mão de Alface;
  7. Fabrício;
  8. Marlone;
  9. EL ABUELO Magno Alves;
  10. Vitor Oliveira;
  11. João Filipe;
  12. Guilherme Santos;
  13. Giovanni;
  14. Lucas Gomes (RIP);
  15. Vinicius by nigth;
  16. Edson;
  17. Osvaldo 300 mil;
  18. Henrique zagueiro que veio da França sem joelho;
  19. Antonio Carlos;
  20. Walter Gordo;
  21. Ronaldinho paraguaio ex jogador aposentado;
  22. Felipe Amorim;
  23. Julio Cesar Mão de Quiabo;
  24. Renato lateral direito;
  25. Diego Souza;
  26. Henrique zagueiro que veio da Itália;
  27. Wellington Silva lateral amigo do Bernardo;
  28. Wellington Paulista;
  29. Pierre;
  30. Cícero;
  31. Jonathan lateral direito;
  32. Breno Lopes crise cardíaca no DM;
  33. Arthur do Nova Iguaçu;
  34. Henrique Dourado;
  35. Richarlison;
  36. Marquinho gol contra o Coritiba em 2009;
  37. Danilinho;
  38. Dudu;
  39. Aquino;
  40. Rojas;
  41. William Matheus lateral esquerdo;
  42. Maranhão;
  43. Lucas lateral direito;
  44. Wellington Silva atacante cria de Xerém;
  45. Sornoza;
  46. Orejuela;
  47. Robinho;
  48. Renato Chaves;
  49. Luan Peres;
  50. Leo lateral direito;
  51. Bryan Cabezas;
  52. Junior Dutra;
  53. Jadson;
  54. Gilberto;
  55. Marlon lateral;
  56. Rodolfo goleiro;
  57. Airton Paulada;
  58. Nathan zagueiro;
  59. Paulo Ricardo;
  60. Luciano;
  61. De Amores;
  62. Kayke;
  63. Richard;
  64. Guilherme;
  65. Matheus Ferraz;
  66. Mateus Gonçalves;
  67. Everaldo;
  68. Agenor Gordo;
  69. Bruno Silva;
  70. Dodi;
  71. Yuri;
  72. Allan;
  73. Caio Henrique;
  74. Yoni Gonzalez;
  75. Léo Santos;
  76. Ewandro;
  77. Brenner;
  78. Kelvin;
  79. Ganso;
  80. Nino;
  81. Léo Arthur;
  82. Muriel;
  83. Nenê 38 anos;
  84. Wellington Nem;
  85. Lucão;
  86. Lucas Claro;
  87. Orinho…

É óbvio que deve estar faltando alguém, somente coloquei jogadores contratados entre 2013 e 2019… Tirando o Richarlison que deu super certo e mais uns 6 jogadores que foram razoavelmente bem, o resto pode se jogar no lixo.

E vocês querem que eu aceite que “a culpa é da torcida que não comparece”???

Mas vamos recordar alguns outros fatos…

O Peter sacaneia a Procuradoria-Geral da Fazenda Nacional, propositalmente omite a entrada do dinheiro e a PGFN confiscou a grana da venda do Wellington Nem.  Com isso atrasamos impostos e começou uma romaria de salários atrasados. E vocês querem que eu aceite que “a culpa é da torcida que não comparece”???

O Departamento Jurídico comandado pela mesma profissional nas 3 gestões (Peter, Abad e Mario) perde prazos, fecha acordos que o clube não cumpre, pede sigilo em processos. Temos receitas penhoradas e com isso os salários atrasam… E vocês querem que eu aceite que “a culpa é da torcida que não comparece”???

A categoria Sócio Futebol foi aprovada por uma Assembleia Geral no dia 10 de novembro de 2012 (na véspera da conquista do Tetra). Sendo colocada para associação da nossa torcida.  Desde então já foram lançados uns 5 planos e NENHUM deu certo, com atraso nas entregas, filas homéricas no Maracanã, problemas com os cartões de crédito dos sócios, entre outras coisas.  Coincidentemente os mesmos do binômio Flusócio + Legião Tricolor continuam empregados do Marketing e das áreas fins do clube, como sempre desenvolvendo discurso de banco de faculdade, se acham seres extraterrestres, utilizam cônjuges, familiares e amigos para enaltecê-los nas Redes Sociais, mas a produção (vocês lembram da famigerada “Operação 41” ou do falecido “DNA Tricolor”?) é sempre muito abaixo das expectativas, com visível desconhecimento do que significa o cimento das arquibancadas… E vocês querem que eu aceite que “a culpa é da torcida que não comparece”???

Pelo clube passaram profissionais gabaritados na gestão Abad que não permaneceram no FFC porque simplesmente foram boicotados pelos DONOS e SENHORES FEUDAIS dos Esportes Olímpicos e da Democracia Tricolor (cujas 2 principais lideranças tem familiares empregadas no clube)… E vocês querem que eu aceite que “a culpa é da torcida que não comparece”???

Contrata-se a Big 4 Ernest & Young, que emite um parecer, o Vice Presidente de Governança Sandor Hagen traça o desenho e desenvolve os passos a seguir… Em ambos os casos os DONOS e SENHORES FEUDAIS dos Esportes Olímpicos e da Democracia Tricolor (cujas 2 principais lideranças tem familiares empregadas no clube) jogaram contra porque as propostas iam contra os seus interesses… E vocês querem que eu aceite que “a culpa é da torcida que não comparece”???

Contratam-se funcionários sem condições curriculares e profissionais para ocupar cargos estratégicos do clube.  Como sempre o binômio Flusócio + Legião Tricolor, agora acompanhado pelos SEM grife Tricolor de Coração + Bravo 52.  Contratam-se para Xerém ex jogadores pelo simples fato de terem sido cabos eleitorais… E vocês querem que eu aceite que “a culpa é da torcida que não comparece”???

Infestam o clube de PJs (Pessoas Jurídicas), com mais de 70% de indicações entre os empregados, com verdadeiro aparelhamento do quadro de funcionários, onde o “quem indica” detona a meritocracia… E vocês querem que eu aceite que “a culpa é da torcida que não comparece”???

Boicotam-se explicitamente às Torcidas Organizadas (desejo explicito de um dos papas da Flusócio, pessoa bem remunerada do clube desde 2011 com uma brevíssima ausência entre as gestões Peter e Abad).  Nesse meio tempo temos o Presidente do Fluminense visitando à Cidade da Polícia (capa de jornal) em virtude dos desmembramentos de uma atitude de cunho ÚNICA E EXCLUSIVAMENTE pessoal, permitindo que a Justiça injustamente privasse de liberdade por uns dias a funcionários do clube que para nada tinham qualquer tipo de responsabilidade por essa cagada feita pelo Abad… E vocês querem que eu aceite que “a culpa é da torcida que não comparece”???

Em 3 gestões diferentes os Conselhos Deliberativos não conseguem fazer uma reforma estatutária que direcione o clube para o profissionalismo da gestão com a mudança explícita do modelo.  Para piorar aprovaram contas absurdas, “de rara matemática” e de forma abrupta que agrediu os mínimos conceitos democráticos necessários à sociedade Tricolor… E vocês querem que eu aceite que “a culpa é da torcida que não comparece”???

Os Conselhos Fiscais viraram a cana, nessas mesmas 3 gestões e coadunaram com a irresponsabilidade financeira, totalmente leviana… E vocês querem que eu aceite que “a culpa é da torcida que não comparece”???

O Fluminense contrata os seguintes treinadores a partir de então: Vanderlei Luxemburgo, Junior Lopes, Renato Gaucho, Dorival Junior, Cristovão Borges, Ricardo Drubsky, Enderson Moreira, Eduardo Bapista, Levir Culpi, Marcão, Abel Braga, Marcelo Oliveira, Fernando Diniz, Oswaldo de Oliveira, Marcão (me refiro somente de 2013 a 2019)… E vocês querem que eu aceite que “a culpa é da torcida que não comparece”???

Entre 2013 e 2019 o Fluminense leva os seus jogos como mandante no Maracanã… Mas também no Engenhão, em Moça Bonita, no estádio da Cidadania em Volta Redonda, em Los Larios e em Edson Passos no estádio Giulite Coutinho (inclusive financiando reformas).  E nesse tempo o Peter promete junto ao Abad um estádio impossível na Zona Oeste, além de que o próprio Abad e a gestão atual não dão o suporte necessário para resolver o que fazer com as Laranjeiras através do Projeto de Revitalização… E vocês querem que eu aceite que “a culpa é da torcida que não comparece”???

Criam o tal Projeto Samorim e a nossa torcida foi obrigada a conviver com as eternas promessas que sabiam inglês mas desconheciam o quão redonda é uma bola.  Entre eles e as eternas promessas estavam: Peu, Luquinha, Robert, Marlon Freitas, Igor Julião, Pablo Diego, Matheus Norton, Luiz Fernando, Lucas Patinho, Lucas Fernandes, Denilson, Nogueira, Patrick Luan, Marquinhos Calazans, Reginaldo, Léo Pelé. Mascarenhas, Ayrton Beijinho, Matheus Pato, entre outros cabeças de bagre… E vocês querem que eu aceite que “a culpa é da torcida que não comparece”???

Venderam-se os direitos dos seguintes atletas: Wallace lateral direito, Wellington Nem, Kenedy, Digão, Marlon zagueiro, Gerson, Douglas, Richarlyson, Ibañez, Ayrton Lucas, João Pedro, Pedro, Rafael Resende, Jônatas, Leandro Spadacio, Sornoza, Richard, Wendell, Léo Pelé, entre outros menos votados. Certamente entraram nos cofres do clube mais de R$ 220 Milhões. Sou obrigado a perguntar: que grande jogador o Fluminense contratou com essa grana? Nenhum. Pagou impostos, diminuiu a dívida? Para nada. Pagou  salários. Pouca coisa além disso. Mas sem esquecer que financiou um dos BackOffices mais caros do Brasil, além dos Esportes Olímpicos que nada produzem e um social amorfo em proposta, brega em essência… E vocês querem que eu aceite que “a culpa é da torcida que não comparece”???

É melhor eu parar por aqui.

Respeitem a nossa torcida.  12 mil contra o Resende na atual conjectura significa Maracanã lotado.  Assumam os vossos erros, assumam essas quase 90 contratações com 90% de erro, assumam que o mesmo Gerente de Futebol trabalhou para o Peter, para o Abad e continua com a atual diretoria. Nos poupem de vexames…

São desclassificados na 1ª fase da Sulamericana pelo Olaria do Chile, sem nenhuma luta digna e vocês querem que eu aceite que “a culpa é da torcida que não comparece”???

 Então meus amigos, a questão da sobrevivência do Fluminense não passa hoje pelo número de sócios adimplentes e sim pelo modelo de gestão.

E nisso sim a nossa torcida tem que entrar pisando firme de fora para dentro do clube: é preciso romper as barreiras que acorrentam o progresso do clube, é preciso renovar e refazer os horizontes, urge a imposição dos novos conceitos de governança. E tem que ser de fora para dentro. 

O que não dá é para que se construa o fim do Fluminense com Portais com Transparência turva, opaca… menos ainda com factóides diários enaltecendo conquistas contra os Bangus, os Madureiras e os Resendes da vida, que juntos não dão em nada…  O que não dá é para chegar na segunda semana de março sem qualquer diretriz do que será o ORÇAMENTO do Fluminense e, mais uma vez, com a conivência de um Conselho Deliberativo vaca de presépio.

Ou mudamos conceitualmente ou vamos ter que ouvir vez por outra que a razão do fracasso é o não comparecimento doa nossos torcedores.  Chega de distorções nas arquibancadas, os conceitos da Legião e da Bravo, transformaram-se em ideologias de enaltecimento ao masoquismo. Que se extirpe para sempre a ideologia Flusócio e a descafeinada Tricolor de Coração.

Basta! Uma revolução já tem que acontecer.

Termino perguntando…

Depois de tudo o que narrei  vocês querem que eu aceite que “a culpa é da torcida que não comparece”???

Um forte abraço

Antonio Gonzalez

PS.: O sucesso do Presidente Mário Bittencourt será o sucesso do Fluminense.

Heitor D’Alincourt

Dedico esse texto à memória de um GRANDE TRICOLOR, Seu Sergio D’Alincourt, presença certa onde o Fluminense jogasse e PAI do meu irmão Heitor D’Alincourt.

Fluminense recebe visita de estudantes de instituição francesa

Grupo foi levado ao clube pela FACHA, instituição com a qual o Tricolor tem convênio

O Fluminense recebeu na sexta-feira passada (06/03) cerca de 40 estudantes do curso de gestão esportiva da instituição francesa École Apollon. Acompanhado pelo diretor Tarik Bouchaouir, o grupo visitou a Sala de Troféus, o Estádio de Laranjeiras e assistiu ao treinamento do time feminino de vôlei, que disputa da Superliga. Os alunos foram levados ao clube pela FACHA, instituição com a qual o Tricolor tem convênio.

“Nosso pedaço de chão” opinião Rodrigo Amaral


Caros amigos,


Ontem andei, andei, andei, como um andarilho que anda sem rumo e apenas observa a paisagem, e percebi que algo aconteceria, que nas cercanias do Mario Filho, que em dia de Nossos jogos poderia ser chamado de Nelson Rodrigues, assim como em Milão, haveria algo, não sei se lotaram o estádio, mas vi os camisas negras brotarem como formigas no verão, saindo e caminhando para aquele torrão de açúcar, inclusive um me perguntou onde era a entrada da Sul, e eu com um sorriso malandro de canto de boca falei:”A entrada do nosso lado fica pela Eurico Rabelo, em frente ao Bar dos Esportes”, e ele me exclamou, “Ah Você é Fluminense, Pô!” Eles sabem, todos sabem, mas a discussão existe, o próximo confronto entre o time da Barreira e o nosso Tricolor das Laranjeiras será no Nelson Rodrigues, e o mando será deles, ué e o lado Sul? Se o mando é deles, que joguemos no estádio deles, nunca fugimos da batalha, porquê teremos que jogar no nosso? Conheço as regras do cariocão, mas isso é questão de auto-estima, de rivalidade, de moralidade, até de ego, e não podemos sucumbir! Que Chitãozinho e Xororó me permitam, mas esse trecho da Música Coração Sertanejo reflete o nosso sentimento:”Andei, andei, andei até encontrar
Este amor tão bonito que me fez parar
Nesse pedaço de chão”. A Sul é o nosso pedaço, ali é nossa identificação, que eu possa continuar andando e que os tricolores me surpreendam, que mostrem que essa terra tem dono!

“LOS DE SIEMPRE” mamando na teta!” Opinião Rafael de Castro

Olá, Guerreiros!
Cadê os planos de sócios? A antecipação das eleições não servia para arrumar a casa? Cadê nosso marketing? Cadê planos para as famílias? Cadê o pré cadastro para o plano popular? Cadê o plano específico para os menores de idade? Cadê o e-mail enviado para os “mais de 200.000 tricolores que estão na base e não são sócios”? Cadê a campanha, com desconto agressivo, para vender os títulos de sócio proprietário que ainda restam no clube?
É sensacional a postura do presidente em “pôr a cara”, fazer coletivas periódicas…mas cadê os setores, que deveriam ser profissionais do clube, trabalhando? Quanto custa jogarmos dois meses (já no terceiro) de programa no lixo? Existia outro apelo maior a curto prazo do que o jogo da segunda fase da Copa do Brasil no Maracanã para lançamento real da campanha, com ingresso grátis para quem fizesse a adesão esta semana?
Em qualquer empresa com orçamento de “5 mariolas”, pessoas seriam cobradas, teriam metas, teriam prazos e diante de tal prejuízo seriam demitidas, mas qual o sistema de contratação neste clube que fatura centenas de milhões? Uma gestão moderna assumiu o clube, com antecipação das eleições e contratou um grande CEO para gerir “este grande negócio”, refazendo todo organograma, setores, funções, colaboradores e “boquinhas” ou vem mantendo praticamente a mesma estrutura “Flusócio”? Contratou uma empresa de Recursos Humanos independente e renomada para ocupar os cargos, cujas metas deveriam ter sido tão bem delimitadas por tal CEO? Fez uma revisão em todos os PJ`s? Substituiu o comando do futebol, tomando como modelo sucessos recentes, como o do Bahia ou manteve aqueles velhos nomes (Angione e Simone)?
Sabemos respostas; sabemos nomes; sabemos quem bem trabalha e quem não trabalha; sabemos quem assumiu por ter feito campanha, não por ter competência comprovada, sabemos que há muitas dúvidas nos critérios de contratações, em especial de jogadores do Uram e da Fato Sports; sabemos que continuamos jogando no Maracanã em jogos como o do último domingo, com prejuízo na casa de R$ 400.000,00 (um jogador de alto nível), fazendo muita gente feliz (Sunset com a maior proporção “agente orientador/segurança” X Público” do mundo; A empresa das grades e seus grandes labirintos…); sabemos que não evolui o projeto das Laranjeiras…
Compreendemos, deduzimos e sabemos muitas coisas, mas mesmo diante de todas essas questões surge o factóide do “Los de Siempre” em alusão aos fiéis torcedores que estão em todas (os famosos 15.000 de sempre dos comuns anos sem títulos, fases finais de taças e libertadores), que para os que me conhecem, me incluo.
Debates internos recentes apontam para a falta de compromisso do torcedor tricolor e no meu entendimento essa “cortina de fumaça” somente esconde causas e nos faz brigar internamente pelas consequências.
Os irracionais “de siempre”, que me incluo, não amam mais o Fluminense do que os racionais que “estão no sofá”. No entanto, nós, malucos deixamos que nossa cega paixão nos conduza e talvez os da poltrona, esperam a “certeza da lealdade do casamento” para voltarem a dizer o “sim”.
Meus caros tricolores “de siempre”, não se deixem levar por esta balela de que somos os “super heróis de siempre”. Isso é estúpido, desagregador e desfoca o real motivo pelo qual muitos se afastaram. Verifiquem nossa média de público e o tamanho de nossa torcida, segundo as últimas pesquisas. Comparem estes números entre anos ruins e vitoriosos. Comparem posteriormente com “a maior torcida do RJ e do Brasil e façam o mesmo exercício…verão o que chamo de “torcida ativa”. Verão que proporcionalmente o volume de torcedores do Fluminense que freqüentam estádio é maior do que os rivais da Barreira e do clube do Roberto Marinho.
Resumo do Exercício: Se nossa torcida tem 3 Milhões de torcedores com uma média 15.000 presentes, temos 0.005% indo ao estádio; Se uma torcida tem 32 Milhões de torcedores com uma média 40.000 presentes, eles tem 0.001% de torcedores indo ao estádio.
É óbvio que precisamos crescer a freqüência dos torcedores; é óbvio que é muito mais fácil trazer para o estádio aquele tricolor afastado do que criar uma nova geração de tricolores; é óbvio que precisamos buscar nos torcedores com campanhas de adesão como “sócio baixa renda”…Mas é óbvio que uma faixa “Los de siempre” não ajuda em nada nesse processo!
Precisamos de CREDIBILIDADE E TRANSPARÊNCIA na gestão; precisamos de ações administrativas e de marketing que provem ao torcedor que seu suado e honroso capital está sendo investido no “Football”; precisamos de ídolos e não de “Felipes Cardosos”; precisamos de defesa institucional séria; precisamos de eficácia em uma simples campanha de sócios!
Presida: “Diga-me com quem andas e te direi quem tu és”! Não espere os “milagres do campo”, apesar de um trabalho pessoal perceptível e sentido nos bolsos dos nossos funcionários, ainda aguardamos o líder que promoveria a grande revolução e acabaria com a “Mamata dos de siempre”.

Rafael de Castro Ladewig de Araujo.
Meu sangue é grená com glóbulos verdes e brancos. Colunista.

Escola de Samba Guerreiros Tricolores sobe para o grupo de acesso 3.

Boa noite amigos e sambista tricolores.

É com muito alegria que informamos o resultado do carnaval 2020.

Nossa Escola de Samba Guerreiros Tricolores conquistou o 5° lugar no carnaval e com isso ganhamos o acesso e estamos a dois passos de chegar no palco maior do samba, o Sambódromo.
O presidente Gian Carlos e toda diretoria agradece a todos que estiveram em nosso desfile mesmo com tanta chuva, agora a responsabilidade aumentou e contamos com a ajuda na nossa imensa torcida!!!!

Nos vemos em 2021.

Saudações Tricolores.

“Amigos Tricolores” opinião Alexandre Villela

Amigos Tricolores ,

Eu escuto muito as pessoas dizerem que o conselho do Fluminense tem que fazer isso e aquilo , que não pode se omitir , etc.

Vou explicar uma coisa pra vcs , no Fluminense o conselho e nada é a mesma coisa, a composição do conselho é feita de tal forma que não existe questionamento , veto , e porque isso ?

A chapa do conselho é formada por 150 eleitos ( no caso e em muitas vezes todos do presidente eleito ) e 50 suplentes que sempre entram imediato pela falta de Natos e beneméritos, e mais 150 natos / Beneméritos , que antes das eleições sempre fecham acordo com o candidato favorito , e ai se mantém junto no poder com cargos e benesses .

Por tanto na hora de votações e questionamentos não existem força nem volume para o fazerem pois todos estão do lado do presidente, e não existe votar contra o que o presidente quer.

Isso funciona assim a anos , poucos foram e são os conselheiros que vão na tribuna e batem sempre que necessário, a gente bate , reclama, fala alto , clima pesado , mas só serve como um desabafo , pois na hora de votar a gestão leva tudo, então por favor torcedores , Imprensa , não coloquem nada em nome dos conselheiros pois não são nada , só figuração , 90 % não sabem nem falar no púlpito.

E falo com propriedade pois fui conselheiro em 4 mandatos , e nunca me omiti, sempre mostrei minha cara e todos sabem disso.

E esse texto não é pra essa gestão , é pra todas gestões que vi passar.

Então peço a todos que parem de falar que o conselho tem que fazer isso ou aquilo porque não vai fazer nada nunca , o conselho deliberativo do Fluminense é morto, é só pra status, e alguns fechamentos para ter algumas benesses.

A responsabilidade é sempre do Presidente, sejam coisas boas sejam coisas ruins é na conta do presidente que tem que cair tudo, a caneta é dele, só dele.

Alexandre Vilella – Sócio Proprietário desde 1991 , sócio do clube desde 1970.

Opinião: “Grounds of impeachment”

Sr. Presidente Mário Bittencourt, sirvo-me deste para dirigir-me, brevemente, a Vossa Senhoria.

Embora não tenha o conhecimento e a erudição de Vossa Senhoria, eu já li, na íntegra, “O Federalista no 10”. Também já dei uma boa vasculhada nos precedentes dos casos de Andrew Johnson, Richard Nixon, Bill Clinton e ,agora, Donald Trump.

Se o Fluminense perder para o Moto Clube, Sr. Presidente, passarei em revista, palavra por palavra, “The Federalist Papers”. Com certeza James Madison, Alexander Hamilton e outros Founding Fathers, extravasando dos estreitos limites do Estatuto do clube, hão de me prover com “… grounds of impeachment…” ante a sua reiterada e gigantesca incompetência.

Ouso dizer que, pela primeira vez, Vossa Senhoria será emparedado por um plebeu.

Por amor ao Fluminense, hei de provar, além de qualquer dúvida razoável, que Mário Bitcoin é mais um farsante na infinda lista de embustes que nos perseguem.

Será a mais elevada missão de minha vida!

Top