ANÁLISE: Sem sequer um chute no gol, Fluminense tem pior partida da era Diniz

A classificação que já era difícil mesmo vencendo ficou quase impossível após o empate por 0 a 0 do Fluminense com o Unión Santa Fe, na noite da última quinta-feira, na Argentina. Para chegar às oitavas de final da Copa Sul-Americana, o Tricolor agora está à espera de um milagre. Para recapitular: precisa torcer por um empate dos argentinos com o Junior Barranquilla na Colômbia, além de ter que vencer o Oriente Petrolero na Bolívia por seis gols de diferença.

Foi disparada a pior atuação nesses cinco primeiros jogos de Fernando Diniz desde seu retorno às Laranjeiras. Para um time que precisava vencer, o Fluminense não mostrou “fome” e apresentou um volume ofensivo pífio no Estádio 15 de Abril. Foram apenas quatro finalizações (NENHUMA SEQUER NA DIREÇÃO DO GOL) e zero chances claras em 97 minutos, considerando os acréscimos. A posse de bola tricolor, que variou próxima dos 60% durante o jogo inteiro, de nada adiantou.

E a atuação discreta de Ganso, que voltava de lesão após desfalcar a equipe nos últimos dois jogos, foi determinante para essa posse de bola estéril. Ele era o cara com mais visão e técnica para quebrar as linhas de uma retranca, mas ele acabou sendo o jogador com mais passes errados do Fluminense na partida ao lado de Luiz Henrique, com 15 erros. Com o camisa 10 mal, Nathan seria o segundo mais “preparado” para a função, mas errou tanto quanto o companheiro de setor: 14 passes equivocados.

O que poderia ter sido feito de diferente para aumentar o volume ofensivo? Talvez, depois de ter percebido que o Unión jogaria na retranca, ter aberto mão de um dos dois volantes (Wellington e André) para colocar Arias ou Caio Paulista já na volta do intervalo. Quando decidiu pôr o time para frente, ao tirar Ganso e Nathan perdeu o meio de campo. Diniz mais uma vez se mostrou corajoso, trocou lateral por peça de ataque, mas viu que nem sempre encher o time de atacantes vai funcionar.

Os jogadores do Fluminense dormiram na Argentina e na tarde desta sexta-feira seguirão direto para o Ceará, onde o time irá treinar no sábado e enfrentar o lanterna Fortaleza no domingo, às 16h no Castelão, pela sétima rodada do Campeonato Brasileiro. A dependência do milagre na Sul-Americana será na quinta-feira da semana que vem, quando visita o Oriente Petrolero na Bolívia, às 21h30 (horário de Brasília), pela última rodada do Grupo H. O Tricolor é o terceiro colocado com oito pontos.

Fonte: Ge
Foto: Mailson Santana

Diniz acha justo empate contra o Unión e não joga toalha para a classificação: “Vamos acreditar até o final”

O empate em 0 a 0 com o Unión Santa Fe na Argentina (veja os melhores momentos no vídeo acima) dificultou os planos do Fluminense para a última rodada da fase de grupos da Copa Sul-Americana. Para se classificar para as oitavas de final, o Tricolor precisa torcer por um empate dos argentinos com o Junior Barranquilla na Colômbia, além de ter que vencer o Oriente Petrolero na Bolívia por seis gols de diferença.

Fernando Diniz considerou o resultado justo e disse que faltou profundidade para sua equipe. Após a partida, questionado na coletiva de imprensa sobre a virtual eliminação de quem era considerado favorito na chave antes de começar a fase de grupos, o técnico, que assumiu o Fluminense no meio da competição, lamentou a situação e comparou com a Copa Libertadores, que é o principal torneio da América do Sul. Apesar de reconhecer a situação complicada, ele se recusou a jogar a toalha:

Futebol é assim, é uma coisa que acontece. O jogo que mais fez falta foi o empate em casa contra o Unión, e também o saldo lá de 3 a 0 contra o Barranquilla. São coisas que acontecem no futebol. A gente veio como candidato a ser primeiro, mas é um grupo muito forte, tem três equipes brigando pela classificação. Esse grupo da Sul-Americana é muito mais forte que muitos da Libertadores. Éramos candidatos, mas tinha adversários fortes. Tínhamos que ter pontuado o máximo em casa para poder seguir e ter mais chances de classificação. Mas ainda temos e vamos acreditar até o final“, finalizou.

“Vamos dar a vida”, comenta Luiz Henrique sobre última partida contra o Oriente Petrolero

Fluminense, ao empatar sem gols com o Union Santa Fe na Argentina, encontra-se com uma missão complicada para a última rodada da fase de grupos da Copa Sul-Americana. Após a partida desta quinta-feira, o atacante Luiz Henrique falou sobre as possibilidades para o jogo decisivo.

Chances matemáticas existem, mas ainda tem chance. A gente sabia que o jogo de hoje seria muito difícil, mas a equipe lutou até o final. Temos que trabalhar. Não é muito bom para a gente, mas vamos lutar até o final para conseguir se classificar.

Para conseguir a classificação ao mata-mata da Sul-Americana, o Fluminense precisa torcer para um empate entre Junior Barranquilla e Union além de ter a obrigação de vencer o Oriente Petrolero por seis gols de diferença.

– Na Colômbia, vamos dar nossa vida, fazer o máximo de gols que puder. Vamos lutar até o final e, se Deus quiser, vamos sair classificados.

Foto: Mailson Santana 

Fluminense joga mal, empata com o Santa Fe e praticamente dá adeus à Sul-Americana

Foto: GE

O que era difícil ficou praticamente impossível. O tricolor teve atuação terrível, pouco ameaçou os argentinos e não saiu do zero em partida decisiva.

O Fluminense entrou em campo sabendo que só a vitória interessava para seguir vivo na competição. O desempenho indicava o contrário. Na primeira etapa, o Flu teve a tal posse de bola característica dos times de Fernando Diniz. A questão é que se tornou uma posse inútil. Não sofria, mas também não ameaçava. Apenas uma finalização sem perigo com Nathan.

Após o intervalo, a torcida clamava por mudanças. Pineida teve atuação deprimente. Fernando Diniz não mexeu. O jogo dava sono. Ninguém merecia ganhar. O treinador tentou mudar o jogo acionando Bigode e Arias, mas destruiu o meio campo tirando Ganso e Nathan ao mesmo tempo. A partir daí, os argentinos se soltaram e tiveram algumas chances. Apático, o Flu terminou a partida sem acertar a meta do Santa Fe. Zero finalizações no gol.

Agora só um cenário classifica o Fluminense. O tricolor precisa vencer o Petrolero por no mínimo cinco gols de diferença e torcer por em empate no jogo entre Junior e Santa Fe. Improvável a classificação tricolor.

O tricolor volta a campo no próximo domingo pelo Campeonato Brasileiro, o adversário será o Fortaleza, às 16h, no Castelão.

Em casa na Argentina, Cano curte boa fase e se diz confiante para partida de logo mais

Artilheiro do Fluminense na temporada, Germán Cano não demorou para cair nas graças da torcida. A ponto de sua tradicional comemoração fazendo o “L” virar febre nas arquibancadas e nas ruas. E agora o jogador está mais em casa do que nunca. O camisa 14 é a esperança de gols para o Fluminense na Argentina, onde ele nasceu e onde o time enfrenta o Unión de Santa Fe nesta quinta-feira, às 19h15, pela quinta rodada da fase de grupos da Conmebol Sudamericana.  

Natural de Lomas de Zamora, região de Buenos Aires a cerca de 480 quilômetros de Santa Fe, cidade onde a partida será realizada, Cano conhece bem o Estádio 15 de Abril, casa do Unión. Em 2010, o artilheiro defendeu as cores do Colón, seu principal rival. As boas recordações e o grande momento fazem o camisa 14 se encher de confiança para o duelo desta noite.

São muitas lembranças boas da cidade. Joguei aqui e guardo muita coisa boa. Eu era muito jovem, mas foi uma passagem boa, deixei amigos que agora pude reencontrar. A expectativa pelo jogo é muito boa. Estamos convencidos de que podemos ganhar”, disse.

Cria de Xerém, Marlon visita CT da base e elogia a estrutura: “Muito desenvolvido”

No Brasil desde março por conta da guerra na Ucrânia, o zagueiro Marlon, do Shakhtar Donetsk, esteve em Xerém, na última terça, para reencontrar o local onde deu seus primeiros passos como jogador de futebol. Formado no Fluminense, o atleta voltou para o Rio de Janeiro enquanto espera um definição de seu futuro e aproveitou pra rever o centro de treinamento que já foi sua casa.

Após rever a estrutura que o formou como jogador, ele celebrou o reencontro e exaltou o crescimento do clube. Além disso, destacou a importância de relembrar da própria história ao se deparar com jovens atletas com realidades muito próximas ao que o zagueiro enfrentou no passado.

Está tudo muito desenvolvido, e para mim é uma grande satisfação encontrar profissionais de altíssimo nível, que têm zelo e estão crescendo junto com o clube, fico muito feliz com isso, ver a meninada que está correndo atrás do sonho, se dedicando nos dias que tem treino, passa um filme na cabeça. É legal rever esse tipo de situação, faz com que você fique mais motivado, porque traz para o seu presente um passado recente seu, então é muito legal e entusiasma a voar mais alto e alcançar novos objetivos”, declarou Marlon.

Fonte: Ge
Foto: Comunicação Fluminense

“Faz o L Presidente” – Opinião Antonio Gonzalez

“Faz o L Presidente”

Hoje, às 19h15 (horário de Brasília), o Fluminense entrará em campo, para disputar uma batalha decisiva, na Sulamericana, contra o Unión Santa Fe, na Argentina. A partida será disputada no Estádio 15 de abril e somente a vitória interessa.

Depois de bater na porta da Libertadores e ficar do lado de fora de forma humilhante, o nosso Tricolor tem por OBRIGAÇÃO passar de fase nesse torneio de consolação que é a Sulamericana.

Cabe ao treinador Fernando Diniz encontrar a fórmula mágica para sair vitorioso.

E muito cuidado!

Como dizia o saudoso, único e eterno ex Presidente Manoel Schwartz (homem íntegro, que colocou no clube, enquanto ocupava o cargo, muito dinheiro do próprio bolso, como por exemplo na contratação do Romerito): “Futebol também se ganha dentro de campo”. Portanto muito cuidado porque o VAR não estará presente.

Ontem participei do VINI PODCAST, do Vinícius Toledo. Só tenho palavras de agradecimento. Recebi muitas mensagens, fiquei lisonjeado.

Mas uma das mensagens me chamou muito a atenção: a do Seu Frederico, desde o Piauí. Ele vive na localidade de Malvada dos Porcos, no município de São Julião.

Fiquei muito emocionado em saber, uma vez mais, da grandiosidade do Fluminense. Seu Frederico tem a minha idade, 60 anos (foi uma das primeiras pessoas a nascer no município que foi fundado 18 de dezembro de 1960) e conhece como poucos a história do clube. Assim como eu, define a Francisco Laport, a Francisco Horta e a Manoel Schwartz, como os melhores presidentes do Tricolor nesses últimos 60 anos.

Trocamos muitas mensagens a ponto que lhe perguntei como era viver em São Julião. Ele foi claro: “isso aqui era um lugar tranquilo, até que apareceram uns fofoqueiros que desvirtuaram o alto astral que existia no município… é um tal de X-9 pra cá, fake news pra lá…”.

Enfim, são pessoas como o Seu Frederico, que se aposentou recentemente, que constroem a verdadeira história do Fluminense.

Por isso vou dedicar ao Seu Frederico a canção de minha autoria junto ao meu irmão Claúdio Kote:

De resto, hoje tem que ser VENCER OU VENCER!

Faz o L Presidente!!!

Em busca da sobrevivência: Flu precisa vencer na Argentina para seguir com chances de classificação na Sula

O Fluminense já está na Argentina para enfrentar o Union de Santa Fé nesta quinta-feira (19) pela quinta rodada da fase de grupos da Copa Sul-Americana.

Neste momento, o Fluminense está na terceira colocação, um ponto atrás dos argentinos e a três do líder Junior Barranquilla, que venceu o Oriente Petrolero na última terça-feira e complicou a situação tricolor no grupo. Como faltam duas rodadas — uma para os colombianos — e apenas o primeiro avança para as oitavas de final, a equipe do técnico Fernando Diniz enfrentará o Unión com a calculadora na mão.

  • Se o Fluminense vencer o Unión: vai a 10 pontos, os mesmos do líder Junior Barranquilla, com o desempate sendo no saldo de gols (6 a 1 para os colombianos). Na última rodada, terá que vencer o Oriente Petrolero, na Bolívia, e torcer por um tropeço do Junior diante do Unión, na Colômbia. Ou vencer e superar os colombianos no saldo de gols. Caso empate, terá que torcer por uma derrota do Junior.
  • Se o Fluminense empatar com o Unión: permanece na 3ª colocação com 8 pontos e está virtualmente eliminado. Teria que vencer o Oriente Petrolero e torcer por um empate entre Junior e Unión na última rodada. Neste cenário, também teria que superar os colombianos no saldo de gols já que ambos empatariam com 11 pontos.
  • Se o Fluminense for derrotado pelo Unión: está eliminado da Copa Sul-Americana.

Foto em destaque: Mailson Santana/FFC

Fonte: Jornal Extra

Com Ganso de volta, saiba qual será a provável escalação para partida de amanhã

Fluminense realizou na tarde desta quarta-feira, no CT do Colón, seu último treino antes da partida contra o Unión Santa Fe, pela penúltima rodada da Copa Sul-Americana. Recuperado de lesão na coxa direita, Ganso deve retornar à equipe titular do técnico Fernando Diniz.

Havia a expectativa de que Felipe Melo também estivesse disponível para a partida, mas o volante, que sequer viajou para a Argentina, ainda se recupera de uma cirurgia de artroscopia no joelho direito, não foi liberado e segue fora do time. Na última terça, Melo foi até as redes sociais para explicar sua ausência e afirmou que deve retornar na próxima semana.

A provável escalação tricolor conta com: Fábio, Yago Felipe (Samuel Xavier), Nino, David Braz, Pineida; Wellington, André, Nathan, Ganso; Luiz Henrique, Cano.

Foto: Mailson Santana 

EM SOLO ARGENTINO! Fluminense chega em Santa Fé para confronto contra Atlético Unión amanhã

O Fluminense chegou a Santa Fe, na Argentina, onde enfrenta o Club Atlético Unión na próxima quinta-feira (19/05), pela quinta rodada da fase de grupos da Conmebol Sudamericana. A delegação tricolor, que conta com 27 jogadores, desembarcou no Aeroporto de Rosário e seguiu de ônibus para a cidade onde ocorrerá o confronto.

A partida será realizada às 19h15 de quinta, no Estádio 15 de Abril. Na véspera, a equipe comandada pelo técnico Fernando Diniz encerra sua preparação para o duelo em treinamento marcado para 15h30.

Confira a lista dos jogadores que viajaram:

Goleiros:Fábio, Marcos Felipe e Muriel

Zagueiros: David Braz, David Duarte, Luccas Claro, Manoel, Matheus Ferraz e Nino

Laterais: Calegari, Cris Silva, Marlon, Pineida e Samuel Xavier

Meias: André, Jhon Arias, Martinelli, Nathan, Nonato, PH Ganso, Wellington e Yago Felipe

Atacantes: Caio Paulista, Germán Cano, Luiz Henrique, Matheus Martins, Willian Bigode

Texto: Comunicação/FFC
Fotos: Comunicação/FFC