Saiba tudo, sobre a programação do Departamento de Futebol Profissional


Abaixo a programação do Departamento de Futebol Profissional do Fluminense Football Club entre os dias 16 e 22 de maio de 2022.

16/05 – Segunda-feira

  • 15h30 – Treino – CTCC

17/05 – Terça-feira

  • 09h30 – Treino – CTCC
  • Após – Viagem Santa Fe, Argentina

18/05 – Quarta-feira

  • 15h30 – Treino

19/05 – Quinta-feira

  • 19h15 – Sul-americana
  • Estádio 15 de Abril
  • Union x Fluminense

20/05 – Sexta-feira

  • Viagem Fortaleza

21/05 – Sábado

  • A programar

22/05 – Domingo

  • 16h00 – Campeonato Brasileiro
  • Castelão
  • Fortaleza x Fluminense

*Escala sujeita a alterações

Fluminense terá viagem de 5h para encarar Unión Santa Fe

O Confronto entre Fluminense e Unión Santa Fe nesta quinta-feira (19), às 19h15, pela penúltima rodada da Sul-Americana, valerá a permanência do Tricolor na competição. Por outro lado, antes mesmo de iniciar o jogo, a comissão técnica e elenco terão que encarar uma viagem de 5h para chegar ao Estádio 15 de abril. A informação é do portal “GE”.

Ainda de acordo com o portal, o Fluminense embarcará nesta terça-feira para Rosário, na Argentina, após o treino pela manhã. O voo fretado dura em torno de 3h, mas além disso, o Tricolor terá que viajar cerca de 2h de ônibus para Santa Fe.

Nesta quarta-feira, o Fluminense treinará no centro de treinamento do Colón, onde o time irá finalizar a preparação para o confronto, que pode eliminar o Tricolor da Sul-Americana em caso de derrota. A equipe de Fernando Diniz é a terceira colocada no Grupo H e soma sete pontos.

foto Mailson Santana.

Presidente do Fluminense, explica ‘Não é só a questão do percentual. Existem uma série de discussões’..da Libra

O Fluminense recebeu os presidentes de outros 24 clubes para uma nova reunião. O encontro aconteceu em São Conrado, zona sul do Rio de Janeiro, no hotel que patrocina o Tricolor. Em contato com os jornalistas, o presidente Mário Bittencourt explicou o que ficou definido nesse primeiro momento. O próximo passo é voltar à mesa com os representantes da Libra em busca de um acordo.

Estiveram nesta reunião: América-MG, Atlético-GO, Avaí, Ceará, Athletico-PR, Atlético-MG, Coritiba, Cuiabá, Juventude, Fluminense, Fortaleza, Goiás, Internacional, Chapecoense, Brusque, CSA, CRB, Náutico, Criciúma, Guarani, Londrina, Operário, Sampaio Corrêa, Sport e Vila Nova. As empresas Live Mode e Alvarez & Marsal foram nomeadas pelo grupo como consultores e participam das conversas.

Para isso, foi formada uma comissão com seis clubes, além de um representante da Associação Nacional de Clubes de Futebol (ANFC) que representa um bloco de equipes da Série B. A nova divisão das receitas proposta é de 45% igualitários, 30% de performance e outros 25% por engajamento. Esse último critério causa debate pois é considerado subjetivo.

“Não é só a questão do percentual. Existem uma série de discussões, em especial o engajamento em que nos preocupamos bastante. Não temos um número ainda, e sim, uma ideia já assinada. Uma ideia de uma distribuição melhor, onde declaramos em carta aberta há alguns dias atrás, que a gente entendia qual seria o número interessante. Mas não é um número fechado, como o número deles (grupo que aderiu a Libra) não é também. Pode ser que esse debate técnico, a gente entenda que a limitação do menor para o maior, por exemplo, supra a diferença dos 45, 50 ou 40”, explicou.

Os clubes que lideram a Libra também contrataram empresas especialistas para assessorar nas negociações. Perguntado se isso poderia dificultar o processo e aumentar as divergências, Mário explicou como funciona essa atuação.

“Eu não vejo dessa forma, até porque todas elas podem trabalhar juntas no futuro. E nós aqui, hoje, definimos que as empresas vão nos assessorar na negociação. Mas que não haverá para o futuro seja de venda de direito, seja para venda para um investidor da Liga. Inclusive, entendemos que outras empresas podem participar. A gente pode abrir o processo de concorrência, para quando a Liga estiver formada. Isso não inviabiliza de jeito algum o bom trabalho da empresa que os representa, bem como que nos representa e até possam, num acordo, trabalhar juntas”, disse.

foto Mailson Santana

Reunião entre 23 Clubes Brasileiros, aconteceu no Rio de Janeiro, buscando entendimento com a Libra

A Reunião contou com a presença de 24 clubes da série A e B, nesta segunda-feira 16.05.22, no Rio de Janeiro, no Hotel Nacional (patrocinador do Fluminense) e das consultoras Alvarez & Marsal e LiveMode, para terem um estudo aprofundado a respeito das divisões de verbas em uma futura Liga do Brasil. O tema é motivo de discórdia entre o Forte Futebol e os 10 times que aderiram à Libra: Botafogo, Corinthians, Cruzeiro, Flamengo, Palmeiras, Ponte Preta, Red Bull Bragantino, Santos, São Paulo e Vasco.

A Reunião contou com a presença dos clubes: América-MG, Athletico-PR, Atlético-GO, Atlético-MG, Avaí, Ceará, Coritiba, Cuiabá, Fluminense, Fortaleza, Goiás, Juventude e Internacional, da Série A, e mais Brusque, Chapecoense, CRB, Criciúma, CSA, Guarani, Londrina, Náutico, Operário, Sampaio Corrêa, Sport e Vila Nova, da Série B.

Segundo apuração do CanalFluNews Colorado e Galo entraram como “ouvintes” e “mediadores” do Forte Futebol. Além disso, foi formada uma comissão com seis participantes para a reunião futura com a Libra. Os integrantes são: América-MG, Atlético-MG, Fluminense, Fortaleza e Inter, além da ANCF (Associação Nacional de Clubes de Futebol).

O encontro foi bem produtivo para os integrantes, que entendem de uma maneira mais técnica e aprofundada a divisão das cotas. A partir de agora, a ideia dos clubes é marcar um novo encontro com os integrantes da Libra, o mais rápido possível, a fim de um avanço nos diálogos em definitivo para a liga sair do papel.

A Libra, inicialmente, havia pedido que as cotas fossem divididas em 40% igualitárias, 30% proporcionais ao resultado esportivo e outros 30% equivalentes à audiência, presença em estádio e engajamento em redes sociais. Este grupo inicialmente queria que a divisão fosse 50-25-25.

Os dois lados conseguiram alcançar um acordo que o melhor formato seja o de com 45% de forma igualitária, 25% referente a resultado esportivo (posição na tabela de classificação) e 30% de acordo com audiência, que os times do Forte Futebol brigam para que não seja medida apenas com interações em redes sociais.

Outro ponto de discussão entre os dois grupos está na fatia dos recursos a ser destinada aos clubes que estão na Série B do Campeonato Brasileiro. A Libra inicialmente propôs 15%, enquanto outros clubes querem 20%.

A entrada de clubes como Atlético-MG e Internacional no grupo, que antes era de 23 clubes, foi muito bem vista pelos demais, que entendem ser um cenário mais favorável para as equipes da Libra cedam a novos pedidos e acordos favoráveis aos 40 times.

De acordo com apuração, a Liga não sairá do papel caso não exista uma voz uníssona entre os 40 clubes. Se houver um dissidente, o acordo não acontecerá.

A princípio, a parte financeira ficará a cargo da Liga, sem que a CBF tenha interferência. Por outro lado, os clubes entendem que a entidade conta com pontos positivos e poderá auxiliar na criação do campeonato na área de departamento de registros e de competições, este para a montagem da tabela. A arbitragem também ficaria sob critério da confederação em um primeiro momento.

A ideia do grupo de 25 clubes é levar uma contraproposta o mais rápido possível à Libra. Uma reunião deverá acontecer entre esta semana e a próxima.

Haverá uma busca incessante por um acordo financeiro entre os 40 clubes e, apesar de estar disposto ao diálogo, o grupo de 25 clubes não irá “ceder em todos os pontos”, conforme apurado pela reportagem.

Fernando Diniz e Nino exaltam o desempenho de Germán Cano, leia!

Fluminense conquistou vitória sobre o Athletico-PR, em Volta Redonda. Fluminense contou com os gols de Germán Cano, que se tornou ídolo da torcida e vem sendo exaltado dentro do clube.

O técnico Fernando Diniz destacou a mudança de comportamento dentro de campo de Cano.

“Isso é um talento que a gente não ensina. Tem que aproveitar. É talento. Não dá para treinar uma pessoa para ser parecida com Cano ou Fred. O que a gente foi entendendo é que ele poderia ser um jogador mais completo. É um dos caras que mais corre no Fluminense e era no Vasco, mas antes de eu chegar era um dos que menos corria. Participa do jogo pegando na bola. Vem, sai da área, vai para um lado, para o canto, e isso não inibe ele de fazer gol. Comigo tem sido assim. Falei para ele: ‘Quanto mais você participar do jogo, você vai estar lá na hora certa para fazer o gol’. Então, além de fazer gol, ele é fundamental na parte tática, no espírito que o time tem que ter”, disse.

O zagueiro Nino foi outro a rasgar elogios ao companheiro.

“É espetacular, finalizador nato. Cara que faz muitos gols, mas vai muito além dos gols que faz. Ele se entrega muito pelo time. Se a gente parar para reparar o quanto que ele corre durante o jogo, o quanto ele ajuda na marcação, o tanto que ele dá opção… Então é um cara que encaixa muito bem em qualquer time em que ele estiver. É um privilégio para o Fluminense ter um jogador como ele. Um cara que tem tudo para virar um ídolo do clube por todos os gols que ele faz e por tudo que ele entrega dentro de campo”, declarou.

O Fluminense vai precisar dos gols de Germán Cano nesta quinta-feira, contra o Unión-ARG, na Argentina, às 19h15 (de Brasília). Os tricolores têm que vencer para manterem boas chances de classificação na Sul-Americana.

foto Marcelo Gonçalves FFC

“Fluminense fará parte da comissão para discutir a LIBRA” – Por Rodrigo Amaral

Em Reunião hoje, para dar mais um passo à constituição da LIBRA , Fluminense fará parte da comissão composta por 6 representantes de time que debaterão com os representantes da LIBRA a divisão de receita por engajamento de torcida, os clubes representados são Fluminense, Internacional, América MG, Atlético MG Fortaleza e o Presidente da Associação Nacional dos Clubes de Futebol (ANCF), que representará os Clubes da serie B.

Lembramos que o Fluminense já se posicionou contrário a proposta inicial da LIBRA que não dá transparência e nem determina de que forma será feito a fiscalização e divisão das receitas através desse item, o qual o Fluminense defende ocupar 25% da receita e a Libras 30%.

“A LIGA, se Liga!” – Por Rodrigo Amaral

A LIGA, se Liga!

Guerreiros e Guerreiras, muito tem se falado a respeito da tal LIGA, de nome engraçado, LIBRA, que poderia ser moeda estrangeira ou até mesmo uma unidade de medida, mas que a analogia até caberia, o dinheiro para fomentar a criação pode vir de fora e a sua distribuição não pode ter dois pesos e duas medidas, então sigamos nessa linha, linha do desconforto, das muitas noticiais que só servem para embaraçar nossa cabeça, vamos falar nesse texto, de pouco romantismo, sobre o posicionamento do Fluminense.

Para começar a falar sobre a criação da LIBRA, temos que compreender uma coisa, a LIGA não foi formada de ontem pra hoje, uma negociação de tão grande vulto, que movimentará bilhões não nasceu da noite pro dia, certamente conversas vêm sendo mantidas a mais de 8 meses, para que aí pudesse ser traçado o embrião dessa Associação de Clubes que mudará a forma de organizar o Futebol Brasileiro, pelo menos esperamos que mude para melhor e nessas conversas temos algumas figuras a serem destacadas:

  • Família Zveiter
    • O desembargador Luiz Zveiter chegou a presidência do STJD (Superior Tribunal de Justiça Desportiva) em 1996 a convite do então presidente Ricardo Teixeira, que curiosamente em 1999 passou o cargo para o irmão Sérgio, mas voltou a ocupar o cargo em 2000, e foi em 99 que ocorreu a virada de mesa que salvou o Botafogo, time de Luiz Zveiter, para quem não se recorda é o caso Sandro Hiroshi, onde o jogador tinha sua certidão de nascimento adulterada e a CBF solicitou a correção e lhe deu condição de jogo, mas Sergio Zveiter entendeu num momento posterior que a punição cabia ao São Paulo F.C. e com isso concedeu os pontos da derrota para o Botafogo, que culminou com a ação do Gama e a partir daí já sabemos o que ocorreu. Sigamos com os Zveiter, em 2001, ainda estudante de direito, Flavio, filho de Luiz, passou a integrar a comissão disciplinar do STJD, em 2005 já com o curso finalizado passou a Auditor do Tribunal. Vale lembrar que o pai de Sergio e Luiz, Waldemar Zveiter foi Ministro do Superior Tribunal de Justiça. Luiz Zveiter em 2001 suspendeu por 30 dias Armando Marques, então presidente da comissão de arbitragem, que ofendeu Paulo Cesar de Oliveira na sua atuação no jogo Vasco x Paraná, jogo em que o presidente vascaíno, Eurico Miranda, invadiu o Campo e não recebeu qualquer tipo de punição pela sua atitude antidesportiva e a forma que Eurico achou para agradecer a gentileza foi sair em defesa de Zveiter numa briga acirrada pelo poder dentro do STJD entre Ricardo Teixeira e o próprio Luiz, podemos dizer que era uma briga em criador e criatura, com vitória da família Zveiter. Luiz Zveiter também teve atuação impactante no caso Edilson, onde foram anuladas 11 partidas do Brasileiro de 2005.

Hoje, adivinhem quem está coordenando a criação da LIBRA, pois bem, acho que ninguém acertou né, pois é, Flávio Zveiter é o representante da Codajás Sports Kapital (CSK) e mentor do Estatuto da LIBRA.

  • Reinaldo Carneiro Bastos
    • Atual presidente reeleito da Federação Paulista de Futebol, assumiu a Federação em 2015, se elegeu em 2018 e agora reeleito até 2026 e em seu discurso de posse ele diz: “- Se estou aqui, não é só porque eu quero. Essa é uma entidade de clubes e ligas e, para a gente pleitear algo, a gente precisa, minimamente, de apoio de todos. Ninguém se elege vereador sem voto. Você não se elege a presidente do Senado sem apoio. Se a gente quer pleitear, precisa de voto, tem que ter apoio. Essa é a regra básica.” Hoje na LIBRA é o representante dos seis clubes paulistas que já assinaram a criação da LIBRA, que são Corinthians (A), São Paulo(A), Palmeiras(A), Santos(A), Bragantino(A) e Ponte Preta (B)

Cabe ainda salientar que dentro de colcha de retalhos Reinaldo é um dos quatro novos vice-presidentes da atual Gestão da CBF

  • Rubens Lopes Junior (o Rubinho)
    • Presidente da Federação de Futebol do Rio de Janeiro, reeleito por aclamação no último mês de abril para seu sexto mandato, sendo assim Rubinho já está a 17 anos no poder e dessa vez teve um discurso alinhado para a defesa e aceitação junto a CBF da aprovação da LIBRA, entidade essa, CBF, que hoje ele é um dos quatro novos vice-presidentes.
    • Cabe uma observação, segundo a nova legislação em vigor desde 2016, os Dirigentes esportivos foram limitados a dois mandatos, com isso é o ultimo mandato de Rubens Lopes Junior e com isso o cargo ficará disponível para a eleição de 2025.

Apresentado ou melhor, lembrado algumas figuras que movimentam o futebol brasileiro, sigamos no que mais importa para nós tricolores que é a posição do Fluminense neste projeto, mas antes falemos um pouco sobre aos acontecimentos e formatação da LIBRA.

Dentro do processo de fundação da LIBRA alguns Clubes tomaram a frente e articularam a execução do estatuto, Flamengo, Corinthians, Bragantino, São Paulo, Palmeiras e Santos da Série A, Ponte Preta e Cruzeiro da série B, estatuto esse redigido por Flávio Zveiter que é representante da CSK, empresa que em sua página se autodescreve como tendo o objetivo de desenvolver novas oportunidades e investimentos no futebol brasileiro, ou seja, é uma espécie de intermediária para captação de investidores, mas ao mesmo tempo fica tão próxima do seu cliente a ponto de elaborar a alma do cliente, leia-se o estatuto da LIBRA, um fato que nos deixa pensativos. Como falado anteriormente esta colcha de retalhos, que ainda não está acabada, vem sendo costurada a algum tempo, mas os mentores sabem o que querem, e não se fazem de rogados para demonstrar isso, ao fazer a composição da divisão dos percentuais a serem distribuídos para os associados da LIBRA, fica bem claro o intuito de polarização, de supervalorização daqueles que hoje têm o maior poder aquisitivo para investimentos do Futebol Tupiniquim, chegaremos ainda nesse tema, calma. Fato importante nessa história, e que chama a atenção é a ânsia que esse bloco de clubes tem para a assinatura e fundação da LIBRA, mesmo o tema sendo de suma importância, sem maiores aprofundamentos e discussões com todos os interessados, e esse bloco vem com um argumento muito raso para a assinatura, a de que é agora ou nunca, já passou da hora, não dá pra ficar mais uma década vendo crianças usando camisas de times europeus e repetindo o clichê: é outro esporte. Reunião marcada para o dia 03 de maio, com o argumento de que seria uma reunião entre o bloco “fundador” e os demais

clubes, fomos representados não pelo nosso Presidente, que estava com a agenda ocupada por uma reunião de negociação contratual, com isso designou o Vice de Relações institucionais, Mattheus Montenegro, advogado tributarista, sócio do escritório Bichara Advogados, Procurador Adjunto Tributário do Conselho Federal da OAB entre outras nomeações dentro da área do direito Tributário. A recepção do G8 (grupo dos 8 fundadores, o chamaremos assim) ao grupo que se auto intitula Futebol Forte, formado por América-MG, Atlético-GO, Atlético-MG, Athletico, Avaí, Ceará, Coritiba, Cuiabá, Fortaleza, Goiás e Juventude e os demais Clubes presentes na reunião, foi uma tremenda casa de caboclo* e tão logo o Presidente do São PauloF.C. teve o direito da palavra, dissertou sobre a importância daquele dia para o Futebol Brasileiro, pois seria naquele dia assinado a fundação da Liga que mudaria o Futebol Brasileiro, face a fala do presidente são-paulino todos os demais presidentes incrédulos ficaram, pois a chamada era para um debate e não para sacramentar nada, com isso o impasse se estabeleceu.

Na lista ainda faltam alguns Clubes, Botafogo, Internacional, Fluminense da Série A, além de outros da Série B, como o Grêmio e Vasco, que num primeiro momento ficou com o pé atrás, até porque dependia de um entendimento interno com a SAF 777 que já adiantou receita para o Clube, mas acabou entendendo que deveria assinar, com isso o Vasco hoje já é membro da LIBRA e o Grêmio está em posição neutra, aguardando os acontecimentos. Botafogo e Inter ficaram num ponto de inércia, querendo ser os moderadores para que pudessem ter algum protagonismo e articularem a aproximação entre o Futebol Forte e o G8.

O Fluminense foi procurado no inicio para compor o grupo de fundadores, o intermediário foi o Dr Flávio Zveiter, mas ao ver a forma e termos do estatuto e a divisão das receitas posicionou- se contrário a este formato já que o abismo entre os clubes continuaria enorme, sendo assim o Fluminense é favorável a LIGA, mas não nos moldes apresentados

Vale destacar que a “PL do Mandante” aqui no Brasil diz que o mandante tem a prerrogativa da negociação dos direitos de transmissão, assim como é lá fora, mas uma diferença drástica existe, lá negociam em bloco, coletivamente e aqui individualmente, o que diminui muito o poder de barganha.

Para que possamos entender um pouco o que vamos traçar um paralelo

Critérios de divisãoAlemanhaEspanhaItália / FrançaInglaterraLIBRA
Igualitária53%50%50%50%40%
Performance42%25% (média dos últimos 5 anos)30%25%30%
Engajamento25%20%25%30%
Outros critérios5%

Na divisão da Premier League a divisão igualitária chega a 68% se levar em consideração a venda internacional, não somente os 50% da venda doméstica, e é esse modelo que o Fluminense julga ser o mais justo para manter um equilíbrio pra o campeonato, mas salientando que o Fluminense discorda dos parâmetros do rateio do percentual sobre engajamento, a LIBRA bota um peso grande em cima do tamanho da torcida através de uma pesquisa feita pelo IBOPE, pois a pesquisa não é clara sobre aqueles torcedores que consomem o produto futebol, não traz muita

Caixa de texto: Casa de Caboclo* Termo usado no submundo da marginalidade. Armadilha, traição, crocodilagem.

clareza sobre os percentuais, e quando se fala na forma de mensurar o percentual de audiência sobre a transmissão de tv a conversa fica ainda mais nebulosa, afinal além de não ser claro, de não estar definido de que forma será feito, ainda fazem o discurso de que esse tipo de discussão pode ficar para um momento posterior, ou seja, depois que todos assinarem um contrato (estatuto) de adesão a LIBRA. Ora caros amigos, como alguém em sã consciência assina algo de tanta importância, principalmente quando se trata de um dos objetivos fins que é a divisão de receita, sem ter uma regra clara e transparente? Como assinar algo sem saber o que vai receber ou discordando do que vai receber?

A Planilha acima retrata a divisão do último Brasileirão equiparando a um cenário em que a LIBRA estivesse executando o seu planejamento de rateio, vejam que desta forma os últimos colocados, os quatro rebaixados receberiam 0,86% do total cada um, mas esse percentual para ser repassado para eles viria sendo retirado a partir do 6º colocado e os 5 primeiros colocados aumentariam assim o abismo financeiro para a parte mais baixa da tabela.

O Fluminense não aceita esse tipo de divisão, pois a luta é pelo equilíbrio e fica clara que da forma que está sendo quase que imposta a adesão o abismo tende a aumentar, afinal hoje os clubes com maior poder de investimento têm a maior probabilidade de ocuparem ao final do campeonato uma das 5 vagas do topo da tabela.

A discussão é muito ampla, tem muito por menores, mas o intuito deste texto foi mostrar algumas particularidade e tentar ajudar a mostrar de uma forma clara o básico do que está ocorrendo nesta negociação e gostaria de deixar minha opinião muito particular, de um torcedor que vive o Fluminense e tenta ajudar sempre, esse debate, esse cabo de guerra, não é a Luta do bem contra o mal, todos os clubes estão lutando para alcançar seus objetivos e melhorar suas condições e o Fluminense esta tendo uma postura que deveria ter, se não tem o protagonismo de estar encabeçando o G9, pois o Vasco entrou no bolo, e quando o Flu foi procurando era G6, foi porque analisou que o que estava sendo apresentado não seria benéfico para ele, ou melhor, nós. Vale ressaltar que não existe peso nesta questão, o Clube da Série A vale o mesmo que o

da Série B, o que ajuda a engrossar o caldo é a quantidade de jogos que cada bloco pode oferecer, sendo assim Torcedor Tricolor, não é porque a maioria dos Clubes menos tradicionais, nacionalmente dizendo, estão com a mesma postura do Fluminense que o Flu se apequenou, pergunto o que você faria? Aceitaria assinar um contrato hoje onde a sua probabilidade de ganhos pode ser de 6 a 10 vezes menor que os que estão com grana para investir em grandes elencos? Sejamos claros, francos e diretos!

Hoje teremos mais uma reunião para tratar da LIBRA.

O texto é de responsabilidade do autor.

Fluminense se despede do Campeonato Brasileiro Feminino Sub-20

Neste sábado (14/05), após o 0 a 0 contra o Flamengo, o Fluminense fechou sua participação no Campeonato Brasileiro Feminino Sub-20. A equipe dependia de um empate ou derrota do Internacional, que venceu o América (MG) por 5 a 1, para avançar no torneio. Na soma de pontos, o Tricolor conquistou 12, enquanto o time gaúcho fez 13 e se classificou como um dos dois melhores segundos colocados entre os grupos.

Com boas atuações, as Meninas de Xerém lutaram até o fim e concluíram a primeira fase invictas. Foram seis jogos, com três vitórias, três empates, 13 gols marcados e nenhum sofrido. 

Relembre os resultados:

Quarta-feira (04/05)

Flamengo 0 x 0 Fluminense

Sexta-feira (06/05)

Fluminense 1 x 0 Goiás

Domingo (08/05)

Cresspom 0 x 0 Fluminense

Terça-feira (10/05)

Fluminense 4 x 0 Cresspom

Quinta-feira (12/05)

Goiás 0 x 8 Fluminense

Sábado (14/05)

Fluminense 0 x 0 Flamengo

Texto: Comunicação/FFC

Artilheiro Tricolor, German Cano é o maior pontuador do Cartola FC neste sábado

A sexta rodada do Campeonato Brasileiro teve início neste sábado (14), com cinco jogos realizados, incluindo a partida entre Fluminense x Athletico-PR, que terminou com vitória de 2 a 1 para a equipe Tricolor.

O jogo marcou inclusive o maior pontuador do Cartola FC neste início de rodada: o argentino German Cano, autor dos dois gols da vitória do Flu, somando 20,40 pontos. Veja a lista com os principais pontuadores neste início de rodada até aqui:

Foto em destaque: Mailson Santana/FFC

Germán Cano fala sobre a vitória ‘Trabalho duro…, fazer gols dá muita confiança’ leia na íntegra

O Fluminense venceu na noite deste sábado, em Volta Redonda, o centroavante Germán Cano, fez os dois gols da vitória por 2 a 1 diante do Athletico-PR, pelo Brasileiro.

São 15 gols na temporada em 30 jogos. Nos últimos três jogos, marcou quatro vezes. O jogador quer muito mais e diz que tudo isso , é fruto de muito trabalho:

– Acho que estou muito bem. Fazer gols dá muita confiança para continuar mais ainda.

– Trabalho duro, todos os dias. Trabalho é fundamental para continuar como estou fazendo agora. Feliz pela vitória do time, que estava precisando muito. Agora é continuar, descansar para o que vier – disse Cano.

Foi a segunda vitória tricolor na competição. Nas comemorações dos gols, Cano fez o tradicional “L”, em homenagem a seu filho Lorenzo.

– Ele pediu dois gols hoje, a comemoração é para ele, que está na Argentina.

O Fluminense volta a jogar quinta-feira, mas pela Copa Sul-Americana. Enfrenta, na Argentina, o Unión, às 19h15. Pelo Brasileiro, entra em campo domingo, às 16h, contra o Fortaleza, fora de casa.

foto Marcelo Gonçalves FFC