fbpx

“Tantas Vezes Campeão”: Mário Bittencourt vence eleição e comanda o Fluminense até o fim de 2022

Fim da era Abad, início da era “Tantas Vezes Campeão”. Nesse sábado, os sócios elegeram Mário Bittencourt a presidente do Fluminense, com Celso Barros como vice. Apoiado por diversos ex-jogadores, como Aílton, Duílio, Marcão e Ronald, ele conseguiu 2.225 votos e desbancou Ricardo Tenório, que ficou com 1.032 votos. Nas 14 urnas eletrônicas, cedidas pelo TRE-RJ, e em cédulas de papel, destinadas àqueles que regularizaram sua inadimplência durante o dia, foram contabilizados 3286 votantes (5 brancos e 24 nulos).

Iniciada às 9h, com os concorrentes lado a lado recebendo os sócios na entrada na sede, a votação terminou às 18h. Simultaneamente, na Rua Álvaro Chaves, partidários de ambos os candidatos davam continuidade à campanha, com panfletagem, entrega de adesivos e exibição de faixas. A apuração levou mais de 1 hora até ser finalizada e foi acompanhada por centenas de torcedores com festa, às 19h20. O anúncio do resultado, feito pelo presidente do Conselho Deliberativo, Fernando Leite, aconteceu da janela do Bar dos Guerreiros.

A nova gestão, que segue até o fim de 2022, será empossada na segunda-feira, dia 10, e assume o comando no dia seguinte. Porém, a ideia é promover um primeiro encontro com os jogadores amanhã, no hotel onde estão concentrados para o clássico com o Flamengo, pela 8ª rodada do Campeonato Brasileiro.

Originalmente previsto para novembro, o pleito ocorreu em junho devido à aprovação dos sócios à proposta de Pedro Abad para alterar o estatuto e adiantar a data. O agora ex-mandatário o fez em razão do desgaste político sofrido em três anos e meio de mandato.


PRIMEIRO A VOTAR

Paulo Sérgio Alonso abriu a eleição de 2019. Com o casamento da afilhada marcado para hoje à tarde, em Guaratinguetá, o sócio de 66 anos deixou a família em São Paulo na sexta-feira e voltou ao Rio para votar em Ricardo Tenório.

PRESENÇA ILUSTRE

Pedro Scudieri, torcedor covardemente agredido por vascaínos no início de 2017, foi votar. Ele cumprimentou ambos os candidatos ao chegar e foi festejado por amigos da organizada Bravo 52.

DISCRIÇÃO DE PEDRO ABAD

Foi em silêncio perante a imprensa que Pedro Abad se despediu do Fluminense. Votou, mas sem revelar sua preferência, e deixou o clube com a apuração ainda em andamento.

MÁRIO E CELSO NO MEIO DA GALERA

Enquanto seguravam a ansiedade no aguardo da oficialização do vencedor, Mário Bittencourt e Celso Barros se juntaram aos correligionários para celebrar a iminente vitória. Consagrados campeões, subiram ao Bar dos Guerreiros para falar pela primeira vez como novos presidente e vice-presidente do Tricolor.

TENÓRIO SAI ANTES

Após o fim da votação, Ricardo Tenório se pronunciou ao lado de seu vice, Wagner Victer: “Sempre estive e continuarei à disposição do Fluminense. Preguei, na campanha, a união. Independente do resultado, é importante ficarmos unidos e lutando pelo Fluminense”. Deixou o local em seguida, sem nem sequer ouvir o anúncio do resultado.


Saudações Tricolores,
Nicholas Rodrigues.

Opinião – Independente do resultado, que vença o Fluminense

Foto: Nicholas Rodrigues/CanalFlunews

Neste sábado (08), inicia-se um novo começo no Fluminense Futebol Clube, um começo que anuncia uma trajetória de grande dificuldade pra quem assumir a cadeira de presidente do clube.

Porém, essa dificuldade pode ser revertida com a vontade de reerguer o clube, a instituição. Vontade essa estampada nos olhos de ambos os candidatos.

Contudo, há de se destacar que o Fluminense não termina após a eleição, ela é só o começo, e isso tem que ficar bem claro principalmente para o derrotado nas urnas. Que o seu amor pelo Fluminense seja maior do que qualquer ego ou posição política, que se for fazer oposição, que seja coerente e defendendo os interesses do clube.

Ao torcedor, que fique também registrado a sua importância na hora de decidir o futuro de clube. Que após o pleito, esqueça de candidato A ou B e que pense restritamente no Fluminense. Se o candidato escolhido não cumpriu as promessas de campanha, cobre, não fique calado. Se por ventura votou no candidato derrotado, pense grande e torça pelo sucesso do eleito pela maioria, pois quem ganhará com isso não será Mário Bittencourt ou Ricardo Tenório, e sim o Fluminense.

Dito isto, Boa sorte ao vencedor e que vença o Fluminense, sempre !

Marcão explica escolha por Mário e sonha com retorno de Thiago Silva: “Depende mais do próprio Fluminense do que dele”

Ex-volante do Fluminense, Marcão declarou apoio a Mário Bittencourt na eleição que definirá o sucessor de Pedro Abad na presidência. Ao Canal FluNews, com exclusividade, ele explicou a escolha pela chapa “Tantas Vezes Campeão”, que ainda traz Celso Barros como vice.

– Ficou fácil (escolher). Além do Mário ser meu amigo, ele tem projeto. Torcedor quer ver o projeto saindo do papel. Com Mário e Celso, teremos respeito ao nosso clube. Com eles estaremos altamente preparados para levar o nome do Fluminense para onde nunca deveria ter saído.

Numa entrevista ao programa “Os Donos da Bola”, na véspera do pleito, Mário confirmou sondagem a Buffon e revelou interesse em dois ídolos da torcida: Fred, do Cruzeiro, e Thiago Silva, do PSG. Essa, inclusive, é uma de suas propostas. Marcão, amigo pessoal do “Monstro”, disse crer na volta do zagueiro da seleção brasileira.

– Depende mais do próprio Fluminense do que dele (risos). Tem que reestruturar o nosso clube, buscar parceiros… Quem sabe, mais à frente, a gente comemora o retorno do nosso capitão.

Saudações Tricolores,
Nicholas Rodrigues.

Agredido por torcedores rivais em 2017, Pedro Scudieri vai às Laranjeiras para eleição

Acompanhado de sua mãe e de uma enfermeira, Pedro Scudieri apareceu nas Laranjeiras por volta de 10h40 para votar em Mário Bittencourt, da chapa “Tantas Vezes Campeão”. Na chegada ao clube, vestido com a camisa de campanha de seu candidato, ele cumprimentou ambos os postulantes à presidência.

Na Rua Álvaro Chaves, Scudi se reuniu com amigos da organizada Bravo 52 para seguir a campanha em apoio a Mário.

Dois anos após sofrer agressão praticada por vascaínos com barras de ferro, Scudi vem se recuperando em casa. Entretanto, chegou a ficar 157 dias hospitalizado. Três dos quatro agressores estão presos, enquanto um ainda é procurado pela Polícia.

Saudações Tricolores,
Nicholas Rodrigues.

Após estrear no time profissional, Miguel assina primeiro contrato com o Fluminense

Aos 16 anos de idade, promessa tricolor acertou vínculo de três anos com o clube; multa deve passar dos R$ 100 milhões para o futebol estrangeiro

Foto: Mailson Santana / FFC

Poucos dias depois de fazer seu primeiro jogo com a camisa do Fluminense, o garoto Miguel, de apenas 16 anos, realizou um sonho compartilhado por muitos meninos da sua idade: assinar seu primeiro contrato profissional com o clube. O vínculo acertado entre o meia e o Tricolor é de três anos, com multa que beira mais de R$ 100 milhões para clubes do futebol europeu. Esse foi um dos últimos, se não o último, da gestão do mandatário Pedro Abad, que deixará a presidência do Flu no próximo domingo. Vale lembrar que neste sábado, nas Laranjeiras, acontecerão as eleições para presidente, que colocam na disputa os candidatos Mário Bittencourt e Ricardo Tenório.

Conforme informado pelo Globoesporte.com, a negociação entre o jogador, seus representantes e Pedro Abad se desenrolaram por um bom tempo. Isso porque Marcelo Teixeira, antigo responsável por Xerém, deixou o clube e fez com que a conversa tivesse de ser direta entre empresários e o presidente. Com um grande potencial, o meia despertou interesse de times estrangeiros.

Na última quarta, na eliminação para o Cruzeiro pela Copa do Brasil, Miguel entrou em campo no segundo tempo e se tornou o jogador mais jovem a atuar com a camisa do Fluminense. O recorde pertencia ao atacante Walmir e durava desde 1965. Escolhido por Diniz aos 44 da etapa final quando a equipe perdia por 2 a 1, o atleta de 16 anos iniciou a jogada que culminou no gol de bicicleta de João Pedro e levou a decisão para os pênaltis.

Foto: Lucas Merçon / FFC

Desde que foi integrado ao elenco profissional, em abril, o meia vem treinando e sendo relacionado pelo treinador tricolor, sem sequer ter passado pelo sub-20. Em entrevista ao site oficial do clube das Laranjeiras, Miguel comemorou o contrato assinado e fez diversos elogios e juras de amor ao Fluminense.

“Estou muito feliz, muito motivado. É o primeiro grande desafio da minha carreira. Espero que seja um sucesso, como sempre foi. O Fluminense é o clube que me abriu as portas, que acreditou no meu futebol. Eu sempre darei a vida por esse clube”.

Allan descarta atrasos salariais como motivo das derrotas e se diz feliz no Fluminense

Acumulando boas atuações pelo Tricolor, volante comentou sobre os problemas financeiros e reafirmou a necessidade do grupo se fortalecer

Foto: Mailson Santana / FFC

Nesta sexta-feira (8), Allan concedeu entrevista coletiva antes do treinamento no CTPA. Como já era de se esperar, o volante não fugiu do assunto mais incômodo que vem cercando o clube das Laranjeiras nesses últimos tempos: os atrasos salariais. Apesar de ter quitado um mês atrasado da CLT, o Fluminense ainda deve três meses de salários e cinco de direitos de imagem. Entretanto, apesar de todos os problemas e insatisfações, o jogador de 22 anos negou que a situação financeira seja o motivo das derrotas da equipe. Além disso, frisou que é muito importante o grupo se fortalecer e seguir trabalhando para conquistas melhores resultados.

“Insatisfação todos têm, porque temos contas e família. Mais de três meses atrasado. Mas não é o motivo das derrotas. Temos que fortalecer ainda mais o grupo. Não tem outra maneira de sair desse momento. Se isso virar mais uma pedra no caminho, só vai piorar as coisas. Temos que trabalhar para voltar a vencer”.

Perguntado sobre o clássico contra o Flamengo, que acontece neste domingo (9), às 19h (de Brasília), no Maracanã, Allan destacou a necessidade de vitória – o Tricolor já acumula uma série de quatro jogos sem ganhar -, e revelou grande expectativa para mais um Fla-Flu.

“Vai ser um clássico bonito, de futebol bem jogado. Não vamos mudar muito a forma de jogar, só ajeitar algumas coisas. A estrutura não muda, mas precisamos entrar ligados. Eles têm um time muito bom na frente. Qualquer erro pode comprometer. É um jogo importantíssimo para a continuidade do trabalho. A gente sabe que precisa ganhar. Faz um tempo que a gente não ganha, e isso incomoda. O Fluminense é grande. Estamos consertando algumas coisas para ir bem no clássico”.

O volante assumiu que a equipe ainda está um pouco abatida pela eliminação na Copa do Brasil após perder nos pênaltis para o Cruzeiro. Porém, afirmou que é necessário virar a chave e focar totalmente no clássico contra o Flamengo. Questionado sobre os desfalques para a partida, o titular do meio-campo tricolor garantiu que quem entrar em campo irá dar conta do recado.

“Foi difícil, o gol no último minuto nos deu muitas esperanças. Merecíamos a classificação. Ainda estamos um pouco para baixo, mas temos que esquecer isso. Temos um jogo muito importante no domingo. Vai entrar um time com muita vontade de vencer, independentemente de quem seja. O departamento médico está tentando fortalecer os que estão lesionados, são jogadores importantes, que vêm de uma sequência boa. Mas quem entrar vai dar conta do recado”.

Colecionando boas atuações pelo Fluminense, Allan caiu nas graças da torcida e vem sendo bastante elogiado nas redes sociais. De acordo com ele, apesar do bom momento, é preciso que o time pare de oscilar tanto e siga trabalhando, pois o ano ainda está na metade.

“Procuro evitar olhar redes sociais, essas coisas. No momento bom virão os elogios. Nos momentos ruins, as críticas. Já passei por isso no próprio Fluminense. Prefiro evitar para não me iludir. Faltam muitos jogos na temporada, não estamos nem na metade do ano. O momento é delicado, difícil. O trabalho está sendo bom, mas a torcida espera o resultado. Em pouco mais de cinco meses fizemos um trabalho bom, passamos por etapas importantes. Só falta um detalhe para conseguir as vitórias. Temos que parar de oscilar tanto”.

Por fim, o atleta comentou sobre sua estadia no clube carioca. Emprestado pelo Liverpool-ING, que acabou de se sagrar campeão da Liga dos Campeões, o volante reiterou o desejo de jogar pelos ‘Reds’, mas disse que ainda está longe dos padrões exigidos para atuar no futebol europeu. O jogador de 22 anos ainda assumiu torcer por uma renovação com o Fluminense, que buscará mantê-lo até o final da temporada.

“Tenho o sonho de jogar no Liverpool, foi o clube que abriu as portas para mim no futebol profissional. Tenho esse sonho, mas preciso viver na realidade. Ainda não estou no nível e nem na experiência dos que estão lá. Aqui, estou bem e gosto de todos do clube. Não pretendo voltar para o Liverpool no momento. Quero que dê tudo certo na renovação”.

Com gripe e febre, João Pedro fica de fora do treino e vira dúvida para o Fla-Flu

Destaque do Tricolor carioca nesta temporada, atacante de 17 anos tem até domingo para se recuperar para o clássico

Foto: Lucas Merçon / FFC

Nesta sexta-feira, o técnico Fernando Diniz ganhou uma dor de cabeça para o clássico contra o Flamengo, no próximo domingo (9), às 19h (de Brasília), no Maracanã, válido pela oitava rodada do Brasileirão. Gripado e com febre, João Pedro, principal destaque do Fluminense em 2019, ficou de fora do treinamento no CTPA e se tornou dúvida para o clássico carioca. Na 16ª posição com seis pontos conquistados, o Tricolor vai para o Fla-Flu pressionado e precisando de um bom resultado para não entrar no Z4.

Conforme noticiado pelo Globoesporte.com, o atacante de 17 anos vem sentindo os sintomas desde a volta de Medellín, onde o Fluminense enfrentou o Atlético Nacional, pela Sul-Americana. O jovem inclusive jogou contra o Cruzeiro gripado, e mesmo assim foi decisivo com um gol de bicicleta aos 52 minutos do segundo tempo, levando a decisão para os pênaltis. Incorporado ao elenco profissional nesta temporada, João Pedro ganhou espaço no time e, desde então, balançou as redes nove vezes em 14 partidas com a camisa tricolor.

O centroavante tem até domingo para se recuperar. Caso não esteja apto, Diniz poderá optar por Ewandro, Kelvin, Léo Artur, Pablo Dyego e, agora, com Marcos Paulo, que foi liberado pela Seleção Portuguesa e retorna do Torneio de Toulon diretamente para o Fla-Flu. Nas pontas, o treinador deve manter Luciano e Brenner. Vale lembrar que para o clássico, o Fluminense ainda terá os desfalques de Matheus Ferraz e Yony González, lesionados, e também de Nino, suspenso pelo terceiro cartão amarelo. Com isso, a zaga deve ser formada por Frazan e Yuri, que provavelmente será improvisado.

Fluminense paga aos jogadores um mês atrasado da CLT

Às vésperas do clássico com o Flamengo, pela 8ª rodada do Brasileirão, a diretoria do Fluminense, em seus últimos dias nas Laranjeiras, pagou aos jogadores, nesta sexta-feira, o mês de março. Também hoje venceu a folha de maio, ainda pendente.

As dívidas com o elenco são de dois meses na CLT (abril e maio), 13º e férias de 2018, além de quatro meses de imagem (de janeiro a abril), que é recebido por menos de dez atletas. A ideia era regularizar o débito até a última quarta-feira, quando a equipe enfrentou o Cruzeiro e acabou eliminada da Copa do Brasil.

A crise financeira no clube, inclusive, virou tema em entrevistas de alguns integrantes do grupo de Fernando Diniz, como Gilberto, Agenor e, mais recentemente, Allan. Todos, porém, destacaram o profissionalismo dos companheiros.

– Insatisfação todo mundo tem. Temos conta a pagar e família. Mais de três meses de salários atrasados. Mas isso não é motivo para desculpas nas derrotas ou algo assim. A gente sabe que não tem como sair desse momento pensado nesse problema. A gente tem que trabalhar para passar por isso e, dessa maneira, melhorar a situação. Não existe corpo mole ou problemas no grupo, de jeito nenhum. Isso atrapalha o ambiente e o clube. Não vi ninguém de fofoquinha. Aqui não tem isso – disse o volante na reapresentação visando ao duelo com o rival da Gávea.

Saudações Tricolores,
Nicholas Rodrigues.

Fonte: Globoesporte.com.

Mário confirma sondagem a Buffon e revela interesse em Thiago Silva e Fred

A sondagem ao goleiro Buffon, de 41 anos, é verdadeira e partiu da chapa “Tantas Vezes Campeão”, encabeçada por Mário Bittencourt e com Celso Barros como vice. Ao programa “Os Donos da Bola”, da Band, o candidato na eleição deste sábado confirmou a informação dada pelo jornalista italiano Gianluca Di Marzio e ainda revelou o interesse em contratar ídolos para estimular o torcedor. Mencionou os nomes de Thiago Silva e Fred, que têm contratos com PSG e Cruzeiro, respectivamente.

– O nosso projeto de governança e de finanças é claro: colocar em dia os atrasados. Então, com todo mundo que a gente já fez contato, foi sondagem. Uma empresa de fora do Brasil nos propôs entrar no Fluminense por meio do material esportivo. Isso foi há 20 dias. Nesse pacote, a empresa ofereceu trazer o Buffon. Obviamente, falamos que, se a empresa tiver condições de custear, tudo bem. Uma das condições de desenvolver o Sócio Futebol é trazer os ídolos de volta para estimular o torcedor. Então, por isso, também temos interesse em Fred e Thiago Silva, por exemplo. Mas eles têm contrato e nós fizemos sondagens. Vamos fazer esforços para trazer jogadores e parceiros para isso.

A relação entre Buffon e Fluminense começou na Copa das Confederações no Brasil, em 2013, quando, ao lado de seus filhos, conheceu e se apaixonou pelo clube. As crianças, aliás, foram flagradas numa praia do Rio trajadas com a armadura verde, branca e grená. Sem emprego desde a saída do PSG, o jogador virou alvo de especulações, por exemplo, na Turquia e na Alemanha. Até mesmo o Barcelona considera sua contratação. 

Saudações Tricolores,
Nicholas Rodrigues.

Agenor agradece voto de confiança de Diniz e comenta sobre diretoria: “Tem que fazer a parte dela”

Goleiro tricolor despistou sobre questão política envolvendo o clube e frisou que os atletas se entregam e se empenham 100%

Foto: Lucas Merçon / FFC

Mesmo após a falha na derrota por 3 a 2 para o Bahia, Agenor foi mantido como titular da meta do Fluminense para o duelo decisivo contra o Cruzeiro pelas oitavas da Copa do Brasil. Mesmo com a eliminação nos pênaltis, o goleiro teve boa participação após defender a penalidade cobrada por Sassá no tempo normal. De acordo com o jogador de 29 anos, existem lições que podem ser tiradas do adeus tricolor, como por exemplo a necessidade de fazer um bom resultado dentro de casa, diferentemente do que aconteceu no Maracanã, quando o time de Fernando Diniz ficou apenas no empate em 1 a 1 com a equipe mineira.

“A maior lição que a gente tira é fazer o dever de casa. Temos de entrar ligados na partida. Foi uma eliminação que custou caro, temos de pegar lições para aplicar no Brasileiro”.

Agenor fez questão de agradecer o voto de confiança dado por Diniz. Para ele, a importância do treinador é enorme, tanto para o desenvolvimento do trabalho como para a superação após o erro cometido contra o Bahia, pelo Campeonato Brasileiro.

“Eu agradeço a confiança do Diniz. Ele que me trouxe pra cá, já nos conhecemos há bastante tempo, com ele tentando me levar para outros clubes, mas isso não foi possível em outras ocasiões. Agradeço a confiança que ele vem me passando, os ensinamentos para o time. Na Bahia eu tive uma falha e reconheci esse meu erro, mas não é porque eu falhei lá, que isso vai me abalar de alguma maneira. São situações que a gente passa. Lá atrás ficamos expostos, então o erro vai ter mais destaque, só que eu fico tranquilo porque sei que eu posso ajudar ainda mais o time e fico feliz pela atuação, mas infelizmente não conseguimos nos classificar. Agora é pensar no Flamengo”.

Perguntado sobre qual será a escalação do Fluminense para o clássico contra o Flamengo, no próximo domingo (9), às 19h (de Brasília), no Maracanã, o goleiro desconversou e garantiu que tudo começará a ser definido no treinamento desta sexta, no CTPA.

“Não foi nos passado nada ainda (sobre a escalação). A partir de amanhã (sexta-feira) vamos trabalhar o time que joga o clássico. Mas quem entrar vai dar conta do recado”.

Por fim, Agenor comentou sobre a agitação que vive o clube das Laranjeiras neste momento. Seja no lado da política, já que no sábado (8) serão realizadas as eleições presidenciais, como no aspecto financeiro, onde existem débitos muito grandes a serem quitados com atletas e funcionários, como salários, direitos de imagem e CLT. O arqueiro afirmou que apesar de toda a polêmica, os jogadores vem fazendo sua parte, e que a diretoria deve fazer o mesmo.

“A eleição é do clube e somos do futebol. Cabe a nós ganharmos os jogos. Cabe à diretoria e ao presidente que entrar, resolver essas coisas extracampo. O grupo está ciente, mesmo com as dificuldades, estamos correspondendo. Apesar da classificação não ter vindo, não faltou empenho e entrega. Mais importante é a gente separar que, o time está lutando dentro de campo, e a diretoria tem que fazer a parte dela”.

Top