Zé Ricardo recusa oferta para comandar o Flu

Treinador teria sido contactado logo após a saída de Abel Braga.

O técnico Zé Ricardo recusou ao convite para ser o novo treinador do Fluminense. De acordo com o site Globoesporte.com, o treinador foi contactado logo após o pedido de demissão de Abel Braga.

De acordo com informações obtidas pelo canal Flunews, o motivo da recusa teria sido os constantes atrasos de salários, além do clima político turbulento em que atravessa o clube das Laranjeiras, onde na visão de Zé Ricardo, não daria respaldo nem segura para uma sequência de trabalho.

Outro motivo da negativa do treinador seria o fato de Zé não querer ficar rotulado como treinador apenas de clubes cariocas, uma vez, que seus únicos trabalhos nos profissionais foram no Flamengo e no Vasco.

De férias com a família, o treinador espera por propostas do Brasil ou até mesmo da Arábia.

 

ST,

Douglas Wandekochen

foto: Thiago Ribeiro/ AGIF

Dybala elogia futebol brasileiro e destaca Fluminense: ‘Grande clube’

Gigantes do futebol, como o Fluminense, sempre são lembrados. Ao canal ‘Pilhado’, do YouTube, Dybala, craque da Argentina, se confessou fã de clubes do Brasil e reconheceu a grandeza do Tricolor, considerado por ele uma referência no esporte brasileiro. Jogador da Juventus, da Itália, o atacante lembrou, ainda, de mais três times: Santos, Grêmio e São Paulo.

– Quando era pequeno, eu assistia ao futebol brasileiro. Na Libertadores, o Brasil e a Argentina sempre chegavam com força. Os grandes clubes do Brasil, como São Paulo, Santos, Grêmio e Fluminense, sempre enfrentavam equipes argentinas. Eram partidas lindas de se ver. Há muitos times maravilhosos no Brasil. O futebol brasileiro é especial porque é jogado com alegria, as equipes só pensam em atacar, defendem pouco, é mais divertido – opinou.

Aos 24 anos, Dybala foi convocado para sua primeira Copa do Mundo, mesmo que esteja, por enquanto, ocupando o banco de reservas. Brilhando na Juve desde 2015, o argentino está valorizado e é especulado, por exemplo, no Real Madrid.

Saudações Tricolores,
Nicholas Rodrigues.

FluFest 2018: clique aqui e garanta sua presença na festa de 116 anos do Fluminense!

Escolhido para vaga de Autuori, Paulo Angioni negocia retorno ao Fluminense

Desde a saída de Paulo Autuori, há três semanas, o Fluminense está à procura de um novo diretor-executivo de futebol. Antes mesmo da demissão de Abel Braga, sábado, Pedro Abad definiu o melhor nome para assumir o dever de ser o elo entre a diretoria e o elenco. Trata-se de Paulo Angioni, com negociações avançadas com o clube e a dias de ser anunciado.

Angioni é figurinha carimbada nas Laranjeiras. Acumula três passagens pelo Fluminense: 2000 até 2002, 2004 e 2014. Também conhecido no futebol do Rio, o profissional trabalhou no Flamengo e, em 2015, no Vasco, quando foi rebaixado para a Série B. Seu grande desafio nesta nova história pelo Tricolor é encontrar o substituto de Abelão. Os nomes preferidos da diretoria são Zé Ricardo e Dorival Júnior, desempregados.

A iminente chegada do dirigente foi, inclusive, avisada, sem detalhes, pelo ex-técnico do time, depois da derrota para o Santos, por 1 a 0, quarta-feira passada: “Já vem um diretor-executivo”.

Saudações Tricolores,
Nicholas Rodrigues.

Fonte: Esporte Interativo

FluFest 2018: clique aqui e garanta sua presença na festa de 116 anos do Fluminense!

Gustavo Scarpa entra na pilha de torcedores e repreende ida ao Flu-Samorin: ‘Misericórdia’

A internet ficou pequena para a quantidade de memes sobre a sentença, em primeira instância, da juíza Dalva Macedo, favorável ao Fluminense e contra Gustavo Scarpa. O caso, em aberto desde dezembro de 2017, parece se aproximar do fim, embora ainda caiba recurso por parte do meia.

Impedido de defender o Palmeiras, pelo qual fez seu último jogo como profissional, em março, e ainda vinculado ao clube do Rio, o jogador foi aconselhado por torcedores a rumar para a Eslováquia. Lá fica a filial tricolor, o Flu-Samorin. Mas a proposta parece ter desagradado. Em tom de brincadeira, Scarpa se pronunciou, via Instagram, em resposta a post da ‘FluMidia’: ‘Misericórdia. Tá repreendido’. Confira a imagem:

Veja mais brincadeiras na web. Até eu, Nicholas, entrei na onda:


Saudações Tricolores,
Nicholas Rodrigues.

FluFest 2016: clique aqui e garanta sua presença na festa de 116 anos do Fluminense!

Justiça decide a favor do Fluminense, e Gustavo Scarpa é derrotado nos tribunais

A novela Gustavo Scarpa está em sua reta final ou, até mesmo, terminou. Embora ainda caiba recurso, a juíza Dalva Macedo anunciou, nesta segunda-feira, decisão favorável ao Fluminense, em primeira instância, no caso que se arrasta desde dezembro passado. A magistrada considerou improcedentes as reclamações do jogador e foi além: determinou pagamento de R$ 120 mil em honorários advocatícios, somados aos R$ R$ 22.583,20 em gastos em custos processuais. A sentença mantém em vigor o contrato com o Tricolor, impedindo o meia de atuar pelo Palmeiras – última vez em campo foi em 11 de março, contra o Ituano, em jogo em que marcou dois gols.

Junho representou uma derrota seguida de outra para Scarpa. Afinal, há uma semana, o Tribunal Regional do Trabalho do Rio de Janeiro negou o mandado de segurança impetrado por seus advogados. A medida fazia parte do plano de conseguir liberá-lo do Fluminense enquanto o processo estava em andamento.

A juíza entende que, mesmo o clube atrasando parcelas de salários e FGTS desde 2012, o relacionamento contratual era tolerável. Lembra-se que, em 2017, Gustavo renovou seu vínculo até 2020. Veja trechos nos quais Dalva Macedo explica no que se baseou para bater o martelo:

“A demora no ajuizamento da ação pelo empregado indica que a relação contratual ainda é tolerável, ficando demonstrado, de igual modo, o perdão tácito (…) Pela análise dos documentos contidos nos autos, verifica-se que a Reclamada, desde o ano de 2012, atrasa o recolhimento do FGTS do atleta (…) Tal atraso não foi entrave suficiente para que o atleta, em março de 2017, renovasse o seu contrato com a Reclamada, com significativo aumento salarial e extensão do pacto até o ano de 2020. Ora, se o atraso no recolhimento do FGTS e no pagamento de algumas parcelas contratuais (13º salário e férias de 2016) fosse o real motivo para a insatisfação do jogador, de nenhum modo as partes chegariam ao consenso para a formalização da renovação contratual”.

“A renovação contratual demonstrou que o autor ainda possuía interesse em se manter vinculado ao clube, independentemente do atraso salarial, indicando, de forma inequívoca, o perdão tácito à falta praticada pela Ré. A ausência de imediatidade demonstrou que a mora, ainda que contumaz, da Ré não teve potencialidade suficiente para impedir a manutenção do pacto laboral.”

Caso opte por insistir na batalha judicial, Gustavo Scarpa pode recorrer ao Tribunal Superior do Trabalho, em Brasília, em segunda instância. As partes podem negociar um acordo, o que, meses atrás, foi tentado, mas sem sucesso.

Saudações Tricolores,
Nicholas Rodrigues.

Fonte: Globoesporte.com

FluFest 2018: clique aqui e garanta sua presença na festa de 116 anos do Fluminense!

Abel da ultimato por pagamento de atrasados aos jogadores

Segundo informações que circulam em Laranjeiras e que foram apuradas pelo Canal FluNews , Abel Braga deu um ultimato a diretoria tricolor.

O treinador deu um prazo para que sejam solucionados os problemas de atraso salarial até a próxima quarta feira. Abel exige também garantias futuras de recebimento, pois esse foi um dos principais problemas do último ano tricolor e que acarretaram  com a saída de vários e  importantes jogadores no início da temporada . Se a diretoria não cumprir com as exigências de Abel Braga, o treinador entregará o cargo e não comandará mais a equipe tricolor no segundo semestre após a parada da Copa do Mundo da Rússia .

 

Alvaro Souza Che

O Destruidor de sonhos

 

Diante duma proposta que lhe parecera mais conveniente, profissional e financeiramente, Henrique Dourado se transferiu do Fluminense para o Flamengo. O que seria do roxo se não fosse o mal gosto?

Mas o verdadeiro Ceifador, o real Destruidor de Sonhos, desgraçadamente, permaneceu no nosso Fluminense. Seu nome é Pedro Eduardo Abad. Sim, haveremos de chamá-lo pelo nome mais amplo, evidenciando a distância sanitária que queremos manter desse senhor, que não é tricolor nem aqui nem na China.

Pobre torcida tricolor!!!

Padecemos todos nas cruéis mãos do Destruidor de Sonhos, Pedro Eduardo Abad.

Crianças e adolescentes não contêm as suas lágrimas diante dos consecutivos insucessos do Fluminense. É porrada em cima de porrada. As esperanças deles frequentemente viram pó nas tenebrosas mãos do Destruidor de Sonhos, o Sr. Pedro Eduardo Abad.

De seu turno, tricolores de meia idade se exasperam, lembrando-se de Presidentes da estatura de Francisco Horta e de Manoel Schwartz. É porrada em cima de porrada. As esperanças deles, igualmente, viram pó nas tenebrosas mãos do Destruidor de Sonhos, o Sr. Pedro Eduardo Abad.

Torcedores da melhor idade, então, se angustiam ao extremo, pois têm fundadas dúvidas se verão, ou não, um Fluminense grande novamente. É porrada em cima de porrada. As esperanças deles também viram pó nas tenebrosas mãos do Destruidor de Sonhos, o Sr. Pedro Eduardo Abad.

É isso mesmo: desafortunadamente, toda a grande torcida tricolor é refém do Destruidor de Sonhos e do odioso grupelho que o apoia.

Abrimos, aqui, espaço para bradar aos integrantes da Flusócio: os senhores têm vocação à mediocridade, mas não podem tornar o gigante Fluminense em clube medíocre. O Fluminense não é de vocês!!

Num dado ano do século XIX, o naturalista francês Saint-Hilaire, no livro “Viagem à Província de São Paulo”, disse algo assim: “Ou o Brasil acaba com a saúva, ou a saúva acaba com o Brasil”.

Pois bem, ou a torcida tricolor – cadê a Young- Flu, cadê a Força-Flu? – afasta a fórceps a Flusócio ou a Flusócio acaba com o Fluminense.

Simples assim!

Saudações tricolores!

Marcelo Jorand e André Ferreira de Barros

 

Surpresa! Pedro e Ayrton Lucas viajam a BH e podem enfrentar o Atlético-MG

Sem vencer há três rodadas, o Fluminense foca em se livrar da má fase. Para resgatar a confiança da torcida e crescer na tabela, o time contará com dois reforços para o jogo deste domingo, contra o Atlético-MG, em Belo Horizonte. Pedro e Ayrton Lucas estão recuperados de lesões musculares e viajaram a Minas Gerais. São, portanto, novidades que podem pintar no esquema montado por Abel Braga.

O camisa 9 é quem tem mais chances de atuar, na vaga de João Carlos. Pedro sofreu estiramento na coxa esquerda há quase duas semanas, em jogo contra o Grêmio. Houve até a possibilidade, revelada pelo próprio técnico, de o artilheiro disputar o Fla-Flu de quinta-feira. Mas seguiu fora, tratando da contusão.

Ayrton Lucas, por sua vez, machucou a coxa direita no clássico com o Botafogo, em 15 de maio, e treina com bola desde o início da semana. Inicialmente, previa-se que o lateral-esquerdo estivesse à disposição apenas depois da Copa do Mundo. Com Marlon suspenso, o camisa 6 pode reassumir o setor. Ou, caso Abelão prefira preservá-lo, a função fica a cargo de João Vitor, do sub-20.

O Galo pode encontrar um Fluminense ainda mais mudado. Em atividade no Centro de Treinamento, o treinador testou, por exemplo, Douglas no lugar de Sornoza e colocou Matheus Alessandro entre os titulares. Pablo Dyego, sacado na última partida com dores nas costas, também está com a delegação. Marcos Júnior, parceiro de Pedro no ataque, é desfalque por edema na coxa esquerda.

Saudações Tricolores,
Nicholas Rodrigues.

Fonte: Globoesporte.com.

FluFest 2018: clique aqui e garanta sua presença na festa de 116 anos do Fluminense!

 

Clássico em Brasília bate recorde de público e dá lucro de R$ 500 mil ao Fluminense

Na quinta-feira, o clássico entre Fluminense e Flamengo, vencido pelo rival, por 2 a 0, levou 60 mil pessoas ao Mané Garrincha. A renda bruta foi de R$ 3,1 milhões. Mandante, o clube de Laranjeiras lucrou R$ 500 mil. Pelo acordo com o ex-jogador Roni, promotor do evento, a FERJ ficou com R$ 150 mil. O jogo bateu recorde de público no Brasil em 2018, com 59.987 pagantes.

A partida foi transferida para Brasília em razão de uma dívida com Roni. Em 2016, ainda na gestão passada, Peter Siemsen vendeu seis mandos por R$ 5 milhões. No entanto, cumpriu só quatro. Ao NETFLU, o empresário informou que, devido ao grande valor arrecadado desta vez, a pendência foi quitada.

Saudações Tricolores,
Nicholas Rodrigues.

Fonte: Globoesporte.com.

FluFest 2018: clique aqui e garanta sua presença na festa de 116 anos do Fluminense!

 

Fla-Flu no Mané Garrincha: 30 mil ingressos vendidos

As arquibancadas do Mané Garrincha, em Brasília, estarão lotadas nesta quinta-feira para receber Fluminense e Flamengo. O clássico vale pela décima rodada do Campeonato Brasileiro e será disputado longe do Rio porque o clube de Laranjeiras, mandante, tem uma antiga dívida a quitar com o ex-jogador Roni.

Foram postos à venda cerca de 70 mil ingressos, dos quais, segundo a organização, 30 mil foram comercializados antecipadamente. Dois setores estão esgotados. Veja, a seguir, preços e locais para se adquirir o bilhete. 

Ingressos:
Setor superior: 
R$ 100 (inteira) / R$ 50 (meia)
Camarote (avulso): R$ 200 (inteira) / R$ 100 (meia)
Setor inferior: esgotado
Hospitality: esgotado
*Segundo previsto em lei, tem direito a meia-entrada quem levar 1 kg de alimento não perecível.

Pontos de venda:
Bilheteria do Mané Garrincha (portão 5)
Lojas Free Corner (Conjunto Nacional, Brasília Shopping, Terraço Shopping e Gilberto Salomão)
Lojas Globo Esporte (Taguatinga Centro e Taguatinga Shopping)
Lojas oficiais de Flamengo e Fluminense (308 sul)
Loja Grandes Torcidas (308 sul)
Meubilhete.com

Saudações Tricolores,
Nicholas Rodrigues.

Fonte: Globoesporte.com.

FluFest 2018: clique aqui e garanta sua presença na festa de 116 anos do Fluminense!