fbpx

Candidato à presidência, Marcelo Souto responde sobre possível junção de chapas

Foto: Arquivo Pessoal

Motivado sobre uma entrevista em que o ex aliado de Celso Barros, Ademar Arrais, concedeu ao Canal Flunews, onde cobrava uma junção dos grupos políticos de dentro do clube, um dos candidatos à presidência do Fluminense, Marcelo Souto, enviou uma resposta ao Canal explicando o motivo da manutenção de sua candidatura.

Na resposta, Marcelo, fala de “não repetir os erros do passado” para justificar a sua ideia de não unir forças.

Acompanhe o comunicado na íntegra:

Caro Ademar,
na última quinta-feira fui surpreendido com um citação a uma possível conversa e abertura para uma coligação a chapa do pré-candidato Tenório, através de entrevista ao
Canal Flunews.

Gostaria de dizer a você, a quem considero e tenho muito apreço nessa caminhada pela luta a reerguer o verdadeiro Fluminense, o qual todo torcedor do Fluminense almeja, não cometa os mesmos erros que meu grupo cometeu. Sobre o pretexto de evitar que determinadas pessoas chegassem ao poder para uso e benefício próprio, e acreditando numa união com gestão compartilhada nos unimos com o que há de pior dentro do clube. Grupos que querem a perpetuação desse modelo falido, feudos que querem manter seu prestígio e suas benécias.

No último sábado vi pessoas boas tentando me convencer a voltar a cometer o mesmo erro.
Aprendi com os erros, e divido aqui com você. Amigo, errei como líder do meu grupo, acreditei no que você está acreditando nesse momento. Para isso existem os amigos, alerto a você e a todos os outros.

Agradeço o convite a uma possível conversa para coligação da chapa do Tenório composta com que o há de pior dentro do clube, e retribuo o convite a você e todos aqueles que conversaram comigo nas Laranjeiras no último sábado: venham fazer história do nosso lado, venham resgatar o verdadeiro Fluminense, venham livrar o clube dessas malditas amarras, venham combater o bom combate. Se por acaso Deus nos reservar a derrota, nos dará o fardo glorioso de cair em pé, com a cabeça erguida.

Cada dia que passa a torcida tricolor entende quem faz mal ao clube, há poucos dias atrás o “Pequeno Príncipe” fez gesto para um desses grupos, e a repercussão foi horrível. Desconsertado teve que criar um novo post para apagar o incêndio criado, nesse novo post diz que os esportes olímpicos serão autossustentáveis com uso de recursos de leis de incentivo. Será que o pré-candidato não sabe para ter direito a isso, o clube precisa ter as CNDs que não as detém e tão pouco as conseguirá em médio prazo de tempo? Será que desconhece que houve mudança na estrutura do ministério dos esportes, e que na prática estão aprovando menos projetos e com isso, usando menos dinheiro público? Ou será que vale a pena propagar a desinformação e o estelionato eleitoral?

Enquanto nós torcedores somos enganados com essa baboseira eleitoral o clube sangra, mais de 10 M negativos ano de quem arrecada 20 M, até quando aguentaremos isso? Até quando sairá dinheiro do Futebol para cobrir esses passivos?

Encerro esta minha carta a vocês torcedores e sócios do clube, o Fluminense não suporta mais esse modelo. Precisamos olhar para a frente, e focar na nossa razão de existir desde o tempo da nossa fundação, com o jovem Oscar Cox, o Fluminense Football Club. Esse é o verdadeiro Fluminense. Lutaremos até o fim.
Saudações Tricolores.
Pré-candidato Marcelo Souto.
Presidente do Esperança Tricolor
.

Exclusivo: Candidato à presidência do Fluminense Hebert Borges confirma União com Ricardo Tenório.

Nesta manhã em uma reunião onde estavam presentes os candidatos Hebert Borges da chapa Fluminense pra frente e Ricardo Tenório da chapa Libertaores e seus assessores, firmaram aliança para a eleição do dia 8 de junho. Assim sendo a Chapa Fluminense pra frente está com Ricardo Tenório.

Mais informações após o candidato Hebert Borges publicar o comunicado oficial.

ST.

Além da revitalização de Laranjeiras, Mário pensa em estádio próprio

Foto: Divulgação

Um dia após o anúncio do projeto Laranjeiras XXI, no qual sócios Tricolores anunciaram um projeto para revitalização de Laranjeiras, um dos candidatos ao pleito à presidência do clube, Mário Bittencourt, vê com bons olhos o projeto:

O projeto e ótimo e muito claro no sentido de que o Fluminense não precisará desembolsar os valores. Tenho conversado muito com Celso sobre o assunto e entendemos que o melhor modelo no momento seria manter os direitos no Maracanã e viabilizar Laranjeiras (caso seja realmente possível) para jogos de menor porte, frise-se, até mesmo em competições nacionais. Seria realmente um sonho ver nosso joia centenária revitalizada. Adoramos essa ideia – revelou o advogado.

Mário ainda revelou que uma possível revitalização de Laranjeiras não inviabilizaria a construção de uma “Arena Tricolor” com capacidade de público maior que Laranjeiras:

– Não tive acesso a um projeto de estádio próprio já existente e por isso não tenho como opinar de forma mais profunda, mas também conversamos sobre essa possiblidade. Imagino um com capacidade entre 35 e 40 mil pessoas, que fique num lugar de fácil acesso, já que assim não teríamos mais a necessidade de usar o Maracanã. – acrescentou Mário, deixando claro que em ambas as possibilidades o sonho só será possível se não houver que usar dinheiro do clube.

– De qualquer forma, qualquer projeto deve ter como base a não utilização de recursos próprios posto que a situação financeira do clube não comporta a construção de um novo equipamento. Já temos Laranjeiras, Maracanã, Xerém e o CT por terminar. Salários em atraso, impostos também, e uma dívida que destrói o fluxo de caixa diariamente – concluiu o candidato.

Mário ainda destacou a importância de manter um time que brigue por títulos:

– Temos que tentar manter um time competitivo e canalizar todos os esforços para que as receitas aumentem com patrocinadores novos, prêmios oriundos das competições (pra isso precisamos vencer) e também negociar melhor as vendas de nossos atletas. Sem isso não tem futebol. Primeiro temos que fazer o que é urgente para depois pensar no que é importante – concluiu.

Flusócio anuncia afastamento das eleições no Flu

Foto: Reprodução

Principal grupo político das últimas gestões do clube, a Flusócio anúncio oficialmente o afastamento da eleição do Fluminense, a ser realizada no próximo dia 8 de junho.

De acordo com a nota publicada pelo grupo, cada integrante terá a liberdade de escolher em qual candidato irá votar ou apoiar no pleito.

Vale destacar que até o momento, dois nomes já foram confirmados: Mário Bittencourt pela chapa Tricolor de Coração e Ricardo Tenório pela Libertadores. Ainda há a expectativa de nomes como Hebert Borges e Marcelo Souto.

Acompanhe a nota na íntegra:

Diante da publicação do Edital de Convocação da Assembleia Geral Extraordinária, a ser realizada no dia 08/06/2019 das 9h às 18h com a finalidade de eleger o novo Presidente do Fluminense, a Flusócio vem por meio deste comunicado reforçar o post de 21/12/2018, quando afirmamos que o grupo ficará à margem do processo eleitoral.

Em reunião fechada, o grupo, por unanimidade, entendeu que esse afastamento é uma forma de estimular a estabilidade do processo e a tranquilidade entre os candidatos concorrentes ao pleito e os sócios eleitores. Na mesma reunião, foi decidido também, que todos os membros terão liberdade de decisão de voto e insistimos que qualquer pessoa ou veículo que tentar associar o nome da Flusócio a qualquer candidatura estará agindo de maneira mentirosa e leviana.

Desejamos uma campanha serena e propositiva, debatendo sempre com clareza todos os assuntos importantes ao Fluminense, fazendo assim com que o associado consiga, de forma plena, racional e sensata, decidir o futuro do nosso clube.

Sócia que tentava anular eleição do Flu desiste de processo

Letícia Tavares Gomes, socia do tricolor que tentava a anulacao da eleição do Fluminense, agendada para o próximo dia 8 de junho, desistiu do processo. A informação foi confirmada pelo representante da associada ao site Globoesporte.com.

Segundo o advogado Bruno Augusto Souza Freitas, por razões pessoais, entre elas xingamentos e campanhas de torcedores agressivos nas redes sociais e erroneamente ser vista como em favor do atual presidente do clube, Pedro Abad, fizeram com que sua cliente desistisse da ação.

Letícia Tavares estava na Justiça contra o processo eleitoral do Fluminense desde janeiro. Ela tentou impedir a antecipação da eleição e perdeu em duas instâncias. O próximo passo seria brigar pela anulação do pleito.

CENÁRIO DE 46 PONTOS. Opinião de Marcelo Accetta.

CENÁRIO DE 46 PONTOS

Com inicio de um cenário assustador, não poderíamos ter começado pior um Campeonato Brasileiro. Vimos um time limitado nas ações, tocando excessivamente a bola, com a finalidade de valorizar a posse desta. Mas diante disto, o fato é que isto não surta o efeito esperado, pois não estamos tendo objetividade, ou seja, não temos jogadas de infiltração, não estamos fazendo gol, não estamos tendo jogadas ao fundo, meio campo sem criacao. Chegar ao gol adversário nas poucas vezes que chegamos, é ridículo para os 90 minutos…A forma que estamos jogando, está sendo bem estudado pelo adversário e com isso, facilmente, neutralizado por eles.
Não me venham falar que se não houvesse falta, se não houvesse gol anulado, se não tivesse perdido pênalti…Vamos deixar o “se” de lado e não se iludir com o time e nem com o esquema proposto(arbitragem sempre ruim, isso nao é de agora e muito menos surpresa). Além de ser um esquema de “presa facil” não temos time para jogar dessa forma e não é de agora que isso é percebido. Teremos dois confrontos muito difíceis nesta semana, mas que dará oportunidade do time reverter está situação ou mesmo se afundar de vez e ter dificuldades de fazer os 46 pontos. Está muito claro que, por mais esforçado que seja, Rodolfo não tem condições de ser titular do time e o mais preocupante é que isto está muito visível e nem assim se toma uma decisão na contratação de um outro goleiro. Diniz não propõe uma mudança de jogo, mesmo que alternativa e isso acaba sendo muito perigoso, na medida que os resultados podem ir aparecendo. No campo político apresenta novidades, vide nomes surgindo, mas que, sinceramente, tenho minhas dúvidas quanto à essas novas candidaturas (além da dificuldade dos 200 nomes), nenhuma com o impacto que precisamos. Entendo que precisamos de renovação, mas sem uma mudança estatutária o clube fica muito “engessado”para o que precisa ser feito. Muitas ações na justiça aparecendo contra essa eleição, o que já era esperado.
Absurdo o que foi prometido ao associado e não cumprido, ou seja, deste poder votar e agora com esta nova situação, sendo impedido de participar. Muitos buscando reverter essa questão, também na justiça… cenário péssimo, retrato dessa gestão.
Infelizmente é o FLUMINENSE no meio disso tudo.
Saudações Tricolores.

Após sair do Triunvirato, Tenório lança candidatura á presidência do Fluminense

Foto: Douglas Wandekochen/Canal Flunews

O empresário Ricardo Tenório, 56 anos lançou sua candidatura à presidente do Fluminense.

Em coletiva realizada na tarde desta terça-feira (30), no escritório de Jackson Vasconcelos – responsável pela – o empresário lançou a candidatura pela chapa “Libertadores”, que de acordo com o próprio candidato, o nome remete a ideia de libertar os clube das amarras e não a Copa Libertadores da América:

É claro que a Libertadores é um sonho de todo Tricolor. Mas o nome da chapa é muito mais do que isso. É a ideia de libertar o clube dessas amarras, da falta de transparência, planejamento e governança – explicou Tenório.

O candidato ainda respondeu sobre administração do Maracanã, Revitalização de Laranjeiras e até mesmo a aquisição de um novo estádio:

O Maracanã é a casa do Tricolor. Claro que assim que entrarmos iremos reavaliar o contrato, pois temos que gerir de igual pra igual seja com o Flamengo ou qualquer outro clube – disse o empresário, que não descartou uma possível revitalização de Laranjeiras:

É importante que haja uma reforma, desde que para isso não gere gastos ao Fluminense. Ali é a história do futebol – afirmou.

Respondendo sobre uma possível construção de estádio, Tenório destacou a importância de ouvir o torcedor:

Para a construção de um estádio próprio, tem que se analisar, consultar o torcedor, jogadores. Vê se o local da alternativas. Temos um projeto do Pedro Antônio no Parque Olímpico, posso avaliar – explicou Tenório.

O candidato também explicou sobre sua saída do chamado Triunvirato, que era formado por ele, Mário Bittencourt e Celso Barros:

– Tenho uma relação ótima com os dois, mas perdeu a essência. Acredito que estou mais capacitado para gerir o clube. Não houve nenhuma ruptura ou briga pessoal, mas acho que o Fluminense precisa de alguém diferente e acho que sou o mais capacitado para isso – concluiu o candidato.

Com data da eleição já confirmada, semana deve ser de oficialização de candidaturas

Foto: Mailson Santana/ FFC

Com a data das eleições no Fluminense já confirmada para o dia 8 de junho, a semana deve ser marcada pela oficialização dos candidatos ao pleito.

Pelo cenário de momento no clube, se desenha para uma candidatura de Mário Bittencourt, advogado e ex vice de futebol do clube. Bittencourt deve vir como cabeça de chapa do grupo Tricolor de Coração e, deve ter em Celso Barros como aliado e possível vice.

A dúvida no entanto fica por conta do adversário da dupla, onde podemos ter dois ou três candidatos ao pleito, isso por que, Ricardo Tenório que fazia parte do grupo Tricolor de Coração e anunciou sua saída no último mês procura ainda aliados – entre eles, Pedro Antônio, idealizador do CT – para enfim montar sua chapa, e, Ayrton Xerez, que já manifestou o interesse em se lançar a candidato, mas não descarta uma união com Tenório.

– O Tenório é uma belíssima pessoa do nosso contato frequente. A gente tem estado junto, conversamos. Ele ama o Fluminense também, mas me parece que ainda não tem um projeto para salvar o clube. Acho que estou um pouco mais avançado nas nossas tratativas. Agora, é claro que não está descartada nenhuma união. Eu fui político, e o diálogo é saudável para encontrar ponto de convergência de ideia. Essa briga tolinha de grupelhos é uma tolice. O Fluminense precisa recuperar o seu território ou não haverá nação tricolor – disse Xerez ao site Globoesporte.com.

Vale destacar no entanto que para lançar a candidatura, o eventual candidato deve obter 200 assinaturas de sócios titulares dos planos proprietários e contribuintes que tenham mais de um ano de associado e com a mensalidade rigorosamente em dia.

Vale destacar ainda que não pode haver uma assinatura com o mesmo nome em chapas diferentes. Caso isso ocorra o sócio é eliminado e não poderá participar de nenhuma das chapas.

Top