Fluminense joga mal, empata com o Santa Fe e praticamente dá adeus à Sul-Americana

Foto: GE

O que era difícil ficou praticamente impossível. O tricolor teve atuação terrível, pouco ameaçou os argentinos e não saiu do zero em partida decisiva.

O Fluminense entrou em campo sabendo que só a vitória interessava para seguir vivo na competição. O desempenho indicava o contrário. Na primeira etapa, o Flu teve a tal posse de bola característica dos times de Fernando Diniz. A questão é que se tornou uma posse inútil. Não sofria, mas também não ameaçava. Apenas uma finalização sem perigo com Nathan.

Após o intervalo, a torcida clamava por mudanças. Pineida teve atuação deprimente. Fernando Diniz não mexeu. O jogo dava sono. Ninguém merecia ganhar. O treinador tentou mudar o jogo acionando Bigode e Arias, mas destruiu o meio campo tirando Ganso e Nathan ao mesmo tempo. A partir daí, os argentinos se soltaram e tiveram algumas chances. Apático, o Flu terminou a partida sem acertar a meta do Santa Fe. Zero finalizações no gol.

Agora só um cenário classifica o Fluminense. O tricolor precisa vencer o Petrolero por no mínimo cinco gols de diferença e torcer por em empate no jogo entre Junior e Santa Fe. Improvável a classificação tricolor.

O tricolor volta a campo no próximo domingo pelo Campeonato Brasileiro, o adversário será o Fortaleza, às 16h, no Castelão.

Com show de Germán Cano, Fluminense vence o Athletico e segue invicto com Fernando Diniz

Foto: GE

Hoje teve show do nosso tricolor. Com dois gols de Germán Cano e ótima atuação do coletivo, o Fluminense venceu o Athletico por 2 a 1 e conquistou a primeira vitória como mandante no Brasileirão.

Após vencer sem convencer o Vila Nova no meio de semana pela Copa do Brasil, o Flu fez sua melhor partida no Campeonato Brasileiro. Contra o Athletico Paranaense, o tricolor começou avassalador. Com mais de 80% de posse de bola nos primeiros minutos, o Flu sufocou o adversário até abrir o placar. Aos 8, Wellington lançou Cano, o argentino limpou a marcação e bateu cruzado. Fluminense na frente.

O time visitante passou a se soltar na partida e chegou a ameaçar na primeira etapa. Após o intervalo, o tricolor não apresentou o mesmo futebol do começo do confronto. Diniz percebeu que a equipe estava mal e fez duas mudanças. Sacou Martinelli e Nathan, colocou Willian e Arias. A partir daí o Flu voltou a comandar as ações. As chances apareciam. Aos 33, Germán Cano fez um golaço. O tricolor trocou passes ao melhor estilo Fernando Diniz, a bola chegou em Bigode, que escorou para Cano, o argentino dominou com maestria e acertou na gaveta. Torcida tricolor em êxtase no Raulino de Oliveira. Os visitantes descontaram nos acréscimos, mas quem riu por último foi o time de guerreiros.

O Fluminense agora soma 8 pontos e ocupa a 11° colocação do Brasileirão. Agora o tricolor se prepara para a decisão na Sul-Americana. Na próxima quinta, o Flu visita o Unión Santa Fe. Só a vitória deixará o Flu em condições de avançar de fase.

Fluminense vence o Junior Barranquilla na reestreia de Fernando Diniz e segue vivo na Sul-Americana

Foto: GE

O tricolor conseguiu uma importante vitória na reestreia de Fernando Diniz como treinador do Fluminense. Só os três pontos em casa manteria o Flu vivo na Sul-Americana. Em jogo tenso, Ganso e Luiz Henrique marcaram e a equipe venceu por 2 à 1 o Junior Barranquilla.

O jogo começou da melhor forma possível. Aos 4, Ganso marcou um golaço de “puxeta” e colocou o Flu na frente. A torcida sabia que uma goleada era essencial para tirar o saldo de gols e ficar numa situação melhor na competição. Empurrou o time, que já mostrou um pouco do estilo Fernando Diniz. Mas o adversário não era bobo. O time colombiano, muito bem treinado, passou a atacar mais e o jogo ficou quente.

O Flu voltou do intervalo apático. O empate parecia questão de tempo, não demorou muito por sinal. Aos 10, Borja aproveitou confusão na área e igualou o duelo. Diniz respondeu com Fred e Nathan nas vagas de Willian Bigode e Cris Silva, os dois saíram vaiados.

A partida continuou perigosa, o resultado praticamente eliminaria o Fluminense. O time se lançou mais o ataque. Lutou por cada bola. Até que o gol da vitória saiu aos 28 da segunda etapa. Luiz Henrique acionou Ganso com bonito toque, o camisa 10 achou Fred, que serviu Luiz Henrique para encher o pé e desempatar o jogo. Flu 2 à 1. A arbitragem seguia terrível e deixava os colombianos à vontade. O tricolor foi guerreiro, sobreviveu e segue na disputa da Sul-Americana.

O time agora volta as atenções para o Campeonato Brasileiro. No próximo domingo, o Flu enfrenta o Palmeiras, às 16h, fora de casa.

Com novidades, Fluminense está escalado para enfrentar o Coritiba

Foto: FFC

O Fluminense entra em campo às 16h, contra o Coritiba. O auxiliar Marcão escalou o time sem a formação com três zagueiros, mas as mudanças não param por aí. Luccas Claro, Samuel Xavier e Nonato serão titulares.

A formação adotada indica três volantes (André, Yago e Nonato), preenche mais o meio-campo e já pode ser uma indicação de que o Flu vai priorizar a posse de bola. Segue a escalação:

Fábio, Samuel Xavier, Nino, Luccas Claro e Marlon; André, Yago, Nonato e Ganso; Luiz Henrique e Cano.

Fred perde pênalti nos acréscimos, Fluminense joga mal, empata com o Unión de Santa Fe e se complica na Sul-Americana

Foto: GE

Tricolor não tem paz. Os pouco mais de dez mil tricolores que estiveram presentes no Maracanã merecem a devolução do valor do ingresso. O Fluminense de Abel Braga se recusa a jogar. Um deserto de ideias. Para piorar, Fred perdeu pênalti nos acréscimos.

A partida começou com o Flu perdendo chance com Marlon. O lance foi um dos poucos de perigo na primeira etapa, o único do time da casa. Caio Paulista, jogando de ala-direito, foi peça nula em campo.

Abel Braga teve a chance de corrigir mais uma de suas “cagadas” no intervalo. O técnico conseguiu piorar o que já estava ruim. Caio Paulista saiu no intervalo para entrada de Fred. O camisa 9 teve mais uma atuação de ex-jogador. Lento, pouco participativo, o atacante ainda perdeu o pênalti no último lance do jogo.

A história se repetiu. Abel Braga chamado de burro, gritos de time sem vergonha, time pessimamente treinado. A desculpa do calendário não pode servir de escudo. O time argentino jogou no sábado, chegou no Rio e finalizou quase o dobro que o tricolor.

Pressionado, o Flu volta a campo no próximo domingo pelo Campeonato Brasileiro contra o Coritiba, às 16h, no Couto Pereira.

Aos gritos de “time sem vergonha”, Fluminense perde para o Inter e segue sem vencer em casa no Campeonato Brasileiro

Foto: GE

O Fluminense teve mais uma atuação no estilo Abel Braga. Pouco criativo, apenas duas finalizações no gol em noventa minutos, derrota em casa e torcida indignada. Dessa vez o adversário não era o Vila Nova.

Abel Braga resolveu voltar com esquema de três zagueiros após vencer os últimos dois jogos sem essa formação. Além disso, Arias e Luiz Henrique bancaram para Willian Bigode, que saiu vaiado na segunda etapa.

O primeiro tempo começou com o time gaúcho jogando melhor, mas ninguém assustava. O tricolor teve uma melhora e assustou em cabeçada de Cano. Pela direita, Calegari errava quase tudo que tentava.

Após o intervalo, o Inter mexeu. Abel manteve o esquema. Não demorou muito para Alemão, que entrou no segundo tempo abrir o placar. Aí sim Abel deixou claro que só gosta de atacar quando tá perdendo. Luiz Henrique entrou na vaga de David Braz e Arias na vaga de Bigode. Mas faltava treino. O elenco que teve folga após a vitória contra o Vila Nova não tinha repertório. André e Martinelli exautos. Primeira derrota do Flu no campeonato. O pior é que o time segue sem marcar gols em casa no Brasileiro.

O tricolor volta a campo na próxima terça contra o Unión Santa Fé, pela Sul-Americana, às 21h30, no Maracanã. Caso não vença o jogo, o Fluminense fica em situação delicada na competição.

Fluminense vence o Cuiabá fora de casa com gol contra nos acréscimos e dorme na vice-liderança do Brasileiro

Foto: GE

O importante é bola na rede, já dizia o sábio. Essa é a melhor definição para explicar a vitória do Fluminense hoje. Pouco criativo, o tricolor saiu vitorioso graças ao gol contra do zagueiro Paulão após cruzamento de Germán Cano.

O Fluminense jogou mais bola que o Cuiabá. O resultado foi justo. Abel Braga poupou alguns titulares, a equipe não rendeu mais uma vez, mas dessa vez o adversário conseguiu ser pior ainda.

Após a derrota vexatória na Colômbia, as notícias eram de time titular hoje pelo Brasileiro. Na hora da escalação o que se viu foi uma equipe bem diferente. Jogando no 4-3-3, o Flu contou com Wellington, Pineida, Luiz Henrique e Fred de titulares; saíram David Braz, André, Cris Silva, e Cano. Em campo, nada de novo. Time apático, muitos toques e pouca finalização.

A primeira etapa foi de sangrar os olhos, mas o segundo tempo teve alguns pontos interessantes e outros nem tanto. Wellington, que jogou os 90 minutos, teve mais uma atuação terrível, perdendo jogadas com muita facilidade. Fred, inofensivo, saiu para entrada de Cano. O Cuiabá apostava nos contra-ataques. O placar caminhava para um 0x0 medonho, mas o melhor aconteceu no final. Yago lançou Cano, o argentino cruzou e o zagueiro Paulão mandou contra o próprio patrimônio. Vitória tricolor, três pontos na conta e uma invencibilidade no Campeonato Brasileiro. O Flu dorme na 2° colocação.

A próxima partida será pela Copa do Brasil. O Flu recebe o Vila Nova na próxima terça, às 21h30, no Maracanã.

É CAMPEÃO!!! Fluminense empata clássico e conquista o 32° título do Campeonato Carioca

Foto: GE

O Fluminense jogou como time de guerreiros, fez valer a vantagem da primeira partida e conquistou o Campeonato Carioca após dez anos. Cano fez o gol tricolor.

Diante de um Maraca lotado, o tricolor começou o jogo com uma postura digna de aplausos. Mantendo a posse de bola, a equipe teve duas boas chances de abrir o placar com Manoel e Cris Silva. Ganso comandava o meio campo, André parecia estar em todas as partes do campo. A torcida jogava junto.

Aos poucos, o Flu passou a recuar para apostar nos contra-ataques. A partida ficou perigosa. Gabriel marcou para o Flamengo aos 29, após jogada de Arrascaeta. Naquele momento, a torcida ficou apreensiva por conta dos fracassos recentes. Em campo, o time continuou tocando a bola e parecia não sentir o gol. Aos 44, Ganso mostrou sua genialidade. O meia tabelou com Arias, o colombiano passou para Germán Cano fazer o L e empatar o clássico ainda na primeira etapa. Show tricolor no Maracanã.

O time voltou do intervalo com a mesma postura e disposto a matar o jogo. Aos 16, Cano teve a oportunidade de matar o jogo em cobrança de pênalti. O argentino bateu mal, perdeu e deixou o jogo aberto. A raça do time continuou até o fim.

O tempo passava, o rival atacava, mas não assustava. Fred entrou na vaga de Cano. Novamente foi expulso, mas isso serviu para segurar o jogo. Com autoridade, o Fluminense conquistou o Campeonato Carioca e a Taça Guanabara. Inquestionável.

Agora é curtir um pouco a conquista no fim de semana, pois na quarta já começa uma nova competição. O Flu estreia na Sul-Americana na próxima quarta-feira contra o Oriente Petrolero, às 19h15, no Maracanã, provavelmente lotado. Vence o Fluminense.

Faz o L! Cano marca duas vezes, Fluminense vence o clássico e abre vantagem na final do Carioca

Foto: GE

O Fluminense largou na frente na final do Campeonato Carioca. Com dois gols de Germán Cano no final do jogo, o tricolor venceu mais um clássico na temporada.

O time entrou em campo com mudanças no time titular. Abel escalou Fábio, Felipe Melo, Yago e Ganso de início. A primeira mostrou um Flu lutando, mas sem velocidade. Arias começou no banco e Luiz Henrique não foi relacionado. O Flu teve um lance polêmico com Willian abrindo o placar no fim da primeira etapa, mas o impedimento já havia sido marcado.

A segunda etapa parecia ser terrível para os tricolores. O time não passava do meio campo, o rival dominava completamente a partida. Abel tirou Ganso e o Flu passou a errar passes bobos. Mas o Flu tinha Cano e Arias estava em campo. Aos 38, bobeira da zaga do Flamengo, Arias aproveitou e tocou para Cano abrir o placar.

A torcida ainda comemorava quando o argentino aproveitou passe de Calegari e ampliou. Tricolores em êxtase no Maracanã. Quarta vitória seguida em cima do rival. Cano, obviamente, foi eleito o craque do jogo.

O Flu decide a competição no próximo sábado, às 18h, no Maracanã. O tricolor pode perder por até um gol de diferença que será campeão.

Cano faz gol de barriga, Flu perde para o Botafogo, mas avança a final por vantagem de melhor campanha

: Foto: GE

O Fluminense evitou um vexame e vai disputar mais uma final do Campeonato Carioca. Cano fez de barriga nos acréscimos. O time perdeu por 2 a 1, mas se classificou por ter melhor campanha.

O jogo começou truncado, feio, sem grandes chances. Com três zagueiros, o Flu novamente teve uma atuação patética. O primeiro tempo caminhava para um 0 à 0, mas o Botafogo abriu o lplacar aos 47. A partida ficou estranha.

Abel Braga mexeu três vezes no intervalo; Ganso, Nonato e Cris Silva entraram nas vagas de Arias, Manoel e Pineida. A equipe continuou mal e o segundo gol do adversário era questão de tempo. Com requintes de crueldade, o alvinegro ampliou já nos acréscimos.

Tudo caminhava para outra frustrante eliminação, mas o Flu dessa vez não desistiu. Aos 51, falta perigosa pro Flu. A bola sobrou para Cano diminuir com gol de barriga. Fred ainda foi expulso.

O Fluminense fará a final contra o Flamengo. A primeira partida será na próxima quarta, às 21h30, no Maracanã. Não há vantagem na final.