fbpx

Colunas

MURIEL É ROLETA RUSSA E PRECISAMOS DE UMA APOSTA “PULE DE 10”! Opinião Rafael de Castro.

Olá, Guerreiros!

Se conversarmos com “especialistas” em apostas, creio que 9 a cada 10 falarão a mesma coisa: O Futebol é um dos piores esportes para se apostar!

Isso porquê, no futebol o imponderável entra em campo toda rodada. No vôlei, basquete, tênis, entre outros, não é possível empate e os favoritos levam a melhor na grande maioria das disputas.  

O nosso FFC, para nossa alegria, vem reforçando essa máxima. Seja por competência nossa, incompetência dos outros, um pouco de cada ou sorte, estamos com resultados acima da performance e precisamos da gestão muito bem centrada para que faça a melhor “aposta” possível daqui por diante.

Exatamente, algumas contratações são meramente apostas, principalmente as realizadas com uma temporada em andamento. Também são apostas às promoções de jovens da base no meio de um campeonato tão brigado, pois o ideal é também lançá-los sem tanta responsabilidade.  

Nessa introdução deixo claro que não sou ignorante ao fato de que há enorme dificuldade em contratar, mas uma coisa é “apostar uma grana na loteria e perder o dinheiro”; outra coisa é você querer defender sua casa de um assalto em andamento e “colocar sua única arma, com uma única bala, nas mãos daquele seu cunhado com 10 de miopia, que toma tarja preta e é esquizofrênico”.

Em um passado bem recente, tínhamos duas balas no revolver e às usamos para Muriel e Ganso! Em Ago/2020 nosso presidente nos informou o seguinte sobre “novas balas”: “A discussão não pode ser no varejo porque temos um teto de folha. Aprovamos o orçamento e hoje estamos gastando abaixo do que nos programamos para gastar. Isso significa que posso fazer duas ou três contratações para o Brasileiro. Porque alguns jogadores saíram como Henrique e Gilberto. Com essas saídas, vai abrindo fluxo. Só para vocês saberem, deixamos no orçamento um lastro para fazer um investimento de emergência na folha, caso a gente vá mal no Brasileiro. Contratar, três, quatro, cinco, jogadores se a gente estiver lutando para não cair”.    

Paremos para refletir e tentar interpretar esse texto: Se estivermos brigando para não cair, contratamos de 3 a 5 jogadores!!! Portanto:

Se estivermos no meio da tabela, não teremos ambições/contratações por libertadores?

Se estivermos na zona de pré libertadores, não teremos ambições/contratações para o G4? 

Se estivermos no G4, não teremos ambições/contratações para o TÍTULO? 

Antes que reflitam sobre as perguntas, observem bem as diferenças de premiações do campeonato, em especial para o salto de receita a partir da 10ª colocação:

Confira os valores por posição:

  1. R$ 31.746.000
  2. R$ 30.096.000
  3. R$ 28.446.000
  4. R$ 26.796.000
  5. R$ 25.146.000
  6. R$ 23.496.000
  7. R$ 21.846.000
  8. R$ 20.196.000
  9. R$ 18.546.000
  10. R$ 16.896.000
  11. R$ 12.936.000
  12. R$ 11.946.000
  13. R$ 10.956.000
  14. R$ 10.626.000
  15. R$ 10.296.000
  16. R$ 9.966.000
  17. R$ 5.544.000
  18. R$ 5.115.000
  19. R$ 4.785.000
  20. R$ 4.620.000

Quem acompanha minhas colunas, sabe que me atenho muito mais à gestão do que aos debates sobre o ocorrido em campo. No entanto, é INACREDITÁVEL que nossa “aposta” para a posição mais determinante em campo hoje, a posição de goleiro, continue sendo Muriel!!!

Sr. M.B, tire a arma das mãos desse “seu cunhado com 10 de miopia”. Reconheça que “jogou para a galera” quando citou que estava fazendo caixa para 3 , 4 ou 5 contratações e faça ao menos uma: WALTER (GOLEIRO RESERVA do Corinthians)!

Se contratar ou promover jovem é uma aposta, contratar Walter, se comparado ao “mão de raquete Muriel”, é “pule de 10”. Walter, mesmo sem ritmo esteve em campo em 1 partida pelo Corinthians em 14/10, depois de uma inatividade de quase 8 meses e foi o melhor em campo disparado. Defendeu 9 bolas, sendo 4 das consideradas difíceis.

Precisamos de um goleiro e precisamos de ambição. Faça como Horta, leve flores para a mulher do Walter e o traga para o Flu. Nos permita sonhar ainda mais!     

Rafael de Castro Ladewig de Araujo.

Meu sangue é grená com glóbulos verdes e brancos.

O texto é de total responsabilidade do autor.

“Até quando Muriel como titular?” Opinião Lauro Cernicchiaro

Bom dia guerreiros da Sul e Tricolindas!!!
Mais uma Vitória da garra e principalmente da sorte. Esse Odair deveria jogar na mega sena, ficar milionário, nascido para lua completamente.

Mas, vamos lá, Muriel ? O que falar dele ? Mais de DEZ , isso mesmo DEZ falhas, consecutivas em vários jogos, bisonhas, amadoras, daquelas se é na nossa pelada de fim de semana, pede tempo, e da a camisa de goleiro reserva ou um colete para qualquer um menos ele. Duas falhas dele CUSTARAM NOSSA ELIMINAÇÃO em duas competições, La Callera em casa, e Atlético Goianense fora, já era para ser barrado há muito tempo, não interessa se é BONITINHO, parece aquele boneco Falcon, se é irmão do goleiro da seleção ou o valor do salário, Egídio e Ganso comprovam isso.

Marcos Felipe já, urgente e agora!
Garoto formado na base com passagens nas seleções de base, já que perdemos o PITALUGA, excelente promessa, e ficamos com esse mão de alface, não de boneca, erros e falhas imperdoáveis, TCHAU!!!

Por isso falo da falta de um gerente de futebol ativo, que questiona , peita, cobra barracões, e não de um senhor, idoso, obeso, acomodado e conivente com a mesmice.

As cobranças nas redes sociais que escalaram Calegari e Danilo Barcellos, não foi o Maionese iluminado que bancou. E o Yago? Que jogador, guerreiro, técnico, Ah já ia esquecendo. Hei Dodi vai tomar no … , vai brincar de pique procura time com Somoza, Everaldo, e cia.

Uma bela vitória de virada, mas demonstra mais uma vez a sorte desse treinador e um gol olímpico, com uma bela batida na bola do Luca e participação fundamental do Lucas Claro, e um gol no final do jogo do nosso Caio Paulista que desencantou pela segunda vez.

Time está unido e brigando muito, isso é bom, jogadores limitados se superando , dedicando ao extremo, se tivéssemos mais umas três ou quatro peças de reposição, barrasse essa figura no gol, poderíamos estar em melhor colocação no Brasileiro e em pelo menos mais uma competição.

Venho falando BANQUEM os garotos de Xerem, apostem neles, Jonh Kenedy meteu três gols no Palmeiras, lá na Arena dos porcos nesse fim de semana, André entrou muito bem, ainda temos o Martinelli, chega dessas figuras encostadas e acomodadas de empresários!!! Ganso + Muriel + Egídio = 800 mil reais. Dinheiro jogado fora. ACORDA MAIONESE !!!

O texto é de total responsabilidade do auto.

FOTO DESTAQUE DE MAILSON SANTANA/FLUMINENSE FC

Postura, posicionamento, defesa institucional já! Guerreiros e Guerreiras.Opinião Rodrigo Amaral

Postura, posicionamento, defesa institucional já!
Guerreiros e Guerreiras.


Eu poderia começar esse texto dizendo: “ Srs. Cartolas e Sras. Cartolas”, afinal nosso mascote sempre foi o “Cartola” que retratava a ligação do Fluminense FC à nobreza, ao requinte, ao posicionamento elegante e fidalgo, décadas depois o Fluminense tinha tanta representatividade nos bastidores do futebol e força politica que por conta disso nosso mascote, “O Cartola” virou sinônimo desse poderio. E é nesse ponto que me apoio para alguns questionamentos, afinal com o passar dos anos parece que o Football tem sido deixado em segundo plano e a “porta” na CBF cada vez mais fechada, e pergunto a todos, como abriremos esta porta? Será que a postura passiva dos nossos Cartolas fará a CBF olhar para nós com um olhar de parceiros, aqueles que não reclamam de nada, não perturbam e ajudam a dar força à entidade máxima do futebol brasileiro?

Essa postura, digamos amistosa, não vai na contra mão de tudo aquilo que foi verbalizado por quem nos preside, a tal DEFESA INSTITUCIONAL?


Ora ora, eu vi nesse campeonato o São Paulo FC entrar com uma representação junto a CBF, quando viu que o arbitro Rafael Traci, que era o árbitro de vídeo que o prejudicara em partida anterior, seria escalado para ser o árbitro principal da partida contra o Grêmio, será que o Tricolor do Morumbi ficou mal visto por sua atitude ou respeitado pelo seu posicionamento?

Ah sim, o árbitro do jogo foi o Rafael Traci, após empate o Grêmio FPA reclama de assalto no Morumbi.
O Atlético mineiro também botou sua boca no trombone quando estava disputando a liderança da competição naquela rodada em que enfrentaria o Bahia EC, solicitou que não fossem escalado árbitros Gaúchos, afinal ele tinha uma briga direta com o Intercional SC, então fica a pergunta, o Atlético MG está de picuinha ou defendendo seu interesses? O árbitro não foi trocado, apitou o Daronco, da federação Gaúcha, Bahia 3×1.


Eis que vem o jogo S.E. Palmeiras x Fluminense F.C. e PAH!!! Leandro Pedro Vuaden, que possui um currículo extenso de partidas desastrosas contra o Fluminense, é escalado mais uma vez, e mais uma vez num jogo de grande importância conta a S.E. Palmeiras, e o Fluminense F.C. nada fala, não se posiciona, acha natural, se bobear devem ter achado azar essa escalação, pois é fica então essa pergunta, porque o Único Tricolor do Mundo não se manifestou? Vocês devem estar curiosos para lerem o currículo do Vuaden né? Vamos lá:
 Brasileiro de 2008 – Vitoria E.C. 2×2 Fluminense F.C.
 Deixou de marcar 2 pênaltis a favor do Flu, após confessar o erro, foi suspenso pela comissão de arbitragem
 Brasileiro 2009 – Coritiba F.C 1×1 Fluminense F.C. (BATALHA DO COUTO PEREIRA)
 Anulou o primeiro gol do Flu
 Brasileiro 2010 – Fluminense F.C. 2×2 São Paulo F.C.
 Deixou de marcar um pênalti pro FLU
 Brasileiro 2015 – São Paulo F.C. 0x0 Fluminense F.C.
 Deixou de marcar um pênalti pro FLu
 Brasileiro 2015 – Coritiba F.C. 1×1 Fluminense F.C.
 Deixou de marcar um pênalti pro Flu e não marcou falta clara no GUM no lance do gol do Coxa Branca.
 Copa do Brasil 2015 – Fluminense F.C. 2×1 S.E. Palmeiras (jogo de ida, semi final)
 Deu pênalti inexistente em Zé Roberto, pênalti que foi convertido.

Após lerem este currículo sujo deixo a pergunta, o que vocês fariam se vissem esse cidadão escalado para apitar um jogo do Fluminense?

O texto é de total responsabilidade do autor.

“Treinar tempo integral pra quê? ” opinião Rafael Ladewig

Olá, Guerreiros!

Há duas semanas comemorávamos o fato de termos pela frente 3 dos maiores adversários no campeonato, Grêmio, Palmeiras e Inter, envolvidos em outras competições. O primeiro veio ao RJ com um time mesclado e tendo disputado 2 jogos nos últimos 6 dias, enquanto nós, só “treinávamos”; O segundo nos recebeu depois de um duelo pela Copa do Brasil no meio de semana, com apenas 2 considerados titulares e uma linha de defesa toda modificada, tendo até mesmo jogador improvisado na lateral e zagueiro que não jogava há meses; O terceiro vive uma crise momentânea. Perdeu seu ótimo treinador e viu Abel Braga perder os dois últimos jogos. Jogará na próxima quarta uma decisão, nos enfrentará domingo e no meio da próxima semana já terão outra decisão contra o Boca Juniors.

Que nosso time é limitado, todos nós já sabemos! Que nosso treinador tem estilo de jogo reativo e pouco propõe de soluções ofensivas também! O que parece não ser conhecimento de todos é o tamanho da responsabilidade da gestão nisso!

A cultura do futebol brasileiro é nefasta no que tange às demissões de treinadores, e nisso eu concordo com o Sr. Mario Bittencourt. No entanto, isso não significa que deva existir omissão. A gestão do futebol não deve interferir na escalação, mas deve sim participar ativamente do planejamento da comissão técnica, mas parece que a estratégia é outra: Ter sempre um bode expiatório ou um discurso pronto para a incompetência que remeta ao passado.

Não ter um gestor de futebol capaz de exigir um planejamento do Odair, talvez seja confortável para o um presidente centralizador; Se der certo, o mérito é do centralizador, mas se der errado, a culpa é da “nossa folha salarial ser muito baixa”, devido às dívidas oriundas das gestões anteriores.

Faça-me o favor, Sr.Presidente! O Sr. também é um dos responsáveis por hoje pagarmos ações de barangas do passado. O Sr., enquanto membro remunerado de um departamento jurídico do clube, cansou de se omitir como torcedor, pensando somente no bolso e na carreira pessoal/profissional, ao ver erros contratuais consecutivos. Hoje o Sr. está se omitindo novamente ao manter Angione, entre outros e não quebrando antigas práticas no clube, mas ignorar o simples fato de que o time com mais disponibilidade não treina e ainda corre menos que o adversário em frangalhos, é um escárnio!

O retrato do Fluminense é exatamente o da reflexão a seguir. Observem, tricolores, nossa planilha de treinos da semana e lembrem do “Pepê voando nas costas do Julião” e do R.Veiga, ocupando dois ou três setores do meio campo contra nossos sempre atrasados “guerreiros”.

Veja a programação semanal:
15/11 – Domingo – Folga;
16/11 – Segunda-feira — Folga;
17/11 – Terça-feira — 10h00 – Treino – CTCC;
18/11 – Quarta-feira — 10h00 – Treino – CTCC — Após a atividade – Entrevista coletiva (ao vivo na FluTV);
 19/11 – Quinta-feira — 10h00 – Treino – CTCC;
 20/11 – Sexta-feira — 10h00 – Treino – CTCC — Após a atividade – Entrevista coletiva (ao vivo na FluTV); 
21/11 – Sábado — 15h30 – Treino – CTCC — Após a atividade – Viagem para Porto Alegre;
 22/11 – Domingo — 18h15 – Internacional x Fluminense – Campeonato Brasileiro;

Perder na técnica é algo esperado para um elenco tão mal montado, mas na parte física, na ausência de jogadas ensaiadas diante de tanto tempo livre, NÃO!

TREINO EM TEMPO INTEGRAL PRA QUÊ? TREINO NA MANHÃ DO DIA DO JOGO PRA QUÊ? USAR UMA TARDE OU MANHÃ PARA UTILIZAR A IMAGEM DO ATLETA, EM ESPECIAL EM AÇÕES DE MARKETING E APROXIMAÇÃO COM O TORCEDOR/SÓCIO PRA QUÊ? 

Se você, por amizade, por ego, por poder ou por qualquer motivo que seja, passou a fazer parte de um “grupiderme” político do FFC e não cobra a gestão da forma que deveria, essa culpa também é sua! “Ei Flusocio vtnc”, era a música preferida de muitos que hoje beijam os ex desafetos!

Rafael de Castro Ladewig de Araujo.
Meu sangue é grená com glóbulos verdes e brancos.

Política no Flu

Opinião: “Grounds of impeachment”

Sr. Presidente Mário Bittencourt, sirvo-me deste para dirigir-me, brevemente, a Vossa Senhoria.

Embora não tenha o conhecimento e a erudição de Vossa Senhoria, eu já li, na íntegra, “O Federalista no 10”. Também já dei uma boa vasculhada nos precedentes dos casos de Andrew Johnson, Richard Nixon, Bill Clinton e ,agora, Donald Trump.

Se o Fluminense perder para o Moto Clube, Sr. Presidente, passarei em revista, palavra por palavra, “The Federalist Papers”. Com certeza James Madison, Alexander Hamilton e outros Founding Fathers, extravasando dos estreitos limites do Estatuto do clube, hão de me prover com “… grounds of impeachment…” ante a sua reiterada e gigantesca incompetência.

Ouso dizer que, pela primeira vez, Vossa Senhoria será emparedado por um plebeu.

Por amor ao Fluminense, hei de provar, além de qualquer dúvida razoável, que Mário Bitcoin é mais um farsante na infinda lista de embustes que nos perseguem.

Será a mais elevada missão de minha vida!

Opinião: apertem os cintos… O Presidente sumiu

No final de 2013 – no rumoroso “Caso Lusagate” -, Flamengo e Portuguesa cometeram erros crassos na escalação de jogadores que, ao cabo de contas, livrariam o Fluminense de um merecido rebaixamento para a segunda divisão. A Procuradoria de Justiça Desportiva, por dever de ofício, denunciou os dois clubes. O Regulamento do Campeonato era solarmente claro e, por isso, só cabia um resultado ao final, a punição dos dois clubes. Embora o momento recomendasse discrição e sobriedade, o Fluminense interveio no procedimento como “terceiro interessado”. Estava montado o picadeiro para a atuação do talentoso – e ambicioso – advogado do Fluminense, o Sr. Mário Bittencourt. Aquela pantomima, a um só tempo, projetou nacionalmente o ilustre causídico e tornou o Fluminense objeto da ira da imprensa desportiva e das torcidas adversárias. Em suma, por vaidade, ganhamos, mas perdemos. Poderíamos ter levado a causa no silêncio dos sábios.

Mais de seis anos depois, a Procuradoria de Justiça Desportiva denunciou, também por dever de ofício, o mesmo Flamengo devido a gritos de guerra homofóbicos desferidos por sua torcida contra a nossa. Ultrajado, o Fluminense mandou para representá-lo no Tribunal…. NINGUÉM. PQP! Quanta falta nos fez a argúcia e o proselitismo do Sr. Mário Bittencourt. O Flamengo foi absolvido!

Dois pesos e uma medida?

Não, de jeito algum!

Diferentemente do que acreditam os mais incautos, há método nisso. E não se baseia no interesse do Fluminense F.C.

Aliás, o Sr. Mário Bittencourt me lembra o Aldo, lateral-direito dos anos 80, só aparece na boa.

A diferença é que o Aldo deu muitas alegrias à torcida.

Ex presidente Peter Siemsen responde sobre entrada na justiça contra prestação de conta de seu último mandato

Ex presidente do Fluminense, Peter Siemsen, obteve na justiça uma liminar que impediu o conselho deliberativo do Fluminense a executar a votação de seu último mandato, em 2016.

A votação aconteceria nesta sexta-feira (29), mas uma ordem expedida pela juíza Anna Eliza Duarte Diab Jorge, da 22ª Vara Civel, impediu a ação.

Siemsen usou suas redes sociais ainda na tarde desta sexta-feira (29) para responder a ação:

Veja a publicação completa clicando aqui

Liminar impede votação de reabertura de contas do último ano do mandato de Peter Siemsen

O ex presidente do Fluminense, Peter Siemsen, conseguiu via liminar judicial, a suspensão da reabertura de votação das contas referentes a 2016 – último ano de sua gestão, que seria realizada nesta sexta-feira (29).

A decisão foi concedida pela juíza Anna Eliza Duarte Diab Jorge, da 22ª Vara Civel, com o argumento de que Siemsen não teve o devido tempo para apresentar sua defesa, uma vez que o ex presidente alega ter sido notificado da reunião somente na última segunda-feira (25) e recebido apenas 72 horas para apresentar documentos.

A votação, em 2017, foi feita por contraste visual, e não por contagem dos votos de cada conselheiro. Os favoráveis foram convidados a levantar a mão. Ao constatar maioria, o presidente do Conselho encerrou o tema.

Diante de grandes erros contábeis, as contas foram receitas e mudaram drasticamente, mudando de um superávit de R$8 milhões para um déficit de R$13 milhões.

Uma reunião ainda tentou ser organizada na época em que Pedro Abad presidia o clube, porém, a mesma terminou em agressão física entre os conselheiros.

Caso o balanço seja reprovado, Peter Siemsen pode ser responsabilizado pelos prejuízos ao clube.

Ainda de acordo com a decisão da magistrada, uma reunião de conciliação foi agendada para o dia 14 de fevereiro de 2020.

Confira a decisão na íntegra:

” Pretende o Autor a concessão de tutela de urgência para suspender a realização de assembleia extraordinária convocada pelo Conselho Deliberativo do Fluminense Football Clube, ora 1º Réu, pelos fundamentos expostos na inicial. Para concessão da medida de urgência requerida, impõe-se a caracterização dos requisitos previstos no art. 300, do NCPC: a probabilidade do direito e o perigo de dano ou o risco ao resultado útil do processo. A probabilidade que autoriza o emprego da técnica antecipatória para a tutela do direito invocado na inicial se traduz na probabilidade lógica, isto é, o direito se afigura provável, a partir da análise das alegações e das provas que instruem a inicial. O perigo de dano e o risco ao resultado útil do processo, requisitos dispostos pelo legislador de forma alternativa, estão associados à urgência e devem ser interpretados como o perigo na demora, ou seja, há urgência quando a demora na tutela do direito possa comprometer sua própria realização, imediata ou futura.

A prova documental acostada aos autos demonstra a franca inobservância pelos Réus dos princípios constitucionais do contraditório e da ampla defesa, previstos no art. 5º, inciso LV, da CRFB. Os documentos de fls. 92/95 comprovam que o Autor foi cientificado da realização de assembleia extraordinária do Conselho Deliberativo do Clube, cuja pauta seria o reexame das contas prestadas pelo Autor, na condição de Presidente do Fluminense Football Clube, relativamente ao ano de 2016, sem prazo suficiente para apresentar defesa. A notificação foi encaminhada ao Autor por email subscrito pelo 2º Réu, em 25/11/2019, concedendo-lhe o prazo de 72 horas para apresentação de documentos que entendesse pertinentes à sua defesa, prazo claramente exíguo e que não encontra previsão no Estatuto do Clube, muito menos na lei.

Não há, também, indicação da data em que seria realizada a assembleia e não foram especificadas as razões que conduziriam à nova análise das contas. O email encaminhado pelo 2º Réu em 27/11/2019, somente neste informada a data da assembleia, apenas indica a existência de ´erros materiais´, o que em nada se traduz.

Note-se que os documentos de fls. 101/107 comprovam que estas foram regularmente aprovadas pelo Conselho Fiscal e pelo Conselho Deliberativo, além de ter sido objeto de apuração através de inquérito civil, arquivado por ausência de provas de irregularidades. E, ainda, não está acompanhada do termo de convocação dos conselheiros, na forma do art. 30, do Estatuto do Clube, a fim de que tenha conhecimento o Autor de seu conteúdo. Ademais, eventual reexame das contas já aprovadas pode gerar, em tese, responsabilidade civil do Autor, o que configura perigo de dano. Presentes, pois, os requisitos legais.

Isto posto, DEFIRO a medida de urgência requerida para suspender a realização da reunião extraordinária convocada pelo Conselho Deliberativo do Fluminense Football Clube, convocada para 29/11/2019, às 19:30 horas, sob pena de multa única no valor de R$ 100.000,00. Citem-se e intimem-se, com urgência, face à proximidade da data, por OJA. Certificado o correto recolhimento das custas, expeça-se o respectivo mandado. Encaminhe-se cópia desta decisão para o Plantão Judiciário. Designo audiência de conciliação para o dia 17/02/2020 às 14:50 hs, na forma do art. 334, NCPC.

Os Réus deverão comparecer à audiência de conciliação designada, acompanhados de advogado ou de Defensor Público, cientes de que seu desinteresse na autocomposição deverá ser comunicado a este Juízo, por petição, com no mínimo 10 (dez) dias de antecedência, contados da data da audiência (art. 334, §5º, NCPC). Neste caso, não se realizando a audiência, na forma do art. 334, §4º, inciso I, NCPC, o prazo para contestar correrá da data do protocolo do pedido de cancelamento (art. 335, inciso II, NCPC). Havendo, contudo, interesse dos Réus na tentativa de composição consensual, será mantido o ato designado e o prazo de 15 (quinze) dias para oferecimento da contestação computar-se-á da data da audiência (art. 335, inciso I, NCPC) “.

Top