fbpx

Abel Braga reclama do campo e admite alívio: ‘O que eu mais queria era ganhar’

Em Los Larios, o protagonista do domingo foi o gramado. Devido à forte chuva em Xerém, o campo, inundado, mais parecia um rio. As poças, então, tornaram-se um problema para Fluminense e Volta Redonda, que duelaram pela Taça Rio. O jeito era marcar de pênalti, e assim saíram os três gols. Placar finar: 2 a 1 para o time de Abel Braga, que vibrou com o terceiro triunfo seguido no torneio.

– O que eu mais queria hoje era ganhar. Porque se falou tão pouco da vitória sobre o Flamengo e muito da derrota diante do Avaí. Nós tentamos e, em alguns momentos, colocamos o nosso jogo em prática. Mas é muito difícil nesse campo – reclamou.

Dada a constante procura do clube das Laranjeiras por estádios para mandar suas partidas, Abelão trouxe à tona um questionamento antigo: a falta de uma casa para o Fluminense. O técnico ainda se opôs à realização de shows no Maracanã, principal palco esportivo do Rio.

– Entrei há 14 anos no Fluminense. É sempre a mesma coisa. Empresta um campo, pega um campo lá. A gente não tem campo. A cidade tem o Maracanã, o estádio que o público merece. Mas ele é palco de bandas e de carnaval. Se cobra um absurdo em São Januário e no Engenhão. Isso me entristece. Vivo disso. A imprensa vive de futebol. Segundo pior estadual do país. Será que isso não é alerta? – indagou.

A seguir, veja mais tópicos da entrevista:

‘Invasão’ de morcego à sala de coletiva

– Hoje pode acontecer de tudo mesmo, até isso aí.

Ausência de Marcos Jr. entre os relacionados

– Eu não poupei o Marcos Jr., não. Ele não tinha era condições. Se entrasse em campo, sairia com lesão na panturrilha.

Estratégia de jogo diante do estado do gramado

– Nessas condições, tem de fazer o Sornoza e o Robinho aprofundarem. Ou jogar pelas laterais. O Volta Redonda fez bem pois aí se joga nas costas da defesa e se cava falta. Enfim. Importante que vencemos.

Robinho cobrando pênalti

– Robinho teve a coragem de bater o pênalti, mas quem deveria converter era o Pedro. Eu mandei recado. Imediatamente após o gol, iria tirar ele. Tem horas de que tem ser paizão mesmo.

Preferência por Ayrton Lucas

– É um jogador de muita velocidade. Se ele não volta, fica muito tempo sem jogar. Demoraria a recuperar o ritmo. Ele ganhou a posição no campo e só saiu por lesão. Então, procurei ser justo.

Saudações Tricolores,
Nicholas Rodrigues.

FluCamp faz a alegria da criançada tricolor e se consolida um sucesso

As férias da criançada tricolor ficaram mais divertidas com o lançamento da FluCamp, sucesso absoluto entre meninos e meninas de 7 a 14 anos. O projeto, que acontece em janeiro e julho, dá aos participantes a chance de vivenciar, por uma semana, a rotina de um jogador de futebol. Na edição passada, rolaram, por exemplo, brincadeiras na piscina, treinos, jogos e visitas ao CT, a Xerém e à sala de troféus de Laranjeiras, sede do evento. Sem falar no encontro com o elenco profissional, ex-atletas e ídolos do Fluminense, como Romerito.

Meninas também têm seu lugar na FluCamp e se destacam. (Foto: Reprodução/Fluminense)

Além da extensa programação, que vai da manhã até o fim da tarde, os tricolores ganham um kit especial, com boné, uniformes, squeeze e até mochila.

Àqueles que têm talento com a bola no pé, ainda há a oportunidade de captação para o futsal do clube. Aos apaixonados pelas três cores que traduzem tradição, a FluCamp proporciona uma viagem na história do Tricolor. A partir desta experiência única, certamente, o coração passa a pulsar mais forte pelo maior do Brasil.

Veja o vídeo a seguir e entenda melhor sobre a FluCamp:

Saudações Tricolores,
Nicholas Rodrigues.

Fluminense vê solução para reduzir custo do Maracanã e costura acordo

Ao que tudo indica, o Fluminense retornará ao Maracanã ainda em março. Dado o alto custo operacional do estádio, o clube analisou alternativas e buscou uma solução para reduzir este gasto. A saída foi encontrada: utilizar somente o anel inferior. A novidade está, por ora, em fase de estudo, mas tem grandes chances de ser colocada em prática.

Houve negociação com o Consórcio e o desfecho caminha para um final feliz. O martelo deve ser batido até segunda-feira, e o jogo contra o Nova Iguaçu, dia 11, pela Taça Rio, pode acontecer no Maraca.

O mês de fevereiro foi de Maracanã fechado a futebol. Enquanto os clássicos e duelos do Carioca aconteciam pelo Rio e até Brasil afora (como no caso do Fla-Flu em Cuiabá), o principal palco esportivo do estado sediava eventos de música, como ‘Rio, Carnaval dos Sonhos’ e shows de Phil Colins e Foo Fighters. O gramado, retirado no início do mês passado, foi replantado. A concessionária estima que o campo esteja pronto para receber partidas a partir do dia 10.

Saudações Tricolores,
Nicholas Rodrigues.

Fonte: Globoesporte.com

Ibañez comemora primeiro gol no profissional: ‘Vivo meu sonho’

Na noite de quinta-feira, Roger Ibañez viveu um misto de emoções. Ao mesmo tempo em que festejava o primeiro gol no profissional do Fluminense, lamentava a derrota para o Avaí, por 2 a 1, pela Copa do Brasil. Faltou pouco para alegria ser 100%.

– O sentimento pelo gol, o primeiro no profissional, foi de extrema felicidade. Infelizmente, a felicidade não foi completa por causa da derrota. Mas a gente segue firme na mesma direção – afirma.

Gol foi de cabeça, nos primeiros minutos da etapa inicial. (Foto: Lucas Merçon)

A semana, em geral, foi positiva para o zagueiro. Aos 19 anos, consolidou-se de vez no time de Abel Braga e, recentemente, assinou contrato de cinco anos com o clube das Laranjeiras. Sem dúvida, os primeiros passos do jovem no futebol estão sendo especiais. Um sonho, diria Ibañez.

– Passei por um período de preparação forte. Desde que cheguei ao Fluminense, venho me preparando para chegar onde hoje estou. Meu foco é me manter titular. Posso declarar que vivo meu sonho. Renovei o contrato por cinco anos, estou tendo boas atuações. Estou muito feliz. Dou graças a Deus por isso – comemora

Saudações Tricolores,
Nicholas Rodrigues.

Roger Ibañez pede apoio da torcida e avisa: ‘Nosso Fluminense é de vitórias’

A torcida tricolor vinha embalada pela sequência positiva do time, mas deixou o Nilton Santos, quinta-feira, frustrada. Afinal, o Fluminense perdeu para o Avaí. No entanto, o revés na Copa do Brasil em nada muda a postura do elenco. Pelo menos é o que diz Ibañez, que ainda destaca o espírito vencedor do clube.

– A confiança continua a mesma. O time está muito encaixado, muito aguerrido. Pedimos a colaboração dos torcedores. O Fluminense é de vitórias. Claro que nunca dá para manter a mesma coisa. Mas o nosso Fluminense é sempre de vitórias, sempre buscando resultados positivos – diz.

O zagueiro, ao tentar explicar o 2 a 1 para os catarinenses, foi breve: nada funcionou naquela noite. Porém, promete corrigir os erros cometidos no duelo passado e garante foco no Volta Redonda, adversário na Taça Rio.

– Vínhamos numa sequência muito boa. O time estava encaixando muito bem nos jogos. Ontem foi um dia em que, infelizmente, nada funcionou. Estávamos meio que perdidos no esquema. Mas isso vai ser corrigido durante a semana e vamos buscar a vitória domingo.

Saudações Tricolores,
Nicholas Rodrigues.

Abelão vê time abaixo, mas se responsabiliza pela derrota para o Avaí

Foi na quinta-feira, aos olhos de sua torcida, no Nilton Santos, que o Fluminense viu sua invencibilidade terminar. O Avaí fez 2 a 1 e garantiu certa vantagem para o segundo jogo, marcado para o dia 15, em Santa Catarina. Abel Braga chamou a responsabilidade para si e explicou a derrota.

– Não fizemos um bom jogo, reconheço isso. A responsabilidade é toda minha. Sentimos no segundo tempo que a equipe foi muito abaixo. É o cansaço natural. Alguns jogadores foram muito abaixo. Nos últimos jogos, com o coletivo bem, alguns jogadores cresciam individualmente. Hoje o coletivo não funcionou. Eu me responsabilizo – disse.

O ponto crucial para o revés foi a falha de Marlon Freitas, que entrou no lugar de Sornoza. Minutos depois de entrar em campo, o volante perdeu a bola e contribuiu para contra-ataque fatal do adversário. Em seguida, saiu o gol da virada.

– O Marlon Freitas tem uma característica de entrada na área. Eu o coloquei, ele errou uma bola e saiu o segundo gol – justificou o comandante, antes de defender o jogador:

– Abala, por ser um jovem. É difícil para ele. Entrou em campo e, sem tocar na bola, já estava sendo vaiado. Podia ter recebido incentivo.

Apesar do placar desfavorável, Abelão ainda crê na classificação para a próxima fase. O técnico destacou, também, a confiança que tem no elenco.

– Continuo a acreditar nos nossos jogadores. Nós temos que ter consciência que não está liquidado. Eles poderiam ter liquidado em dois ou três contra-ataques. Não aconteceu. Continua em aberto. Quando chegar o momento deste jogo, vamos pensar no que será melhor.

Saudações Tricolores,
Nicholas Rodrigues.

Abel Braga destaca a solidariedade do país pós-morte de filho: ‘Me senti forte’

Os meses se passaram, é verdade. Mas a saudade no coração de Abel Braga persiste. Em julho passado, enquanto dirigia treino no CT tricolor, o técnico foi comunicado da morte do filho mais novo, João Pedro. A tragédia, repentina, comoveu o país. Aliás, a solidariedade dos brasileiros, destaca o comandante, foi importante nos momentos de dor.

– Consegui separar bem o momento da lágrima, do choro. Mas essa saudade não se apaga. A dor, esse vão que fica na nossa frente, a gente não vai conseguir reconstruir. Fico meio sem chão, mas essa solidariedade que recebi do país foi uma coisa fantástica. De todo o país, todos os clubes, todos os torcedores, do meu Fluminense, principalmente. Me senti forte, uma coisa que desconhecia – confessou, em entrevista ao Seleção SporTV.

A força de Abelão para recomeçar também marcou aquele período. Dias depois da perda, o treinador estava em Recife para enfrentar o Sport, pelo Campeonato Brasileiro. A atitude é vista pelo mesmo como um exemplo a quem passa por situação parecida.

– Acima de tudo está sendo um exemplo a ser seguido. A quem tem a perda. Até hoje ainda recebo solidariedade pela minha atitude de começar a treinar, ter ido para Recife dirigir o time contra o Sport. Recebo muitas cartas enviadas ao Fluminense dizendo que servi de exemplo para muitos pais, filhos. Para muita gente – revela.

Saudações Tricolores,
Nicholas Rodrigues.

Rodrigo Aguirre está bem próximo do acerto com o Fluminense

O repórter Victor Mendes  da Rádio Rede Mais Esporte ,publicou em seu Twitter que  o atacante uruguaio Rodrigo Aguirre  de 23 anos,está muito próximo de se tornar mais um jogador Tricolor.  Victor afirmou que  após conversas com o empresário de Aguirre ,o mesmo o confidenciou  que os próximos dias seriam decisivos mas que o acordo entre o clube e o jogador estaria  muito bem adiantado  e que   a  Udinese da Itália ,detentora do passe de Aguirre,não vê problemas em emprestá-lo ao Tricolor por um ano e já estaria providenciando o documento liberatório do atleta .
Aguirre também era pretendido pelo Botafogo,mas o rival  carioca desistiu da contratação do jogador uruguaio.
A  equipe  do CanalFluNews  apurou  informações sobre  a desistência alvinegra pelo jogador.
O Botafogo teria decidido não entrar em leilão pelo jogador após ter tido sua primeira oferta recusada pelo empresário de Aguirre que também solicitou maiores luvas.

Alvaro Souza Che

Fonte: Rádio Rede Mais Esporte

Cavalieri é apresentado no Crystal Palace

Goleiro foi dispensado no final de 2018 pelo tricolor.

Passado quase três meses após ter o contrato rescindido com o Fluminense, o goleiro Diego Cavalieri foi anunciado como o mais novo reforço do Crystal Palace, clube que disputa a Premier League.

Essa será a segunda vez que Cavalieri vai disputar a Premier League. Sua primeira passagem na Europa o goleiro assinou com o Liverpool, porém, teve poucas oportunidades.

Cavalieri assinou com o Crystal Palace por 4 meses, em negociação que foi intermediada pelo irmão do goleiro, Danilo Cavalieri e intermediado pelos agentes Ivan Jatobá e Marcos Leite, da LM03 Sports.

No Crystal Palace, o goleiro terá uma missão complicada, uma vez, que a equipe briga contra o rebaixamento na atual temporada.

 

ST,

Douglas Wandekochen

Flu x Vasco já tem horário, local e arbitragem definidos

Jogo é válido pela terceira rodada da Taça Rio.

O clássico entre FluminenseVasco, válido pela quarta rodada da Taça Rio, será disputado na próxima quarta-feira (7), no estádio Nilton Santos, às 19h 30.

Com a ausência do Maracanã (impossibilitado devido há uma série de shows) o futebol do Rio vem sofrendo para conseguir realizar todo o Campeonato dentro do estado, tanto que a final da Taça Guanabara foi disputada em Cariacica-ES e o último Fla-Flu, em Cuiabá.

Com tudo, a própria federação já confirmou o clássico no Niltão e já definiu também o árbitro da partida, que será o senhor Grazziani Maciel Rocha.

 

ST,

Douglas Wandekochen

Top