Além de Orejuela, Sornoza é mais um a entrar na justiça contra o Fluminense

As ações trabalhistas de ex jogadores contra o Fluminense não é nenhuma novidade no clube, tanto que já na primeira semana de 2021, o clube já sofre mais duas ações. Além de Orejuela, seu compatriota, Júnior Sornoza, também acionou o clube das Laranjeiras na justiça.

Sornoza que chegou ao Fluminense junto com Orejuela, em janeiro de 2017, cobra um valor de R$ 1.203.472,44 em ação que corre na 72ª Vara do Trabalho do Rio de Janeiro do TRT-1, com responsabilidade do juiz Leonardo Almeida Cavalcanti foi ajuizada durante o recesso forense em 21 de dezembro 2020 processo de número 0101044-90.2020.5.01.0072. A dívida é referente a pontos como saldo de salário, décimo terceiro e férias, além de multas.

Somadas, a dívida cobrada pela dupla é de R$ 3.601.645,11, contudo, vale destacar que em nenhum dos dois casos houve audiência marcada entre as partes.

Foto em destaque: Mailson Santana/FFC

Volante Orejuela move ação contra o Flu, cobrando mais de R$2 milhões do clube

O volante Orejuela, que atuou no Fluminense ao longo de 2017, moveu uma ação contra o clube das Laranjeiras, cobrando um valor de R$ 2.398.172,67, referentes ao salário de janeiro de 2020, férias 2019/2020, e FGTS referentes ao período de janeiro de 2017 à janeiro de 2020.

A ação que foi ajuizada no recesso forense no dia 07 de janeiro de 2021 e gerou o processo de número 0100289-64.2021.5.01.0009, foi despachado no mesmo dia pela juíza da 9a. Vara do Trabalho do Rio de Janeiro Daniela Valle da Rocha Muller, fixando o prazo de 15 dias para Fluminense contestar a ação.

De acordo com os advogados do Jogador, o salário que ficou pendente teria sido no período em que o jogador retornou de empréstimo junto a LDU, em janeiro de 2020. No entender dos advogados, enquanto negociava um novo empréstimo, o custeio do salário seria obrigação do Fluminense. Além disso ainda de acordo com a reclamaçãotrabalhista, o clube deixou de arcar com as obrigações contratuais do jogador, como:
FGTS, 13º salário e Férias.

Aviso prévio em 50% – R$ 118.729,36;

Férias proporcionais de 19/20, em 1/12 – R$ 16.490,19;

1/3 sobre as férias – R$ 5.496,73;

Pagamento de saldo de salário de 20 dias do mês
de janeiro de 2020 –
R$ 131.921,53;


Multa por não ter quitado as verbas na época própria – R$ 197.882,28;


Multa caso não efetue o pagamento das verbas incontroversas em primeira audiência – R$ 521.341,89;

Pagamento de 1/12 de férias proporcionais,
devidamente acrescidas de 1/3 Constitucional
– R$ 21.986,92;


Honorários advocatícios nos pedidos que for
sucumbente em 15 %
. – R$ 312.805,1

FGTS não depositado, bem como multa de 20% por se tratar de rescisão por mutua vontade – R$ 555.673,49;

segue foto do pedido inicial do jogador

Com exclusividade pelo Canalflunews.

Foto em destaque: Maílson Santana/FFC